Sonambulismo: entenda como você pode ajudar os sonâmbulos

Eurekka Psicólogos

Sonambulismo é uma palavra muito comum e conhecida da maioria das pessoas. Ela se refere àquelas pessoas que se levantam durante o sono e começam a andar ou, até mesmo, a fazer outras atividades mais complexas.

O distúrbio acontece na fase mais profunda do sono (o sono não-REM) e, por mais que a causa ainda seja um mistério, sabe-se que ele se manifesta mais em homens! E o mais curioso é que o sonâmbulo não lembra do que fez enquanto dormia.

Mas o que faz a pessoa se levantar mesmo dormindo? Ou melhor, o que se passa na mente do sonâmbulo? Aqui você vai entender o que é o sonambulismo e como ajudar pessoas que sofrem com essa condição! Além disso, vamos te ajudar a descobrir se você sofre desse distúrbio e quais os melhores tratamentos.

O que é o sonambulismo?

O sonambulismo é o que a maior parte de nós sabe: quando uma pessoa levanta da cama para andar ou fazer atividades enquanto ainda dorme. Mas os profissionais da saúde chamam essa condição de parassonia, que se define como um transtorno do sono benigno.

Em resumo, a consciência da pessoa fica inativa. Dessa forma, ela não tem consciência total do que está fazendo e também não pensa sobre o que está fazendo.

As funções motoras da pessoa (a capacidade de andar e realizar movimentos) ficam ativas, porém a mente não. Ou seja, é como se a pessoa estivesse numa fase de transição entre o sono e a vigília. Devido a essa “transição” em que a pessoa fica, é muito comum que no dia seguinte ela não se lembre de nada ou lembre muito pouco!

Ele costuma ocorrer no estágio mais profundo do sono, em geral uma ou duas horas depois de a pessoa ter adormecido. Além disso, a atividade mais comum que o sonâmbulo tem é caminhar pela casa ou tentar conversar.

O episódio em si pode durar de segundos a até meia hora, mas podem vir a ocorrer mais de uma vez na mesma noite. Ele costuma acabar quando a pessoa acorda ou quando volta para a cama e dorme de novo.

Entre os três e dez anos de idade, 5 a 15% das crianças costumam ter episódios regulares de sonambulismo. Aos poucos, esse número reduz, em especial durante a puberdade. Além disso, só uma pequena parcela destas pessoas segue tendo os episódios quando adultos.

Sintomas:

sonambulismo

Os sonâmbulos podem realizar ações que são rotineiras para ele ou consideradas comuns.

Assim, durante o sonambulismo, é muito provável uma pessoa sonâmbula:

  • andar pela casa,
  • conversar consigo mesma (sem muito nexo),
  • ir ao banheiro,
  • mudar de roupa,
  • sentar na sua cama,
  • abrir portas ou janelas,
  • levantar para comer e não despertar durante, entre outros.

Ao executar estas ações, o sonâmbulo não tem consciência do que está fazendo. Ou seja, o seu cérebro não interfere de forma direta em nada. Por isso, é bem comum ocorrerem acidentes ligados ao que se está fazendo como, por exemplo, tropeçar, bater em algum móvel e cair. Portanto, o sonâmbulo irá literalmente andar e, muitas vezes, realizar ações enquanto está dormindo.

Outra característica é que a pessoa costuma manter seus olhos abertos durante as crises de sonambulismo. Contudo, eles sempre estão “vazios” e sem expressão.

Realizar ações como sair de casa e dirigir automóveis durante um episódio de sonambulismo é mais incomum de acontecer, já que o que ocorre são coisas mais rotineiras e simples.

Devido às crises de sonambulismo acontecerem durante os estágios profundos do sono, ao acordar, o sonâmbulo se sente desorientado e aturdido por certo tempo e, em alguns casos, pode também se mostrar agressivo. Apesar de ter andado durante a noite e realizado ações, no outro dia ele não irá se sentir cansado ou com sono.

Causas e fatores de risco

Ainda não há uma causa específica e bem definida para o sonambulismo. Contudo, conhecemos alguns fatores que aumentam o risco de desenvolver o transtorno.

Um dos fatores conhecidos é a genética: afinal, cerca de 80% das pessoas que tem o sonambulismo já encontram o transtorno no seu histórico familiar. Além disso, tanto o sexo, quanto a idade, influenciam na ocorrência das atividades sonâmbulas.

Além disso, alguns outros fatores podem influenciar no desenvolvimento deste distúrbio do sono. Entre eles estão:

teste de depressão

Além desses agravantes, o consumo de álcool e drogas, o uso de remédios que interferem no sono, manter a bexiga cheia, presença de ruídos e temperatura desagradável também são fatores de risco.

Sonambulismo nas crianças

sonambulismo em crianças

Quando o sonambulismo surge nas crianças, no geral ele tem relação com o processo de amadurecimento do cérebro. Mas costuma desaparecer ao longo do crescimento da criança, sem deixar nenhum tipo de vestígios ou complicações!

Nos adultos as crises de sonambulismo costumam acontecer devido a níveis elevados de estresse mental e físico, e costumam se repetir ao longo dos anos.

Convivendo com o sonambulismo

É possível conviver com o sonambulismo e também com uma pessoa sonâmbula. Contudo, alguns cuidados são necessários, em especial em relação ao ambiente e à rotina.

Com relação ao ambiente, é vital:

  • Manter as portas e as janelas trancadas;
  • Retirar as chaves das fechaduras;
  • Colocar grades ou telas de proteção nas janelas se possível;
  • Bloquear o acesso a escadas;
  • Guardar facas e tesouras;
  • Retirar móveis que estejam no meio do caminho;
  • Nunca permitir que um sonâmbulo durma na parte de cima de um beliche.

Durante a rotina, é importante manter alguns costumes também, como:

  • Não tomar bebidas alcoólicas;
  • Evitar atividades perto da hora de dormir;
  • Ter uma alimentação saudável;
  • Praticar exercícios físicos;
  • Ter um horário fixo para dormir;
  • Não se automedicar.
https://www.instagram.com/p/CESHQ4llVF7/

O que fazer quando ver alguém sonâmbulo?

O mais indicado ao perceber que alguém que está perto de você está tendo um episódio de sonambulismo, é encaminhar a pessoa de volta para a cama para continuar dormindo – e tentar não acordá-la!

Acordar um sonâmbulo, ou seja, induzir estímulos externos, só faz com que a crise seja prolongada e demore mais para passar. Porém, a informação de que sonâmbulos nunca devem ser acordados ou, até mesmo, que se levarem um susto ficarão “curados”, é falsa. Como dito, o mais conveniente é encaminhar a pessoa de volta para a cama.

Quando buscar ajuda?

Nem sempre as crises necessitam de tratamento. Ou seja: no geral, é preciso só quando os episódios de sonambulismo estão causando algum risco ou constrangimento para o paciente. Nesses casos, é bom consultar um médico para que o diagnóstico possa ser realizado e o tratamento iniciado.

Diagnóstico

consulta com psicólogo

Para diagnosticar alguém com sonambulismo, há dois fatores importantes: o relato pessoal e dos familiares, e a realização de alguns exames específicos.

Os relatos do paciente e também das pessoas próximas dele são de extrema importância para que se tenha certeza de que a pessoa tem mesmo episódios de sonambulismo durante as noites.

Além disso, os exames são uma polissonografia e um eletroencefalograma. A polissonografia registra as reações que o corpo tem durante sono, como: atividade cerebral, atividade muscular e movimento dos olhos. Já o eletroencefalograma avalia a atividade elétrica do cérebro.

Tratamento

Na maioria dos casos, o sonambulismo desaparece de forma espontânea, em especial nas crianças, não necessitando de tratamento. Porém, quando os episódios ocorrem com frequência e colocam o paciente em risco ou causam constrangimento para ele, é necessário tratamento especializado.

Uma das alternativas úteis para esses casos é o uso de medicamentos que ajudem a controlar a tensão e a ansiedade, atuando assim sobre o padrão do sono. Entre esses medicamentos, podemos encontrar os benzodiazepínicos e alguns antidepressivos também.

Outro método de tratamento é a psicoterapia, com eficácia já comprovada. A terapia tem o objetivo de reduzir o sonambulismo no paciente. Nesse sentido técnicas como a higiene do sono, controle de estímulos, reestruturação cognitiva, são trabalhadas.

O sonambulismo também pode estar relacionado à insegurança, medo e ansiedade. Por isso a terapia pode ser uma opção muito boa para tratar de maneira adequada esse distúrbio do sono.

Além disso, a realização de técnicas de relaxamento auxilia no controle desse distúrbio.

Terapia para sonambulismo com a Eurekka

sede presencial eurekka

Um passo muito recomendado e importante para o tratamento do sonambulismo é o acompanhamento psicológico, através da terapia. Na Eurekka, você consegue encontrar profissionais capacitados para isso!

Se você está a procura ou conhece alguém que está buscando ajuda profissional, confira a nossa página e se informe sobre a terapia na Eurekka!

E para ter acesso a mais conteúdos gratuitos e informativos, clique na rede social que preferir: InstagramFacebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Eurekka Psicólogos

A Eurekka é uma Clínica de Psicologia especializada em terapia online que atende pacientes de todo o mundo. Os Psicólogos da equipe são treinados para aplicar a Terapia Cognitivo Comportamental de última geração nos mais diversos problemas: ansiedade, depressão, traumas, fobias, autoestima, disciplina, relacionamentos e muito mais.

One reply on “Sonambulismo: entenda como você pode ajudar os sonâmbulos”

hey there and thank you for your information – I have certainly
picked up something new from right here. I did however expertise several
technical points using this website, as
I experienced to reload the web site many times previous
to I could get it to load correctly. I had been wondering if your web host is
OK? Not that I’m complaining, but sluggish loading instances times
will sometimes affect your placement in google and can damage your quality score if advertising and marketing
with Adwords. Well I am adding this RSS to my email and could look out for
much more of your respective interesting content.
Make sure you update this again soon. Jalkapallo pelipaita halvalla

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *