Infecção Urinária: sintomas comuns, causas e como tratar

Laura Almeida

Dor para urinar e idas constantes ao banheiro que parecem não aliviar… esses sintomas parecem inofensivos, mas podem ser sinal de uma infecção urinária.

Ela é bem comum e não é uma doença grave se for tratada do jeito certo. Então, para saber mais sobre o que é, prevenção e como tratar, siga a leitura.

mulher com dor pela infecção urinária

O que é infecção urinária?

A infecção urinária é quando um micro-organismo coloniza um dos órgãos do sistema urinário. A causa mais comum é por bactérias, mas alguns fungos, vírus e parasitas também podem causar infecção.

Além disso, os órgãos do trato urinário são estéreis, o que significa que não costuma haver micro-organismos neles. 

Tipos de infecção urinária

A infecção de urina pode ser classificada de acordo com o órgão onde ocorre.

Cistite

A cistite é uma infecção da bexiga ou trato urinário inferior. Além disso, ocorre, na maioria das vezes, pela bactéria E. coli, que costumam estar no intestino.

Uretrite

Esta é uma infecção ou inflamação da uretra. Pode ocorrer por bactérias do trato gastrointestinal também. Contudo, nas mulheres, pode ocorrer por infecções sexualmente transmissíveis. As infecções por clamídia, herpes ou gonorreia, por exemplo, podem causar uretrite.

Pielonefrite

Uma infecção dos rins também pode causar problemas. Ademais, pode ocorrer em só um dos rins ou em ambos.

Se não tratar do jeito certo, pode prejudicar os rins de forma permanente. Pode, por fim, se espalhar pelo sangue e levar a um quadro de sepse, complicação que a infecção causa e que pode ser fatal.

Infecção nos ureteres

Por fim, temos a infecção nos ureteres. Assim como nos rins, pode ocorrer em um lado ou em ambos. Pode acometer homens e mulheres.

órgãos da infecção urinária

O que causa a infecção urinária?

A causa mais comum é uma bactéria de fora do corpo que entra pela uretra. Afinal, a uretra é a parte do sistema urinário por onde sai a urina e fica na extremidade do pênis e na vulva. 

A bactéria entra pela uretra e vai para um dos órgãos do sistema urinário, como a bexiga, ureteres e rins. Assim, quando chega nesses órgãos, se multiplica e causa a infecção. As infecções não ocorrem o tempo todo pois a grande maioria das bactérias sai quando a bexiga se esvazia. 

Fatores de risco para infecção urinária?

Alguns fatores de risco aumentam a chance de bactérias entrarem no sistema urinário.

Vida sexualmente ativa

A relação sexual tem uma troca de bactérias muito grande. Bactérias normais do parceiro, que não estavam causando mal a ele, podem chegar à uretra da parceira. Essas bactérias podem causar infecção urinária. 

Outro fator vital é a penetração vaginal após a penetração anal ou sexo oral, pois contamina a região vaginal com bactérias do intestino ou da boca. Afinal, essas bactérias, que não causam doenças nos seus locais de origem, podem causar infecção urinária.

Gênero

Mulheres têm uma uretra menor do que homens. No homem, a uretra se estende por todo o comprimento do pênis, enquanto na mulher, esse caminho é bem mais curto.

Isso facilita a entrada de bactérias pela uretra. Além disso, o ânus é mais próximo da uretra na mulher do que no homem, o que também facilita a entrada de micro-organismos.

Uso de contraceptivos

Mulheres que iniciaram a pílula podem ter infecções pela mudança hormonal, que acaba afetando a região. 

Menopausa

O risco está aumentado nessa fase da vida por vários fatores. Por exemplo, pode haver incontinência urinária, urina residual após a micção e alterações na microbiota e hormônios vaginais.

endometriose

Bloqueio no trato urinário

Um cálculo em qualquer parte do trato urinário impede a urina de sair como deveria. Assim, as bactérias que chegam ao trato urinário ficam represadas mais fácil. Elas se multiplicam e podem infectar o local mais facilmente. 

Imunidade baixa

Torna difícil a eliminação de micro-organismos, que podem chegar ao trato urinário. Por exemplo, doenças como câncer ou AIDS e remédios que suprimem o sistema imune podem deixar o indivíduo mais suscetível à infecção urinária.

Uso de cateter

O cateter é aquele equipamento que dá acesso à veia do paciente, para dar remédio ou coletar exames. Contudo, ele facilita a entrada de micro-organismos na bexiga. Assim, isso favorece que bactérias causadoras de infecção entrem também.

Sintomas de infecção urinária

Na cistite (infecção na bexiga), há dor para urinar e sensação de urgência, aumento das idas ao banheiro e dor na parte inferior do abdome. Além disso, a urina pode ter cor, odor e aspecto diferentes do normal.

Na pielonefrite (infecção no rim) há febre, dor na região lombar de um ou dos dois lados e calafrios. É um caso mais grave do que a cistite. Além disso, se a cistite não for tratada da forma certa, pode evoluir para a pielonefrite. Então, é melhor estar atento aos sinais.

Diagnóstico de infecção urinária

O diagnóstico é simples. Contudo, o melhor é buscar um médico para orientar o tratamento certo.

Buscando ajuda médica

Qualquer médico pode diagnosticar e tratar a infecção urinária. Contudo, para uma ajuda mais especializada em casos mais complexos, você pode buscar o urologista ou o nefrologista. Apesar de ser muito procurado por homens, o urologista também atende mulheres.

Exames

Para a cistite, os exames de urina de rotina, urocultura e antibiograma costumam ser pedidos. A urocultura permite saber a bactéria exata que está causando o problema. Por fim, o antibiograma permite ver o melhor antibiótico para tratar da melhor forma.

Mas não é preciso esperar os resultados para iniciar a medicação. Se o antibiótico em uso não for o melhor, é possível trocar para um tratamento mais eficiente e, assim, eliminar cem por cento a infecção.  

Tratamento: o que fazer para curar a infecção urinária?

A infecção por bactérias precisa ser tratada com um antibiótico para ter um fim completo.

Antibióticos e Analgésicos

Antibióticos são vitais na hora de se tratar, pois atuam na infecção. Dentre os antibióticos usados, os principais são:

  • Norfloxacina ou Ciprofloxacina;
  • Ampicilina-sulbactam ou Piperacilina-sulbactam;
  • Gentamicina ou Amicacina;
  • Amoxicilina + Clavulanato;
  • Cefuroxima.

Atenção: nunca realize tratamento com antibióticos por conta própria. Mesmo que você já tenha usado um remédio parecido, converse com seu médico antes.

Além disso, é vital usar o antibiótico pelo tempo prescrito pelo médico. Os analgésicos aliviam a dor, mas não tratam a infecção.

banheiro masculino

Chás para infecção urinária

Chás de plantas como salsinha fresca, quebra-pedra, uva ursina, hidraste, cabelo de milho, dente de leão e cavalinha podem aliviar os sintomas da infecção.

Grávidas e mulheres que amamentam não devem consumir nenhum chá sem orientação médica. Ainda assim, é importante procurar um médico se não houver melhora.

Complicações possíveis se não tratada a infecção urinária

Apesar de serem comuns, as infecções urinárias precisam ser tratadas. Uma cistite que não foi tratada pode evoluir para uma pielonefrite, quadro mais grave. Se a pielonefrite não for tratada, pode evoluir para um quadro de sepse, que é muito grave e precisa de internação hospitalar.

Como prevenir a infecção urinária?

É possível adotar medidas simples para evitar as infecções urinárias.

Beber água

Beber água é importante para a saúde geral e com o sistema urinário não seria diferente. É assim: quanto mais água, mais urina você vai ter. Assim, quando urinamos mais vezes ao dia, a chance de acumular bactérias na uretra reduz.

relação sexual

Urinar após o sexo

A relação sexual também significa uma troca de bactérias intensa. Assim, micro-organismos que não estavam causando doenças no parceiro podem levar a uma infecção urinária.

Urinar após a relação limpa a uretra de bactérias que podem estar na região, prevenindo a infecção.

Não usar absorventes internos

Absorventes internos podem ser práticos, mas acumulam muitas bactérias. Dentre as bactérias, podem estar as que causam infecção urinária.

Como o canal vaginal é muito próximo da uretra, essas bactérias podem migrar e causar a infecção. Se for necessário o uso, troque a cada poucas horas para evitar chances de infecção.

Não usar duchas de higiene feminina

A limpeza das partes íntimas é, sem dúvidas, muito importante. Porém, a parte interna da vagina não precisa de água nem sabão. É muito importante higienizar a vulva (parte externa) com água e sabão neutro, mas a parte interna não precisa dessa limpeza.

Ao realizar uma limpeza profunda, há desequilíbrio das bactérias na região. Isso pode favorecer o crescimento de bactérias nocivas, como as bactérias que causam infecção urinária.

Limpar-se após urinar

A limpeza após urinar, é muito importante para as mulheres. O movimento correto é passar o papel da frente para trás, em um único movimento. Por fim, caso precise passar mais uma vez, descarte o papel usado e refaça o movimento com um papel novo.

calcinhas de algodão

Usar calcinhas de algodão

Calcinhas de algodão permitem que o ar circule melhor na região íntima. Um ambiente mais abafado permite que os micro-organismos cresçam melhor. Além disso, calcinhas de algodão podem ser benéficas tanto para prevenir infecções urinárias quanto evitar a candidíase, uma infecção comum.

Evitar usar calças muito apertadas

Roupas apertadas deixam a região abafada, um ambiente perfeito para crescimento de bactérias e fungos. Então, a troca por calças mais leves evita infecções bacterianas e fúngicas, como a candidíase.

Se você se identifica com os sintomas que eu contei, não espere mais: se consulte com o clínico geral da Eurekka hoje mesmo. Quanto antes tratar o que está te incomodando, menos chances do caso se tornar grave.

Por fim, para ver todos os posts gratuitos da Eurekka é só acessar nosso blog, clicando nesse link. Além disso, aproveite e veja também todos os nossos conteúdos no nosso aplicativo e em nossas redes sociais: Instagram,  Facebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Laura Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *