Distimia: saiba o que é, causas, sintomas e tratamentos

Henrique Souza

Você já ouviu falar sobre distimia? Sabe o que é?

Distimia é um transtorno de humor, também conhecido como Transtorno Depressivo Persistente. A principal característica da doença é que a pessoa tem sintomas de depressão leve, que persistem por pelo menos dois anos.

Parace confuso? Calma, neste texto, você vai entender melhor o que é distimia, quais são as principais causas, como ajudar alguém com o transtorno e os tratamentos possíveis.

Boa leitura!

O que é distimia?

A distimia é um transtorno de humor caracterizado, principalmente, por um longo período de sintomas de depressão leve.

Ou seja, a diferença entre a depressão e a distimia é que, na depressão comum os sintomas podem ser mais intensos, mas durar até seis meses, a distimia pode ter sintomas mais leves, mas pode durar por muitos e muitos anos.

É por isso que a depressão e a distimia são dois transtornos muito parecidos, mas a principal diferença entre eles é a duração dos sintomas.

Vale lembrar que essa doença também pode atingir crianças e adolescentes.

Quais são as principais causas de distimia?

Como vários outros transtornos mentais, as causas da distimia ainda não estão bem estabelecidas pela ciência. Assim, não existe uma única causa, mas sim muitos fatores que aumentam ou diminuem a chance de você ter a doença.

No entanto, a maioria desses fatores tem a ver com hábitos. Ou seja, com o seu estilo de vida: o quanto de exercício físico você faz, a qualidade da sua alimentação, a qualidade do seu sono e a qualidade de suas relações sociais.

Além disso, existem evidências de que fatores genéticos também podem contribuir para você desenvolver distimia. As pesquisas estimam, por exemplo, que filhos de pessoas com o transtorno costumam também desenvolver o problem em 50% das vezes.

distimia

Quais são os sintomas de distimia?

O principal sintoma de distimia é que, nos últimos dois anos, você tenha sentido um humor deprimido, na maior parte dos dias.

Humor deprimido é o nome que a gente dá para um estado de baixo ânimo e baixo prazer. E, embora esse humor deprimido não seja tão intenso quanto uma depressão maior, ele ainda é um humor mais deprimido do que você tinha antes da doença, e do que a média das pessoas apresenta. Além desse sintoma, para você ser diagnosticado com o transtorno, é preciso apresentar pelo menos dois dos seguintes sintomas:

  1. Mudanças de peso;
  2. Mudança de apetite;
  3. Variações no seu sono (seja insônia ou hipersonia);
  4. Baixa autoestima;
  5. Sensação constante de desesperança com a solução dos problemas.

Tem alguns desses sintomas? Então faça um teste grátis de distimia e descubra se você realmente tem a doença .

Como identificar a distimia?

Um dos maiores problemas na identificação distimia é que a pessoa reconheça os sinais. Como a doença se caracteriza por um período longo com esses sintomas, muitas vezes a pessoa pode já ter começado a acreditar que esses sintomas fazem parte da personalidade dela. Por isso, não procuram ajuda.

Então, em vez de encarar esse baixo ânimo e essa tristeza como sinais de um problema, ela se resignou com aquilo. Ou seja, agora ela entende que os sintomas fazem parte de quem ela é.

Em muitos transtornos mentais, é comum sugerir que a pessoa se compare com ela mesma um ano atrás e perceba se houve diferença. Só que, com a distimia, essa comparação pode não fazer sentido, porque dois anos atrás a pessoa já tinha todos esses sintomas.

Nesses casos, deve-se ajudar a pessoa a reparar que o baixo ânimo e a tristeza constantes dela são diferentes da média das pessoas com quem ela convive. Essa diferença na comparação com os outros pode ser um indicativo de que está na hora de buscar tratamento.

E se você quer a ajuda de um profissional para identificar sintomas que você não percebeu e analisar se essa tristeza que você sente é normal ou não, clique no banner abaixo e marque sua Conversa Inicial com um Psicólogo Eurekka!

banner terapia

Como lidar com uma pessoa com distimia?

Se você é amigo ou familiar de uma pessoa com distimia, você deve incentivar essa pessoa a ter uma rotina mais ativa. Até porque ter o transtorno não significa que não se possa fazer mudanças na rotina que diminuam muito esses sintomas.

Se você, como familiar ou amigo, incentiva que essa pessoa faça exercício, participe de projetos e tenha uma rotina ativa, você está ajudando muito. Algumas dicas são:

  1. Caminhar perto de casa;
  2. Subir e descer escadasdo seu prédio/casa;
  3. Dançar na frente da TV;
  4. Seguir um vídeo de Yoga.

mulher com os braços para cima feliz após superar a distimia

Distimia tem cura?

Sim, pode ter cura! O mesmo tratamento que se aplica para a depressão pode ser aplicado para distimia e obter bons resultados.

E a essência desse tratamento para depressão, hoje chamado ativação comportamental, é, justamente, tornar a rotina dessa pessoa mais ativa, organizada e prazerosa.

Assim, a combinação da farmacoterapia — proporcionada pelo psiquiatra —, com a psicoterapia —proporcionada pelo psicólogo — e com a mudança de hábitos é a melhor estratégia para quem tem esse transtorno.

Tratamentos para combater os sintomas

O tratamento para combater os sintomas é a combinação tripla de tratamentos que a gente sempre recomenda: psicoterapia, farmacoterapia e mudança de hábitos.

A psicoterapia, com psicólogo, ajuda a pessoa com o transtorno a separar quem ela é dos sintomas que ela tem. Assim, ela não cai na armadilha de desistir de suas metas ou nem começar por se considerar uma pessoa incapaz.

A farmacoterapia, com psiquiatra, permite que você regule, quimicamente, o seu cérebro, para que seja mais fácil viver uma vida de mais ânimo e atividade. Pode ser bem difícil encontrar os remédios certos logo de cara, mas depois de experimentações de medicação antidepressiva com o seu psiquiatra, provavelmente você encontrará algo que melhore seu ânimo, com confiança. Por isso, a ajuda médica é importante.

E o terceiro pilar é a mudança de hábitos. Por mais que você sinta esse ânimo baixo e essa tristeza alta, na maior parte dos dias, é possível tomar atitudes para que a sua vida tenha mais prazer e mais atividade.

Por exemplo, você pode se permitir começar a fazer exercício físico, em pequenos passos, como cinco minutos de caminhada por dia. Assim, você pode fazer um progresso lento, mas estável, na direção de uma vida sem distimia.

Saiba mais: atitudes diárias para criar uma barreira contra a depressão.

sede presencial da Eurekka

Tratamento na Eurekka

Se você busca mais qualidade de vida e esse texto te fez imaginar toda a mudança que seria possível na sua vida, nós queremos dizer que tudo isso é possível sim.

Com a ajuda certa, você pode entender essa tristeza que sente e aprender atitudes diárias que vão fazer você ter uma vida mais leve e feliz.

E aqui na Eurekka, nossos psicólogos são treinados nos melhores métodos de terapia comportamental, que é a mais indicada para que você consiga vencer os sintomas da depressão e da distimia em micropassos.

Então, não perca tempo, marque sua Conversa Inicial com um Psicólogo da Eurekka e comece já a receber o melhor tratamento!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Henrique Souza

Henrique é psicólogo pela UFRGS, atuando na clínica com a Abordagem Analítico-Comportamental, apaixonado por criatividade e comunicação e co-fundador da Eurekka, a startup de Psicologia que se tornou a maior rede de psicoterapia do Brasil. Além de fazer mais de 3000 sessões por mês, a Eurekka também oferece telemedicina, um clube de assinatura, franquia para Psicólogos e outros produtos

2 replies on “Distimia: saiba o que é, causas, sintomas e tratamentos”

Obrigada por essa matéria! A Distimia não é mto explicada e no geral vc tem q dizer q tem depressão mesmo pra não ter q explicar a diferença…rsrs. Fui,por fim,diagnosticada c Distimia ao longo de 4 anos. Já tomei diversas medicações em várias dosagens. Ainda tomo. Mas sinceramente não sei o que é pior, a depressao mais severa num tempo mais curto ou esse constante desânimo da Distimia diante da vida,como se não fosse ter fim.
Não encontrei acima o link do vídeo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.