Motivação e desconforto: qual a ligação entre os dois?

Equipe Eurekka

Todo mundo sabe que é muito bom ficar em um lugar onde já conhecemos tudo na palma da mão. Porém, todo mundo também sabe que pra conhecer coisas novas, é preciso ir além e sentir um certo desconforto em doses controladas. Sendo assim, como a motivação e o desconforto se relacionam?

Hoje, muito se fala no mundo dos negócios sobre a importância de sair da “zona de conforto”. Porém, pouco se fala sobre como essa saída pode ser muito incômoda e como, muitas vezes, isso não está apenas ligado ao trabalho, mas também a sua vida pessoal. 

Sendo assim, no texto de hoje, você vai saber mais sobre como o desconforto pode ajudar a motivar ganhos pessoais na sua vida. Assim, quem sabe você perde um pouco do medo de explorar o desconhecido. Confira!

O que é motivação?

A motivação é um processo responsável por nos fazer iniciar e manter algum projeto ou atitude. É a motivação que vai dar uma explicação do porquê você faz o que faz. Sem motivação, não existe ação.

Isso vai desde coisas mais simples, como beber um copo d’água por estar sentindo sede, até juntar dinheiro para comprar a casa dos seus sonhos. A motivação é um dos mecanismos que não só ativa, como também direciona os mais variados comportamentos humanos.

Mas é claro que isso é apenas uma das várias coisas que acontecem na sua mente. Outros fatores também estão envolvidos na questão “por que ele faz o que faz?”. 

Além disso, existem dois tipos diferentes de motivação, que vamos ver a seguir: a intrínseca e a extrínseca.

Motivação intrínseca

A motivação intrínseca acontece quando você decide fazer alguma atividade porque você acha aquilo prazeroso de fazer, como um hobby. Então, quer dizer que você faz aquilo porque deseja fazer, ao invés de ser por causa de algum fator externo, como um prêmio ou reconhecimento.

Assim, o que te motiva a continuar com aquele comportamento é a repetição. É claro que, se você não tem algum controle sobre os dias em que faz aquilo ou sobre a sua evolução, fica mais difícil se motivar. Afinal, a motivação também vem da noção de que existe progresso.

Sendo assim, a motivação intrínseca pode acontecer, por exemplo, quando você decide limpar o quarto apenas por gostar de limpar as coisas, ir à academia por gostar de pegar pesos, cozinhar todos os dias, pois é prazeroso cozinhar, ou até ler um livro específico porque aquele assunto chama a sua atenção.

Motivação extrínseca

Por outro lado, a motivação extrínseca já é diferente. Enquanto a motivação intrínseca tem a ver com o desejo de fazer algo para se sentir bem, a motivação extrínseca está ligada com o desejo de receber um prêmio ou até evitar algum problema. Então, o prazer, nesse caso, não conta muito. O que vale é o que você vai ganhar com isso.

Assim, quando alguém é motivado de modo extrínseco,  pode continuar fazendo algo de que não gosta apenas por causa da recompensa que irá vir em seguida. 

Esse tipo de motivação está muito relacionado com o comportamento operante, que vem lá das teorias de análise do comportamento, em que uma atitude é condicionada a acontecer de certa maneira para evitar uma situação ruim ou ganhar um bom prêmio.

Então, isso ocorre quando você decide estudar para a prova de uma matéria chata para não tirar uma nota ruim, quando decide ir à academia para ganhar uma competição de força física, ao fazer compras suficientes para ganhar um brinde na loja, tentar ter mais destaque para receber uma promoção, e por aí vai.

O que é zona de conforto?

A zona de conforto é, de modo geral, um local de costumes. Quando estamos acostumados a alguma coisa, atitude ou comportamento, você fica confortável fazendo aquilo, ou seja, não sente nenhum tipo de medo ou ansiedade. É como se você estivesse numa casa com muros bem altos ao redor, onde tudo está bem e nada do outro lado te afeta.

Então, podemos dizer que a zona de conforto é o seu porto seguro. É o lugar para onde você sempre pode voltar quando as coisas dão errado e você precisa de um afago para se acalmar.

Se você precisa de ajuda para entender sobre motivação, como atingir seus objetivos, parar de procrastinar e avançar na vida, então conheça a terapia Eurekka! Nossos psicólogos humanizados irão pegar na sua mão e ensinar pra você o passo a passo para enfrentar os problemas da sua vida de forma prática! Acesse o banner para saber mais.

banner terapia

Como o desconforto pode dar motivação?

Em uma pesquisa recente, chamada de “Motivating Personal Growth by Seeking Discomfort” (Motivando crescimento pessoal através da busca por desconforto), pesquisadores buscaram entender o que aconteceria se as pessoas procurassem, de modo ativo, o desconforto, ao invés de apenas tolerar ou até correr do desconforto que surgia ao longo da vida. 

Eles fizeram cinco testes diferentes, e dois deles eram: fazer aulas de improviso para aumentar a autoconfiança e participar de escrita terapêutica para processar emoções difíceis.

Como você pode ver, todas essas atividades estão ligadas com o desenvolvimento pessoal e envolvem um certo desconforto para realizar. Encarar seus sentimentos ou fazer aulas de improviso são formas de crescimento pessoal, mas que incomodam para fazer. 

Dessa forma, o desejo de “ter mais autoconhecimento” ou de “ser mais confiante” é o que faz a pessoa decidir encarar esses momentos de desconforto, pois o benefício de tomar uma ação é mais importante do que o incômodo causado.

motivação e desconforto círculo da zona de conforto

Por fim, a pesquisa mostra que buscar o desconforto para se desenvolver como indivíduo serviu como motivador. Isso tornou as pessoas mais engajadas e prestando mais atenção no progresso ao longo do caminho para atingir o resultado desejado. Então, motivação e desconforto estão conectados.

Não exagere no desconforto

Mesmo que a pesquisa tenha revelado que motivação e desconforto estão relacionados, é importante notar que a exposição deve ser controlada. Por isso, nada de extremos! 

Sempre que sentimos desconforto, o estresse no corpo também se acumula. É possível que, em situações de muito incômodo, o seu corpo entre no modo de “luta ou fuga” quando ele encara a situação como uma ameaça e se defende contra ela.

Por isso, se você tem algum objetivo em mente, é importante que você se exponha, mas com limites. Então, se você decide que quer aprender a falar bem em público, não tente dar uma palestra logo de cara. Aqui, você precisa de micropassos, aumentando os limites pouco a pouco.

Nesse ponto, o autoconhecimento é vital. É preciso que você reconheça até onde consegue tolerar alguma situação desconfortável, e refletir se é necessário dar um passo para trás e se expor um pouco menos.

sede eurekka

Gerencie a motivação e desconforto com a Eurekka!

O ambiente da terapia é propício para enfrentar os desconfortos da vida. Com o auxílio de um psicoterapeuta, em um ambiente de sigilo e respeito total, você vai ter ajuda para decidir quais são os pontos em que você gostaria de melhorar. 

Sabendo disso, você pode definir todas as metas, passos e micropassos que deseja cumprir para ir se desenvolvendo na área que gostaria: falar em público, fazer amigos, criar disciplina, obter uma promoção, e por aí vai. As possibilidades são inúmeras.

É aqui que a Eurekka entra. Os nossos psicólogos atuam com as terapias Cognitivo-Comportamentais. Elas são o padrão-ouro para ensinar o paciente a desenvolver suas habilidades — você vai fazer terapia até aprender a fazer tudo sozinho.

Então, se você quer juntar a motivação e o desconforto para aprender alguma coisa, mas sente medo e precisa de um empurrão a mais, conte com a Eurekka. Agende a sua conversa inicial e defina qual a sua maior prioridade no momento atual.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Equipe Eurekka

One reply on “Motivação e desconforto: qual a ligação entre os dois?”

Que incrível esse texto! Muito útil, bem explicadinho e linguajar gostoso demais!

Leave a Reply

Your email address will not be published.