Guia para psicólogos: o que fazer na primeira sessão de terapia

Equipe Eurekka

A primeira sessão de terapia é um ponto de partida crucial para construir com o paciente uma jornada de melhora e autodescoberta. É nesse momento que terapeutas habilidosos têm a oportunidade de estabelecer uma base sólida para o tratamento e criar um ambiente acolhedor.

E, por entendermos o valor que a primeira sessão de terapia tem, a Eurekka preparou este texto para ajudar você, psicólogo, a lidar com cada conversa inicial.

Assim, vamos falar sobre o objetivo da primeira sessão e mostrar o passo a passo do que fazer nesse primeiro encontro!

Boa leitura!

Qual o objetivo da primeira sessão de terapia?

O objetivo da primeira sessão de terapia é conhecer o paciente e garantir que vocês estejam alinhados. Ou seja, esse é o momento de ter certeza de que o paciente entende o que é o processo terapêutico, como vocês irão caminhar e quais são os objetivos gerais esperados.

Pode parecer irreal, mas muitas pessoas não fazem ideia do que acontece numa terapia. O que é óbvio para você, como profissional, pode parecer inédito para alguém que nunca ouviu falar daquilo.

Por conta disso, uma primeira conversa honesta é o ponto central de tudo o que vai acontecer depois dela.

Além disso, esse momento é essencial para você já começar a entender um pouco sobre as dores do paciente e possíveis pontos importantes de serem trabalhados.

Assim, percebemos quo o objetivo central dessa primeira conversa é o alinhamento e conhecimento mútuo entre psicólogo e paciente.

O que fazer na primeira sessão de terapia

Agora que você já entendeu o objetivo, veja o passo a passo de como colocar isso em prática!

Acolher o novo paciente

Desde o primeiro contato, é crucial transmitir empatia e acolhimento. Por isso, mostre interesse genuíno pela jornada do paciente e crie um ambiente seguro.

Algumas pessoas podem ser mais retraídas nas primeiras sessões, seja por vergonha ou dificuldade em falar sobre assuntos mais delicados, então tenha paciência e respeite o momento.

O acolhimento do novo paciente, logo nas primeiras sessões, se refletirá numa boa relação entre vocês dois. Afinal, a confiança numa sessão de terapia é a chave para que seja mais fácil de trabalhar todo o contexto necessário.

Entender as demandas

Dedique tempo para ouvir atentamente as preocupações e expectativas do paciente.

Isso não apenas auxilia no planejamento terapêutico, mas também demonstra o comprometimento com o bem-estar dele.

Alguns pacientes se esforçam muito para criar uma abertura diante do que os incomoda, e nada melhor do que ter suas demandas validadas e reconhecidas.

Uma boa ideia é fazer anotações e revisar depois da sessão, traçando pontos para abordar nos próximos encontros e um possível caminho terapêutico.

Explicar de forma breve a sua abordagem e seu trabalho

De forma clara e concisa, explique a abordagem terapêutica que você utiliza. Isso permite ao paciente entender o processo e criar uma expectativa realista.

Assim, haverá um alinhamento sadio entre o que ele espera de você, e também o que se espera dele, de modo que a terapia alcance os resultados esperados.

Dar espaço para o paciente fazer perguntas

Reserve um momento para que o paciente faça perguntas sobre a terapia e o processo, pois isso reforça a transparência e a confiança na relação.

Além de que, essa atitude ajuda o paciente a reconhecer a participação dele no processo terapêutico. De modo que ele se torna ativo e engajado durante a sessão e fora dela.

O que você não pode esquecer na primeira sessão de terapia

Aqui vão dois pontos muito importantes que irão garantir um atendimento de qualidade e potencializar todos os tópicos acima.

Trabalhar a relação terapêutica

Estabeleça uma conexão genuína com o paciente. Mostre que você ouve o que ele diz e que valida isso, assim ele vai se sentir acolhido e respeitado, aumentando a confiança e o engajamento.

A relação terapêutica é um fator determinante para o sucesso do tratamento. Afinal, se o momento da sessão não vai bem entre vocês dois, como pode acontecer o progresso?

Saiba mais sobre a relação terapêutica aqui!

o que fazer na primeira sessão de terapia

Ter empatia e mostrar interesse

Mostre empatia e interesse sincero pelas experiências e emoções do paciente.

Não é nada bacana quando se está empolgado para contar algo, ou pedir ajuda, e a pessoa que ouve se mostra entediada, desatenta ou desinteressada no assunto.

É crucial se sensibilizar e prestar atenção no que o paciente diz, para que ele sinta que ali ele pode ser vulnerável.

Então, antes mesmo de propor algo sobre o que o paciente disse, fale que o que ele sente é válido e que ele não precisa se martirizar por isso, mas sim pensar em formas de lidar com a situação para que não ocorra mais sofrimento emocional.

O que perguntar ao paciente na primeira sessão de terapia dele?

Peça ao paciente que compartilhe informações sobre sua história de vida, relacionamentos e eventos significativos. Uma análise geral da vida dele é valiosa para que se enxergue um panorama mais amplo e entendível, num primeiro momento.

Inclusive, é preciso entender o que motivou o paciente a procurar terapia e quais são seus objetivos a curto e longo prazo. Isso porque as respostas dele vão fornecer caminhos e objetivos futuros para o processo terapêutico.

Que tal também explorar os desafios emocionais, mentais ou comportamentais que o paciente está enfrentando no momento?

Nem toda primeira sessão significa ter um cliente novo garantido!

A relação terapêutica é uma combinação complexa de personalidades, estilos de comunicação e empatia mútua. Às vezes, a “química” entre o terapeuta e o paciente simplesmente não se encaixa. Então, isso não reflete necessariamente sobre a competência de ambos, mas sim sobre a importância de encontrar a melhor correspondência.

A pessoa pode, por exemplo, estar buscando um tipo específico de abordagem ou resultado, enquanto você oferece uma terapia diferente.

No entanto, é fundamental lembrar que nem todas as personalidades e necessidades vão se entrelaçar perfeitamente em uma sessão. Alguns pacientes podem precisar de mais tempo para sentir confiança e decidir se você é o terapeuta certo para eles.

Cada pessoa é única e precisa de atendimento personalizado

Cada pessoa traz consigo uma história de vida exclusiva. Sendo que os traumas, experiências, valores e crenças moldam a forma como enfrentam os desafios emocionais. Assim, o que funciona para um paciente pode não ser relevante para outro.

E o atendimento personalizado leva em consideração essas diferenças e adapta a abordagem terapêutica para atender às necessidades específicas de cada indivíduo.

fundadores da psicoterapia da Eurekka

Aprimore sua carreira como terapeuta

Entendemos que não é nada fácil começar a carreira de terapeuta. São muitas dúvidas, questionamentos e até mesmo inseguranças. Afinal, cuidar da saúde mental do outro é uma tarefa muito importante e que precisa de análises cuidadosas.

Mas a boa notícia é que existe um meio de não trilhar esse caminho sozinho! Aqui na Eurekka existe uma forma de você receber treinamentos dos nossos psicólogos mais experientes, atender os nossos pacientes e não se preocupar com captação, financeiro e nem agenda de horários!

Tudo isso é o que os Psicólogos Franqueados da Eurekka recebem e você pode se tornar um deles também. Assim, você irá começar sua carreira de psicólogo não só com um fluxo constante de pacientes, mas também com suporte adequado para você se sentir seguro nos atendimentos!

Quer saber como fazer parte? Basta clicar no botão abaixo!

Este artigo te ajudou?

0 / 3 3

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *