Você sabe o que é um fetiche? A psicologia explica

Equipe Eurekka

Sexo ainda é um assunto considerado tabu por muitas pessoas e o fetiche é ainda mais. Além disso, essas atrações por situações e partes do corpo diferentes são vistas, por uma parcela da sociedade, como curiosas e/ou estranhas. 

Mas segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o fetiche é algo normal, desde que não cause prejuízo para nenhuma das partes envolvidas. Então, são situações de prazer que podem, e devem, ser aproveitadas quando possível. 

Nesse texto, você vai entender um pouco mais sobre o que são fetiches e quais são os mais comuns. Também buscamos explicar a partir de que momento eles podem ser considerados disfuncionais. Além disso, qual será o papel do psicólogo e do sexólogo nessa discussão? Acompanhe.

O que é um fetiche? 

A palavra fetiche significa ter adoração por algo, é atribuir uma característica mágica a um objeto. Todavia, quando falamos sobre fetiche sexual, a explicação é um pouco diferente. 

Nesse sentido, fetiche é quando a pessoa tem adoração ou atração erótica por algum objeto, parte do corpo ou ação específica. Dessa forma, ao entrar em contato com essa fonte de atração, a pessoa sente prazer.

Aliás, no Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), os fetiches, quando considerados distúrbios, estão localizados na seção de transtornos parafílicos. Então, essa diferenciação vem quando a única fonte de prazer da pessoa é o fetiche.

Desse modo, se encaixam como transtornos a partir do momento em que começam a causar sofrimento ou prejuízo para a pessoa que sente. E também quando começa a ultrapassar os limites das vontades dos outros envolvidos.

A parafilia, de acordo com o DSM-5, é qualquer interesse sexual intenso ou que fique presente por muito tempo. Além disso, não envolve a genital humana ou preliminares com um parceiro que aceita, que tenha aparência física normal e não apresente alguma deficiência mental. 

Dentro dessa categoria, se dividem em subtipos e são classificados de acordo com o elemento do fetiche.  Alguns exemplos são o transtorno do masoquismo sexual (se submeter a sofrimento) e o transtorno fetichista. 

As pessoas que têm um transtorno parafílico mais severo, em sua maioria, não buscam ajuda. Só chegam a entrar em contato com alguma forma de tratamento por ordem da justiça ou por pressão familiar.

fetiche em pés

7 tipos de fetiche

Há muitos tipos de fetiches no mundo de hoje. Alguns são mais comuns e outros podem ser bem estranhos. Seja como for, alguns exemplos dos mais conhecidos e pesquisados pelas pessoas são:

1. Fetiche em pés

Esse fetiche, também chamado de podolatria, surge quando a pessoa sente prazer sexual ao entrar em contato com os pés ou até ao ver fotos dos pés de outras pessoas. Aliás, o fetiche em pés se tornou um grande mercado, com pessoas pagando valores altos por fotos de pés.

2. Voyeurismo

O voyeurismo se dá quando a pessoa sente prazer em assistir outras tendo relações sexuais, sem participar da relação sexual ativamente.

3. BDSM

A sigla significa “Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo”. Sendo assim, como você pode imaginar, as relações que ocorrem a partir do BDSM são aquelas que há prazer ao sentir dor.  

No entanto, essa prática requer que as pessoas envolvidas tenham muita confiança nos parceiros. Todos devem estar bastante cientes de como tudo vai ocorrer. Aliás, durante essa prática, existe um ritual chamado de “palavra de segurança“, onde as pessoas definem uma palavra ou frase que vai significar quando o parceiro estiver passando dos limites e deve parar.

Ademais, a palavra de segurança deve ser bem estabelecida antes do início da prática. Ela tem o objetivo de avisar aos outros do limite de cada um para que o prazer não se transforme em sofrimento.

4. Fetiche em fantasias

Esse fetiche envolve sentir prazer em fazer sexo com alguém de fantasia ou algum tipo de uniforme, como enfermeiras, policiais, etc. Além disso, é um dos fetiches mais comuns e que aparece bastante nas relações entre casais

No senso comum, é uma das primeiras ideias que se dá a um casal com casamento longo e quer “apimentar” a relação.

Se você quer saber mais sobre temas diversos da psicologia, como ansiedade, maestria, relacionamentos e muito mais, então você vai adorar conhecer nosso clube do livro! Ao fazer parte, todo mês você recebe um kit exclusivo com vários brindes exclusivos. Saiba mais no banner abaixo!

Banner clube do livro

5. Exibicionismo

É a pessoa que gosta de se exibir para as outras pessoas durante o ato sexual, masturbação ou apenas quando está nu e ocorre bastante pela internet. Aliás, existem alguns sites e aplicativos muito populares que são voltados para esse fim

Nesse sentido, há pessoas que procuram fazer atos sexuais em locais públicos ou onde podem ser descobertos de modo fácil, por conta da sensação de adrenalina que isso causa.

6. Encenação sexual

Também chamado de role play em inglês, é um momento em que as pessoas encenam papéis com o objetivo de excitar a si e a(o) parceira(o). 

Dessa forma, esse fetiche pode ocorrer quando as pessoas estão juntas de modo presencial ou também online. Os exemplos mais comuns são as relações de professor/aluno e médico/paciente.

7. Quirofilia

São aquelas pessoas que sentem atração por mãos. Então, a excitação pode ocorrer pelo toque ou pela visão de mãos bem cuidadas.

fetiche em bdsm corpo com cordas amarradas

O que é transtorno fetichista?

Transtorno fetichista é um tipo específico de transtorno parafílico. É quando, segundo o DSM-5, a pessoa usa ou tem dependência de objetos inanimados ou se foca muito em alguma parte do corpo (que não são as genitais) como principal forma de se excitar.

Além disso, precisa haver sofrimento para a pessoa e/ou prejuízo em suas relações. 

Partes do corpo que são bastante citadas nesse transtorno são os pés, os dedos dos pés e os cabelos. Objetos inanimados comuns apontados como atrativos são roupas íntimas femininas, calçados no geral e roupas de couro.

O transtorno fetichista é quase exclusivamente masculino. Nas pesquisas, nenhum caso feminino foi relatado. Ainda, podemos apontar que as parafilias surgem na puberdade. 

Qual profissional pode ajudar com fetiches?

Antes de buscar ajuda, a pessoa deve avaliar a si mesma. Deve tentar entender um pouco até onde vai o desejo pelo seu fetiche. A avaliação precisa poder reconhecer se há sofrimento ou prejuízo na vida pessoal. 

É vital tentar entender se a problemática do fetiche vem apenas por considerá-lo tabu e errado culturalmente. Ou se de fato há prejuízo para a pessoa e ela não tem mais conseguido viver bem, assim como causa perigo para os que a rodeiam.

Após essa avaliação, se constatar que precisa de ajuda, buscar um profissional é o mais indicado! Abaixo pontuamos duas opções que podem auxiliar esse processo.

Esse profissional tem o papel de auxiliar no tratamento geral das emoções e sentimentos. É através da psicoterapia que a pessoa vai construindo recursos para lidar com as disfunções do dia a dia. 

O psicólogo deve focar o processo do tratamento nos pontos que mais causam sofrimento ou prejuízo ao cliente. Dessa maneira, quando for preciso, pode encaminhar o caso para um psiquiatra com o objetivo de que o tratamento com remédios inicie também.

A Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) é uma das abordagens mais indicadas para o tratamento de transtornos relacionados a fetiches, segundo a Federação Mundial de Psiquiatria Biológica. Esse tratamento tem seis níveis de gravidade e cada um tem o seu modo de trabalho.

Leia também: Sexualidade e Disfunção Sexual: o psiquiatra pode ajudar?

No geral, é um profissional da saúde com especialização em sexologia. Sendo assim, ele busca auxiliar e trabalhar com as causas emocionais que podem estar travando a vida sexual da pessoa e outras questões relacionadas a isso, como os transtornos parafílicos. 

Pode ajudar a pessoa no tratamento dos transtornos relacionados a fetiches, tentando, junto ao cliente, criar estratégias de enfrentamento. Quando necessário, dependendo de sua formação, pode recomendar remédios para reforçar o tratamento. 

Tem como objetivo maior auxiliar as pessoas com as disfunções sexuais.

sede eurekka

Se algum fetiche te causa mal, fale com a Eurekka

Se você tem vergonha de conversar sobre fetiches e vida sexual, tem prejuízos na suas relações ou acredita que os seus fetiches não te fazem bem, a Eurekka pode te ajudar!

É normal precisarmos de auxílio para resolvermos algumas questões da nossa vida! Afinal, quanto antes conseguirmos iniciar esse processo de mudança, mais benefícios isso pode nos trazer.

A Eurekka trabalha com terapia baseada nas abordagens Contextuais Comportamentais. Esse tipo de trabalho tem uma base importante da TCC, teoria citada como mais indicada para o tratamento de transtornos relacionados a fetiches.

Por isso, se você precisa de ajuda, não pense duas vezes antes de agendar sua primeira sessão. É nela que você irá definir todos os pontos importantes com o seu psicólogo.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 3

Equipe Eurekka

Leave a Reply

Your email address will not be published.