Alcoolismo: o que é, quais os sintomas, como tratar e mais

Equipe Eurekka

O álcool, por ser uma droga lícita e pela cultura em que vivemos, não possui uma conotação tão ruim quanto outras drogas. Com isso, o alcoolismo, muitas vezes, não é visto como um problema.

Mas, como você vai ver no texto de hoje, a dependência do álcool traz muitas consequências ruins à vida das pessoas. Pois não prejudica apenas a saúde física, mas também a mental e as atividades sociais.

E para entender melhor sobre o assunto, hoje, você vai encontrar a definição de alcoolismo, os possíveis motivos da dependência, quais os sintomas e algumas possibilidades de tratamento. Além disso, vamos responder à pergunta: será que é possível deixar de ser uma pessoa dependente do álcool? 

Boa leitura!

O que é o alcoolismo?

Alcoolismo é quando uma pessoa começa a depender do álcool. É a falta de controle ao ingerir a substância e a vontade incontrolável de beber. Assim, a pessoa não consegue mais se divertir sem o álcool e até mesmo deixa de participar de eventos onde não há bebida.

Além disso, a tolerância do alcoolista também vai aumentando. Por consequência, a pessoa vai precisando de doses cada vez maiores para se satisfazer.

Ademais, outra característica do alcoolismo é que essa dependência apresenta sintomas físicos e psicológicos, inclusive sintomas de abstinência

E todo esse conjunto acaba colocando a saúde física e mental da pessoa em risco, por isso a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera o alcoolismo uma doença.

Um fato comum é que é bastante difícil as pessoas reconhecerem o seu problema relacionado ao álcool. Há uma resistência grande, o que retarda o início do tratamento e traz consequências ainda piores para o dependente. 

Saiba mais: O que é vício e quando algo se torna um?

mulher bebendo vinho

Por que as pessoas ficam alcoólatras?

O alcoolismo afeta todas as classes sociais e uma faixa etária bem extensa de idade. Não há apenas um motivo para essa dependência, e sim, um conjunto de fatores que podem levar o álcool a ser o melhor amigo do dependente. 

Mas já se sabe que há um componente genético na situação. Pois é comprovado que a probabilidade de homens e mulheres serem alcoolistas aumenta em 4 vezes se os pais tiveram essa dependência ao longo da vida. 

Um exemplo dessa afirmação é o estudo feito pelo National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism, nos Estados Unidos, o qual mostra que 40% a 60% dos fatores que influenciam o alcoolismo são genéticos. Dessa forma, o estudo chega à conclusão de que pessoas com histórico de acoolismo na famíla têm mais de 50% de chance de serem alcoólatras também.

Além do componente genético, os fatores biológicos, sociais e psicológicos contribuem bastante para criar e manter uma dependência do álcool.

Um dos fatores biológicos interessantes é que algumas pessoas têm mais enzimas no fígado para metabolizar o álcool. Isso faz com que precisem de mais doses para ficar embriagadas e aguentem beber mais. Então, com doses cada vez maiores, a dependência tem mais chances de aparecer.

Um fator psicológico bem conhecido é a depressão. Muitas pessoas recorrem ao álcool para relaxar e “fugir” dos problemas do dia a dia. Porém, como o efeito do álcool não dura tanto e a tolerância aumenta, a pessoa vai precisando de mais e mais goles, buscando a sensação boa que sentia no início.

É possível deixar de ser alcoólatra?

Infelizmente, o alcoolismo não tem cura. O que é possível fazer é buscar regredir os sintomas que a pessoa tem presente e buscar uma maior estabilidade emocional. 

A partir da busca por uma melhor qualidade de vida, a pessoa se sentirá cada vez mais saudável e a dependência vai, aos poucos, diminuindo. 

Além disso, os alcoolistas precisam controlar seu vício a vida inteira. No geral, com o passar do tempo, esse controle vai se tornando mais fácil. Mas, ainda assim, é uma luta diária para continuar conquistando seus objetivos.

Ademais, é vital lembrar que é um processo difícil e lento. Portanto, ter apoio é imprescindível para tornar esse momento mais leve.

Sintomas do alcoolismo

O alcoolismo tem muitos efeitos. Alguns se mostram no corpo, outros no humor e até no psicológico da pessoa dependente. Abaixo, listamos sintomas importantes:

No corpo: 

A fadiga, dificuldade de raciocínio, problemas cardíacos e de pressão arterial, perda de memória e o aumento do colesterol são os principais sintomas.

No comportamento: 

O comportamento do alcoolista, em muitos casos, se torna bastante agressivo. Em outros, a pesoa não demonstra esse tipo de atitude, mas dá outros sinais do problema, como: não abrir mão de beber, deixar de estar com as pessoas para ir ao bar e se recusar a ir em lugares onde não álcool.

Além disso, a perda da inibição quando a pessoa bebe pode levar a realizar comportamentos que, sóbrio, a pessoa não faria. Isso pode trazer vergonha.

No humor: 

Alterações no humor, no geral, são bastante comuns no alcoolista. Pois quando o dependente está sob o efeito do álcool, é uma pessoa feliz e eufórica. 

Já, quando o efeito começa a passar, a pessoa pode começar a sentir ansiedade, se sentir mais deprimida, irritada e com raiva. Podendo levar, assim, a comportamentos agressivos.

No aparelho intestinal: 

O uso excessivo do álcool pode causar inflamações e lesões no aparelho intestinal e pode até levar ao desenvolvimento de úlceras. Além disso, o alto consumo de álcool pode levar também a gastrite aguda. 

Ademais, as doenças do fígado — órgão em que o álcool é metabolizado no corpo humano – são bastante comuns. Essas doenças estão diretamente ligadas à quantidade de álcool ingerido. 

A maioria dos alcoolistas têm a doença hepática gordurosa, que é o acúmulo de gordura no fígado. Ela pode evoluir para hepatite alcoólica, e até para uma cirrose – inflamação crônica no fígado que faz com que ele não funcione da maneira como deveria.

Sintomas psicológicos: 

Os sintomas psicológicos que aparecem são, em sua maioria, culpa, tristeza, depressão e ansiedade. 

Além disso, o alcoolismo pode desencadear transtornos de humor e disfunção sexual. Pode, também, trazer à tona sintomas psicóticos ou antissociais.

Outros: 

Além dos sintomas já citados, a dependência do álcool também acarreta distúrbios alimentares ou do sono.

E outro efeito bastante importante que aparece na maioria das histórias dos dependentes é o prejuízo nas relações, ainda mais na família. Por causa da grande quantidade de conflitos, as relações ficam estremecidas.

grupo de apoio para tratar o alcoolismo

Como é o tratamento para o alcoolismo?

Cada tratamento, para ser efetivo, deve considerar a individualidade e subjetividade de cada pessoa. Olhar a história de cada um faz a diferença na definição de plano de tratamento. 

Além disso, é preciso levar em conta o grau de dependência e em qual ponto do desenvolvimento a doença está.

O tratamento pode englobar alguns profissionais e áreas da saúde. Abaixo, você verá os passos principais:

Procedimentos médicos: 

No geral, pelas recaídas serem muito comuns, os tratamentos iniciam com uma internação para fazer a desintoxicação. 

Além disso, é vital poder entender quais os danos no corpo físico a bebida alcoólica trouxe àquela pessoa.

Medicamentos: 

Existem alguns medicamentos que podem ser indicados para o tratamento do alcoolismo. Mas apenas devem ser usadas quando forem indicadas por algum médico. 

Não se automedique! 

Terapia: 

A terapia pode ser individual ou em grupo. As duas maneiras ajudam a pessoa nessa fase difícil, mas há jeitos e abordagens um pouco diferentes.

A terapia individual é um lugar seguro entre a pessoa e o terapeuta. Nesses momentos, o paciente, na medida do possível e de sua evolução, entende o porquê do álcool ter papel tão significativo na sua vida naquele momento. 

Assim, ao entender a causa, o psicolólogo e o paciente começam a criar estratégias para lidar com esse vício.

Ademais, esse espaço terapêutico com um profissional qualificado vai possibilitar aumentar a motivação para seguir no tratamento. 

Já os grupos terapêuticos têm se mostrado muito úteis no tratamento do alcoolismo. O grupo dos Alcoólicos Anônimos (AA) é bastante conhecido. A possibilidade de compartilhar experiências com pessoas que vivem ou já viveram a mesma situação é muito importante.

Além disso, o AA aparece como um local de acolhimento, uma vez que a pessoa se vê pertencendo a um grupo. Assim ela constrói uma rede de apoio maior e não se sente sozinha na luta contra o alcoolismo. 

E aqui na Eurekka, nós oferecemos a Terapia Individual que ajuda você a lidar com o vício. A partir da Terapia Cognitivo Comportamental, nossos psicólogos experientes propõem atitudes práticas para que você consiga, com um passo de cada vez, substituir comportamentos ruins que levam ao vício, por modos de agir saudáveis para a mente e corpo.

Quer saber mais sobre nossa terapia? Clique no banner abaixo:

banner terapia saúde mental com a eurekka

Como eu posso me cuidar?

É importante se observar e prestar atenção aos sinais de alerta. 

O diagnóstico do alcoolismo é feito a partir do Código Internacional de Doenças (CID) e os sintomas citados — que estão listados abaixo — devem persistir durante os últimos 12 meses e devem aparecer, no mínimo, 3:

  • Desejo incontrolável pela bebida alcoólica;
  • Falta de controle em relação ao consumo;
  • Sinais de abstinência quando o uso parar;
  • Perda de interesse em eventos sociais;
  • Aumento da tolerância ao álcool;
  • Insistência em consumir álcool mesmo com todos os riscos.

Então, se você identifica esses sintomas em você, ou em alguém próximo, procure ajuda de um profissional da saúde e grupos de apoio!

Além disso, procure se manter longe de lugares e pessoas que são gatilhos para que você beba. Substitua esses lugares por um tempo de qualidade com a família e amigos. Outro ponto importante, é ser sincero com as pessoas ao seu redor, fale que você tem dificuldades como o álcool e que conta a ajuda de todos!

Como ajudar um alcoólatra a parar de beber?

Para ajudar um alcoolista, é vital começar pela informação. Se informar sobre o alcoolismo vai possibilitar uma conversa mais interessante e cheia de trocas importantes. 

Além disso, vai ser imprescindível não julgar o dependente nesse momento e ter empatia pela situação em que ele se encontra.  Incentivar a busca por ajuda e a manutenção do tratamento também são sempre bem-vindas. 

Ademais, ajudar o alcoolista a não se colocar em situações de possíveis recaídas é uma atitude muito valiosa. Ainda mais se for no início do tratamento, ou após a internação. Lembre que é difícil sair do ciclo da dependência!

Outro incentivo é ajudar a pessoa a ter hábitos mais saudáveis na vida como um todo. Se for uma pessoa bastante próxima ,e você puder, se coloque à disposição para ir junto em algumas situações, como para realizar atividades físicas.

sede da Eurekka

Tratamento para o alcoolismo com a Eurekka

A Eurekka tem o grande objetivo de ajudar as pessoas em todas as áreas da vida. Por isso, os alcoolistas têm um espaço de acolhida e profissionais de alta qualidade garantidos!

Além da possibilidade de psicoterapia individual, a EurekkaMed também pode auxiliar nos tratamentos medicamentosos que forem necessários. 

Ademais, temos profissionais da nutrição que podem ajudar na aquisição de hábitos alimentares mais saudáveis.

Então, se você se reconheceu em algum dos sintomas ou conhece alguém que está passando por uma situação parecida, é hora de falar com a gente! Como você viu, por aqui temos uma rede com diferentes serviços, mas, no caso do alcoolismo, recomendamos que você comece com a Terapia Eurekka!

Tanto o alcoolista, quanto a família e amigos, sofrem muito com essa situação. Então, é essencial olhar primeiro para a saúde mental e receber a orientação adequada de como prosseguir. Assim, se for necessário a ajuda em conjunto de outro profissional, o psicólogo irá encaminhar você!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 0

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.