Pancreatite: O que é, sintomas e como tratar

Sara Alves

Você já ouviu falar que o pâncreas possui a função de fabricar insulina? Sem dúvida, essa é uma função importante dessa glândula. Mas sabia que o papel dele no nosso organismo vai muito além? Isso porque ele também é responsável pela criação de hormônios e enzimas vitais na digestão de nutrientes. Por isso, doenças como a pancreatite são tão perigosas.

Com o pâncreas comprometido diversas áreas do seu corpo vão ser afetadas, levando não só a sintomas desagradáveis, mas também colocando sua saúde em risco. Por isso é preciso ficar atento aos sinais que seu corpo dá e procurar ajuda o mais rápido possível, afim de evitar que a pancreatite evolua para um grau maior.

E, para ajudar você nisso, vamos explicar, neste texto, o que é a pancreatite, quais as causas e os sintomas de cada tipo, como funciona o diagnóstico e como é feito o tratamento.

Boa leitura!

O que é pancreatite?

Pancreatite é uma inflamação do pâncreas. O pâncreas é uma glândula que mede cerca de 15 centímetros e fica na região do abdômen, abaixo do estômago, atrás do intestino delgado. Além disso, o pâncreas e o intestino dividem canais e ductos, assim como ocorre com a vesícula biliar.

O pâncreas produz enzimas e hormônios vitais no processo de digestão dos alimentos. Ademais, uma das suas principais funções é agir no controle da glicose no sangue. Assim, libera os hormônios insulina e glucagon para ter esse controle.

A pancreatite pode ocorrer na forma aguda. Ou seja, surgir do nada e durar alguns dias. Ou, então, pode ocorrer de forma crônica, com um quadro de inflamação progressiva e persistente. Essa pode, aos poucos, destruir a função pancreática.

obesidade pode provocar pancreatite

Causas

A pancreatite ocorre quando há a ativação anormal das enzimas digestivas enquanto ainda estão no pâncreas. Então, isso irrita as células e causa inflamação.

Essa ativação errada pode ser criada pelo bloqueio dos ductos pancreáticos. Ou seja, isso faz com que o suco pancreático, cheio de enzimas, fique no pâncreas e passe a “digerir” o próprio órgão.

Além disso, ela é considerada a doença pancreática mais comum em crianças e adultos. Sendo que cerca de 80% dos pacientes de pancreatite têm como causa dessa inflamação os cálculos na vesícula biliar ou o consumo de álcool. Ademais, os outros 10% vêm de causas variadas e ainda há 10% que têm causa desconhecida.

Por fim, as condições de risco que podem levar à pancreatite incluem:

  • Alcoolismo
  • Cálculos biliares
  • Certos remédios
  • Infecção
  • Cirurgias abdominais
  • Lesão no abdômen
  • Obesidade
  • Câncer de pâncreas

Principais sintomas

Então, quais são os sinais de que alguma coisa não vai bem com o pâncreas? 

No caso da pancreatite, os sinais e sintomas podem variar, a depender do tipo que você desenvolve. Então, confira abaixo os tipos e os sintomas de cada um.

Pancreatite Aguda

A pancreatite aguda pode ser classificada na clínica em leve ou grave. Na forma leve, as mudanças clínicas são locais.

Em sua forma grave, contudo, há sinais de disfunção sistêmica e falência de órgãos. Além disso, complicações como necrose, abscesso e pseudocisto pancreático podem ocorrer. Os sintomas desse tipo incluem:

  • Dor abdominal superior
  • Dor abdominal que irradia para suas costas ou que piora depois de comer
  • Febre
  • Pulso rápido
  • Náusea
  • Vômito

Pancreatite Crônica

Episódios repetidos da inflamação aguda podem levar a danos permanentes e irreversíveis no pâncreas. Além disso, pode resultar em pancreatite crônica, sendo que os sintomas incluem:

  • Dor abdominal superior
  • Perda de peso sem estar de dieta
  • Fezes oleosas e fedorentas

Como é feito o diagnóstico?

Os testes e procedimentos usados para diagnosticar pancreatite incluem:

  • Tomografia computadorizada (TC): Busca por cálculos biliares e avaliar a inflamação e os danos ao pâncreas
  • Exames de sangue: Detecta níveis altos de enzimas pancreáticas (amilase e lipase)
  • Exames de fezes na pancreatite crônica: Medem os níveis de gordura que podem dizer que seu sistema digestivo não está absorvendo nutrientes da forma certa
  • Ultrassom abdominal: para buscar cálculos biliares e inflamação do pâncreas
  • Ultrassom endoscópico: para buscar inflamação e bloqueios no ducto pancreático ou ducto biliar

E, caso você tenha se identificado com os sintomas do tópico anterior, clique no banner abaixo e marque já uma consulta para receber os pedidos de exames necessários e ter o melhor acompanhamento médico com um profissional da Eurekka!

banner eurekka med

Tratamento

Então, agora que você já sabe as várias causas, tipos e sinais da inflamação, confira alguns dos possível tratamentos para cada caso.

Pancreatite aguda

No caso de pancreatite aguda, pode precisar de internação e os tratamentos iniciais no hospital podem incluir:

Jejum

Por alguns dias, o paciente para de comer, para dar ao seu pâncreas uma chance de se recuperar. Para se nutrir, usa sondas (enteral) para que não haja estímulo à produção de enzimas pancreáticas.

Medicamentos para a dor

A pancreatite pode causar muita dor; por isso, precisamos controlar com remédios específicos.

Fluidos intravenosos

Como o corpo gasta energia e líquidos para curar o pâncreas, o paciente pode ficar desidratado.

Por isso,  vai receber fluidos extras por uma veia do braço durante a internação.

Assim que a pancreatite estiver sob controle, a equipe médica poderá tratar a causa da doença. Além disso, de acordo com a causa, o tratamento pode incluir:

  • Remoção de obstruções do ducto biliar: A pancreatite causada por um ducto biliar estreito ou bloqueado pode exigir procedimentos para abrir ou alargar o ducto biliar;
  • Cirurgia da vesícula biliar: Se os cálculos biliares causaram a pancreatite, o médico pode recomendar cirurgia para tirar a vesícula biliar;
  • Cirurgia de pâncreas: A cirurgia pode ser útil para drenar o líquido do pâncreas ou para tirar o tecido doente;
  • Tratamento para dependência de álcool: Beber grande quantidade de bebidas alcoólicas, por muitos anos, pode causar pancreatite. Se esta for a causa da sua pancreatite, seu médico pode pedir que você inicie um programa de tratamento para a dependência de álcool. Continuar a beber pode piorar a pancreatite e levar a complicações graves.

mulher com dor na barriga por causa da pancreatite

Pancreatite crônica

Além disso, a pancreatite crônica pode exigir tratamentos a mais, além dos que citei para pancreatite aguda. Isso inclui:

  • Tratamento da dor: A pancreatite crônica pode causar dor abdominal persistente, por isso, seu médico pode recomendar remédios para controlar sua dor;
  • Enzimas para melhorar a digestão: Os suplementos de enzimas pancreáticas podem ajudar seu corpo a quebrar e processar os nutrientes dos alimentos que você come. As enzimas pancreáticas são administradas a cada refeição;
  • Mudanças em sua dieta: Seu médico pode encaminhá-lo a um nutricionista, que pode, assim, ajudá-lo a planejar refeições com baixo teor de gordura e ricas em nutrientes.

Perigos e riscos da pancreatite não tratada

Você deve tratar pancreatite o quanto antes. Pois, pode se agravar e levar à infecção, que, por sua vez, pode ir para o sangue e se espalhar para outros órgãos (sepse).

Além disso, pode ocorrer a necrose extensa do pâncreas e danos ao órgão irão afetar as suas funções. Então, a produção de hormônios (insulina e glucagon) passará a ser ruim, o que leva o paciente ao quadro de diabetes mellitus.

Pancreatite pode levar à morte?             

Sim. Em casos não tratados ou de quadro muito intenso, com necrose e infecção, o doente pode ter choque circulatório, complicações renais e pulmonares e falência de órgãos. Com isso vai precisar se internar em uma UTI e pode ir a óbito.

Preciso parar de beber álcool?

Sim, é indicado tirar o álcool da dieta, em especial nos casos de pancreatite crônica e naqueles em que o álcool é a causa da pancreatite. Pois, para evitar que episódios inflamatórios surjam ou se agravem, o pâncreas precisa ser preservado ao máximo dos fatores de risco.

sede da Eurekka

Recomendações importantes

Se você suspeitar que pode estar com pancreatite, é necessário procurar um médico especialista o mais rápido possível. Quanto mais rápido você tiver o diagnóstico, mais rápido irá tratar o problema ou, até mesmo, ficar mais tranquilo ao saber que não tem a inflamação.

Uma dica para saber se precisa da ajuda médica é se sua dor abdominal for tão forte que você não consegue ficar parado ou encontrar uma posição que o deixe confortável.

E, caso esse seja o seu caso, a EurekkaMed está pronta para analisar os sintomas e encaminhar você para o melhor tratamento. Dores abdominais não são um bom sinal e você não precisa conviver com esse incômodo para sempre, clique aqui e marque já sua consulta online e prática!

Este artigo te ajudou?

0 / 3 2.9

Sara Alves

3 replies on “Pancreatite: O que é, sintomas e como tratar”

Fui diagnóstico com alteração no pâncreas, mas não tenho nenhum sintoma, mas já logo comecei a mudança na minha dieta.
Creio que logo estarei bem

Oi, Letícia. Como está?

Esperamos que bem! Caso precise de algo, conte conosco. É só clicar aqui para garantir um atendimento humanizado com nossa equipe profissional.

Abraços,

Erick da Equipe Eurekka

Olá,td bem? Fui diagnósticada com pâncreas aumentado, tem algum tratamento a ser feito, fora a dieta?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *