Intolerância a lactose: o que é e como conviver com essa condição?

Equipe Eurekka

Talvez você conheça alguém que evita ao máximo o consumo de leite e produtos lácteos em geral, é provável que essa pessoa sofre de intolerância a lactose.

A intolerância a lactose é uma condição na qual o corpo da pessoa não consegue digerir direito a lactose, substância presente no leite de origem animal.

Quando a pessoa intolerante consome algum alimento que possua a lactose ela terá reações gastrointestinais, em alguns casos causando muita dor e desconforto.

Nesse texto vamos explicar para você tudo sobre a intolerância a lactose, os tipos de intolerância, quais os sintomas e como conviver com essa condição.

O que é intolerância a lactose?

copo com leite de origem animal

O leite de origem animal, inclusive o leite humano, possui um tipo de açúcar chamado de lactose. A digestão desse açúcar é feito por uma enzina chamada lactase, produzida em nosso intestino.

Dessa forma, quando uma pessoa produz pouca ou nenhuma lactase, o intestino não consegue fazer a digestão da lactose, gerando o quadro de intolerância.

Assim, quando a lactose não é digerida de forma correta, ela causa diversos sintomas no estômago e intestino, gerando grande desconforto na pessoa.

Como vamos ver mais a frente, existem tipos de intolerância a lactose, relativos a maneira e etapa da vida que a pessoa adquiriu a vida em que essa condição.

A alergia ao leite

A alergia ao leite de vaca é uma condição diferente da intolerância a lactose. Enquanto a intolerância é causada pela baixa produção de lactase, a alergia se dá a proteína do leite e não tem relação com a lactose.

A alergia a proteína do leite pode causar quadros muito graves de intoxicação na pessoa alérgica que, dependendo da quantia ingerida, podem ser até fatais.

Em contraste com quem tem intolerância a lactose, pessoas alérgicas a proteína do leite de vaca não possuem uma quantia mínima que podem consumir do alimento. Assim que possui a alergia deve ter muito cuidado com os alimentos que consome.

Sintomas da intolerância a lactose

pessoa com intolerância a lactose sofrendo desconforto intestinal

Os principais sintomas relacionados a intolerância a lactose são gastrointestinais, uma vez que o organismo da pessoa não consegue digerir a lactose a pessoa grande desconforto após ingerir leite.

No entanto a maioria das pessoas que sofre dessa condição possui alguma tolerância a lactose, muitos conseguem tomar até o equivalente a um copo de leite sem sofrer de sintomas. Porém cada pessoa precisa saber qual o seu nível de tolerância.

Os sintomas em geral não são imediatos, levando de meia hora até duas horas após a ingestão para começarem a aparecer. Entre os principais sintomas, estão:

  • Estufamento;
  • Dor abdominal;
  • Distensão abdominal;
  • Diarréia;
  • Gases;
  • Vômito
  • Naúsea;

Todavia, a quantia de lactose terá impacto no quão grave são os sintomas. Porém, em geral, os sintomas são passam rápido. Junto a isso, a pessoa não terá todos os sintomas ao mesmo tempo.

A evolução da tolerância a lactose

Quando somos bebês, nossos níveis da enzima lactase, que realiza a digestão da lactose, são bem altos, o que faz sentido uma vez que estamos sendo amamentados com leite materno.

Ao longo da vida, o nível de lactase reduz de forma progressiva, fazendo com que muitas pessoas virem intolerantes a lactose.

Antes de termos a domesticação de animais, logo uma facilidade em conseguir leite, a maioria dos seres humanos adultos eram intolerantes a lactose. Assim, ainda hoje em dia, existem populações em que a maior parte dos adultos são intolerantes a lactose, como em alguns países asiáticos e africanos.

Dessa maneira, a tolerância a lactose foi uma grande vantagem evolutiva para as populações que tinham acesso ao leite animal, pois permitiu que as pessoas comessem esse alimento durante toda sua vida.

Tipos de intolerância a lactose

mãe amamentando seu filho

Em resumo, a lactose é um açúcar presente no leite animal que é digerido pela lactase, uma enzima produzida em nosso intestino. Por isso, quando a produção de lactase é baixa ou inexistente a pessoa será intolerante a lactose.

Porém existem diferentes condições em que essa intolerância pode iniciar, assim podemos classificar os tipos de intolerância a lactose em relação a origem da condição.

Deficiência congênita

Esse tipo de intolerância a lactose é muito raro, ocorrendo quando a pessoa já nasce com pouca ou nenhuma produção de lactase.

A intolerância em bebês pode ser um pouco difícil de identificar, uma vez que a ocorrência de gases, vômitos e diarreias são comuns nessa faixa etária.

Mas, caso não seja identifica a condição pode ser bastante grave, uma vez que o único alimento de um bebê é o leite materno. Assim um bebê intolerante a lactose não irá conseguir se alimentar de forma correta.

A indicação é, se após alguns dias, a criança continua apresentando os sintomas isso pode ser um indicativo de intolerância a lactose. Seja como for, é vital que você consulte um médico antes de qualquer ação e para tirar todas suas dúvidas.

Deficiência primária

Este tipo de intolerância a lactose é aquele ligado a redução normal de nossa tolerância a esta substância. Como já citado, pela evolução, mamíferos adultos não costumam consumir leite, logo o nível de lactase reduz de forma progressiva.

Isso é verdade mesmo para quem não é intolerante a lactose, uma vez que boa parte das pessoas terá apenas 10% da produção de lactase em relação à quando era bebê.

Esse tipo de intolerância começa a aparecer a partir dos 5 anos de idade, porém em geral é durante a adolescência que ele se estabelece.

Assim de certa forma a intolerância a lactose é mais comum que a tolerância a lactose, tendo uma grande quantia de pessoas com essa condição.

Deficiência secundária

A intolerância a lactose pode aparecer como uma consequência de lesões no intestino da pessoa. A lactase é feita por células que estão nas paredes de nosso intestino. Caso algo danifique elas o nível de lactase irá reduzire pode fazer com que a pessoa não consiga mais digerir a lactose.

Além disso, entre os agressores que podem causar a intolerância com deficiência secundário estão alguns vírus e bactérias que podem infectar o intestino.

Assim também doenças inflamatórias intestinais, como a doença de Crohn, pode causar danos no intestino que levem a pessoa a não conseguir mais processar a lactose.

Diagnóstico da intolerância a lactose

Os sintomas causados pela da intolerância a lactose são comuns a diversas outras doenças ou condições, como a síndrome do intestino irritável. Isso pode dificultar a ligação dos sintomas com o quadro de intolerância a lactose.

Caso você suspeite que possa ter isso, consulte um médico. O jeito mais simples de investigar se os sintomas são pela intolerância a lactose é cortar todos os alimentos lácteos da dieta. Assim, se pode identificar se os sintomas param ou não.

A fim de confirmar o diagnóstico tem exames específicos o seu médico pode pedir em algum momento. O exame mais comum é o Teste Respiratório de Hidrogênio, um método não invasivo que avalia a absorção da lactose através da respiração.

Outros testes e exames que podem ser realizados para confirmar o diagnóstico da intolerância a lactose são:

  • Teste acidez das fezes (para bebes e crianças pequenas);
  • Biópsia intestinal;
  • Teste de tolerância a lactose por coleta de amostras de sangue;
  • Teste genético.

Como conviver com a intolerância a lactose

Em alguns casos a intolerância à lactose é temporária, sendo revertida após um período. Mas na maioria dos casos ela é uma condição permanente, que não tem cura.

O principal tratamento é a redução do consumo de produtos lácteos da rotina alimentar, dependendo da pessoa, ela pode ter que excluir esses produtos da dieta.

A maioria que sofrem intolerância à lactose possui alguma tolerância a essa substância. Primeiro, para descobrir seu nível de tolerância, você deve excluir da dieta os alimento lácteos por um tempo. Logo após você pode adicionar pequenas quantias, até descobrir o nível que você tolera de lactose sem apresentar sintomas.

É vital que você realize esse processo com um médico especialista nessa área, uma vez que essa experiência pode trazer riscos para sua saúde.

Por fim exista uma opção medicamentosa para conter os sintomas da intolerância à lactose. O remédio contém a enzima lactase de forma sintetizada, podendo ser utilizado antes de refeições que contenham a lactose.

Recomendações alimentares

No mercado atual já se encontram produtos elaborados em especial para pessoas que apresentam intolerância à lactose, como, por exemplo, leite e derivados sem lactose e podem ser consumidos à vontade.

Em resumo, pessoas que possuem essa condição devem evitar os alimentos que contêm lactose, de forma geral produtos que contem leite de origem animal em sua composição. Alguns exemplos são:

  • Biscoitos;
  • Bolos (com exceção de pão- de -ló);
  • Coalhada;
  • Creme de leite;
  • Doce de leite;
  • Iogurtes;
  • Leite;
  • Leite condensado;
  • Manteiga;
  • Molhos para salada;
  • Pães (alguns tipos);
  • Queijos;
  • Requeijão;
  • Sorvetes.

É vital que indivíduos com intolerância à lactose estejam cientes que até o mínimo de lactose em um alimento pode trazer desconforto, por isso, é importante que saibam identificar e ler os rótulos.

A equipe de médicos da Eurekka possui os melhores nutricionistas para te ajudar a criar uma dieta personalizada para você. Marque já a sua consulta nutricional!

banner nutri eurekka

Materiais gratuitos da Eurekka

sede presencial eurekka

Se você gostou desse texto a Eurekka possui diversos materiais como esse em nosso Blog, para acessar é só clicar aqui. Se você preferir você pode conferir eles através do nosso Aplicativo.

Assim também postamos conteúdos em nossas redes sociais, clique nos links e confira todos: FacebookInstagram e Youtube.

Por fim, a Eurekka é uma clínica de medicina e psicologia que realiza consultas online e presenciais. Para saber sobre nosso atendimento médico, clique aqui. Para saber sobre terapia clique aqui.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 0

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.