Orientação vocacional: 5 dicas para pais ajudarem os filhos

Equipe Eurekka

Algumas famílias se preocupam com a escolha profissional dos filhos desde pequenos. Por isso, investem em estratégias de orientação vocacional, buscando despertar, desde cedo, o interesse por alguma habilidade.

Até aí não tem nada demais, pois é natural que os pais queiram garantir que os filhos tomem rumos profissionais de sucesso. O problema é quando isso se torna uma batalha emocional, pois pais e filhos não se entendem e há imposição e busca de satisfação pessoal do pai e da mãe na carreira do filho.

A gente vai refletir um pouco sobre isso no texto abaixo. Esperamos que você se tranquilize depois de ler o que a Eurekka pensa sobre o assunto. Aproveite!

orientação vocacional

O que é orientação vocacional?

É muito fofo quando as crianças dizem que querem ser bombeiro, policial militar ou médico! Toda criança faz isso. Afinal, são profissões que salvam vidas, cuidam das pessoas e estão no imaginário dos pequenos. Alguns também desejam ser astronauta, domador de leões e piloto de avião. Isso faz parte do mundo das crianças. Além disso, os pais, no geral, alimentam essas ideias através de fantasias para o carnaval, brinquedos, desenhos animados e jogos de computador.

Contudo, chega uma hora em que os desejos profissionais dos adolescentes mudam de rumo e passam a ficar mais sérios. Eles representam o futuro, o sucesso e a realização da vida.

Neste momento, os pais precisam saber o que é orientação vocacional e como buscar ajuda.

Orientar uma pessoa quanto à sua vocação é, primeiro, observar as suas habilidades. Depois, entender que a pessoa pode ter uma ou mais aptidões e deve trabalhar isso ao longo do EM, em especial. Por último, dar ao jovem momentos práticos para que ele vivencie essas aptidões. Isso pode ser feito em forma de testes vocacionais, trabalho voluntário, palestras, visitas a universidades e empresas.

Aqui, é vital lembrar que a escola tem um papel importante e é comum que coordenadores pedagógicos e psicólogos escolares organizem atividades nesse sentido.

5 dicas para pais ajudarem seus filhos com orientação vocacional

A gente quer tranquilizar você e dizer que orientação vocacional não é um bicho de sete cabeças e nem deve ser motivo de brigas em casa e na escola.

Então, temos 5 dicas bem práticas pra você lidar com o tema e passar bastante segurança para seus filhos:

1. Não repasse para ele a obrigação de realizar o seu sonho profissional

É comum que algumas famílias desejem que os filhos sigam os mesmos passos do pai, da mãe ou até mesmo dos avós. E a Eurekka super entende isso. Mas as coisas mudaram muito: as profissões se ramificaram, há inúmeras profissões novas, outras tantas ligadas à tecnologia da informação, profissões home office e muitas chances de trabalho.

Então, você precisa se familiarizar com isso e aceitar a visão de que seus filhos sigam outras profissões. Quando isso ocorre, ele não está traindo a tradição familiar nem desmerecendo a profissão dos pais e avós. Ele está só buscando a realização dele

E, se por acaso a sua preocupação for com o salário, com a remuneração, com o poder aquisitivo do seu filho, lembre-se de que o problema é dele. Ele é que tem que assumir os riscos e as responsabilidades; isso ajuda na sua maestria. É pior quando o jovem acata o desejo dos pais e não consegue ser produtivo na profissão e acumula uma grande frustração

Ademais, a gente sabe que os maiores estudos sobre felicidade afirmam que a realização profissional é um dos caminhos para chegar a ela.

banner produtividade

2. Não fique dando indiretas e tenha uma conversa franca

O diálogo, a conversa franca e o olho no olho é a melhor maneira de se aproximar dos interesses profissionais do seu filho. Você pode até pensar “Eu vou moldar a mente do meu filho para ele seguir tal carreira”, mas os especialistas reafirmam que isso não tem efeito. Afinal, mais cedo ou mais tarde, o jovem vai se identificar com a sonhada profissão e nada vai impedi-lo disso.

Aliás, os pais precisam saber que o número de jovens que trancam a faculdade, trocam de curso logo no início ou até mesmo abandonam a graduação é bastante grande. A justificativa deles é unânime: não tinham clareza do curso antes de fazer o vestibular. 

Portanto, ajude seu filho a clarear as ideias, sem pressão, sem chantagem emocional nem financeira. Ah, você pode não acreditar, mas há relatos de estudantes que dizem “Se eu não seguir tal profissão, minha família não ajuda a pagar meus estudos.” 

Saiba que isso não ajuda em nada, e mais: quando você fica dando indiretas e jogando aquelas piadinhas no ar, você cria um clima de angústia para o jovem, pois ele fica dividido entre agradar aos pais e seguir o seu sonho. Estes são sinais de um relacionamento tóxico, então, cuidado!

3. Exercite a escuta

Em tempos de correria, de redes sociais e de justificativas de que não se tem tempo pra nada, escutar as pessoas com atenção virou relíquia.

Pois bem, neste momento, final do Ensino Médio, vésperas de vestibulares, ENEM e outras possibilidades, seu filho precisa muito ser escutado. Faça isso sem julgamentos, sem gritar, e sem dizer aquelas famosas frases “Você vai ganhar muito pouco fazendo isso!”, “Seu avô queria tanto que você seguisse a profissão dele, você vai quebrar a tradição!” ou ainda “Seu pai e eu sabemos que isso não vai dar certo!”. 

Ufa! Dá até uma angústia de saber que a sua escuta foi, na verdade, um ataque com um certo ar de “eu é que sei, pois sou adulto”. De novo, a Eurekka ressalta: Isso só piora o cenário, pois tudo que seu filho precisa agora é de apoio, clareza e a certeza de que não será julgado dessa forma.

menino lendo e orientação vocacional

4. Estimule seu filho a pesquisar sobre as profissões que ele deseja seguir

Neste momento, a família é a base pra deixar o jovem estudante seguro. Então, esteja presente nas escolhas profissionais dele e ofereça o suporte necessário.

Você pode entrar em contato com a escola e saber se eles estão oferecendo algum tipo de orientação. Também pode estimular o estudante a pesquisar sobre a profissão que deseja seguir, em especial as ramificações dela, em que regiões ela está mais desenvolvida e qual o aperfeiçoamento que ela exige. Por exemplo, algumas carreiras exigem um bom nível de inglês.

Mostre aos filhos que a informação é o primeiro e melhor caminho para se conhecer o cenário profissional, salientando que o melhor a se fazer é ter o pé no chão e ter consciência do caminho a percorrer.

5. Apoie as escolhas dele

Mesmo que você não esteja contente com a escolha profissional dos seus filhos, apoie as escolhas deles. Isso ocorre através da escuta, da facilitação de testes vocacionais, do apoio financeiro e emocional e, em especial, compartilhe com ele a sua experiência profissional. Conte a ele como você construiu a sua carreira, quais foram os pontos positivos e negativos e como você se sente hoje.

É bem importante você mostrar que está orgulhoso dessa nova etapa que seu filho está vivendo. Afinal, ele é jovem, não tem experiência e está cheio de sonhos. Se você colocar tudo isso abaixo, imagina como ele vai se sentir. Então, dê uma chance a ele!

sede da Eurekka

A Eurekka te ajuda na orientação vocacional

Aqui, nós só queremos garantir a saúde emocional de jovens e familiares que passam por um momento tão importante: a escolha profissional. Como eu vou trabalhar para melhorar este mundo? O que eu posso fazer, na área profissional, para garantir a minha felicidade? Como eu vejo o futuro? O que eu gosto de fazer? Que habilidades tenho? A essas perguntas a equipe Eurekka pode ajudar a responder.

Nossos psicólogos podem ajudar a família a conduzir o apoio aos filhos e também pode ajudar o jovem estudante a se sentir mais seguro quanto à orientação vocacional. Então, clique aqui para falar com nossos psicólogos!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Equipe Eurekka

One reply on “Orientação vocacional: 5 dicas para pais ajudarem os filhos”

Material muito importante e esclarecedor!
Falar sobre esta temática com os filhos é extremamente importante!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.