O efeito das redes sociais na saúde mental

Ronald Freitas

A grama do vizinho nunca pareceu tão verde com o aumento do uso das redes sociais. Mas você consegue diferenciar a vida real da virtual? Ou se deixa impactar e influenciar por esse modelo que é utópico?

Fotos no Instagram, posts no Facebook e declarações no Twitter criaram um modelo de sociedade, novos trabalhos e um apego à visibilidade que pode ser bem aproveitado. Mas que, também, têm criado alguns prejuízos para a saúde mental. E é sobre isso que iremos conversar hoje!

Como as redes sociais podem influenciar na sua saúde mental

Você já se pegou rolando o feed sem nenhum motivo? Foi olhar a atualização daquele seu ex? Ou, talvez, depois de postar uma foto sensacional, ficou vigiando cada curtida e, no fim, se decepcionou por não ter conseguido o alcance desejado? A verdade é que esses tipos de comportamentos são cada vez mais comuns e influenciam a sua saúde mental sem que você perceba.

Ser visto e querer saber do outro parecem práticas inocentes, mas podem esconder efeitos negativos. Como, por exemplo, o ciúme excessivo, comparações injustas, baixa autoestima, exposição exagerada e a necessidade de autoafirmação. O perigo, no entanto, é quando esses comportamentos crescem a ponto de criarem problemas psicológicos graves.

Redes sociais e problemas psicológicos

Se você identifica alguns desses comportamentos negativos, é necessário repensar a forma como tem usado as redes sociais para o seu próprio bem. Você deve estar achando que é danoso perder tempo no uso das redes, certo? Sim. Mas, além disso, existem várias outras complicações.

Nos dias de hoje, quanto mais se pesquisa a relação entre redes sociais e saúde mental, mais se percebe que seu mau uso tem grande influência sobre o desenvolvimento de problemas psicológicos. É fácil de entender isso ao compreender que o potencial de vício das redes sociais é o mesmo apresentado por bebidas e outras drogas. A situação se agravou ao ponto de termos que lidar com uma nova doença: a adicção à internet.

Como as redes sociais afetam a vida de uma pessoa de maneira negativa?

A situação é preocupante pois criar um diagnóstico para o exagero do uso de redes sociais evidencia como a utilização dessas ferramentas de forma descontrolada pode te afetar de maneira negativa. O próprio Instagram percebeu o quão danoso pode ser e removeu o número de curtidas das fotos, que antes gerava competição e comparação. Mas será que foi o suficiente?

Será que você tem se sentido mal por ver o estilo de vida de outras pessoas? Fica afetado por não receber uma quantidade aceitável de curtidas? Você já pensou, após ver alguns stories, que está perdendo um tempo precioso da vida? Pois é! O uso de redes sociais de forma descontrolada gera em tais pensamentos negativos.

https://www.instagram.com/p/CGpmnukhLeo/

Qual o impacto das redes sociais na vida dos jovens?

Se as redes sociais já impactam a vida daqueles que nasceram numa época em que elas nem existiam, imagina para os jovens que nasceram juntos com o fortalecimento dessas tecnologias.

As redes sociais permitiram uma sociabilização nunca vista, mas também criaram uma dependência. É comum observar, em espaços públicos, jovens impacientes e infelizes ao perceberem que não há sinal de wifi disponível, ou de 4G.

E o problema não para por aí! Da mesma forma que as redes sociais ajudam os jovens a se comunicar, elas têm sido uma das responsáveis pelo isolamento social, sedentarismo e baixa do rendimento escolar. Isso quando o jovem não tem a sua autoestima abalada ou é atacado pelo cyberbullying.

Cyberbullying

Você já deve ter escutado falar sobre bullying e como esses atos de violência verbal e psicológica, motivados por preconceitos, afetam a vida de crianças e adolescentes. Quando o bullying acontece em um ambiente físico, já é difícil de controlar a situação, imagine quando o mesmo acontece no ambiente virtual! O cyberbullying é uma realidade para os jovens e precisamos falar sobre ele.

A vítima de cyberbullying costuma apresentar problemas como fobia social, pânico, baixa autoestima, transtornos alimentares, ansiedade e depressão e nos casos mais graves, suicídio. Por isso, é vital garantir ao adolescente acesso a um ambiente seguro e fiscalizar se ele não é o responsável pelo cyberbullying, ou seja, o agressor.

Impactos do uso excessivo das redes sociais

uso das redes sociais

Se você acredita que os impactos do uso excessivo das redes sociais se aplicam apenas aos mais jovens, você está enganado. Mesmo fazendo parte de uma geração que não nasceu junto às redes sociais, as pessoas mais velhas sofrem o impacto dessa cultura da mesma forma.

Além da possibilidade de causar ansiedade e depressão, o uso excessivo das redes sociais tem revelado prejuízos emocionais significativos. Tente lembrar alguma vez que a falta, ou o excesso, de redes sociais te deixou irritado, impulsivo, com baixa autoestima ou, até mesmo, com pensamentos suicidas.

Se você identifica alguma desses sintomas, continue lendo o texto até o final para saber como você pode usar as redes sociais de um jeito mais saudável.

FOMO (fear of missing out)

Para falar dos impactos negativos das redes, devemos começar por um problema criado por esse novo estilo de vida: o FOMO (fear of missing out), que quer dizer “medo de perder experiências“. Essa expressão se tornou popular por representar algo que muitas pessoam sentem hoje: medo de estar desperdiçando tempo de vida.

Ao ver os perfis das pessoas, a grama do vizinho sempre parece mais verde. Você começa a perceber que está deixando de aproveitar momentos importantes da sua vida. Como uma viagem com amigos, aquela festa que você faltou ou não vivendo uma grande história de amor.

Quando essa sensação se instala, é comum um movimento inicial de planejar diversas mudanças comportamentais, uma viagem, uma dieta, iniciar a academia, procurar por um amor… Mas, assim como as promessas de ano novo não costumam funcionar, o cenário aqui é o mesmo. Agora, junte esse medo de estar perdendo tempo a não realização de expectativas: consegue perceber como esse cenário é perfeito para o desenvolvimento da ansiedade e depressão?

Ansiedade

Você já pensou, ao estar rolando o feed dos digital influencers, em como a vida deles é fantástica? Pensou que a sua vida não parece ser tão interessante? Essa falsa percepção é a responsável por sintomas de ansiedade

E, quando a ansiedade surge neste contexto, você começa a sentir que os seus esforços não estão sendo suficientes para conquistar a vida que deseja

Talvez, você também tenha sido levado a sentir raiva por algo que viu na internet e, de repente, tanto estímulo negativo faz você duvidar de tudo, da sociedade, do mundo, dos amigos, familiares e o medo sobre o que será do futuro começa a alimentar a sua ansiedade.  Por exemplo, como o tanto de notícia ruim sobre a COVID-19 tem afetado a sua vida?

Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

menina cansada

A quantidade de estímulos emitidos pelas redes sociais é gigantesca e o cérebro humano não está apto para lidar com tanta demanda de forma saudável. Por isso, uma das consequências desse excesso está no desenvolvimento, ou agravamento, do TDAH (Transtorno de Défict de Atenção e Hiperatividade). Em especial, entre crianças e jovens que passam muito tempo fazendo uso das redes.

A relação entre redes sociais e TDAH é causal, mas exige atenção! O foco nas redes, combinado com a diminuição do repertório verbal, parece provocar distúrbios no processamento da linguagem, consolidação da memória e em processos atencionais, além de provocar comportamentos motivados pela impulsividade.

Baixa autoestima

Quantas vezes você já abriu o Instagram, começou a rolar o feed e fez uma comparação entre você e uma pessoa? É comum olhar para os perfis e criar uma falsa noção de realidade sobre como aquela vida é perfeita. Essa visão não é realista, mas é responsável por causar uma baixa autoestima.

As pessoas tendem a postar nas redes sociais apenas um lado de suas vidas, por isso, qualquer tipo de comparação feita com um perfil já é injusta. Além disso, cada um tem uma história única de vida, portanto, não faz sentido se comparar. 

Depressão

mulher com depressão

Você já deve ter reparado que, em muitos casos, o uso excessivo das redes sociais acaba amplificando, e até criando, sensações de mal estar.  

Enquanto você rola o feed do Instagram, ou passa pelos stories, é comum sentir raiva, frustração ou tristeza. Então, imagine o que pode acontecer passar por isso todos os dias.

Assim, o uso excessivo das redes pode alterar o seu humor de forma negativa e, até mesmo, agravar sintomas da depressão. Então, saiba o momento certo de parar de usar as redes sociais.

Perigos de se expor na internet

As redes sociais surgiram para conectar pessoas, mas quem imaginaria que, hoje, precisaríamos ter que tomar cuidados para não nos conectarmos com o perigo? 

Se você acompanha o mínimo de notícias, já deve conhecer vários casos em que ocorre invasão de privacidade, assédio e até tentativa de homicídio, que começam com um simples convite aceito de uma nova amizade.

Ler esse tipo de coisa pode causar desconforto por sabermos que todos estamos sujeitos a passar pelo mesmo. No entanto, é possível usar as redes sociais de forma segura e saudável e, para isso, é muito importante que você conheça as consequências dos excessos

Consequências da superexposição nas redes sociais

O propósito inicial das redes sociais foi cumprido, afinal, hoje é fácil demais ser conhecido de forma online. A todo momento, é possível compartilhar, curtir, postar e expor um pouco sobre a vida.

No entanto, uma exposição em excesso pode provocar problemas de privacidade e segurança no mundo real. Os exemplos existem aos montes, como o próprio Mark Zuckerberg, criador do Facebook, que expôs a sua ex-companheira. Ou mesmo aqui no Brasil, onde ocorreu o vazamento de fotos íntimas da atriz Carolina Dieckmann.

Possíveis consequências de compartilhar informações pessoais nas redes sociais

Se o medo do vazamento de assuntos íntimos já é delicado, imagina quando você compartilha informações pessoais que podem fazer você ser vítima de um criminoso virtual. Essa preocupação não era tão presente até poucos anos atrás, mas, hoje, ao compartilhar uma informação pessoal, você pode estar permitindo que um criminoso crie um perfil só para coletar suas informações.

Por isso, é importante que você tome cuidado no que clica, o que e com quem compartilha. Se tiver uma ponta de dúvida, não compartilhe!

banner produtividade

Dicas para usar redes sociais de forma saudável

Depois de ler todos esses “efeitos colaterais”, talvez você só pense em nunca mais acessar nenhuma rede social. E, ao mesmo tempo, se sinta fraco por achar que não vai conseguir cumprir essa promessa.

Mas as redes sociais foram uma criação incrível e é possível fazer muita coisa positiva através delas, Assim, talvez seja melhor você aprender a conviver com elas do que apenas fugir.

É muito simples tirar um bom proveito das redes e usá-las ao seu favor. Para isso, preste atenção às informações que você consome e ao tipo de material que compartilha. Veja algumas dicas para lidar com a internet de forma saudável que separamos para você!

Limitar o tempo de uso

O excesso costuma fazer mal, então tome cuidado com o tempo que você passa nas redes sociais. Uma dica é utilizar mecanismos como relatórios de tempo de uso do seu smartphone, ou computador, para ajudar nesse controle.

E, independente do uso, quando você sentir que o consumo de informação  te esgotou, separe um tempo para descansar por algumas horas.

Priorizar páginas que agreguem algo para você

Já que é para estar nas redes sociais, você pode começar a filtrar que tipo de conteúdo você consome. Pare de seguir páginas que te dão desconforto de alguma forma e comece a selecionar o tipo de informação que quer consumir.

Por exemplo, você pode acompanhar todas as dicas da Eurekka sobre saúde aqui pelo blog e, também, pelo Instagram.

Evitar exibir intimidades

As redes sociais invadiram a privacidade que estávamos acostumados, sendo que os próprios aplicativos colhem diversas informações do usuário. Mas, você já parou para pensar em como os seus dados são importantes para as empresas?

Portanto, revele apenas o essencial e para quem é essencial. Você pode utilizar os recursos de privacidade das redes sociais e manter círculos de melhores amigos para expor o que for mais íntimo.

Lembre: uma simples foto pode dizer muito sobre você. Por exemplo, onde mora, lugares que frequenta, com quem mora. Esteja atento.

https://www.instagram.com/p/B0i9_OslOrA/

Conferir a fonte das informações

Você, muito provavelmente, já deve ter escutado o termo fake news em algum lugar. A velocidade da informação na internet é tão grande que a veiculação de fake news se tornou um efeito colateral. Exemplos são vistos em eleições, por exemplo, e na disseminação descontrolada de notícias falsas sobre a COVID-19.

Por isso, é vital que você cheque todas as informações consumidas na internet. Quem produz o conhecimento? A página é confiável? É possível checar a informação em outros locais? Se lembre de que informações falsas possuem tanto poder quanto uma verdadeira, então tome cuidado com as fake news.

Monitorar os sites que as crianças e adolescentes estão usando

Parece óbvio, mas com a correria do dia a dia, acabamos não monitorando da forma que deveríamos as informações que crianças e adolescentes consomem. Você sabe o que o seu filho está consumindo nos jogos online e nos vídeos do YouTube? Sabe com quem ele conversa? E sobre o que conversa?

Talve,z você veja esse monitoramento como uma invasão de privacidade, mas crianças e adolescentes estão em processo de formação subjetiva. Assim, é vital que um adulto confiável guie o seu desenvolvimento.

E para ver todos os posts gratuitos da Eurekka é só acessar nosso blog, clicando nesse link. Além disso, aproveite e veja também todos os nossos conteúdos no nosso aplicativo e em nossas redes sociais: InstagramFacebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Ronald Freitas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *