Como a prática do desapego deixa a vida mais fácil

Equipe Eurekka

Você já tentou praticar o desapego de alguma coisa que acredita estar em uma posição de maior controle na sua vida? Pode ser uma característica, um hobby, uma atividade, um estilo de se vestir, uma preocupação etc.

Calma, não estamos falando sobre parar de fazer ou ser o que você quer. Nesse caso, estamos falando de um desapego que tem a ver com não deixar aquilo estar no controle da sua vida. O desapego está ligado à maturidade emocional e à capacidade de entender que a vida está em constante mudança.

Neste texto, vamos falar um pouco mais sobre a ciência do desapego, a psicologia por trás disso, de onde surgiu e como você pode fazer essa prática para obter mais qualidade de vida e bem-estar!

O que significa desapego?

Hoje em dia, é muito comum que as pessoas digam que o desapego é a falta de interesse ou de vontade em algo ou alguém. É provável que você conheça alguém que diz ser desapegado dos outros, que não se envolve a sério com ninguém e que, assim, não sofre.

Apesar de esse não ser um texto sobre relacionamento, a ideia principal é mais ou menos a mesma: não se prender aos eventos da vida. Contudo, não tem nada a ver com ser apático, frio ou sem interesse na vida.

A ideia de desapego de que estamos falando aqui surgiu do Budismo. Desse modo, essa filosofia diz que devemos viver uma vida envolvidos nas coisas que fazemos, mas sendo flexíveis, ou seja, sem nos fixar em um resultado ideal.

Sendo assim, o desapego fala sobre apreciar o que foi feito no presente, sem se fixar na perfeição, no que poderia estar melhor ou no que aconteceu de ruim. 

Por exemplo, se você vai apresentar uma palestra, é normal pensar que alguma coisa ficou confusa ou que algo não foi bem dito. No entanto, apesar desse pensamento ser normal, a escolha de ficar remoendo essa culpa ou pensar o que pode acontecer no futuro é toda sua.

Isso não significa que você vai ignorar e continuar cometendo erros, mas que você decidiu aceitar o que houve e vai seguir em frente, sabendo que, às vezes, isso pode acontecer mesmo. E não há nada de errado nisso.

Ter essa capacidade ajuda a ter uma saúde mental melhor e evita a ansiedade e outros problemas de baixa autoestima.

Como desapegar das coisas?

Como falamos acima, você pode praticar o desapego ao apreciar o que aconteceu e não ficar nutrindo os pensamentos negativos que surgem sobre aquilo. 

Não dá para evitar que você pense coisas negativas, mas dá para evitar que você crie milhões de cenários sobre o que aconteceu ou pode acontecer por causa daquilo.

Então, é importante aprender a viver os momentos da vida e aceitar que não temos tanto controle assim sobre as coisas. Aliás, nós só temos controle sobre as nossas ações e não podemos fugir disso.

Sendo assim, faça as coisas que quiser fazer, mas não se preocupe com idealismos. Apenas aprecie o agora e não deixe que isso controle as suas ações.

homem com as mãos cruzadas e dois dedos nos lábios com uma expressão de preocupação com o desapego

Exemplos de apego

É comum que as pessoas se apeguem a vários fatores da sua vida, e que isso seja um fator que determine as próximas ações da pessoa, porque não se sente satisfeita com o que já tem em mãos. Alguns exemplos de apego podem ser:

  • Quanto dinheiro vai receber no final do mês
  • Quantos seguidores você tem nas redes sociais
  • Estar abaixo dos 55kg
  • Medo de desenvolver calvície
  • Opiniões políticas
  • Tirar sempre 10 nas provas
  • Os itens de moda mais recentes
  • Entre muitos — muitos, mesmo — outros

Porque temos um apego tão forte a certas coisas?

Você já se perguntou por que algumas pessoas — ou até você mesmo — são tão fixadas em algumas coisas do mundo? 

A resposta é que as pessoas não estão apegadas ao ganho material ou resultado final, mas sim porque é ali que elas depositam o seu ego, a sua noção de eu. 

É por isso que algumas pessoas acreditam que só vão ser bonitas se estiverem magras, ou que só são bons funcionários se tiverem resultados sempre acima da média, ou que não são pessoas legais se não tiverem muitas interações nas redes sociais.

O desapego faz com que as pessoas parem de enxergar o seu valor apenas em prêmios e resultados ou bens materiais, e passem a enxergar o seu valor como ser humano em um processo de constante evolução e mudança. 

Assim, a autoestima e o valor próprio aumentam e os eventos ruins da vida afetam menos você.

Aliás, se você precisa aprender a diminuir a sua preocupação com tanta coisa, se acha que isso está te causando muito estresse e você não sabe pra onde correr, conte a terapia da Eurekka! Nossos psicológos com certeza, podem te ajudar. Agende sua sessão pelo banner.

banner terapia

A escala de desapego

Em 2010, Sahdra, Shaver e Brown criaram uma escala de desapego. Nesse estudo, buscaram entender como o desapego afetava as outras áreas da vida. 

Vários outros estudos surgiram após esse, e de maneira geral, foi descoberto que o desapego está ligado não só a sintomas reduzidos de ansiedade, depressão e estresse, mas também ao aumento de atitudes de gentileza, empatia, sabedoria e autoatualização.

As pesquisas mostraram que pessoas que praticam a meditação e o mindfulness são mais capazes de praticar o desapego, e por isso, possuem uma qualidade de vida superior às pessoas que não fazem a prática.

Não só isso, mas as pessoas que aderem à psicoterapia e a outras atividades de autorreflexão também são mais capazes de desapegar.

Quer saber seu nível de ansiedade, depressão e estresse? Faça o teste DASS-21!

ACT e desapego

A Terapia de Aceitação e Compromisso, ou ACT, trata muito sobre essa questão do desapego e saúde mental utilizando um conceito importante: o self-as-context (eu como contexto ou autocontexto).

Assim, quando você não faz uso do autocontexto, você tende a ignorar a situação das coisas e tem um foco muito maior apenas nos fatos. Por exemplo, ser ruim em física ou ser bom em tocar violão. É uma visão muito focada no “é ou não é”, no “sim ou não”.

Contudo, quando você passa a incluir o autocontexto na sua vida, você ganha uma visão mais flexível das coisas. Ou seja, tudo depende de contextos. Você é ruim em física às vezes; você é bom em tocar violão às vezes. 

Pode-se dizer que é a junção do conteúdo e do processo que formam o contexto. Desse modo, você obtém uma noção mais profunda de si e que envolve o seu mundo interno em conjunto com o externo.

mulher no campo jogando seu chapéu de palha ao vento

Como cultivar o desapego com 3 dicas

Agora que você aprendeu tudo isso sobre o desapego, acredito que vários insights surgiram na sua mente. Isso é ótimo! Agora, pra você começar a sua prática, temos algumas dicas:

Meditação

Como falamos acima, a meditação é uma das melhores opções para evoluir o desapego e aprender a observar os seus sentimentos, ações e pensamentos sem que eles tomem as rédeas da sua vida e façam você entrar em um ciclo vicioso.

Além disso, meditação tem tudo a ver com desapego! O desapego começou no budismo, que é muito ligado ao ato de meditar, com a aceitação das coisas que acontecem e com o pouco controle que temos sobre a vida. 

Por isso, se você quer ser mais desapegado, é uma boa ideia começar a praticar a meditação e o mindfulness. Acredite, vale a pena.

Evite os extremos

Nem tudo é sim ou não, 8 ou 80. Muitas das coisas, na verdade, são como uma régua — possuem vários pontos de medida diferentes. A vida é assim também. Você pode ser ruim, pode ser mediano, pode ser bom, muito bom ou até excelente. 

E não é só isso! Você pode ser ruim, mas pode melhorar; pode ser bom, mas pode piorar; você pode ser incrível, mas ter azar e se sair mal em algo; pode ser ruim, mas ter muita sorte e se sair muito bem!

Enfim, não esqueça que existem muitas variáveis que afetam as nossas ações — e que não estão sob nosso controle. Por isso, aceite o que aconteceu, continue fazendo do melhor jeito que pode e siga em frente.

Saiba como se sentir satisfeito na rotina: O que é maestria? Entenda como isso pode curar a depressão!

Faça terapia

A psicoterapia é uma grande aliada no processo de autoconhecimento e de autoaceitação. Com ela, você pode aprender muito sobre si mesmo e vai desenvolver mais amor próprio e autoestima. 

Como falamos, a ACT é uma ótima opção para tratar com o desapego e outras questões. Ela é baseada nas Terapias Comportamentais Contextuais, em evidências científicas e é uma ótima forma de terapia para resolver uma grande quantidade de problemas.

Por isso, temos um convite para você.

sede eurekka

Desenvolva o seu desapego com a Eurekka

Se você leu esse texto e começou a refletir sobre a sua vida, você está no caminho certo. Significa que você está sendo capaz de notar todas as coisas que têm controlado ou definido a sua vida e quer mudar isso aos poucos.

Talvez, você até sinta raiva por ter tanto apego a algumas coisas da vida e agora quer mudar. Sabia que quem pratica o desapego é mais capaz de superar um período de muita dificuldade e fazer grandes mudanças na vida?

O desapego não é fácil. Muito pelo contrário, pode ser doloroso e difícil aprender a não depositar o seu ego em objetos e apenas aproveitar as ocasiões da vida. Por isso, você não precisa passar por tudo isso sozinho.

A Eurekka é uma clínica especializada em saúde mental. Nós temos os melhores psicólogos do mercado, que atuam com abordagens como a ACT. Sendo assim, se você quer aprender a desapegar e ter uma vida mais plena e prazerosa, agende sua primeira sessão!

Se quiser ver mais conteúdo gratuito, confira nossas redes sociais: Youtube, Instagram e Facebook.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 3.5

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.