O que é vício e quando algo se torna um? Psicólogo explica

Equipe Eurekka

Em um grupo de 3 pessoas, pode ser que você tenha a maior chance de desenvolver vício em bebidas alcoólicas. Em um grupo de 10 pessoas, você pode ser a que se torne viciada em tabaco. E, talvez, no seu serviço, algumas pessoas não admitam que tenham um vício em cafeína.

Esses dados são de pesquisas feitas aqui no Brasil, e mostram como encontrar alguém com um vício é mais comum do que parece.

Falar sobre vícios nunca foi algo fácil, pois as pessoas não gostam de reconhecer que entraram em um estado de necessidade total de outro objeto. Desse modo, seja café, video-games, sexo, drogas, álcool, ou outra coisa, o vício ainda é visto como um tabu.

Pra você saber como os vícios aparecem e quais são os tipos mais comuns, a Eurekka preparou um material muito bom que vai tirar todas as suas dúvidas!

O que é um vício?

Um vício é uma disfunção crônica do cérebro que envolve o sistema de recompensa. Sendo assim, podemos dizer que o vício é o desejo incessante do corpo por uma substância ou atitude compulsiva, o que causa uma busca exagerada por isso.

Além disso, pessoas viciadas em algo não são capazes de parar com essa atitude, nem se afastar do objeto. Ainda, quem tem um vício demonstra falta de controle próprio e ignora os problemas que podem estar sendo gerados.

Pessoas que têm algum vício podem estar em um ciclo de abuso. Desse modo, esse ciclo se altera entre um uso moderado e o uso intenso do objeto. No entanto, é muito comum que o vício piore ao longo do tempo e leve a complicações mais sérias.

pessoas mexendo no celular

Quando algo se torna um vício?

Em primeiro lugar, é importante dizer que quem possui um vício está em busca de se sentir completo. É como se aquele objeto fosse o que falta para a pessoa lidar com a vida. Não é à toa que muitos viciados relatam que aquela é a única forma de se sentirem inteiros de novo.

Em segundo lugar, é importante citar que dependência e vício não são a mesma coisa.

Funciona assim: o uso de substâncias ou algumas atitudes podem gerar um êxtase ou prazer absoluto que ativa o sistema de recompensa do cérebro.

No entanto, o nosso corpo começa a criar tolerância e, por isso, é preciso uma quantidade maior do objeto para sentir o mesmo efeito inicial. 

Sendo assim, a dependência daquela sensação de êxtase absoluta gera sintomas negativos no corpo quando não estamos sob o efeito do objeto, devido às doses cada vez maiores. E, então, quando se começa a ignorar os possíveis riscos e o uso se torna compulsivo, o vício surge.

Um tipo de dependência comum, por exemplo, é a pessoa que bebe vários litros de café por dia e não se sente mal. No entanto, se ela ficar um período de tempo sem tomar, seu corpo irá reagir de forma negativa, pois vai estar se ajustando aos níveis menores de cafeína no corpo. 

É por isso que, em tratamentos para diminuir a tolerância a um objeto, o paciente usa doses ou pratica atividades que vão se tornando menores ou menos frequentes, para que o efeito rebote seja mais ameno.

Quais são os tipos de vício?

Antigamente, se entendia o vício apenas como o uso indevido de substâncias. Porém, hoje em dia, alguns comportamentos também foram incluídos como passíveis de vício.

Agora, você vai conhecer 11 tipos de vícios diferentes, que vão ajudar você a entender melhor sobre o tema.

1. Bebidas alcoólicas

O vício em bebidas alcoólicas, ou o alcoolismo, é uma doença que não possui apenas uma causa e pode ser tanto por fatores psicológicos ou genéticos, como por fatores de comportamento também.

Contudo, o vício em álcool pode ser difícil de reconhecer, por ser uma droga aceita no meio social e que está sempre presente em celebrações e festas.

2. Cigarros

O vício em cigarros, tabaco ou nicotina é uma das substâncias com a maior taxa de abusos no mundo. A nicotina é muito aditiva e causa cerca de 6 milhões de mortes por ano.

Esse elemento causa um pico de adrenalina e dopamina quando é absorvida ou inalada. Além disso, esse é um vício difícil de esconder, pois cigarros são drogas legalizadas e podem ser usadas em público.

Pessoas viciadas em cigarros, ao ficarem sem a droga, podem começar a apresentar efeitos de dependência. Por exemplo, tremer as mãos, batimentos acelerados ou irritabilidade.

3. Internet e redes sociais

O vício em redes sociais é um vício comportamental muito recente, que envolve a preocupação exagerada com as redes sociais, além de uma compulsão em usá-las.

Quem possui esse vício, com frequência, causa problemas em outras áreas mais importantes da vida. A facilidade de acesso de uma rede social e as bobagens encontradas nelas, por ativarem o sistema de recompensa do cérebro, são o maior fator para surgimento desse vício.

4. Sexo

O vício em sexo é outro vício de comportamento similar ao vício em álcool, no qual a pessoa busca o objeto para se sentir completo. No entanto, não deve ser confundida com outros transtornos, como a pedofilia.

Assim, alguém viciado em sexo pode ter problemas em se relacionar, além de uma vontade compulsiva de se masturbar, ver pornografia ou praticar relações sexuais.

Além disso, a preocupação excessiva com o sexo interfere as outras atividades do dia a dia e pode causar problemas de infidelidade entre casais.

E, se você acha que esse tem sido um problema para você, não se desespere! A Eurekka pode te ajudar a lidar com esse problema!

Isso porque nós temos uma equipe preparada para te auxiliar a sair dessa situação e melhorar sua qualidade de vida e seus relacionamentos. É só clicar no banner abaixo e marcar uma sessão com um dos nossos psicólogos!

Não importa qual seja o problema, nós estamos dispostos a ajudar!

banner terapia

5. Jogos digitais

Um tipo de vício considerado há muito pouco tempo, os jogos digitais também podem deixar pessoas viciadas nessa atividade.

Os sinais de alguém viciado em jogos são: pensar em jogos o tempo todo e se sentir mal quando não está jogando; desejo de passar cada vez mais tempo jogando para se sentir bem; falta de desejo em outras tarefas; problemas com o trabalho ou escola; mentir sobre a quantidade de tempo que passa nos jogos.

vício em jogos de aposta

6. Apostas

A sociedade considera as apostas como algo comum, no entanto, o vício em jogos de azar pode ser o que causa o maior impacto financeiro. 

O vício em apostas se dá pela vontade incontrolável de comprar bilhetes de loteria, entrar em cassinos, jogar em caça-níqueis, apostar em esportes ou em plataformas online.

O maior problema é por envolver o ganho de dinheiro “fácil”, que faz a pessoa entrar num ciclo em que ela sempre irá gastar dinheiro para tentar ganhar muito mais. Então, a pessoa pode deixar de pagar contas, participar de jogos cada vez mais arriscados e até roubar dinheiro para apostar.

Um exemplo muito recente do que o vício em apostas pode causar aparece na famosa série de televisão “Round 6”.

7. Medicamentos

O abuso de medicamentos ocorre quando você usa um remédio por uma razão além da normal ou da indicada pelo médico.

Os remédios mais comuns que causam o vício são:

  • Opioides, como a codeína e a morfina. Eles atuam como analgésicos, e causam vício por causarem uma sensação de muito bem-estar.
  • Benzodiazepínicos, como o alprazolam ou diazepam. São usados para tratar a ansiedade e problemas com o sono e podem viciar devido ao seu efeito calmante.
  • Estimulantes, como ritalina e adderall. São usados para tratamento de TDAH e alguns distúrbios do sono e viciam pois podem causar euforia.

8. Compras

A oniomania, ou o vício em compras, é um vício socialmente aceito e, inclusive, estimulado pelo marketing e anúncios. O consumismo também elevou os riscos de ter esse vício.

Além disso, a oniomania envolve a compra compulsiva para se sentir bem e afastar sintomas como os da ansiedade e da depressão. Assim, esse vício também pode levar a outros problemas nas áreas da vida.

O vício em compras pode surgir em pessoas que tiveram uma ascensão social recente, como um salário maior ou melhores condições de vida.

9. Compulsão alimentar

O vício em comida também envolve o sistema de recompensas do cérebro e pode ser causado pelo consumo excessivo de comidas hiperpalatáveis ─ ricas em açúcar, gorduras e sal ─ como o fast food.

Desse modo, pessoas com compulsão alimentar se alimentam mesmo quando não sentem fome, apenas para sentir prazer, e criam um certo nível de tolerância aos alimentos, o que faz com que os viciados tenham que comer ainda mais para se satisfazer.

vício em trabalho

10. Trabalho

Você já ouviu falar no termo “Workaholic”? Essa é uma palavra do inglês, usada para definir pessoas viciadas em trabalhar.

Pessoas com esse vício não conseguem parar de trabalhar e isso deriva de um desejo compulsivo de obter mais status ou sucesso na vida.

Similar às drogas, os workaholics se sentem em êxtase no trabalho. Isso faz com que eles sigam repetindo as mesmas atitudes, o que pode prejudicar sua vida pessoal e saúde mental ou física.

O vício em trabalhar pode ser difícil de notar, pois existe uma cultura exagerada do trabalho duro e das horas extras, e de modo comum, a justificativa de alguém viciado em trabalho é que “é algo bom e vai me trazer sucesso”.

11. Outros

Além desses tipos, existem outras formas de vício, como o vício em atividades físicas, vício em se cortar, vício em sentir dor, outras drogas (como maconha, cocaína, anfetaminas), e até vícios religiosos.

Não obstante, qualquer atividade ou substância que cause problemas ou riscos à sua vida e que são ignorados para manter o uso pode ser um vício, e por isso, um médico deve ser consultado.

Como se livrar de um vício

O vício é um problema que pode ser tratável, e não existe apenas uma alternativa. No entanto, é importante citar que se livrar de um vício é difícil e recaídas podem acontecer, aumentando a duração do tratamento.

Sendo assim, algumas formas de tratamento que podem ser usadas são:

  • Psicoterapia: a terapia cognitivo-comportamental (TCC) pode ser usada para tratar atitudes ou padrões que auxiliem nos vícios. Além disso, terapia em grupo também pode ajudar a diminuir o sentimento de exclusão.
  • Medicamentos: alguns remédios para ajudar com a vontade exagerada do objeto e diminuir a vontade, além de outros remédios para controlar ansiedade e depressão.
  • Hospitalização: Em casos muito graves, pode ser preciso hospitalizar o viciado para tratar os efeitos causados pelo abuso, ao mesmo tempo em que o corpo se reajusta com a falta da substância.
  • Grupos de apoio: os grupos de apoio podem ser uma ótima forma de aprender maneiras de lidar com a falta de algo durante a recuperação, além de gerar inclusão social.

sede da Eurekka

Tratamento para vício com a Eurekka

Se você tem um vício, ou conhece alguém que tenha, então você precisa de ajuda. Um vício é um problema muito sério e que afunda a pessoa cada vez mais, até levar à morte.

Por isso, não hesite em buscar ajuda para se curar ou curar outra pessoa, porque esse é um dos passos mais importantes para se livrar do vício.

A Eurekka conta com uma equipe completa de psicólogos que atuam com a TCC. Aliás, também temos uma equipe de psiquiatras de alto padrão, que podem ajudar você nessa jornada. Para saber mais sobre a psiquiatria, é só clicar aqui. Para consultas com psicólogo, clique aqui.

Por fim, se você quer ter mais acesso a conteúdos gratuitos, visite nossas redes sociais: Youtube, Instagram e Facebook

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.