Perfeccionismo: defeito, doença ou qualidade? 

Equipe Eurekka

Hoje o significado de perfeccionismo tem variado muito por aí. Algumas pessoas usam como uma qualidade, outras como um defeito, e até mesmo como um transtorno que atrapalha a vida. Mas, afinal, o que a ciência considera de verdade como uma pessoa perfeccionista? 

No texto de hoje, vamos explicar o que é o perfeccionismo de fato, o que a Psicologia diz sobre isso e quais os sintomas. Além disso, também vamos dar dicas e outras informações importantes a respeito.

Confira!

O que é perfeccionismo?

O perfeccionismo é a necessidade extrema de querer que tudo seja 100% certo e incrível, sem pontas soltas e defeitos. Sendo que essa ideia se aplica tanto para pessoas, quanto para coisas, projetos etc. 

O perfeccionismo para a psicologia 

O perfeccionismo não é considerado um transtorno, doença ou síndrome na Psicologia, mas sim um sintoma de alguns transtornos.

No DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Doenças Mentais), podemos ver o perfeccionismo como sintoma/especificador do: Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC), Transtorno de Acumulação, Transtorno de Personalidade Narcisista e Transtorno de Personalidade Obsessivo-Compulsivo (TPOC).

Ou seja, não existe o diagnóstico exclusivo para perfeccionismo, uma vez que ele se enquadra como um sinal de um transtorno e não como a raiz do problema em si. 

O que é ser uma pessoa perfeccionista?

Então, de acordo com as especificações acima, uma pessoa perfeccionista é aquela que tem um comportamento rígido, para consigo mesmo e para com os outros, a fim de alcançar a perfeição. 

Porém, como é impossível que alguém ou algo seja perfeito, a pessoa perfeccionista se frustra com frequência, sente muita ansiedade, tristeza e indignação, uma vez que dificilmente tem satisfação plena em algo. 

Além disso, a pessoa perfeccionista sente grandes dificuldades para começar uma tarefa, uma vez que antes mesmo de iniciar a atividade, ela já é tomada pelo medo de não fazer algo realmente bom.

Quais os sintomas do perfeccionismo?

Alguns sintomas clássicos da pessoa perfeccionista são:

  • Procrastinação;
  • Autocrítica exagerada;
  • Dificuldade em estabelecer laços profundos;
  • Alto nível de exigência.
  • Insatisfação e estresse frequentes;
  • Pensamentos de “tudo ou nada”;
  • Baixa tolerância a erros e dificuldade de aprender com eles;
  • Culpa e punição frequentes e desproporcionais;
  • Resistência a críticas externas;
  • Rotulação de si mesmas e dos outros;
  • Dificuldade em trabalhar em equipe.

mulher trabalhando no computador decepcionada

O perfeccionismo é sempre um defeito?

O perfeccionismo não é um defeito, mas é uma condição que, quando fora de controle, pode gerar muito sofrimento emocional. Isso porque sentir o tempo todo que nada está bom, ter dificuldades para começar e terminar uma tarefa e pouca satisfação diária é algo realmente angustiante. 

É claro que querer fazer as coisas bem não é sempre um problema, mas se torna um quando a vida da pessoa é prejudicada pela necessidade de que tudo seja perfeito, mesmo isso não sendo algo possível. 

Então o parâmetro é: a minha necessidade de fazer bem as coisas, ou ser uma pessoa melhor tem me impulsionado ou me paralisado? Tem tornado minha vida melhor ou tem me gerado estresse?

Essa reflexão é importante para entender o limite entre o saudável e o prejudicial. 

Como parar de ser perfeccionista demais? 

A maioria das coisas ao nosso redor não podem ser mudadas, porém algo que está no nosso controle é o modo como reagimos a essas situações ao nosso redor. 

Por isso, para lidar com o perfeccionismo, é necessário entender a raiz de alguns pensamentos disfuncionais e como trocá-los por pensamentos racionais e atitudes saudáveis para si mesmo e para o outro. 

Além disso, outra habilidade muito útil para lidar com o perfeccionismo é a autocompaixão, que é a capacidade de olhar para si mesmo com mais calma, sem tantos julgamentos e culpa, de modo a aprender com os erros e procurar melhorar.

Por fim, caso o perfeccionismo se complete com outros sintomas e um transtorno seja diagnosticado, pode ser necessário fazer o uso de remédios receitados por um profissional da saúde mental. 

Mas calma que nós explicamos o jeito mais fácil de conseguir tudo isso e ter um diagnóstico certeiro.

logo eurekka

A melhor ajuda para ser menos perfeccionista 

Para conseguir lidar com o perfeccionismo e todos os malefícios que envolvem essa situação, o mais indicado é um tipo de terapia chamada Cognitivo-Comportamental

Essa terapia tem como foco entender as suas crenças centrais, seus pensamentos, suas emoções e atitudes a fim de moldar e melhorar o comportamento através de atitudes práticas diárias.

E a boa notícia é que a Eurekka não só oferece esse tipo de terapia, quanto é especialista nisso. Então, se você quer aprimorar o seu autoconhecimento, receber um diagnóstico e ter um tratamento exclusivo, aprendendo a lidar de vez com o perfeccionismo, clique aqui e marque uma Conversa Inicial com um de nossos psicólogos!

Este artigo te ajudou?

0 / 3 3

Equipe Eurekka

One reply on “Perfeccionismo: defeito, doença ou qualidade? ”

A ” EUREKA” é
explèndida !

. . . Está EQUIPE
e Perfeita !

Muito Obrigada !!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *