Guia COMPLETO sobre o Transtorno de Personalidade Esquizóide

Equipe Eurekka

Você sabia que uma pessoa que possui um padrão de atitudes onde ela se afasta dos outros nas relações sociais, não só fisicamente, como também de modo emocional, pode ter um Transtorno de Personalidade Esquizóide?

Não é novidade que cada pessoa possui um jeito único de agir, pensar e se comportar, certo? Isso é, inclusive, o que entendemos por personalidade. No entanto, quando esse padrão de comportamento não está presente da forma ideal, temos, então, um transtorno de personalidade. 

Sendo assim, neste texto, vamos te ajudar a entender mais sobre uma personalidade esquizóide, suas possíveis causas, sintomas, formas de tratamento e outras informações relevantes. 

O que é o Transtorno de Personalidade Esquizóide?

O transtorno de personalidade esquizóide é marcado por um modo de agir que está ligado a criação de laços fracos nas relações sociais. Além disso, a pessoa não exprime suas emoções em contextos interpessoais. Essas questões surgem no início da vida adulta e estão presentes em diversos contextos.

De modo comum, pessoas com esse transtorno não desejam e não desfrutam de relações íntimas. Por isso, a maioria opta por atividades solitárias e têm pouco interesse em manter relações sexuais com outra pessoa. 

Ou seja, a pessoa não se importa em se envolver com outras pessoas e fazer parte de algum grupo social. Isso significa que a preferência é sempre por se manter isolado e solitário, sem interações sociais. 

Por essa razão, não ligam para o que pensam deles, já que o social não é algo que chama a sua atenção. As relações tendem a ser fracas, pois o foco está em si mesmo, por vezes, parecendo uma pessoa fria e distante. 

Aprenda algumas dicas sobre como fazer amigos com esse texto!

O que causa o Transtorno de Personalidade Esquizóide?

Quando pensamos em transtornos mentais, de maneira geral, não é possível determinar uma causa única para a ocorrência deles. Por isso, é importante olhar para todos os aspectos da vida do sujeito.

Sendo assim, há vários fatores que podem contribuir para a criação de um Transtorno de Personalidade Esquizóide. Entre eles, fatores genéticos, temperamentais e ambientais. Dessa forma, pode-se dizer que é um transtorno multifatorial.

homem com transtorno de personalidade esquizoide isolado jogando no celular

Sintomas do Transtorno de Personalidade Esquizóide

Os profissionais da área da saúde usam como base o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V). Nele, estão descritos os sinais e sintomas do transtorno de personalidade esquizóide, que são: 

  • Isolamento social;
  • Desejo sexual baixo;
  • Evitação de relações íntimas;
  • Expressão limitada das emoções;
  • Não se importa com elogios e críticas de outras pessoas.

Como age o Esquizóide?

As ações de uma pessoa esquizóide, de forma geral, giram em torno de um distanciamento social e afetivo. Por essa razão, eles podem agir com frieza e achar difícil criar vínculos com outras pessoas. A seguir, veremos alguns traços das pessoas com esse transtorno.

Expressão limitada das emoções

A limitação para expressar emoções é um dos pontos centrais das pessoas com transtorno de personalidade esquizóide. Sendo assim, podemos entender que essas pessoas são diferentes do que seria o habitual ou esperado. 

Além disso, é válido dizer que pessoas esquizóides podem sofrer muito com a dificuldade de não serem capazes de corresponder aos sentimentos das outras pessoas. Afinal, é comum que elas não demonstrem isso da forma que seria vista como normal pela sociedade. 

Preferência por atividades solitárias

Da mesma forma, faz sentido pensar que a opção número um dessas pessoas será por atividades que podem fazer sozinhas. Esquizóides não costumam ter interesses em outras pessoas, em relações sociais, de trabalho ou em outros ambientes. Por isso, de modo geral, suas rotinas estão associadas a eventos em que possam ficar isolados.

Distanciamento das relações sociais

Quando pensamos em relações sociais, é normal que haja uma associação com empatia, amparo e afeto. Logo, é possível pensar que, para alguém que não consegue sentir e demonstrar dessa forma, é difícil possuir relações sociais. 

Por essa razão, um esquizóide prefere se distanciar das relações sociais, visto que não irá ser capaz de agir da forma que seria esperado socialmente.

Esquizóides amam?

Sim, mas isso ocorre de uma forma diferente da normal. Por ser um traço do transtorno, esquizóides têm dificuldade apenas em expressar seus sentimentos, e isso não significa que eles não sintam amor.

A relação entre a pessoa esquizóide e seus sentimentos pode parecer complexa. Como você já viu, esse transtorno se caracteriza por uma apatia nas coisas que estão ligadas aos outros. No entanto, isso significa que os esquizóides não são capazes de amar?

A apatia, vale ressaltar, tende a ser um sentimento interno da pessoa que tem esse transtorno, visto que ela não se reconhece em comparação aos outros e à forma como eles sentem. No entanto, isso não significa que esquizóides não são capazes de amar.

O amor pode se dar de outras formas que não a idealizada pela sociedade, que é mais intensa e apaixonada. Mas, vale reforçar, só porque é diferente, isso não significa que não seja amor. Além disso, é vital a busca por profissionais capacitados que possam avaliar e entender o caso junto à pessoa esquizóide. 

Por isso, se você tem dificuldade para se relacionar, entender o sentimento dos outros e quer ajuda para isso, você pode se consultar com um dos nossos psicólogos. Assim, você pode impedir que o transtorno prejudique a sua vida e permite que você possa ser mais feliz.

banner terapia saúde mental com a eurekka

Qual a diferença entre o transtorno de personalidade esquizóide, a esquizofrenia e o autismo?

Por vezes, transtornos mentais têm sintomas parecidos e podem causar uma certa confusão. Nesse caso, algumas pessoas podem não saber, de maneira clara, qual a diferença entre transtorno de personalidade esquizóide, esquizofrenia e autismo

O transtorno de personalidade esquizóide, como você já viu, é marcado por um padrão de distanciamento social, dificuldade em manter relações sociais e sentir de maneira afetuosa. Além disso, como o nome sugere, é um transtorno da personalidade, diferente dos demais. 

Já a esquizofrenia, apesar de ser um nome semelhante, possui alguns traços bem distintos. Por exemplo, uma pessoa esquizofrênica terá sintomas psicóticos, que podem ser delírios, alucinações, modos de agir confusos, discursos sem sentido ou sintomas negativos. 

Por fim, ao pensarmos no autismo, é vital dizer que este é um transtorno do neurodesenvolvimento. Dentre suas principais características, podemos citar a dificuldade com habilidades sociais, na reciprocidade emocional, na comunicação verbal e não verbal. 

Entre outras diferenças, a principal se dá pelo fato do autista sentir emoções e não saber demonstrar, além de não reconhecer sentimentos nas outras pessoas. Ao contrário, o esquizóide percebe as emoções, mas não as expressa ou sente de forma recíproca. 

Como é feito o diagnóstico do Transtorno de Personalidade Esquizóide?

O diagnóstico é pensado de forma clínica, levando em conta diversos fatores, como: história de vida, genética, ambiente, sinais e sintomas. Profissionais que trabalham com saúde mental são capacitados para isso, sejam eles psiquiatras ou psicólogos. 

O especialista irá analisar o que a pessoa sinaliza durante as consultas, seu histórico de vida e familiar, além de usar como base os critérios e sintomas presentes no Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais.

Ainda, é preciso que o profissional perceba um prejuízo na qualidade de vida da pessoa, além de observar o sofrimento na saúde mental e nas relações interpessoais, profissionais e em outras áreas vitais, presentes de forma persistente. 

Descubra como escolher um bom psicólogo aqui!

mulher sentada sozinha no meio fio

Qual o tratamento para o Transtorno de Personalidade Esquizóide?

A melhor forma de tratar esses casos é combinar psicoterapia com medicamentos. Alguns transtornos podem melhorar com o passar do tempo, mas transtornos de personalidade tendem a ser crônicos, ou seja, para o restante da vida. 

Além disso, em transtornos mentais não falamos em “cura”, pois é algo que faz parte do indivíduo. O objetivo é melhorar a qualidade de vida do sujeito, ajudar a adaptar seu contexto e reduzir os prejuízos que o transtorno causa.

Por fim, visto que é algo inerente à pessoa, às vezes, ela não vai achar que precisa de tratamento. Isso faz sentido, já que é assim que seu corpo funciona desde sempre. Logo, ela pode achar difícil ver esse distanciamento social e emocional como algo que cause problemas.  

TCC

A principal forma de tratar os transtornos de personalidade é a terapia cognitivo-comportamental. Essa forma de terapia possui diversos braços, cada um sendo mais ou menos efetivo para certos transtornos. Assim, uma abordagem, como a ACT ou DBT, pode ser mais útil para buscar formas de amenizar o problema que outra.

Mas, em geral, o objetivo é ajudar as pessoas a criarem maneiras mais eficazes e saudáveis de controlar suas emoções, lidar com as dificuldades e com os prejuízos. Por fim, procura ajudar as pessoas que acabam sendo afetadas por tabela, a saberem como lidar com a situação da melhor forma.

Medicação

Apenas o médico pode indicar se o uso de remédios é mesmo benéfico para o tipo de transtorno do sujeito, bem como a dosagem e outros dados individuais. Por isso, é vital que, enquanto estiver em tratamento, a pessoa siga as prescrições e doses recomendadas pelo profissional. 

sede eurekka

Receba a ajuda da Eurekka para melhorar!

Como dito, quem possui esse transtorno, na maior parte dos casos, não faz ideia de como suas relações podem ser afetadas por conta disso. Dessa maneira, ter informações de qualidade e a ajuda de um profisisonal de alto nível podem fazer uma grande diferença.

Com a Eurekka, você pode contar com tudo isso. Você vai aprender tudo sobre o seu transtorno, desde como isso afeta o seu cérebro até as suas relações, e como mudanças contínuas podem melhorar muito o seu dia a dia.

Você não precisa passar por isso sozinho! Um psicólogo da Eurekka pode te ajudar a cuidar dessa situação e tornar sua sua vida mais alinhada com os seus ideais, buscando sempre respeitar a sua história de vida e os seus desejos. 

Por isso, agende a sua conversa inicial com um dos nossos terapeutas, e defina qual mudança você mais precisa na sua vida, agora.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Equipe Eurekka

Leave a Reply

Your email address will not be published.