Sintomas de ansiedade: quais são e como controlá-los

Eurekka Psicólogos

Você sabia que uma respiração ofegante, desconfortos gastrointestinais, medo e se sentir paralizado podem ser sintomas de ansiedade?

Nos dias atuais, de acordo com a OMS, o Brasil é o país com a maior taxa de transtorno de ansiedade no mundo, atingindo 9,3% da população. Isso significa quase uma a cada dez pessoas. Você tem certeza que não faz parte dessa estatística?

No texto de hoje, vamos te contar tudo sobre esse transtorno. Mas leia até o final, pois depois de te explicar o que um ansioso precisa saber, ainda vamos te dar 4 técnicas para você controlar a sua ansiedade!

O que é ansiedade?

Dito de uma forma simples, a ansiedade é uma emoção natural que tem a função de te avisar sobre um perigo do futuro e que, em níveis saudáveis, pode ser muito útil. Por exemplo, conforme a data de uma prova vai se aproximando, se você não estuda, a sua ansiedade aumenta.

E o motivo que faz essa emoção aumentar, o fato de você não estar se preparando para a prova, é um bom motivo. Afinal, se você “escuta” essa emoção, você se prepara para a prova e vai bem.

No entanto, muitas pessoas sentem a emoção passar do nível natural e chegar a um nível tóxico. Isso acontece quando ela está alta o tempo todo e quando ela não é transformada em uma atitude prática para resolver um problema. Dessa forma, acaba se tornando um movimento de angústia e ruminação constante de pensamentos.

Em outras palavras, enquanto a ansiedade natural é um sofrimento com uma função, a ansiedade tóxica é um sofrimento sem nenhuma função.

Causas da ansiedade

Por ser uma emoção natural, que todo ser humano é capaz de ter, a primeira causa para você sentir ansiedade é o simples fato de você ser um ser humano! Agora, quando a gente começa a falar sobre a ansiedade tóxica, existem alguns fatores, tanto genéticos, quanto da sua criação, que aumentam ou diminuem a chance de você desenvolver um transtorno de ansiedade.

Fatores genéticos:

1. Transtornos de ansiedade na família

Você ter pessoas com transtornos de ansiedade na sua família, em especial na sua família direta, ou seja, mãe e pai.

2. Doenças crônicas

Se na sua família há um histórico de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão.

3. Intolerância Alimentar

Se você tem alguma intolerância alimentar grave, como intolerância à lactose ou doença celíaca.

Fatores de criação:

1. Se você sofreu algum tipo de negligência ou abandono durante a infância

Negligência é quando um dos pais da criança não percebe necessidades básicas dela, como: carinho, alimentação, sono e cuidado. Já o abandono é quando a criança não consegue ter a confiança na presença dos pais. Ou seja, como seus pais eram emocionalmente instáveis, você nunca tinha a segurança e a certeza de que eles estariam ali quando você precisasse.

2. Experiências com colegas da sua mesma idade na escola

Se você foi uma criança que conseguiu fazer amigos e se integrar na sua turma, há uma chance menor de você desenvolver transtornos de ansiedade. No entanto, se você sempre teve dificuldade de socializar, fazer amigos e criar conexões com pessoas da sua mesma idade, a chance de desenvolver esses transtornos, como ansiedade social, aumenta.

Sintomas de Ansiedade

Agora, eu quero falar sobre esses 3 sintomas psicológicos e 3 sintomas físicos:

1. Preocupação excessiva e constante

Uma pessoa com ansiedade natural se preocupa perto de situações que exigem essa preocupação. Já uma pessoa com transtornos ansiosos se preocupa muito o tempo todo, como se a mente dela tivesse buscando, a todo momento, um motivo para ficar preocupada. E essa preocupação constante pode criar o próximo sintoma da lista.

2. Falta de concentração

Como a pessoa ansiosa está sempre se transportando para o futuro ou para o passado, ela tem uma dificuldade enorme de cumprir uma tarefa difícil no aqui e agora, pois a concentração dela fica muito afetada.

3. Falta de organização

Uma pessoa ansiosa está sempre preocupada com muitas coisas e tem muitos pensamentos passando na cabeça. Ao mesmo tempo, ela também tem dificuldade de obter uma sequência lógica de soluções para os problemas práticos dela.

Nesse sentido, a pessoa ansiosa gasta muita energia se preocupando e, muitas vezes, pouquíssima energia se organizando para resolver o que a preocupa. E muitas vezes, essa tendência acaba deixando os sintomas ainda piores.

4. Respiração ofegante

Durante um momento mais ansiogênico, é normal que a sua respiração acelere e fique mais superficial. Em vez de perceber um movimento maior na barriga, você começa a perceber um movimento maior no peito. O problema é que essa respiração encurtada cria um ciclo vicioso no corpo que deixa ele ainda mais acelerado.

5. Coração acelerado

Como uma forma de preparar o seu corpo para o perigo, o seu coração acelera e tenta bombear sangue para as extremidades dos músculos. O sintomas são parecidos como se você tivesse feito uma atividade física intensa: os seus músculos ficam mais contraídos e o seu rosto apresenta uma vermelhidão.

6. Sintomas gastrointestinais

É muito comum que pessoas ansiosas sintam náusea, enjoos, diarreia ou constipação. E isso acontece pois o disparo constante de hormônios e neurotransmissores relacionados à ansiedade bagunça o sistema digestivo como um todo.

Pois o corpo entende que, num momento de perigo, é melhor abrir mão da digestão e bagunçar o sistema digestivo para poder bombear sangue para os músculos, numa tentativa de luta ou fuga.

Qual a diferença entre crise de ansiedade e síndrome do pânico?

A principal diferença é que a crise de ansiedade é um episódio, enquanto a síndrome do pânico é um transtorno.

Para que você receba o diagnóstico do transtorno, que é a síndrome do pânico, você precisa ter crises de ansiedade. No entanto, isso não significa que você tem síndrome do pânico! É como se fosse a diferença entre estar tossindo e estar gripado. Pois estar tossindo é um sintoma de estar gripado, mas nem sempre todas as pessoas que estão tossindo estão gripados, entendeu?

Uma pessoa que tem síndrome do pânico é uma pessoa que tem sintomas de crises de ansiedade ou ataques de pânico, mas que também tem outros sintomas. E para que o médico diga que ela tem síndrome do pânico, além de já ter passado por essas crises, essa pessoa precisa estar sentindo medo de ter outras crises e precisa estar evitando lugares que disparam as crises.

Então, quando esse quadro se monta e a pessoa começa a ficar cada vez mais isolada por causa do medo de ter outras crises, aí sim ela recebe o diagnóstico de síndrome do pânico.

Como é feito o diagnóstico de ansiedade?

A principal ideia que você tem que entender sobre diagnóstico de ansiedade é que os únicos profissionais que podem dar um diagnóstico oficial para você são médicos ou psicólogos. Você até pode ler sobre os sintomas na internet e se informar sobre os transtornos de ansiedade, mas um diagnóstico só poderá ser dado por um profissional.

Por isso, a nossa recomendação é que se você está pensando em começar um tratamento por causa de uma suspeita de transtorno de ansiedade, a sua primeira atitude deve ser buscar um profissional (médico ou psicólogo). Pois eles são os profissionais treinados para fazer esse diagnóstico e para recomendar o melhor tratamento para o seu caso.

Além disso, os sintomas mais comuns podem aparecer em vários tipos de transtornos, como o transtorno de ansiedade generalizada (TAG), o transtorno obsessivo compulsivo (TOC) e o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT).

4 Técnicas para controlar os sintomas de Ansiedade

Eu sei que muitos de vocês já conhecem essas técnicas, mas vale a pena sempre revisar e pegar um resumo, ok?

1. Respiração diafragmática

Para fazer respiração diafragmática basta que você se sente num lugar confortável e respire no ritmo 4-2-6. E respirar nesse ritmo significa que você:

  1. Inspira o ar, contando até quatro;
  2. Segura o ar dentro de você, contando até dois;
  3. Solta o ar pela boca, contando até seis, bem devagar.

Conforme você repete esse ciclo várias vezes, o seu corpo vai, de forma natural, se acalmar. Tente respirar no ritmo dessa animação:

respiração diafragmática

2. Relaxamento guiado

Essa é uma técnica ótima para pessoas ansiosas que têm dificuldade de dormir. E para fazer essa técnica basta digitar no YouTube “relaxamento guiado”. Você vai encontrar vários vídeos para escutar antes de dormir! Porém, o que a gente mais recomenda é você escutar um relaxamento guiado da Eurekka.

Esse exercício é mágico, muitas pessoas não conseguem nem chegar no final do áudio porque dormiram antes!

3. Ancoragem

Ancoragem significa você sair de um turbilhão de pensamentos, jogando uma âncora aqui e agora, no momento presente. Para fazer esse exercício, você olha em volta de você e procura por objetos. Assim que você enxergar qualquer objeto, como uma cadeira ou um sofá por exemplo, você começa a falar a cor e o formato daquele objeto.

Por exemplo, você olha para o sofá e diz:  “o sofá é cinza, é grande e é arredondado”. Depois, você olha para o próximo objeto, como um quadro, e diz: “o quadro é marrom, é quadrado e é alto”.

Assim, você vai passando por todos os objetos da sala e isso traz você para o momento presente, desembaraçando os seus pensamentos.

4. Respiração consciente

A respiração consciente é uma técnica de mindfulness que serve também para deixar você mais presente e menos emaranhado em pensamentos. Essa técnica consiste em você observar as sensações físicas da sua respiração, como se você estivesse respirando pela primeira vez.

Você começa a observar como os seus ombros sobem e descem durante a inspiração e a inspiração, como a sua barriga expande e contrai quando o ar entra e sai etc. Esse foco nas sensações físicas e concretas ajuda muito a parar de se preocupar e a ter um foco único no aqui e agora.

Comece o tratamento para Ansiedade da Eurekka

sede eurekka

A Eurekka é a maior clínica de terapia online do Brasil e a gente já tratou centenas de pessoas com os mesmos problemas que você! A nossa filosofia é de ensinar aos nossos pacientes as habilidades necessárias para lidar com os sintomas do transtorno no dia a dia e não só entender as suas causas no passado ou na infância.

A gente acredita que você precisa de armas, hoje, para vencer os sintomas de ansiedade no presente, ou seja, nos problemas que estão acontecendo agora. Essas quatro técnicas que a gente acabou de passar, por exemplo, são só algumas das dezenas de estratégias que a gente ensina todos os dias para os nossos pacientes.

Se você quiser fazer sua primeira conversa na terapia da Eurekka é só clicar aqui! E para ver todos os posts gratuitos da Eurekka é só acessar nosso blog, clicando nesse link. Além disso, aproveite e veja também todos os nossos conteúdos no nosso aplicativo e em nossas redes sociais: InstagramFacebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 4.7

Eurekka Psicólogos

A Eurekka é uma Clínica de Psicologia especializada em terapia online que atende pacientes de todo o mundo. Os Psicólogos da equipe são treinados para aplicar a Terapia Cognitivo Comportamental de última geração nos mais diversos problemas: ansiedade, depressão, traumas, fobias, autoestima, disciplina, relacionamentos e muito mais.

23 replies on “Sintomas de ansiedade: quais são e como controlá-los”

Hi there this is kinda of off topic but I was wondering if
blogs use WYSIWYG editors or if you have to manually
code with HTML. I’m starting a blog soon but have no coding skills so I wanted to get guidance
from someone with experience. Any help would be greatly appreciated!

bom dia, me serviu muitíssimo suas exposições sobre o assunto ANSIEDADE, tenho 74 anos tenho ansiedade enormes, pois quando estou fazendo um serviço já estou pensando como resolver o outro problema futuro. Muito obrigado pelas primeiras orientações, tenho filho e irmãos medico mais não os consulto sobre esses transtornos. Agora vou consultá-los

Obrigada pelas dicas e espero me ajudar a controlar a ansiedade, meus conflitos do passado e o medo do futuro.

Achei muito interessante. Porque faço tratamento para ansiedade.Ha muito tempo estava bem, só que atualmente não estou tranquila.Estou muito ansiosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *