Tanatofobia: por que eu tenho tanto medo de morrer?

Equipe Eurekka

O ditado popular diz que a única certeza que temos nessa vida é a morte. E parece bastante coerente, afinal, aprendemos em biologia que este é o processo natural da vida. Mas e aquelas pessoas que, mesmo sabendo disso, têm tanatofobia, ou seja, vivem com medo extremo da morte, ou melhor, “morrem de medo de morrer”?

Vamos, então, entender como isso acontece e como se livrar dessa coisa que é bem ruim para todo mundo, não é mesmo?

O que é tanatofobia?

pessoa com medos e fobias

É definida como medo exagerado de morrer. A palavra tem origem no grego “thanato”, que significa morte e”phobos”, que quer dizer medo e aversão.

É como se a pessoa tivesse uma preocupação obsessiva com a morte e como se tudo fosse um gatilho para morrer.

Para alguém que tem tanatofobia, o perigo é sempre iminente, tudo representa um cenário para perder a vida. Você há de concordar que isso é péssimo para a rotina saudável de qualquer um!

Sintomas da tanatofobia

Apesar de a tanatofobia ser uma doença psicológica, a maioria dos sintomas são físicos.

Por causa da ansiedade, a pessoa pode ter náuseas, tremores e palpitações. Sofre muito quando participa de funerais e homenagens póstumas e está sempre ligada em possíveis gatilhos para a morte, como acidentes e doenças.

E por isso, deixa de viajar, de se arriscar em passeios diferentes, se estressa com exames médicos e por aí vai. Nesse sentido, sua vida social fica prejudicada, porque evita qualquer atividade que lhe pareça perigosa, o que causa também isolamento social.

Qual a origem do medo da morte?

A origem do medo da morte está associada ao desconhecido e à falta de controle que temos sobre ela. Afinal, é a única certeza que temos nessa vida.

O excesso de medo de morrer também está ligado à imagem da vida que levamos. Isso porque, se acharmos que não tivemos uma vida bacana, queremos viver mais para poder corrigir os erros e preencher as lacunas.

As pessoas têm medo de morrer e deixar a família desamparada. Então, é comum que pais e avós criem várias estratégias para garantir que essas pessoas, em especial filhos e netos, fiquem seguras após a morte de um deles.

Acontece que isso tudo pode virar uma corrida contra o tempo, uma paranóia e um gatilho para o estresse.

banner terapia

Ansiedade e medo de morrer

Pessoas que têm medo de morrer naturalmente têm uma ansiedade tóxica. Afinal, estão o tempo todo preocupadas com qualquer situação que represente perigo e até mesmo com as que não representam, mas para ela são potenciais.

Para uma pessoa saudável, o medo de morrer pode vir quando recebe um diagnóstico de câncer ou quando se perde na floresta e fica sem água e comida. No entanto, para alguém que sofre de tanatofobia, esse medo pode vir de uma simples viagem de carro para a praia. Ela tem medo de bater o carro, já imagina um grave acidente ou que alguém em alta velocidade possa atingir o seu carro. Aliás, os estudos médicos afirmam que o pior medo é aquele que a gente imagina.

E este cenário é muito parecido com o da ansiedade. A pessoa que tem transtorno de ansiedade está sempre ligada no que vai acontecer nos próximos dias, meses e até anos.

Medo de morrer e síndrome do pânico

Quando estão em crise, as pessoas com síndrome do pânico apresentam um medo irracional de morrer, inclusive, com um sentimento de que a morte está muito próxima.

Isso é muito ruim, porque paralisa a pessoa e ela fica se sentindo incapaz de tomar qualquer atitude.

Os medos mais comuns sobre a morte

O medo é um dos sentimentos naturais do ser humano e, desde o início da humanidade, foi o medo que serviu de motivação para a sobrevivência. O problema é quando o medo prejudica a vida da pessoa e esse instinto de precaução obsessiva passa a ser a base da sua rotina.

Por causa disso, quem tem tanatofobia costuma ter mais medo de morrer de algumas formas específicas. Acompanhe:

medo de morrer dormindo

Medo de morrer dormindo

Há pessoas que evitam dormir porque têm muito medo de falecer durante o sono. Este é um problema muito sério, porque o sono é vital para que se tenha saúde e deve ser um período de descanso pleno.

Então, se você está passando por isso, é porque você está com o transtorno da ansiedade e precisa procurar ajuda de um profissional.

A sensação de morrer dormindo é ruim, pois passa a impressão de que não conseguiremos fazer nada para sobreviver. No entanto, a verdade é que não temos controle sobre isso. Então, o melhor a fazer é tratar a ansiedade, cuidar da saúde, manter os exames médicos em dia. Criar esses hábitos reduzirão as suas preocupações e você ficará mais tranquilo na hora de adormecer.

É bom também:

  • evitar ler sobre pessoas que morreram dormindo,
  • ficar longe de narrativas que tratem sobre isso e, melhor ainda,
  • tornar a sua noite de sono a sua prioridade.

Medo de morrer jovem

O curso natural da vida é se desenvolver, trabalhar, realizar sonhos, construir uma família, ajudar as pessoas, curtir os pais e avós e uma infinidade de outras coisas. Então, ficamos muito tristes quando perdemos uma pessoa jovem e até costumamos falar a famosa frase “Morreu tão jovem, tinha tanta coisa pela frente.”. 

A verdade é que todo mundo quer viver o maior tempo possível para colocar seus projetos em prática. Pais e mães não querem morrer jovens e deixar filhos pequenos desamparados; filhos não querem morrer de forma precoce, pois não querem que os pais sofram.

Então, embalados por ideias obsessivas em relação à morte, as pessoas que têm tanatofobia deixam de se arriscar, de experimentar coisas novas, de viver intensamente para se protegerem do que consideram perigoso.

Medo de morrer sozinho

O medo de passar mal e estar sozinho é mais comum entre os idosos, porque, à medida que envelhecem, os filhos saem de casa e a estrutura familiar fica mais solitária mesmo. Aliás, nesses casos, é comum que familiares criem estratégias de comunicação para que essa pessoa seja monitorada e, se precisar, possa receber algum auxílio, evitando a solidão.

Mas o problema da tanatofobia não são os idosos, mas sim quando ocorre em pessoas jovens. É como se eles se preocupassem de maneira obsessiva com a falta de socorro num momento de doença ou acidente.

A única saída para isso é o tratamento psicológico, porque este é um claro sinal de ansiedade e se encaixa naquilo que já comentamos antes: a pessoa não tem qualidade de vida, porque está sempre preocupada com a situação.

mitos e verdades da psiquiatria online

Medo de morrer durante a pandemia

Qualquer situação pandêmica é preocupante e mexe com a cabeça das pessoas. No caso da Covid-19, a mobilização da sociedade mundial e o fechamento de tudo criou um cenário de guerra contra o vírus e a ameaça da morte é real.

Então, se para quem não tem o transtorno da tanatofobia, é difícil, imagine para quem tem medo de morrer! É uma situação muito estressante, porque essa pessoa intensifica os cuidados, mas não de maneira saudável e coerente. Ela entra num circuito paranoico e muitas vezes, se afasta das outras pessoas, do trabalho, e até do lugar onde mora, porque quer afastar qualquer perigo iminente de morte.

A falta da vacina contra a Covid, o isolamento, o uso da máscara, do álcool em gel e outros cuidados passaram a fazer parte da rotina das pessoas no mundo inteiro. E até aí está tudo bem, porque fizemos isso tudo com orientação de médicos e da OMS (Organização Mundial da Saúde), para nos protegermos.

Acontece que a pessoa que tem medo de morrer soma as suas angústias já existentes ao cenário pandêmico e o quadro de pavor é muito sério. Os especialistas alertam que o medo é um sinal para agirmos e não para morrermos antes do tempo.

Como superar o medo de morrer

A Eurekka não quer que esses medos continuem e garante pra você que há como melhorar essa situação estressante. Então, você vai acompanhar agora quatro dicas valiosas para que você viva em paz com o medo da morte e focando no seu viver.

Higiene do sono

Dormir bem é vida! Sim, o sono é o momento em que o corpo recupera as energias e deixa você prontinho para encarar a rotina do dia seguinte.

Acontece que nem todo mundo põe a cabeça no travesseiro e dorme. Então, você precisa fazer a higiene do sono, que nada mais é do que se preparar para dormir. Desligue as luzes da sua casa, deixe o celular de lado pelo menos 30 minutos antes de adormecer, não se agite e nada de deitar na cama com a televisão ligada. Aliás, tire a TV do quarto, porque o quarto foi feito para dormir.

Exercícios para a ansiedade

Antes de mais nada, faça as seguintes perguntas: “por que eu tenho medo de morrer? Por que isso me dá tanta aflição?”  Depois, tente fazer uma lista das coisas que causam esse tipo de medo. Por exemplo: minha mãe faleceu de câncer, então vivo com esse pesadelo. Perdi um grande amigo em um acidente trágico e isso me bloqueou. Minha vó morreu sozinha em casa e eu não consigo aceitar isso. Tenho medo de morrer afogada, tenho medo de ser assaltada e levar um tiro fatal.

Em seguida, faça uma lista de tudo que você deixa de fazer por causa dos seus medos. Por exemplo: você deixou de ir à praia nadar com os amigos, deixou de fazer uma longa viagem de carro e não sai, de jeito nenhum, à noite.

Outra forma muito eficiente de acalmar os ânimos são os exercícios para ansiedade. Como, por exemplo, a prática diária de respiração diafragmática, para reduzir os sintomas físicos do medo e da ansiedade. Além disso, para reduzir a impulsividade frente ao medo e a ansiedade, tente criar também uma rotina de mindfulness.

E se você não lembra, mindfulness é um nome que se dá para o estado pleno da mente. Ou seja, quando ela está focada no momento presente mental, deixando aqueles pensamentos que atrapalham nossas ações bem longe. Então, se você quer conseguir ir à praia nadar com seus amigos, foca nessa prática, neste momento; se concentre, amigo!

falar com um psiquiatra

Terapia

O medo obsessivo da morte está ligado à ansiedade e a ansiedade precisa de acompanhamento psicológico. Com a orientação de um bom profissional, logo, logo você estará curtindo a vida sem preocupações com a morte. E melhor: entendendo que ela é um processo natural.

Psiquiatria

Há casos em que o cliente precisa tomar medicação porque o estado de ansiedade está fora de controle. O sono, por exemplo, está muito prejudicado ou a pessoa deixou de trabalhar por causa do medo. Então, falar com o psiquiatra é o único jeito de definir o remédio mais correto.

A Eurekka quer te ajudar a superar a tanatofobia

Os profissionais da Eurekka encontrarão o melhor caminho para você sair do estado de medo obsessivo. Assim, vai passar a viver com consciência da morte e com muita qualidade.

Com o auxílio da equipe de profissionais da Eurekka, você vai voltar a ter uma vida social plena, cheia de amigos, viajar, passear e, principalmente, viver a vida. Clique aqui para marcar uma conversa inicial com um de nossos psicólogos escolhidos a dedo para você. Além disso, se você precisa de remédios para fobias ou ansiedade, clique aqui e conte com os nossos psiquiatras.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 0

Equipe Eurekka

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *