Paixão e o ERRO que faz você perder o AMOR da sua vida

Henrique Souza

Eu tenho duas notícias para você, uma má e uma boa. A má notícia que eu vou te trazer hoje é que, talvez, você já tenha perdido uma grande oportunidade de namorar alguém incrível. Isso pode ter ocorrido pois você não entendeu este erro que eu vou explicar para você ao longo do texto, que tem tudo a ver com paixão.

E a boa notícia é que, se você prestar mais atenção a partir de hoje e não cometer esse erro, você vai conseguir filtrar melhor os seus candidatos para relacionamento sério. Assim, vai encontrar a pessoa certa sem essa venda nos olhos que eu quero tirar da sua frente hoje.

Eu sou Henrique, psicólogo e um dos fundadores da Eurekka. Nosso objetivo é tornar você uma pessoa mais madura e corajosa para enfrentar os problemas psicológicos do cotidiano. No texto de hoje, vou te mostrar qual o grande erro que faz você perder o futuro amor da sua vida.

paixão e casal

Paixão e expectativas

Hoje o nosso papo é sobre amor. Eu quero explicar para você porque muitos relacionamentos que poderiam dar certo acabam. E isso tem a ver com as expectativas que a gente cria quando a gente está conhecendo pessoas.

Então, o texto é especialmente para você que está conhecendo alguém ou buscando conhecer pessoas. Assim, você não cometerá esse erro que faz com que você filtre as pessoas erradas por causa de uma expectativa bizarra que a gente tem sobre o amor.

A gente tem a expectativa de que toda relação de amor verdadeiro comece com fogos de artifício. A gente aprendeu lá com os filmes de Hollywood, com as séries, que todo o amor começa com aquela paixão avassaladora, uma atração muito forte. E a verdade é que, depois de adulto, nem sempre é assim. É aí que está o grande problema.

O que você aprendeu sobre paixão e amor?

Como é que a gente aprende sobre o amor hoje em dia? Todo mundo fala que funciona mais ou menos assim:

  1. O amor começa com uma paixão muito forte.
  2. Depois, ele evolui para um amor companheiro e vocês têm uma relação duradoura.

Muitas relações de amor funcionam assim mesmo. Você começa com aquela paixão muito forte e depois vai para uma fase mais de companheirismo. Mas a verdade é que, quando você é adulto, muitas vezes você vai direto para a fase de companheirismo. Ou, então, você tem uma fase de paixão que não é tão forte assim. Mas aquela relação ainda vale a pena investir.

Quando você se apaixonou pela primeira vez, como foi? Eram fogos de artifício! Você estava num parque aquático de emoções; você subia tobogã e descia feliz da vida. Mas, depois de adulto, tendo você já se apaixonado algumas vezes e tendo tido seu coração partido, não é assim. A paixão não é tão forte. E você não pode confundir as duas coisas.

Ou seja, não é porque a paixão não é tão forte que aquela relação não vale a pena o seu investimento, o seu compromisso. Não é porque aquela pessoa não faz você se sentir como se você estivesse se apaixonando pela primeira vez que aquela pessoa não é para você. Você não pode usar suas emoções tanto como uma bússola.

Companheirismo no relacionamento importa muito

A moral é o seguinte: depois de 2 anos ou 5 anos ou 10 anos ou 15 anos, vocês não vão ter mais aquela paixão intensa e você vai ter que ser companheiro daquela pessoa. Se você está buscando alguém para casar, para formar família, para ficar para sempre com a pessoa, você não tem que olhar principalmente para as emoções que ela te causa. Mas, sim para o tipo de pessoa que ela é.

Teste para saber se o relacionamento vale a pena

Para te ajudar a clarear as ideias, tente responder a essas perguntas:

  1. Essa pessoa tem as qualidades de alguém com quem eu poderia conviver por décadas?
  2. Essa pessoa está comprometida em ser uma pessoa melhor para que a nossa convivência seja ainda melhor ao longo dessas décadas?
  3. Ou essa pessoa está acomodada e ela sente que já conquistou o que ela tinha que conquistar?

Isso é muito mais importante do que o frio que a pessoa te causa na barriga. Isso não quer dizer que não tem que ter frio na barriga. É óbvio que você tem que estar se sentindo atraído pela pessoa, precisa querer estar perto da pessoa. Mas, se é um frio ou um friozão na barriga, faz pouquíssima diferença.

responsabilidade afetiva e paixão

A paixão não é um parque de diversões

Quando você é adulto e tem maturidade, você não tem que estar buscando um parque de diversões quando você olha para uma pessoa. Você tem que estar buscando outra pessoa. Um companheiro de vida.

Alguém que tenha os seus mesmos princípios inegociáveis, que tem os mesmos planos ou planos parecidos, que seja uma pessoa de boa convivência, que você admira, que você ri e ache engraçada.

Se é um friozinho frio ou um friozão na barriga, não é tão importante. Afinal, depois, sempre vai ser um friozinho menor na barriga do que no começo. Ou seja, com o tempo, o amor pode e deve ser simples, e não um romance de novela, uma montanha russa de emoções.

É esse amor que eu desejo para você. Que você pare de achar que o amor precisa ser complicado. Então, a partir de agora, espero que comece a prestar atenção nas pessoas que, mesmo não arrancando seu coração do peito pra fora, são companheiras. Espero que vocês formem uma relação simples mas muito profunda e muito bonita.

Por fim, me conta nos comentários se você já teve uma paixão assim, simples e duradoura!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 4.14

Henrique Souza

Henrique é psicólogo pela UFRGS, atuando na clínica com a Abordagem Analítico-Comportamental, apaixonado por criatividade e comunicação e co-fundador da Eurekka, a startup de Psicologia que se tornou a maior rede de psicoterapia do Brasil. Além de fazer mais de 3000 sessões por mês, a Eurekka também oferece telemedicina, um clube de assinatura, franquia para Psicólogos e outros produtos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.