O que é arrependimento e quais os seus efeitos na saúde mental

Equipe Eurekka

Lembra aquela situação em que as coisas teriam sido melhores se você tivesse agido diferente? Com certeza você e as pessoas ao seu redor já passaram por isso. Mas, afinal, o que é o arrependimento de verdade e quais os frutos que ele pode gerar na sua vida?

De uma coisa a gente sabe: ele não só dói, como também pode impactar nossa saúde mental e a forma como tomamos decisões e nos comportamos. Sendo que esse impacto, positivo ou negativo, dependerá do que escolhermos fazer com esse sentimento.

Então, neste texto, vamos explicar o que é o arrependimento, como ele age na sua vida e soluções para conviver com ele de forma saudável.

Boa leitura!

O que é arrependimento?

De acordo com o dicionário da Oxford Languages, arrependimento é: “pesar ou lamentação pelo mal cometido” e “negação ou desistência de algo feito ou pensado em tempos passados”.

Ou seja, o arrependimento é quando a pessoa olha para suas ações passadas e percebe que as decisões tomadas não foram as melhores, desejando não somente mudar o que ocorreu, mas também agir diferente no momento presente.

Como surge o arrependimento?

Quando nós olhamos para uma situação um tempo depois que ela passou, nós conseguimos enxergar com mais clareza qual seria o melhor caminho a ser tomado. Isso porque, quando nos distanciamos do ocorrido, nós olhamos com uma visão mais calma e madura, sem os sentimentos e emoções à flor da pele.

Dessa forma, nós começamos a imaginar um outro cenário para um evento que já ocorreu, desejando um desfecho melhor do que o real. E é assim que o arrependimento surge, como um desejo de ter feito diferente e, se possível, mudar as coisas a partir de agora.

Arrependimento na religião: o que a Psicologia diz sobre isso?

Muitas religiões falam sobre o arrependimento e perdão.E o que a Psicologia tem a dizer sobre isso é que a religião pode ser um dos caminhos para aprender a lidar com os erros dos passado.

Estudos têm mostrado que ter uma religião/espiritualidade e praticá-la reduz em 30% o risco de depressão. Além de trazer senso de propósito e pertencimento a um grupo.

Ou seja, o conceito de arrependimento do ponto de vista da religião pode ser muito positivo quando feito de forma voluntária. Mas atenção! Entenda que não é sobre se culpar, remoer o passado e se punir. É sobre se arrepender, se sentir acolhido e começar a tomar atitudes que façam sentido para você.

Na Psicologia vemos muito isso atrelado ao autoconhecimento, que é sobre você entender quais os seus valores inegociáveis, suas crenças centrais e o que fazer para que você viva de acordo com isso!

Mas, como falamos acima, a religião/espiritualidade é apenas um dos caminhos, sendo que pode funcionar para uns e outros não.

Saiba mais: religiosidade e psicoterapia

mulher sofrendo com as consequências do arrependimento

Quais as consequências do arrependimento na saúde mental?

Quando não trabalhado da forma correta, o arrependimento pode nos paralisar e nos tornar receosos em agir.

Pensando no que a Psicologia nos ensina, uma vida guiada por evitação da dor significa uma vida menos feliz. Por isso, para que o arrependimento traga frutos positivos e não negativos, é preciso trabalhá-lo da forma correta, entendendo do que você se arrepende, porque se arrepende e como pode agir daqui pra frente.

Deve-se ter cuidado para não cair no remorso, de modo que a culpa te paralise ao invés de te ajudar a seguir em frente. O problema não é se arrepender e sofrer por isso, mas deixar que isso te impessa de seguir em frente.

Ou seja, para que os impactos do arrependimento na saúde mental sejam positivos, é necessário que aconteça acolhimento, reflexão e mudança. Sendo importante lembrar que a pessoa que você é hoje, não é a pessoa do passado, por isso você não pode julgar o seu “eu do passado” com o conhecimento que você tem hoje!

Porque o arrependimento dói tanto?

Esse sofrimento vem do nosso medo e tristeza de prejudicar o laço com pessoas especiais, principalmente quando o arrependimento está ligado a algo que aconteceu num relacionamento, seja ele amoroso, familiar ou até mesmo entre amigos.

Da mesma forma, podemos sofrer bastante quando o arrependimento aponta uma atitude que vai na contramão dos nossos valores, nos distanciando da pessoa que queremos ser.

Como saber se você está arrependido?

Em caso de dúvida se há arrependimento, tente parar um pouco e olhar para os seus pensamentos e sentimentos.

Você está imaginando outros cenários com desfechos melhores? Sente emoções negativas quando lembra do que fez? Sente vontade de voltar no tempo e corrigir seus erros? Quer agir de maneira diferente daqui para frente?

Se as respostas forem sim, você, provavelmente, está arrependido.

Arrependimento e perdão

E como lidar com essa sensação? Segundo a Psicologia, com uma boa dose de autocompaixão.

Pensar sobre nossos arrependimentos como se fôssemos um amigo nos acolhendo pode ajudar bastante. Assim, além de ajudar a aceitar possíveis erros, também nos motiva a melhorar como pessoas.

Lembrando que também podemos adotar essa postura com relação a outras pessoas. Oferecer perdão e compaixão a alguém realmente arrependido pode dar a chance de ela não repetir erros e ainda dar forças a ela para agir melhor em situações futuras.

sede eurekka

Receba ajuda para cuidar de dores emocionais

Nós entendemos que o arrependimento, quando não tratado da forma correta, pode trazer dores significativas e nos privar de ser e fazer o que queremos. Por outro lado, quando ele vem acompanhado de autocompreensão, pode nos motivar a ser uma versão melhor de nós mesmos.

Mas como encontrar a medida certa de um arrependimento saudável? É possível encontrar esse equilíbrio a partir do autoconhecimento trabalhado na terapia. Com a ajuda de um psicólogo você aprende a lidar melhor com suas emoções, entender o papel do arrependimento na sua vida e quais atitudes tomar a partir disso.

Então, se você quer dar esse passo em direção a uma vida mais leve, clique aqui e marque uma Conversa Inicial com um de nossos psicoterapeutas experientes e humanizados!

Este artigo te ajudou?

0 / 3 3

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *