O que é medo crônico e 4 dicas para lidar com isso

Equipe Eurekka

Sentir medo é algo não apenas normal, mas também de extrema importância para nós, afinal, é ele que nos mantém vivos. Porém, quando essa emoção é contínua e prejudicial, pode ser um caso de medo crônico.

Por isso, neste texto, vamos explicar o que é medo crônico, quais os sintomas e como lidar com isso da melhor forma.

Boa leitura!

O que é medo crônico?

Para explicar bem, vamos por partes! 

O medo é uma emoção básica do ser humano que é ativada por situações consideradas de risco ou perigo. Por exemplo, é o medo que faz com que você ande mais rápido quando vê alguém estranho na rua.

Assim, com esse estímulo de perigo e estresse, seu corpo libera substâncias que preparam você para uma situação de fuga, como o Cortisol

E esse medo é algo necessário, pois ele protege você de situações ruins. Mas, como falamos acima, existem situações que essa emoção pode acontecer de forma exagerada e desregulada, paralisando e atrapalhando você.

E aí entra o medo crônico!

Crônico é tudo ali que progride, ou seja, é contínuo. Por exemplo, doenças crônicas são aquelas que têm uma duração longa e incerta. Assim, elas demandam um cuidado extenso e uma mudança total no estilo de vida.

E o medo crônico é isso! É quando você sente medo de forma contínua, frequente e desproporcional ao perigo real. 

Por exemplo, sentir medo de andar na rua deserta à noite é normal, mas sempre sentir medo de ir para qualquer lugar, mesmo de dia e até mesmo acompanhado, já pode ser um caso de medo crônico. 

Sintomas do medo crônico

É comum pessoas que desenvolvem o medo crônico sentirem:

  • Medo constante;
  • Deixar de fazer coisas comuns por medo;
  • Se sentir paralisado;
  • Medo desproporcional ao perigo real;
  • Coração acelerado, suor, falta de ar, calafrios, tremedeiras e enjoos;
  • Ansiedade só de pensar na situação que causa medo;
  • Estar em estado de alerta mesmo quando não é necessário.

Como lidar com o medo crônico?

Você se identificou com os sintomas do medo crônico? Então confira algumas dicas de como lidar com isso. 

Faça psicoterapia

Não, a terapia não é coisa de doido. 

A terapia é um lugar seguro, no qual você conversa com um profissional da saúde mental sobre seus medos, inseguranças, traumas, perspectivas para o futuro e tudo o mais que você quiser falar.

Assim, a partir de conversa e análise, o psicólogo irá explicar para você o que ele observou e irá propor soluções para que você consiga lidar melhor com seus medos, suas questões e ser uma pessoa mais confiante, feliz e capaz de tomar boas decisões.

Mas calma lá! Isso não é mágica ou método milagroso, é um processo que demanda dedicação, autoconhecimento e atitudes práticas em favor de si mesmo.

A terapia cognitivo-comportamental, por exemplo, é uma das mais indicadas para tratar medos e fobias. E se você deseja se consultar com um terapeuta Eurekka para tirar todas as suas dúvidas sobre esse processo, você pode marcar uma Conversa Inicial clicando no banner abaixo!

banner terapia

Não fuja das situações que causam medo

Talvez sua primeira reação ao sentir medo seja fugir. Por exemplo, se você tem um medo muito grande de relacionamentos, pode ser que você sempre fuja de relações sociais, desmarque compromissos e evite criar laços profundos.

Ou se você sente grande ansiedade ao sair de casa por medo de acontecer um assalto, do seu corpo não conseguir reagir caso precise ou até mesmo de pegar COVID, pode ser que você sempre se renda à ansiedade e prefira ficar em casa onde é confortável.

E, por mais que fugir de situações que causam medo traga um alívio momentâneo, isso trará consequências muito ruins para você. Isso porque cada vez vai se tornar mais difícil enfrentar essa situação e, quando você precisar muito passar por ela, você não vai ter forças, pois alimentou demais o medo e a ansiedade.

Então, por mais que seja difícil, tente enfrentar seus medos. Não precisa ser um grande passo, pode ser um micropasso por vez. Por exemplo, se você tem um medo grande de pegar COVID, você não precisa sair de casa sem máscara e ir aglomerar para enfrentar o medo.

Você pode dar um pequeno passeio em um lugar vazio, ir de máscara e levar álcool em gel. Assim, você transformará a ansiedade em ações práticas, então toda vez que vier o medo da doença você vai pensar: “Eu estou fazendo tudo o que eu posso, estou de máscara e com álcool caso seja necessário, não preciso ter medo”. 

Assim, cada vez vai ficando mais fácil lidar com a situação que causa medo. 

Mas veja bem, não estamos falando para você se expor a riscos para enfrentar seu medo, ok? Mas de ações seguras para enfrentar medos desproporcionais ao perigo real. 

Pratique o Mindfulness

O medo, muitas vezes, vem de situações desconhecidas e que não temos controle. Assim, pode ser que você acabe por sentir medo por estar preso em pensamentos futuros e situações hipotéticas.

Por isso, uma ótima ferramenta para lidar com esses pensamentos é o Mindfulness, um conjunto de técnicas de atenção plena que ajudam você a focar no momento presente, evitando a ansiedade e medo do futuro por situações que você não tem controle.

É como se fosse meditação guiada simples que pode ser feita sempre, em qualquer lugar e que ajuda muito! Confira no vídeo abaixo!

Dê nome às emoções e sentimentos

Algo que alimenta o medo crônico é estar sempre perdido nas suas emoções e sentimentos. Pode ser que você não entenda bem quando certa emoção aparece, por isso não sabe como controlá-la e entendê-la. 

Por isso, é preciso praticar o autoconhecimento para que você entenda quais situações são gatilhos para você, quando certos sentimentos aparecem e o porquê de você se sentir assim. Dessa forma, você tem mais controle sobre suas mente, emoções e sentimentos.

Existe uma técnica cognitivo-comportamental que se chama RPD (Registro de Pensamentos Diários/ Disfuncionais), funciona assim, você faz um quadro com as seguintes categorias: 

  • Situação (Onde eu estava? O que aconteceu?);
  • Pensamento Automático (O que veio na minha mente naquele momento?); 
  • Emoção (O que eu senti?);
  • Comportamento (O que eu fiz?); 
  • Pensamento Alternativo (Qual o pensamento mais realista?)

Assim, você vai completando as categorias sempre que acontecer uma situação que mexa com você. Você pode fazer no computador, em um caderno para levar sempre com você, ou até mesmo no aplicativo chamado Cogni.

Assim, você vai começar a entender melhor quais situações geram determinadas emoções e pensamentos disfuncionais e vai conseguir lidar melhor com o medo crônico!

Esse exercício pode ser feito por conta própria, mas melhor ainda seria ter um psicólogo para analisar seu RPD e perceber seus padrões. 

sede da eurekka

Trate o medo crônico na Eurekka

O medo e a ansiedade podem estar impedindo você de viver sonhos, momentos inesquecíveis e de ser plenamente feliz. Pode ser algo tão normal para você se sentir assim, que você nem percebe mais como isso tem te sobrecarregado.

Por isso, se você chegou até aqui, é hora de dar o primeiro passo para começar a mudar seus pensamentos ruins e viver de forma mais plena!

A Eurekka é a maior clínica de saúde mental do Brasil e conta com psicólogos experientes e humanizados que estão disponíveis para ajudar você de modo profissional com abordagens da Terapia Cognitivo-comportamental.

Marque aqui sua Conversa Inicial e veja como funciona! 

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 0

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.