Ocitocina: como o “hormônio do amor” afeta seu organismo

Equipe Eurekka

Se conhece a Ocitocina como o hormônio do amor. Ela tem funções muito vitais no nosso organismo, e conhecer isso vai te ajudar a saber mais sobre si mesmo e sobre o funcionamento do seu corpo, o que é vital para prevenir doenças e deficiências hormonais.

No artigo de hoje, você vai saber o que esse hormônio é, como e onde ele age dentro do seu corpo. Além disso, qual a importância dele e como inseri-lo como um remédio. Confira!

O que é Ocitocina

Ocitocina é um hormônio sintetizado pelo hipotálamo. O hipotálamo também é responsável por controlar a liberação de ocitocina de forma neural.

Além disso, ela tem funções hormonais e funções cerebrais no nosso organismo. As atividades feitas por esse hormônio são mediadas por receptores específicos para ele.

Importância desse hormônio

gestação com ocitocina

Esse neuro-hormônio é muito vital na questão da gestação e nascimento do feto, mas, além disso, também age em situações bem mais comuns: na empatia, na relação sexual, no vida social, na ansiedade e outras áreas.

Por fim, tudo isso ocorre pois esse é um hormônio produzido e transmitido pelo sistema límbico, que é o sistema responsável por nossa natureza afetuosa e também pelas respostas de “luta e fuga” do corpo. No geral, esse hormônio tem efeitos muito positivos no nosso organismo.

Ocitocina e trabalho de parto

A ocitocina estimula pequenas contrações uterinas para facilitar a entrada de espermatozoides. Ou seja, facilita a gravidez.

Durante a gravidez, a ocitocina reduz a sensibilidade dos receptores de estrógeno e progesterona. Portanto, isso aumenta a criação desses dois hormônios. A sensibilidade dos receptores é aumenta de novo durante o trabalho de parto normal, para que ocorram as contrações rítmicas no útero materno.

Ocitocina e amamentação

Esse hormônio atua na contração das células mioepiteliais, o que provoca a ejeção do leite. A própria sucção da criança provoca a produção de ocitocina. Ou seja, acaba sendo uma relação autossuficiente: a ocitocina é produzida no corpo da mãe com mamar da criança, que provoca a descida do leite, que faz com que a criança possa se alimentar, o que produz o mamar, que produz a ocitocina… 

O bebê ingere esse hormônio através do leite materno, e também recebe o hormônio da relação de contato entre mãe e filho. Além disso, essas duas fontes de ocitocina são vitais para aumentar a relação de carinho e o vínculo afetivo entre os dois.

Mais efeitos do hormônio:

pessoas felizes com ocitocina

Este hormônio pode influenciar a nossa forma de agir, as nossas memórias, a empatia e outros aspectos relacionadas à interação social. Alguns dos efeitos benéficos da Ocitocina, são:

Apego entre pais e filhos

O envolvimento real e amoroso entre os pais e a criança promove a produção de ocitocina. Além disso, cria e fortalece o vínculo entre os cuidadores e a criança, apesar de os pais serem biológicos ou adotivos.

Relacionamentos amorosos

Como dito acima, se conhece a Ocitocina como o hormônio do amor, e não é para menos. Assim, contato físico e olhares acalorados aumentam a produção de ocitocina tanto quanto o carinho dos pais e filhos.

Por fim, esses contatos amorosos, sejam eles românticos ou não, causam o aumento do hormônio em homens e mulheres. Portanto, nos dão uma sensação de felicidade e ânimo.

Prazer sexual

A concentração de ocitocina no organismo é vital para o desejo sexual e para o orgasmo. Em especial o feminino: há uma relação direta entre a concentração do hormônio e a intensidade do orgasmo! Legal, né?

Habilidades sociais

O hormônio está ligado ao nosso bem-estar e sensações de conforto e segurança. Por isso, as pessoas podem se tornar mais interativas e sociáveis quando estão com níveis altos de ocitocina.

Quando o hormônio é liberado, independente do que causou a liberação, o organismo fica mais relaxado e feliz. Além disso, até mesmo nossa generosidade aumenta!

Alívio do estresse

Como a ocitocina nos deixa confortáveis e felizes, é de se esperar que ela também seja relaxante e é capaz de causar um relaxamento muscular. E é isso mesmo: ela reduz a ansiedade, inclusive quando esta aparece como sintoma de depressão ou estresse.

Não há muitas pesquisas sobre esse efeito ainda, mas já existe um estudo que aplica o hormônio em uma pessoa prestes a iniciar uma discussão. Por fim, se notou uma redução do estresse.

Sono

A ocitocina não tem uma relação direta com o sono. Mas, por proporcionar tranquilidade e conforto, de forma natural, o corpo relaxa e facilita que haja um sono reparador, o que também chamamos de “noite bem dormida”.

Redução de desejo por drogas

Por fim, algumas pessoas usam a ocitocina quando sentem o desejo por drogas aditivas, o que faz com que a vontade passe. Além disso, pode ajudar a reduzir os sintomas de abstinência.

Alimentos que estimulam a liberação desse hormônio

alimentos pra ocitocina

Alguns alimentos promovem a criação e liberação de hormônios que nos causam felicidade e bem estar. Como a serotonina e, claro, a ocitocina.

Outros aliados para o aumento do hormônio são o chocolate, a banana, o leite e as folhas verdes escuras! E não esqueça também das oleaginosas, como castanha, amêndoa, amendoim, caju, e proteínas, com destaque para os frutos do mar.

Impacto dos baixos níveis de Ocitocina

No geral, a baixa quantidade de ocitocina tem o efeito inverso da quantidade saudável. Isso pode causar tristeza, tensão, estresse, baixa na libido, apatia e antipatia, dores musculares e ansiedade.

Como esses também são sintomas causados por distúrbios mentais e psicológicos, é indicado consultar um médico psiquiatra na presença desses efeitos. Assim você pode ser analisado, bem como a possível causa disso.

O que é Ocitocina Sintética?

A ocitocina sintética é um remédio que, como o nome já diz, “reproduz” os efeitos do hormônio. Porém, de maneira sintética não natural.

Por fim, se usa a ocitocina sintética para auxiliar no trabalho de parto e em casos de aborto. Por exemplo, para reduzir a chance de hemorragia. Também pode ser indicada por um médico para ajudar durante a amamentação e para aliviar sintomas como depressão e ansiedade.

Reações adversas da Ocitocina Sintética

Se indica a ocitocina, em partos, apenas em hospitais e sob supervisão médica. Isso pois o mal uso pode causar até mesmo ruptura do útero. As reações mais comuns ao uso de ocitocina sintética são dor de cabeça, taquicardia, náusea e vômitos.

A ocitocina sintética é um remédio como qualquer outra. Por isso, deve-se consultar um médico antes.

Materiais gratuitos da Eurekka

sede presencial eurekka

A Eurekka tem médicos escolhidos a dedo para te ajudar no que precisar. Se você quiser consultar para avaliar a necessidade do uso de ocitocina sintética, você pode entrar em contato com a EurekkaMed.

Se você quiser conversar sobre mudanças na rotina e nas relações que podem ter causado baixa de ocitocina, a equipe de psicólogos da Eurekka vai te ajudar a analisar o seu caso. Além disso, vai te ajudar a descobrir formas naturais de recuperar a felicidade e a qualidade de vida.

Você também pode baixar o app da Eurekka para conteúdos exclusivos sobre saúde física e mental, e ver mais dicas incríveis no Facebook, no Instagram e no Youtube da Eurekka.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 0

Equipe Eurekka

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *