Síndrome de Guillain Barré (SGB): sintomas e tratamento

Eduarda Maria Baldi

Você já ouviu falar de doenças autoimunes? Pois bem, a Síndrome de Guillain Barré é uma delas. Nesse tipo de doença, as células de defesa do nosso corpo, que são responsáveis por nos defender de agentes externos (como vírus e bactérias), atacam o próprio organismo.

As doenças autoimunes podem atacar apenas um órgão ou vários tecidos do nosso corpo, como os músculos e os nervos. Ainda não se sabe a causa exata dessas doenças, apenas que algumas pessoas têm uma predisposição genética para elas.

Ao longo do texto, vamos falar um pouco sobre essa doença autoimune chamada Síndrome de Guillain Barré, seus sintomas e como tratar. Desejo a você uma boa leitura!

O que é a Síndrome de Guillain Barré?

sindrome de guillain barré

A Síndrome de Guillain Barré (SGB) é uma doença autoimune que afeta o sistema nervoso periférico, ou seja, os nervos ao longo do nosso corpo. Nesta síndrome, o próprio sistema imunológico destrói a bainha de mielina dos nervos periféricos. Essa bainha é uma espécie de capa de proteção dos nervos e auxilia a transmissão do impulso nervoso para que ocorra o movimento. Sem ela, essas funções ficam prejudicadas. 

A SGB, no geral, afeta as pernas e os braços, causando uma fraqueza generalizada. Contudo, em casos mais graves, ela também afeta os nervos do sistema respiratório. Isso faz com que os músculos da respiração fiquem paralisados e a pessoa tenha problemas graves para respirar.

Por que as doenças autoimunes são tão graves?

As doenças autoimunes ainda têm uma causa pouco esclarecida, mas o que acontece é o seguinte: o nosso corpo possui um sistema de defesa, chamado de sistema imunológico. O trabalho desse sistema é identificar agentes infecciosos, como vírus e bactérias, e destruí-los.

O que ocorre na doença autoimune é que esse sistema se “confunde” e passa a atacar as células e tecidos do nosso próprio organismo, por exemplo os órgãos ou os nervos, como no caso da síndrome de Guillain Barré. 

Esse tipo de doença é grave pois o agente agressor é o próprio sistema imunológico. Assim, o tratamento não pode atacar o sistema como um todo, pois ficaríamos sem defesa do nosso organismo. Por esse motivo, os tratamentos são muito limitados.

banner eurekka med

Causas da síndrome

Ainda não há uma resposta única para a causa dessa síndrome, mas se acredita que seja uma reação autoimune decorrente de uma infecção prévia, cirurgia ou vacinação. Ou seja, quando o sistema imune é estimulado por outro agente infeccioso, a pessoa pode desenvolver a Síndrome de Guillain Barré.

As infecções mais comuns que desencadeiam a SGB, são:

  • Infecções causadas pela bactéria Campylobacter jejuni;
  • Vírus entéricos;
  • Herpesvírus (citomegalovírus ou vírus de Epstein-Barr);
  • Bactérias do gênero Mycoplasma;
  • Infecção pelo HIV.

Sintomas de Guillain Barré

mulher cansada

Os sintomas da SGB dependem da gravidade da doença. No geral, começam nas pernas e, depois, sobem para os braços. A sensação mais comum é a de formigamento e fraqueza progressiva nos membros inferiores, o que pode evoluir para perda da sensibilidade. Além disso, dor nos membros que estão enfraquecidos, devido à inflamação dos nervos, é comum.

Na maioria das pessoas, os sintomas se limitam a apenas uma fraqueza nas pernas e nos braços. No entanto, em casos mais graves, a doença pode afetar, como por exemplo, os músculos que estão envolvidos na respiração e no sistema gastrointestinal.

No caso da respiração, os músculos ficam tão fracos que a pessoa desenvolve uma dificuldade grave para respirar e, por isso, pode precisar de ventilação mecânica. Já, quando os músculos da face e do esôfago são afetados, a pessoa não consegue mastigar e deglutir de forma adequada e pode acabar se engasgando com o alimento.

Isso tudo acontece pois o sistema imunológico ataca os nervos que transmitem as informações do cérebro até esses músculos.

Síndrome de Guillain Barré tem cura?

É normal que a SGB progrida por duas semanas, se mantenha estável durante 10 ou 15 dias e, então, comece a regredir. O processo de regressão pode durar várias semanas (ou meses) até a recuperação total. Em alguns casos, a síndrome progride de forma tão lenta que a remissão da doença começa antes mesmo de afetar os membros superiores, o que indica um quadro leve.

A Síndrome de Guillain Barré não tem cura. Porém, as chances de uma pessoa ter mais de um episódio da doença é bastante raro. Apenas 5% das pessoas com SGB tiveram recorrência. Além disso, as sequelas da doença só ocorrem em pessoas que tiveram um quadro grave. Por isso, fique tranquilo, pois a maioria dos pacientes não ficam com sequelas da síndrome.

Qual o tratamento para Síndrome de Guillain Barré

injeção

Quanto mais cedo iniciar o tratamento, maior é a chance de obter um bom resultado. Por isso, quando existem fortes indicativos de Síndrome de Guillain Barré, o tratamento é iniciado antes mesmo dos resultados de exames.

Os principais tratamentos são a Plasmaferese e o uso de Imunoglobulinas.

A plasmaferese é como uma hemodiálise, em que o sangue é filtrado por uma máquina para remover as células do sistema imunológico que estão destruindo a bainha de mielina. Já o uso de imunoglobulinas consiste em uma injeção com anticorpos que irão atacar as células que estão causando dano aos nervos.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico deve ser feito por médicos e, no geral, é baseado nos sintomas que a pessoa apresenta e na história clínica do paciente. Ainda assim, se realiza alguns exames para confirmar o diagnóstico e descartar outras possíveis causas de fraqueza.  Esses exames incluem a ressonância magnética, a punção lombar (para analisar o líquido que fica dentro da medula espinal), exames de sangue e uma eletromiografia (para verificar a atividade elétrica dos músculos).

O que fazer quando descobrir a síndrome?

Ao ser diagnosticada com SGB, a pessoa deve ser internada, mesmo em caso de doença leve, uma vez que os sintomas podem progredir de forma rápida e comprometer os músculos respiratórios.

Após a internação, a pessoa ficará em observação por alguns dias, a fim de avaliar a evolução da doença. Além disso, o tratamento deve ser iniciado.

Existe alguma forma de prevenção?

Não há nenhum tipo de prevenção para SGB, pois ainda não há um consenso para a causa da síndrome. Algumas infecções apenas aumentam o risco de desenvolver Guillain Barré, mas não são determinantes para a doença.

Além disso, é uma doença que tem certa predisposição genética, por isso, não há como ter controle sobre o surgimento da síndrome.

Fisioterapia

fisioterapia

A fisioterapia é um dos tratamentos que pode acelerar a recuperação e reduzir o risco de sequelas. Ela ajuda a prevenir contraturas musculares, preservar as funções das articulações e a capacidade de caminhar. 

Além disso, pode ser útil nas várias fases da doença, como para melhorar a respiração em casos mais graves ou para reduzir o desconforto muscular.

E para ver todos os posts gratuitos da Eurekka é só acessar nosso blog, clicando nesse link. Além disso, aproveite e veja também todos os nossos conteúdos no nosso aplicativo e em nossas redes sociais: InstagramFacebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 4.33

Eduarda Maria Baldi

One reply on “Síndrome de Guillain Barré (SGB): sintomas e tratamento”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *