O que a Psicologia diz sobre fugir dos problemas? Descubra aqui

Equipe Eurekka

A mente cheia, procrastinação, ansiedade e fuga. Esses são alguns sintomas que surgem quando optamos por fugir dos problemas e deixá-los ali em uma gaveta no fundo da nossa memória. 

Se você está nessa situação, sabe que ignorar algo que está errado pode até trazer alívio imediato, mas, no fundo, você sente que tem algo pendente. Algo que te incomoda e te impede de estar plenamente feliz e satisfeito. 

Então, se você quer saber como sair desse ciclo da evitação e resolver os seus problemas dando um passo de cada vez, confira esse material super completo que preparamos para você!

O que faz uma pessoa fugir dos problemas?

Um dos motivos que leva alguém a fugir dos problemas é acreditar que não tem capacidade de resolvê-los. Parece tão impossível ter emocional o suficiente para enfrentar a situação, que a pessoa opta por ignorar o problema e esperar que isso só desapareça.

Outro motivo é o medo de um possível confronto. Quando o problema envolve terceiros, pode ser que o medo de uma briga ou de uma reação muito ruim seja tão grande, que a pessoa acabe se sentindo acuada, preferindo evitar qualquer situação desagradável.

Outra questão que pode paralisar na hora de resolver um problema é o medo do resultado. Talvez o problema envolva ter algum tipo de resposta e/ou uma tomada de decisão, assim postergar e ficar no lugar do “não-saber” parece ser mais confortável. 

Por fim, resolver um problema nos tira de uma falsa zona de conforto. Isso porque exige atitudes práticas e maduras, o que pode parecer tão assustador a ponto de parecer que a melhor atitude a se tomar seja postergar e fugir da realidade.

E é sobre essa fuga que vamos falar no tópico seguinte. 

O escapismo

O termo escapismo significa: estratégias para fugir da realidade e dos aspectos desagradáveis do cotidiano. 

E essa ideia não é nova não, viu? Por exemplo, no movimento literário chamado Romantismo, esse escapismo era muito usado nos livros, de modo que os personagens, tomados por extrema melancolia e descontentamento, procuravam meios de fugir da realidade insuportável.

Assim, esse escapismo acontecia de diversas formas, principalmente através de práticas nocivas, como uso exagerado de bebidas e até mesmo a morte. 

Mas talvez você esteja pensando: “que exagero, eu não estou nesse nível!”. Que bom, ficamos muito felizes com isso! Mas sabia que você pode estar usando o escapismo em atitudes comuns do dia a dia? 

Como quando você opta por assistir a séries para se distrair do problema e decide dormir quando nem mesmo está na hora, apenas para não pensar no assunto. Ou quando tenta manter ao máximo sua mente ocupada para fugir dos problemas e não encarar a realidade. 

homem-bebendo-para-fugir-dos-problemas

O lado ruim de fugir dos problemas

A grande questão em fugir dos problemas é que, enquanto o problema não for resolvido, você vai sentir sempre aquele incômodo na consciência.

Sempre vai ter uma pendência não resolvida na sua vida que vai te impedir de estar totalmente em paz e vai gerar ansiedade. E ainda pode fazer com que o problema fique maior ao não ser resolvido logo.

Além disso, outra questão muito importante é que quando você opta por fugir e não encarar, você não ganha repertório. Isso porque cada vez que você passa por uma situação difícil e aprende a lidar com ela, você aprende uma nova habilidade e isso fica registrado na sua mente.

Assim, quando você passar por uma situação parecida no futuro você já vai saber como agir. Porém, quando você foge do problema ao invés de encontrar a melhor forma de reagir a ele, você estará sujeito a não saber lidar com a mesma situação no futuro. E isso pode gerar consequências graves. 

Ou seja, ao fugir você não estará progredindo na vida, não estará aprendendo novas habilidades, de forma a ficar preso em ciclo de evitação e imaturidade. 

Como parar de fugir dos meus problemas?

Ok, já sabemos que fugir dos problemas não é a melhor opção, certo? Mas então como dar o primeiro passo e começar de vez a resolver a vida? 

Pode ficar tranquilo que nós trouxemos quatro dicas essenciais e práticas que vão impulsionar você a resolver seus problemas e colocar as coisas no lugar!

Aprenda os princípios da Inteligência Emocional

O primeiro passo para resolver seus problemas é entender o que você sente, o porquê você sente e qual a melhor maneira de reagir a essas emoções. Ou seja, é preciso compreender o que está acontecendo na sua mente para que você entenda o que te trava e qual o melhor modo de reagir a isso. 

E essa capacidade de entender sentimentos e emoções e visualizar qual a melhor forma de agir diante disso se chama Inteligência Emocional. Segundo o psicólogo Daniel Goleman, que foi quem popularizou esse conceito, a Inteligência Emocional se constitui de 5 habilidades:

  1. Reconhecer suas emoções;
  2. Conseguir regular essas emoções quando for necessário;
  3. Saber se aproveitar delas quando elas te impulsionarem;
  4. Reconhecer as emoções dos outros;
  5. Saber aplicar as habilidades anteriores em relacionamentos interpessoais.

Assim, ao invés de você se tornar cativo das suas emoções e deixar, por exemplo, que o medo te paralise na hora de resolver um problema, você vai entender qual emoção está sentindo, vai pensar em como dominá-la e qual a melhor forma de agir diante dela. 

E uma ótima forma de fazer isso é através do Registro de Pensamentos Disfuncionais. Aqui vai um exemplo de como fazer e preencher o seu:

rpd para ajudar na resolução de problemas

Micropassos

Micropassos foi um termo criado pelos psicólogos fundadores da Eurekka. Essa ideia tem como objetivo criar a mentalidade de que é melhor fazer um pouquinho de cada vez, do que querer fazer coisas grandes demais e acabar se perdendo.

E como isso se encaixa na resolução de problemas? Calma que a gente explica!

Como falamos alguns tópicos acima, talvez você tenha evitado resolver o seu problema, porque ele parece grande demais e você não sabe por onde começar. Assim, tudo fica assustador e você acaba procrastinando

Então, a melhor forma de dar o primeiro passo em direção à resolução é quebrando esse problema em microtarefas. Você não precisa resolver tudo de uma vez, você pode dar um pequeno passo por dia até que tudo seja resolvido!

E para fazer isso, pense assim: qual o meu objetivo? Qual o problema central que eu preciso resolver? 

Depois que você definir isso, você vai pensar em metas diárias que serão peças fundamentais para resolver esse problema. Por exemplo, vamos supor que o seu problema seja resolver uma situação com uma pessoa em específico.

Então, o seu objetivo maior é esclarecer as coisas com essa pessoa. Para isso, como metas diárias, você pode estabelecer: anotar em um papel os pontos que você gostaria de falar com essa pessoa, pensar na melhor forma de abordar ela e no melhor lugar para isso. 

Ou, então, vamos supor que seu problema seja com o banco. Como metas diárias, você pode colocar: pesquisar sobre o assunto para já ir informado, separar todos os documentos necessários e anotar as suas dúvidas, propostas e possíveis soluções em que pensou.

Saiba mais: comunicação assertiva.

A regra dos 5 cm

Essa técnica é para salvar o seu dia ruim, em que tudo parece confuso e nada rende. É uma ótima forma de você tomar atitudes práticas e parar de postergar a resolução do problema.

Funciona assim: você sempre deve pensar que 5cm na direção certa é melhor do que ficar estagnado. Então, ao invés de ficar com a mente atolada pensando em grandes atitudes impossíveis para resolver o problema, se pergunte: “o que eu posso fazer agora para chegar 5cm mais perto da resolução do meu problema?”.

É como se você quebrasse o micropasso em mais um passinho, de forma que você não veja a solução como algo impossível e fique sempre procurando pelo escapismo, mas ande sempre um passo na direção certa para resolver o problema.

Remoa menos e faça mais

Quando você pensa demais no problema, sua mente acaba ficando cheia e você sente um cansaço tão grande que acaba não tendo mais forças para resolver a questão. Assim, para relaxar, você acaba indo ver uma série, dormir e outras formas de escapismo. Deixando a resolução para lá.

E um jeito de evitar isso é transformar seus pensamentos em ações. Sempre que você pensar em uma situação pendente que te incomoda, reflita: “o que eu posso fazer a respeito disso?”. 

Então, você vai tomar uma atitude, mesmo que pequena, e vai ficar com a consciência mais limpa, sabendo que está fazendo tudo o que pode e no ritmo que consegue. Bem melhor, não é?

Resolva a raiz do problema

Talvez o maior problema da sua vida agora seja fruto de alguma crença disfuncional, questões emocionais mal resolvidas e outras situações complicadas que tiram sua alegria e paz.

Nesse caso, talvez o micropasso que você precisa dar hoje seja pedir ajuda. Afinal, ter alguém para caminhar com você e olhar a situação de uma perspectiva experiente pode ser tudo o que você precisa no momento.

Então, se você quer dar esse passo em favor de si mesmo e começar a resolver seus problemas, clique aqui e marque uma Conversa Inicial com um de nossos psicólogos humanizados e escolhidos a dedo para você!

Was this helpful?

0 / 3 2.4

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.