Suicídio e as redes sociais: como as mídias afetam a mente 

Equipe Eurekka

Nos dias de hoje, as redes sociais têm um grande poder de afetar a saúde mental das pessoas. Por isso, ter informações sobre suicídio e as redes sociais é importante, para que você fique atento aos sinais e não deixe que o mundo virtual controle sua vida!

Neste texto, trouxemos dados sobre suicídio e explicamos sobre como as redes sociais podem afetar a saúde mental, bem como sua relação com o suicídio e formas de evitar que ele aconteça.

Dados sobre o suicídio 

No Brasil, o suicídio está na quarta posição entre as maiores causas de morte de jovens de 15 a 29. A estimativa é de 700 mil suicídios por ano! Bastante coisa, né? 

Aliás, ao comparar os anos de 2010 e 2019, estudos indicam aumento de quase 30% na taxa de suicídio de homens e mulheres de todas as idades. Enquanto homens apresentam maior risco de morte por suicídio, as mulheres mostram maior índice de ideação e tentativas de suicídio

É comum que homens não tenham boas condições de saúde mental, pois não procuram por serviços de saúde com a mesma frequência que as mulheres. Além disso, tendem a ser mais agressivos e têm maior acesso a objetos letais, como armas de fogo, estando mais propensos ao suicídio.

Por outro lado, as mulheres costumam cuidar mais da própria saúde e, comparadas aos homens, consomem menos álcool, têm boas redes de apoio e não estão em serviços tão letais. 

Qual a relação entre suicídio e as redes sociais? 

Não é novidade que as redes sociais podem influenciar os comportamentos. Ao sofrer cyberbullying, por exemplo, as pessoas tendem a se isolar, se sentirem inferiores e entrarem em sofrimento intenso, com altas chances de desenvolver transtornos mentais, como depressão

Assim como o cyberbullying, outros problemas causados pelas redes sociais, como comparação e necessidade de aprovação, podem gerar consequências negativas na saúde mental das pessoas. Logo, é comum que o suicídio se torne uma saída para quem está em sofrimento. 

Além disso, pessoas que estão deprimidas ou costumam ter comportamentos destrutivos podem ver conteúdos sobre suicídio — ou outro assunto que seja “gatilho” — para fazer o mesmo.  

foto de uma pessoa usando um celular sentado na mesa com um caderno e uma xícara de café ao fundo

O impacto das redes sociais na saúde mental 

Assim como comer em excesso, usar substâncias ilícitas ou jogar muito videogame, usar as redes sociais também pode ser uma forma de fuga da realidade. Na psicologia, as tentativas de se sentir bem por meios que não são saudáveis são chamadas de regulação emocional. 

Ou seja, muitas pessoas — em especial, os jovens — costumam realizar essa regulação emocional por meio das redes sociais. Ao sentir uma emoção intensa, como tristeza ou solidão, é comum que essas sensações sejam aliviadas ao rolar o feed do Instagram, por exemplo. 

Porém, estar presente nas redes sociais com frequência pode causar prejuízos para a sua saúde mental e é isso que vamos mostrar para você agora! 

Comparação 

Posso apostar que, em algum momento, você já acompanhou alguém que levava um estilo de vida invejável nas redes sociais. Sabe aquela pessoa que sempre acorda “good vibes”, não tem uma mancha no corpo e vive viajando? É dela que estamos falando. 

Na geração da tecnologia, é comum o desejo de mostrar as coisas boas que acontecem na vida. Mas qual é o limite entre compartilhar registros e manter um personagem nas redes sociais? 

Esta ilusão da vida perfeita gera comparação. Porém, é preciso entender que as pessoas expõem na internet o que querem que você veja, por mais que — assim como você — elas também sintam uma montanha russa de emoções e tenham as próprias fragilidades

Cyberbullying

Nas redes sociais, não é difícil nos depararmos com violências, como ofensas, ameaças e perseguições, ou seja, o famoso cyberbullying

O cyberbullying é uma forma de atacar as pessoas por meio da internet, sendo uma prática perigosa e com altas chances de levar a vítima a desenvolver transtornos mentais e, até mesmo, cometer suicídio. Além disso, o cyberbullying pode ser difícil de combater, por motivos como: 

  • Dificuldade em identificar o agressor;
  • A vítima não falar sobre o que aconteceu e sofrer em silêncio;
  • Possível exposição da vítima e, assim, repercussão nas redes sociais.

Necessidade de aprovação 

Se você posta uma foto no seu Instagram, é esperado ter algumas curtidas e comentários, certo? As pessoas que elogiam você reforçam seu comportamento de estar sempre nas redes sociais em busca por reconhecimento e aprovação. 

Pergunte a si mesmo: qual é a importância de receber vários likes e comentários? Ao parar para pensar, vai chegar à conclusão que está em uma busca pela aprovação dos outros e não por um desejo real de compartilhar algo. 

Isso pode se tornar uma necessidade, de modo que você passe a viver de acordo com o que as pessoas gostariam de ver e, por consequência, darem likes e elogios. 

A necessidade de aprovação é um problema que se intensificou muito com as redes sociais. Além disso, pode afetar muito a autoestima e a autoimagem, o que leva a outros problemas. Se você percebeu que isso é um problema na sua vida, agende sua primeira conversa com um dos nossos psicólogos. Eles irão te ouvir e te ajudar a resolver esse problema. Clique no banner para saber mais.

banner terapia saúde mental com a eurekka

Copycat

Copycat se trata de imitação, em que as pessoas têm comportamentos parecidos com o que é divulgado na internet. Basta um clique para encontrar conteúdos que induzem à repetição de situações, inclusive do suicídio.

Por exemplo, se uma pessoa com ideação suicida assiste a uma notícia de alguém que se suicidou se jogando na linha do trem, é provável que isto sirva como “inspiração” para planejar o próprio suicídio

Nesse contexto, algumas pessoas podem ser influenciadas por conteúdos divulgados na mídia, que servem como “alavancas” para o comportamento de tirar a própria vida. 

Se você tem pensado sobre suicídio, por favor, conheça o Amarelo Todo Dia, um projeto da Eurekka contra o suicídio. Além disso, não deixe de ligar para o CVV.

Depressão 

Cerca de 80% dos suicídios acontecem por conta de algum transtorno mental, sendo a depressão o mais comum entre eles. 

A comparação, necessidade de aprovação, cyberbullying e outros fatores podem levar à depressão, que é um fator de risco para o suicídio. 

Ou seja, as redes sociais deixam as pessoas mais expostas a desenvolver um quadro depressivo — ou outros transtornos — aumentando as chances de ocorrer um suicídio. 

Ansiedade 

Usar as redes sociais em excesso contribui com a intensidade da ansiedade, que pode se tornar um transtorno. Isto acontece de acordo com a forma que você se envolve com as redes sociais, como o tempo online, as pessoas que você acompanha e as informações que consome. 

Por exemplo, se você costuma passar muito tempo nas redes sociais, é provável que você compare sua vida com a de outras pessoas, veja fotos e vídeos por horas sem perceber o tempo passar e crie uma dependência do mundo virtual

Estes são só alguns dos vários motivos para que as redes sociais afetem sua saúde mental, mas já dá para perceber que — caso você não tenha controle sobre elas — seu bem-estar pode ficar comprometido.

Suicídio e as redes sociais: como prevenir? 

Como você já percebeu, as redes sociais podem influenciar bastante um comportamento suicida. Entretanto, existem formas de prevenir o suicídio no mundo online e agora você vai descobrir quais são elas! 

Entenda que nenhuma vida é perfeita 

Na internet, o que vemos é um fragmento da realidade da vida de cada um. As pessoas têm a possibilidade de escolher o que querem compartilhar online e, muitas vezes, comparamos uma parte do que é postado com a nossa vida inteira.

Você pode se sentir inferior, se comparar, duvidar das próprias capacidades… Porém, cabe a você filtrar quem acompanha! E tenho uma coisa para contar para você: Ninguém é feliz o tempo todo

Entenda que a vida é como uma montanha russa: pode estar estável e, quando você menos espera, atinge o pico, causando um frio na barriga. Ou seja, não existe vida 100% estável, pois todas as pessoas sentem as mais diversas emoções e sentimentos

exemplo de suicídio e as redes sociais com menina triste olhando a tela do seu celular

Não use as redes sociais em excesso 

Você já deve ter ouvido falar que tudo em excesso faz mal, né? Bom, com as redes sociais não seria diferente. Então me conta: ao acordar, a primeira coisa que faz é olhar o celular? Se sente ansioso se não checar todas as redes sociais? Fica agoniado quando está sem bateria?

Talvez o tempo que você esteja passando nas redes sociais não seja saudável, podendo levar à dependência

Entenda que você não precisa desativar suas redes sociais e parar de interagir no mundo virtual, afinal, isso seria inviável e pouco útil na época em que estamos. 

Porém, é preciso ter um controle sobre as redes sociais e não deixar com que elas controlem você. Para isso, você pode tomar medidas como: 

  • Limite o tempo de uso do seu celular. Existem configurações no próprio aparelho que podem ajudar você a controlar isso; 
  • Não use seu tempo livre para ficar nas redes sociais. Se engaje em outras atividades, como fazer um exercício ou ler um livro;
  • Em momentos como estudar ou passar um tempo com família/amigos, desligue o seu celular e o deixe distante. 

Siga apenas perfis que acrescentem algo bom 

Faça uma limpa nas suas redes sociais! Sabe aquela blogueira que aparenta ter uma vida perfeita e com quem você costuma se comparar? Ou aquela pessoa que você se sente mal ao ver um story? Se pergunte o porquê de ainda seguir essas pessoas.  

Siga pessoas próximas e perfis que tenham conteúdos que sejam interessantes para você. Ao passar por uma publicação de “corpo perfeito”, cura milagrosa ou algo que não seja útil para você, não hesite em parar de seguir. Preze pela sua saúde mental!

Tenha uma rotina saudável 

Se você não tem uma rotina, é provável que você não consiga otimizar seu tempo. Assim, pode se engajar em atividades que não são prioridades no momento, como mexer no celular e, por consequência, nas redes sociais.

Porém, quando você se compromete com tarefas fixas, evita ansiedade, pois você não é pego de surpresa e o seu cérebro aprende a diferenciar os momentos de descanso e lazer dos momentos de trabalho ou estudo, por exemplo. 

Além disso, manter os bons hábitos, como fazer exercícios físicos de forma regular, ter uma alimentação regrada e dormir por tempo suficiente ajuda na estabilidade do humor. Caso contrário, uma rotina desorganizada e sem bons costumes pode causar estresse e desânimo.

Busque ajuda profissional 

Um bom profissional da saúde mental pode ajudar você a lidar com as redes sociais de forma saudável, como, por exemplo, estabelecer horários, desenvolver autocontrole e fortalecer sua autoestima para evitar comparações. 

sede eurekka

A Eurekka ajuda você a lidar com o suicídio e com as redes sociais 

Bom, você viu todos os benefícios de uma ajuda profissional, não é? A Eurekka conta com uma equipe de psicólogos qualificados com alta capacidade para proporcionar para você o bem-estar que você tanto procura!

Se você percebe que está sendo afetado pelas mídias sociais, costuma se comparar, nunca está satisfeito com a própria vida e já pensou em suicídio, a Eurekka pode ajudar você! Garantimos um ambiente sigiloso, em que você será acolhido e escutado com atenção.

Para que você não seja mais refém das redes sociais, clique aqui e agende a sua conversa inicial com um de nossos profissionais! 

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.