Baixa autoestima: quais as causas, sintomas e como melhorar?

Henrique Souza

Você sente que é uma pessoa incapaz? Já sentiu que ninguém gosta de você, que você não é merecedor de grandes conquistas ou então que tudo que você tentasse fazer daria errado? Se a resposta para essas perguntas foram “sim”, talvez você esteja sofrendo com a baixa autoestima.

A baixa autoestima pode estar prejudicando a sua vida e fazendo você não perceber o seu verdadeiro potencial. Mas isso não precisa continuar assim!

Por isso, no texto de hoje, você vai descobrir quais os sintomas, as causas e as consequências da baixa autoestima, e como isso afeta sua qualidade de vida. Confira!

O que é baixa autoestima?

De forma resumida, é a opinião que você tem de si mesmo. Se essa opinião é positiva e você se considera uma pessoa capaz e forte, com muito amor próprio, a gente diz que você tem alta autoestima. Por outro lado, se essa opinião é negativa e você se considera uma pessoa frágil e indefesa, nós dizemos que você tem baixa autoestima.

O nível ser alto ou baixo não influencia só nos pensamentos que você tem sobre si mesmo, mas também influencia no seu bem estar, na sua autoconfiança e na sua segurança nos relacionamentos.

Baixa autoestima e selfies

Baixa autoestima é doença?

Apesar de ser um sintoma comum de várias doenças, como depressão, transtornos de ansiedade e transtornos de personalidade, ela não é uma doença catalogada.

Ou seja, um psiquiatra ou um psicólogo não podem dar um diagnóstico de baixa autoestima para você. No entanto, eles podem reconhecer que aumentá-la é um objetivo valioso e pode te ajudar a ter uma boa saúde mental e viver uma vida melhor!

Quais são as causas da baixa autoestima?

O que causa autoestima baixa são coisas que fazem você enxergar a si mesmo de forma negativa, constantemente. Mesmo assim, não precisa ser apenas atitudes suas, atitudes de outra pessoa que te afetam negativamente também podem te deixar com a autoestima baixa.

Por exemplo, se uma pessoa teve uma mãe narcisista, ou se ela sofreu algum abuso durante a infância, a chance de ela ter uma baixa autoestima é maior, visto que ela estava inserida em ambientes que mudavam a percepção sobre ela mesma.

Então, as causas podem ser diversas — tanto do ambiente externo, como do ambiente interno.

Sintomas de baixa autoestima

Os sintomas mais comuns de baixa autoestima são:

  • Fazer críticas e falar coisas negativas sobre si mesmo;
  • Fazer piadas negativas de si mesmo;
  • Ser muito pessimista;
  • Ignorar suas conquistas e focar só nas coisas ruins;
  • Se culpar quando as coisas derem errado;
  • Não aceitar elogios;
  • Ficar muito magoado ao receber críticas ou feedback;
  • Ansiedade e tristeza;
  • Vergonha excessiva.

É importante ficar sempre atento aos sintomas de baixa autoestima, pois se não forem tratados, podem colaborar para o surgimento de outras condições, como a depressão ou fobias.

Depois de ver esses sintomas, pode ser que você tenha se identificado com eles, ou lembrou de algum amigo que é assim. A melhor forma de fazer o tratamento para baixa autoestima é com a terapia, mudando a relação da pessoa com a própria imagem. Os psicólogos da Eurekka atuam com foco prático nos problemas e os resultados são rápidos. Para saber mais, clique no banner abaixo.

banner terapia saúde mental com a eurekka

Sinais de baixa autoestima

Existem vários sinais de que a autoestima de alguém está decaindo e, para que você não precise chegar ao fundo do poço para perceber que a sua autoestima está baixa, seguem algumas dicas de fatores que podem indicar que a sua autoestima está caindo:

1. Ter diálogos mentais negativos constantes

A psicologia moderna entende que a mente humana é muito mais pessimista do que otimista por natureza. Isso faz, então, com que a maioria dos pensamentos que uma pessoa normal tem sejam pensamentos negativos.

Alguns pensamentos muito naturais são:

  • Medos com relação ao futuro: “E se meu plano der errado? E se eu não conseguir chegar a tempo? E se eu nunca for capaz de fazer um bom trabalho?”;
  • Memórias dolorosas do passado e sentimento de culpa: “Eu não deveria ter dito aquilo para meu amigo!” “Como eu fui idiota de agir daquele jeito anos atrás.” “Tudo deu errado porque ano passado eu fiz X e Y!”

O problema da pessoa com baixa autoestima é que ela transforma um pensamento negativo em dois, três, quatro, ou dez, por exemplo. Ou seja, isso se torna um diálogo mental negativo que, conforme vai ficando mais longo, te deixa ainda mais triste e mais desconectado do momento presente.

Saiba mais sobre o tema: Entenda o que é o pessimismo

2. Desistir de objetivos antes de começar

Como uma pessoa com baixa autoestima não acredita ser capaz de cumprir objetivos, é muito comum que ela desista deles antes mesmo de começar. No entanto, quando você desiste de uma coisa antes mesmo de começar, tem 100% de chance de ela não dar certo, não é?

Além disso, a baixa autoestima também está relacionada com a procrastinação. Afinal, pelo desânimo causado pela falta de autoestima, a nossa vontade de fazer qualquer coisa fica bem baixa.

3. Desmarcar compromissos por insegurança

A baixa autoestima pode fazer você se comparar fisicamente e intelectualmente com os outros. Nessas comparações, o resultado mais comum é a conclusão de que a sua aparência é pior que a dos outros, ou de que você é mais burro que os demais.

Essa é uma questão que aparece muito por conta da nossa atual relação com as redes sociais. Afinal, o Instagram não costuma mostrar aquela pessoa que acorda descabelada, que não se arrumou por conta de problemas em casa, que fica vários dias sem estudar e tantas outras situações.

Por isso, você acaba sentindo que todos estão sempre na sua “melhor versão” e, ao olhar para si, pode não se sentir assim, o que é um forte golpe na sua autoestima.

4. Crises de ciúme em relações amorosas

A pessoa com baixa autoestima se considera alguém de baixo valor e, assim, também acaba se considerando alguém mais substituível do que os outros.

É exatamente por isso que o ciúme aparece com muita força em relações com pessoas de baixa autoestima. Afinal, esse medo de ser substituído e essa crença de que você não tem valor deixam você paranoico o tempo todo. Isso pode levar a pessoa que tem autoestima baixa a ser alguém controlador e possessivo — reflexo do medo que sente de ser abandonado.

Quais são as consequências da baixa autoestima?

Uma das principais consequências da baixa autoestima é você o isolamento. Ou seja, a sua crença de que você é uma pessoa incapaz pode criar um ciclo vicioso que, dessa forma, faz com que você vá, pouco a pouco, deixando de fazer as coisas que gosta.

Quanto mais você desiste, menos empolgante a sua vida fica. O que sobra, então, é o sofrimento do dia a dia. Por consequência, sua vida vai se tornando com menos brilho e mais sem graça. Isso pode, inclusive, levar à quadros de depressão.

Baixa autoestima e aparência nas mulheres

Baixa autoestima x aparência

Não se achar bonita é uma das queixas mais comuns de autoestima na terapia.

No geral, essa é uma reclamação trazida, em especial, pelo público feminino. Dentro da nossa experiência, como uma clínica de psicologia, o que podemos dizer é que cuidar mais da sua aparência pode aumentar a sua autoconfiança e a sua autoestima.

As pesquisas científicas mostram que pessoas que se cuidam mais têm uma maior chance de serem bem tratadas, de serem aceitas em entrevistas de emprego e de encontrarem um par romântico.

Por isso, a gente não pode ser hipócrita e dizer que não vale a pena cuidar da sua aparência. Mas, o que precisa ficar claro é que existe o perigo do exagero. Quando você está sempre se comparando com pessoas que escolheram a profissão da beleza para viver (como modelos de Instagram, influenciadores e musas fitness), essa comparação não é saudável.

A melhor comparação que você pode fazer é se comparar com você mesmo no passado, garantindo que você está fazendo pequenas mudanças para se cuidar mais.

Além disso, é claro, sua autoestima não é composta apenas pela sua aparência física. Por isso, garantir que você vem fazendo coisas importantes para você, como investir em relacionamentos com amigos, familiares e outras pessoas importantes, trabalhar em projetos, cuidar da saúde, estudar, fazer exercício e muito mais, também são fatores que protegem a sua autoestima.

Como melhorar a autoestima?

Por muito tempo se acreditou que a melhor solução para aumentar a autoestima fosse pensar positivo. Entretanto a ciência psicológica mais moderna entende que a resposta, na verdade, é agir positivo.

Por isso, o melhor segredo para aumentar a autoestima é aumentar a quantidade de atitudes positivas na sua vida. E atitudes positivas são quaisquer atitudes que te deixe orgulhoso de si mesmo, e isso é fundamental.

Quanto mais você consegue organizar o seu dia, para encher ele com pequenas missões que te dão uma sensação de missão cumprida constante, mais você vê na prática que você é capaz e forte.

Por exemplo, se você está no fundo do poço, pode ser que trocar as roupas e varrer a casa seja uma tarefa que te deixe orgulhoso de si mesmo. Caso você esteja um pouco melhor, talvez começar um hábito de leitura de faça se sentir assim. Você deve adaptar tudo para a sua situação atual.

Como ajudar uma pessoa com baixa autoestima?

Por essa lógica, a melhor forma de ajudar alguém com autoestima baixa é incentivando a pessoa a ter mais atitudes positivas. Em uma conversa, você pode tentar descobrir quais atitudes despertam essa sensação de orgulho de si próprio na pessoa e, a partir disso, dar sugestões para aumentar a presença dessas atitudes.

Se essas atitudes também fazem bem para você, você pode ser uma companhia para aquela pessoa e os dois aumentarem a autoestima juntos.

foto da fachada da sede da eurekka em porto alegre

Terapia para baixa autoestima com a Eurekka

Um dos maiores diferenciais da Eurekka é, justamente, o nosso foco prático em aumentar as atitudes positivas na sua vida.

Recuperar a autoestima nem sempre é uma tarefa fácil, ela pode ser mais difícil do que parece. Por isso, o apoio é tão importante nessas horas. A mudança de hábitos e dos padrões de comportamento são as mais efetivas para voltar a ter uma boa autoestima. E aqui na Eurekka, isso é nossa prioridade.

Aqui você cria um plano com o seu psicólogo, passo a passo, para descobrir quais atitudes são essas que te dão orgulho e, dessa forma, organizam uma rotina que vá incluindo isso, aos poucos, na sua vida. Os micro-passos são fundamentais para atingir o objetivo.

Então, se o problema da baixa autoestima é parte da sua vida, não deixe de clicar aqui para marcar uma conversa inicial com um de nossos terapeutas.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 4.26

Henrique Souza

Henrique é psicólogo pela UFRGS, atuando na clínica com a Abordagem Analítico-Comportamental, apaixonado por criatividade e comunicação e co-fundador da Eurekka, a startup de Psicologia que se tornou a maior rede de psicoterapia do Brasil. Além de fazer mais de 3000 sessões por mês, a Eurekka também oferece telemedicina, um clube de assinatura, franquia para Psicólogos e outros produtos

25 replies on “Baixa autoestima: quais as causas, sintomas e como melhorar?”

Muito obrigada pela aula. Disse muito em pouco tempo e de forma clara, além das dicas de como melhorar a autoestima.

Obrigada, Fátima! Ficamos muito felizes por saber que você gostou do conteúdo!

Abraço!

Gabi – Equipe Eurekka

Incrível como me descreveu… Passo exatamente por tudo isso. Cheguei em um nível que não consigo sair com amigos (Que não são muitos, pq me afasto de todo), por causa da minha aparência. E cada vez que me olho no espelho sei bem o que preciso mudar, mas tenho medo de procedimentos estéticos… junta tudo. 😭😭😭😭

Olá, mim vejo muito sem esperança em poder conquistar ou resgatar amizades ou iniciar alguma paquera, mim sinto as vezes sem força de vontade de conversar com quem eu gosto. Ou de vez enquanto quando inicío, perco o interessi fácil por não manter uma conversa estável ! Gostaria de lidar melhor com isso. Desde já:muito obrigado

Olá, Lukas! Uma boa forma é seguir as dicas para melhorar a sua autoestima. Ler o nosso texto sobre motivação também pode ser útil para te ajudar a dar o primeiro passo!
Abraço

Achei o artigo bem completo. Estava acostumada com os posts e vídeos mais concursos do Instagram, mas ler esse texto que aborda esse assunto de forma mais “aprofundada” foi muito bom! Obrigada gente!

Que ótimo, Vanderléia! Que bom que gostou 💛 Aqui no blog tentamos sempre aprofundar os temas para que vocês consigam aprender ainda mais! Já que gostou, vou deixar mais um aqui para você ler, o que acha? https://eurekka.me/autoestima

“Afinal, se você forma a opinião de alguém com base nas atitudes da pessoa, por que o processo de formar opinião sobre você mesmo não seria igual?”

essa pergunta faz total sentido. e eu também gostei muito do trecho sobre ajudar outros que tem baixa autoestima.
muito obrigada! vou compartilhar esse texto, não de dizer o quando vocês são incríveis!

As vezes fico pasma como estamos em sintonia… Sempre serei grata pelos conselhos amorosos. Acredito na pisicologia, e estou sempre encantada com o trabalho humanizado de vocês. A baixo auto estima é uma das fontes da minhas ansiedades e lidar com isso em micro passos tem dado um significado para minha vida. Obrigada por não desistirem de nós.

A metodologia da Eurekka preenche abismos entre psicólogos, e leigos sedentes por qualidade de vida, ótimo artigo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.