Síndrome de Peter Pan: o que é, sintomas e como tratar

Equipe Eurekka

Você já conheceu alguém que, por mais que já seja adulto e tenha certa idade, simplesmente parece não ter saído da infância? A síndrome de Peter Pan é definida por uma pessoa adulta que recusa a amadurecer, e vive como uma criança.

Pessoas que insistem em não ter responsabilidades, compromissos e tentam ao máximo possível não crescerem — igual ao Peter Pan, você pode ter pensado. A síndrome do Peter Pan fala exatamente disso: de pessoas adultas que não aceitam a própria idade.

Hoje você vai entender o que causa essa síndrome, quais os sintomas e o que fazer para ajudar alguém a amadurecer de uma forma saudável.

O que é a Síndrome de Peter Pan?

Crescer, começar a trabalhar e ter obrigações não é fácil, disso sabemos. No entanto, por mais que algumas pessoas não queiram, ter responsabilidades cada vez maiores é o curso natural da vida, e todos passam por ele.

Dessa forma, a Síndrome de Peter Pan é uma condição em que a pessoa se sente insegura e insatisfeita com tudo e não assume responsabilidades. Assim, atividades como trabalhar, poupar dinheiro ou até se relacionar de forma profunda com outras pessoas são um problema grande.

O nome da síndrome é inspirado no famoso personagem, que tem seu mundo imaginário e vive como uma criança e se comportando como uma, se negando a assumir os eventos da vida adulta

Por se recusarem a crescer, essas pessoas acabam se tornando dependentes dos pais por muito tempo, sem tentar buscar sua autonomia emocional e financeira. Afinal, por que deveria agir como adulto, já que isso exige trabalho, esforço e um adeus à vida sem obrigações?

E então, pessoas que têm a Síndrome de Peter Pan são adultos que agem como crianças: fazem birra quando algo não acontece da forma como queriam; pensam apenas em si mesmas e não se esforçam para ter sua própria independência dos pais.

Causas da Síndrome de Peter Pan:

Existem muitas causas que podem gerar a síndrome de Peter Pan. Entre elas, problemas no período da infância são os que têm mais probabilidade de gerar como consequência uma pessoa que se recusa a amadurecer e entrar na vida adulta.

Ter uma infância muito feliz, com poucas frustrações e um conforto muito grande, assim como pouco estímulo dos responsáveis para que a criança comece a ter mais responsabilidades e amadureça pode ser uma das causas dessa síndrome, por exemplo. 

Além disso, outro fator pode ser passar por uma infância muito conturbada, que não pôde ser realmente aproveitada. Então, começar a trabalhar muito cedo ou se tornar responsável pela família sem poder escolher outra coisa, por exemplo.

Dessa forma, viver sem poder experimentar a infância, ter uma família superprotetora ou ter responsáveis que permitem tudo e não incentivam o amadurecimento são fatores importantes.

síndrome de peter pan personagem

Sintomas da Síndrome de Peter Pan

Alguns dos sintomas dessa síndrome podem ser insegurança, rebeldia, uma autoestima muito baixa, fuga de responsabilidades. Além disso, podem ter uma grande dificuldade para se relacionar de forma profunda e verdadeira com outras pessoas.

Quem tem essa síndrome se comporta de forma impulsiva, sem tolerar frustração ou comentários negativos. É provável que se você tentar criticar alguém com Síndrome de Peter Pan, você vai se deparar com uma birra, igual uma criança faria.

Aliás, é importante falar também que essa síndrome afeta muito mais homens do que mulheres, e que por ser uma síndrome, e não um transtorno mental, não existe um diagnóstico oficial para essa condição.

Problemas em se relacionar 

Construir e manter um relacionamento amoroso sério e profundo é uma grande dificuldade para essas pessoas. Mesmo em amizades é preciso ter maturidade, o que faz com que quem tenha a Síndrome de Peter Pan tenha dificuldades também.

Além disso, os comportamentos rebeldes e impulsivos, em que a pessoa só pensa em si mesma e no próprio prazer, dificultam qualquer relação mais profunda e de confiança.

Falta de confiança em si mesmo

Pessoas com Síndrome de Peter Pan costumam ser inseguras, tendo pouca confiança em si mesmas. Assim, buscam por apoio nas figuras familiares, que vão ajudar na tomada de decisões ou em situações que se precise de segurança.

Por sentir confiança nos seus pais ou responsáveis, essas pessoas se tornam ainda mais apegadas e dependentes. Assim, deixam de tomar até mesmo decisões pequenas e que não deveriam gerar insegurança.

Essa falta de autoconfiança também é algo que influencia na vida profissional, e faz com que a pessoa deseje ainda menos viver como adulto.

Irresponsabilidade 

Uma das maiores características dessa condição é não ter responsabilidades, e buscar uma vida fugindo disso ao máximo possível. 

Papéis importantes como virar pai, casar e trabalhar, crescer profissionalmente, entre outros, são evitados a qualquer custo. Desse modo, causa diversos prejuízos na vida profissional e amorosa do sujeito, que vai se tornando cada vez mais dependente dos seus pais. 

Procrastinação 

Aliás, por não entenderem a importância de levar a sério as obrigações da vida adulta, essas pessoas tendem a procrastinar o máximo possível suas atividades. Assim, deixam para fazer coisas muito importantes em cima do prazo.

Eles não entendem a seriedade dos seus compromissos, e não levam a sério prazos e datas. O que, por sua vez, faz com que deixem para fazer tudo em cima da hora, ou mesmo deixem de fazer algo, sem ligar para as implicações disso. 

Se você tem problemas com algum dos sintomas que viu acima, saiba que você precisa mudar isso. A vida adulta é difícil pois temos várias tarefas que são nosso dever realizar, e por isso, algumas não podem ser adiadas. Se você precisa de ajuda para melhorar isso, conte com os psicólogos da Eurekka e agende sua primeira sessão pelo banner abaixo.

banner produtividade

Dificuldade em tomar decisões na vida adulta

Pela insegurança e falta de maturidade, existe uma dificuldade em ter responsabilidade para tomar decisões sérias e importantes. Situações assim, no trabalho ou na vida pessoal, geram frustração e irritação na pessoa, que se recusa a agir como um adulto. 

Então, a falta de confiança em si e a sensação de não ser um adulto capaz de decidir por conta própria afeta a vida pessoal e profissional de quem tem a Síndrome de Peter Pan.

Relação complicada com os pais

Por ter um apego muito grande aos pais, e ver eles como figuras de total segurança e apoio, além de dependência, há uma grande chance de a pessoa que tem Síndrome de Peter Pan evitar sua independência dos seus pais e do seu lar de infância.

Por isso, essas figuras responsáveis vão ter uma relação difícil com esse filho, de apego e cuidado com alguém que já é adulto e deveria estar investindo na própria independência e amadurecimento.

Síndrome de Peter Pan tem cura?

Essa síndrome pode ser tratada, e com uma participação ativa do sujeito na psicoterapia, aceitando sua condição e se esforçando para ter mais responsabilidades e amadurecer, ela pode ser curada. 

Desse modo, o mais importante é aceitar a ajuda e se comprometer em se desenvolver e, em micropassos, ir deixando de lado os comportamentos infantis.

Tratamento para a Síndrome de Peter Pan

O tratamento para essa síndrome é feito a partir da Psicoterapia, com um profissional da Psicologia e que vai ajudar a superar o medo de crescer, focando em se tornar um adulto de verdade.

Desse modo, fazendo o tratamento, também vai se procurar os motivos desse comportamento, história do cliente e as melhores formas de desenvolver comportamentos maduros, fazendo com que o sujeito mude para melhor, de forma efetiva. 

Leia também: como escolher um psicólogo?

Como lidar com alguém que tem a Síndrome de Peter Pan?

Se você leu esse texto e percebeu que alguém ao seu redor pode ter essa síndrome, agora você vai descobrir como lidar e ajudar essa pessoa.

Estar presente, apoiar e incentivar a ter comportamentos saudáveis e maduros podem ajudar muito essa pessoa, sabia?

Recomende a Terapia

A psicoterapia é a forma mais efetiva e saudável de ajudar uma pessoa com Síndrome de Peter Pan. Algumas pessoas têm vergonha de procurar por Psicólogos para começar a terapia, e portanto, o seu apoio pode ser decisivo para essa decisão!

Acolha a pessoa e converse sobre como a terapia pode fazer a diferença nesse momento. Não deixe de falar como é importante aceitar o momento de crescer e agir como uma pessoa adulta.

Apoie mudanças positivas

Incentive a ter mais tarefas e responsabilidades, assumindo a vida adulta e os hábitos que uma pessoa madura naturalmente tem. 

Não obstante, buscar um trabalho, se comprometer com sua profissão, e caminhar em direção à sua independência são incentivos muito importantes para o crescimento de qualquer pessoa.

sede eurekka

A Eurekka tem o tratamento para Síndrome de Peter Pan

A Eurekka trabalha com psicoterapeutas e médicos psiquiatras prontos para te dar o melhor atendimento possível, através das Terapias Contextuais — o mais atual tratamento da Psicologia Comportamental, que te ajuda, na prática, a se tornar a melhor versão de si.

Se você acha que possui a Síndrome de Peter Pan, ou conhece alguém que tem os sinais, não deixe de buscar a Eurekka. E por mais difícil que pareça amadurecer, aceitar a vida adulta e se tornar mais responsável, podemos te afirmar: com a psicoterapia, dá pra melhorar.

Marque agora uma Conversa Inicial sem compromisso com um dos nossos psicólogos e descubra como a psicoterapia pode mudar a sua vida.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Equipe Eurekka

4 replies on “Síndrome de Peter Pan: o que é, sintomas e como tratar”

Acabei de concluir com a leitura do artigo que meu marido tem a síndrome. Vivia com a mãe até os 33 anos e a cinco que ela faleceu ele me cobra que deveria cuidar dele como ela fazia. Estou a ponto de explodir e acabar com o casamento, queria ajudar, mas eu lê se recusa a ir ao psicólogo.

Ei, Janair.

Sinto muito por essa situação, realmente não é fácil! Mas olha, se ele se recusa a ir ao psicólogo, que tal você marcar uma Conversa Inicial para ti? Assim você pode conversar sobre o que você sente e receber acompanhamento de perto para tomar a melhor decisão! <3

Vou deixar o link da nossa terapia aqui pra você, ta bem? https://eurekka.me/terapia/

Abraços, Gabi da Equipe Eurekka

O meu enteado se recusa a crescer, ele não quer completar o aniversário de 13 anos e se recusa a crescer, fala que prefere tirar a própria vida. Como ajudá-lo?

Oi, Elionária! Antes de mais nada: A síndrome de peter pan é algo que afeta apenas homens adultos, e não se aplica para crianças. Além disso, é recomendado levar seu filho em um psicólogo especializado em crianças e adolescentes. Esse período é marcado por muitas mudanças e é importante entender os motivos pelo qual ele diz isso e até investigar a chance de ser algum transtorno.

– Pedro, Equipe Eurekka!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.