Tolerância à frustração: o que é e como desenvolver a calma

Equipe Eurekka

Ninguém gosta quando as coisas fogem do planejado. Chover quando você marcou de sair com os amigos ou se decepcionar na relação amorosa. E, por pior que sejam, essas situações sempre acontecem, por isso é importante desenvolver a tolerância à frustração.

Quando você aprende a ser mais tolerante, você evita sofrer por coisas que não estão sob seu controle, assim acaba vivendo uma vida mais leve e feliz.

Então, se você quer entender mais sobre o assunto e saber como ter mais tolerância e ser mais resiliente, continue com a gente!

Boa leitura!

O que é tolerância à frustração?

Tolerância à frustração é a capacidade de não perder o controle mesmo nos momentos em que as coisas fogem do planejado. Ou seja, é saber reconhecer suas emoções, aceitá-las e controlá-las.

Não é sobre não sentir, mas é sobre não deixar que a frustração domine.

Por exemplo, quando a pessoa com tolerância emocional vai muito mal em uma prova que achou que iria bem, ela reconhece que está triste e frustrada, mas é tolerante o suficiente para não descontar nos outros, não discutir com o professor e nem ficar o dia todo chorando.

O que significa se frustrar?

Se frustrar é se decepcionar por não ter acontecido algo condizente com as suas expectativas.

É ter esperado alguma coisa de alguém, ou de uma situação, e o que você recebeu foi algo totalmente o oposto da sua ideia.

Por que devemos ser tolerantes à frustração e ao estresse?

A tolerância à frustração e ao estresse vai muito além do famoso “tentar ver o lado bom das coisas” ou “ser positivo”. 

Isso porque a tolerância tem muito mais a ver com ver o problema e admitir que algo não está bem, mas, apesar dessa situação ruim, ter as ferramentas necessárias para se manter estável em meio à crise.

E isso é uma habilidade muito importante, porque, quando você explode em todo momento de frustração e estresse, você acaba tomando atitudes impulsivas, falando coisas de que vai se arrepender depois, prejudicando sua saúde mental e a das pessoas ao seu redor. 

Mas, quando você entende que ser tolerante te poupa daquela dor de cabeça no fim do dia, impede você de machucar pessoas queridas e faz com que você não sofra tanto, você começa a pensar melhor no momento da frustração e estresse e começa a tomar atitudes mais conscientes.

menina de camiseta cinza sentada na cama sentindo frustração

Como lidar com a baixa tolerância à frustração

Confira agora algumas dicas que vão ajudar você no processo de ser mais tolerante!

Praticar a aceitação de situações difíceis

Quando acontecer algo que está fora do seu controle, não tente mudar a situação à força ou ficar em negação. Quando acontece algo ruim, que não depende de você, tire um tempo para refletir sobre o assunto, se acalmar e aceitar que aquilo não dependia de você.

A aceitação é uma arma poderosa para evitar insistir em situações imutáveis, nas quais insistir só gera mais sofrimento e cansaço. 

Fale consigo mesmo 

Isso pode até parecer coisa de maluco, mas a verdade é que se escutar é muito necessário.

Muitas vezes, suas emoções estão tão à flor da pele e os pensamentos estão tão acelerados, que fica difícil compreender a situação e ver tudo com clareza.

Uma dica é escrever o que você está sentindo. Colocar no papel todos os seus pensamentos sem se preocupar com a estética e com as normas. Apenas escreva sobre suas emoções, depois leia e reflita sobre isso.

Dessa forma, você alivia a frustração e o estresse e ainda se conhece melhor!

Saiba mais: Escrita Terapêutica

Aprenda técnicas que acalmam seu corpo

Existem muitas técnicas que podem ajudar você a se acalmar fisicamente e mentalmente como, por exemplo, o Mindfulness.

Além disso, existem exercícios respiratórios que ajudam a diminuir o estresse e a ansiedade! Você pode encontrar vários aqui.

Permita-se expressar suas emoções

Como falamos antes, o errado não é sentir, mas é perder o controle de si. Por isso, busque expressar suas emoções de forma calma e saudável, de modo que você desabafe e deixe as pessoas entenderem o que está incomodando você.

Você pode chorar, escrever e conversar com alguém sobre o ocorrido; não há nada de errado nisso. Ser assertivo com você e com o outro diminui a tensão, a tristeza e o estresse!

Mas lembre-se: tudo de forma calma e controlada! 

sede da Eurekka

A terapia pode te ajudar a desenvolver a tolerância à frustração

A Terapia Cognitivo-Comportamental, que é a que a gente usa aqui na Eurekka, tem como um dos objetivos analisar as raízes e crenças profundas do paciente, uma vez que elas influenciam nos pensamentos e no modo de agir da pessoa.

Assim, ao entender isso e observar os padrões de comportamento, o psicólogo é capaz de ajudar o paciente a mudar certas atitudes ruins e pensamentos disfuncionais. De modo que, através de micropassos, a pessoa comece a transformar seus hábitos e sua maneira de reagir à frustração.

Então, se você sabe que precisa de mudanças para começar a viver melhor e ser mais feliz, esse é o momento. Nós temos vagas abertas para a terapia com os psicólogos da Eurekka, profissionais experientes e escolhidos a dedo para fazer o melhor atendimento do mercado.

E para marcar sua Conversa Inicial com um de nossos profissionais, basta clicar aqui!

.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 0

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.