O que o livro Eu perdi o rumo tem a nos ensinar sobre psicologia?

Equipe Eurekka

Hoje é o dia de explorar as camadas psicológicas que permeiam a obra literária ”Eu perdi o rumo”. Esse livro nos convida a adentrar nas vidas entrelaçadas de Freya, Harun e Nathaniel, personagens que se encontram em um labirinto de perdas, sonhos desfeitos e a busca incessante por identidade.

Aqui, vamos falar um pouco sobre os aspectos psicológicos dos protagonistas, além de refletir sobre as problematizações que a história traz.

Então, prepare-se para uma jornada imersiva, onde as emoções e os conflitos ganham vida, revelando a profunda humanidade retratada nas páginas dessa narrativa. 

E atenção: este texto contém alguns spoilers!

Sinopse do livro

Eu Perdi o Rumo é uma emocionante obra literária que mergulha na vida de três personagens com histórias distintas. Sendo que o que deixa tudo mais interessante é a forma como os caminhos deles se cruzam.

No centro da trama está Freya, uma jovem artista talentosa que, após uma tragédia pessoal, vê seus sonhos se distanciarem. Diante disso, ela começa uma jornada de autoconhecimento e, nesse processo, cruza o caminho de Harun, um músico cheio de segredos, e de Nathaniel, um estudante apaixonado por literatura.

Assim, nós notamos como os três estão desorientados em suas vidas, e se reconhecem pelo sentimento de perda e busca por identidade. E por terem essa conexão, os três se unem por um dia inteiro, e se ajudam muito em sua jornada.

No decorrer do dia (sim, todo o livro se passa em um único dia!), eles enfrentam seus medos, dilemas e traumas, buscando juntos uma direção para suas vidas. Por isso, Eu Perdi o Rumo é uma história tocante sobre amor, amizade e a busca incessante por um lugar no mundo.

Capa do livro eu perdi o rumo ao lado de objetos

Análise psicológica dos protagonistas

A história é contada pela perspectiva dos protagonistas Freya, Harun e Nathaniel, que se revezam na narração dos capítulos. Cada um deles possui uma personalidade e uma história de vida diferente.

Então, que tal descobrir um pouco da história de cada um e como as diferentes trajetórias interferiram na saúde mental dos três?

Freya

A história começa com Freya como a primeira narradora. Logo no início, vemos o contato ácido que ela e a mãe compartilham, afinal, elas não se dão muito bem. 

Além disso, vemos Freya narrando sua ida a médicos e terapeutas, pois ela perdeu a capacidade de cantar. É provável que essa perda seja psicossomática, ou seja, seu corpo apresenta problemas físicos por conta de questões emocionais. 

Na narrativa, vemos Freya contando toda a falta que sente do pai, e como a convivência com a mãe e a irmã é difícil, fatores estressores que podem ter gerado esse problema psicossomático.

Harun

Diferente dos outros dois personagens, Harun mostra ter um bom autoconhecimento e sabe bem quem é. No entanto, ele sente que perdeu o rumo por não sentir apoio de pessoas que ama.

Isso porque Harun enfrenta problemas com seu namorado e sua família, pois apesar de ele entender sua orientação sexual, ele não consegue assumir isso para as outras pessoas.

Nathaniel

A sensação de perda de rumo de Nathaniel também é por se sentir sozinho no mundo. Contudo, diferente de Freya e Harun, que possuem pessoas ao seu redor, mas não conseguem se conectar com elas, Nathaniel está realmente sozinho.

Ao ler sua história, descobrimos que ele perdeu sua família muito cedo. A mãe o abandonou, a avó paterna faleceu e, mais tarde, seu pai acaba cometendo suicídio. Agora, o garoto tenta lidar com todo esse luto acumulado ao longo dessas várias perdas.

Sem contar que o fato de estar sozinho já tão jovem fez com que ele enfrentasse problemas físicos também, como a fome e a saúde debilitada.

A psicologia em eu perdi o rumo

No livro Eu perdi o rumo são abordados vários assuntos importantes para a psicologia.

Cada personagem afirma ter “perdido o rumo”, como o próprio título diz, e eles mostram motivos específicos para isso. Sendo que, apesar de terem vivido de formas diferentes e em contextos únicos, os três compartilham de situações bem semelhantes. 

Vamos falar um pouco sobre algumas dessas temáticas:

Problemas familiares

O livro todo nos apresenta diversos problemas familiares, cada um à sua maneira. Todos os personagens têm algum tipo de relação complicada com a sua família, e isso acaba piorando os problemas psicológicos e emocionais que possuem.

Freya possui problemas com sua mãe e sofre com a comparação com a sua irmã mais velha, sem contar as constantes brigas com ela. Além disso, Freya também sofre com a separação dos pais e o abandono da figura paterna.

Harun tem uma família muito religiosa, e, por conta da religião, sente que não será aceito por seus familiares, já que ele é homossexual.

Já Nathaniel, antes da perda do pai, tinha uma relação complicada de codependência com ele, o que trazia muitos fardos ao menino. Além de tudo, eles ainda tinham que lidar com o luto pela perda da avó paterna de Nathaniel e pelo abandono da mãe.

Sendo que, após o suicídio do pai, Nathaniel também precisa lidar com esse novo processo de luto.

A importância de ter uma rede de apoio

Quando cada um dos protagonistas é apresentado, vemos que todos se sentem perdidos e sozinhos no mundo. No entanto, isso começa a mudar quando os três se conhecem e começam a se ajudar.

Por isso, o livro deixa muito claro o quanto ter uma rede de apoio faz toda a diferença para continuarmos enfrentando os desafios da vida.

Amores na adolescência

Assim como a maioria dos livros escritos para o público infanto-juvenil, Eu perdi o rumo também traz questões amorosas. 

Nessa trama, os momentos românticos mostram Freya e Nathaniel se conhecendo e descobrindo que têm uma queda um pelo outro.

Além disso, também temos Harun mostrando essa temática de forma bem intensa, já que ele se vê muito perdido por ter problemas no seu relacionamento. Isso ocorre porque ele não consegue assumir o namorado para a família.

E ambas as situações são bem parecidas com o que passamos de verdade na adolescência, fase que envolve sentimentos à flor da pele, dilemas pessoais e a vontade de se encontrar no outro.

Ideações suicidas

Todos os três possuem muitos problemas, por isso afirmam ter “perdido o rumo”. No entanto, Nathaniel perde o controle de seus sentimentos e pensamentos de forma bem intensa, e vemos que ele pensa em cometer suicídio.

Nas últimas páginas do livro, testemunhamos até uma forte tentativa disso, pois ele viu seu próprio pai perder o rumo a ponto de tirar a própria vida, de modo que começa a seguir os mesmos passos.

Contudo, seus novos amigos o encontraram antes que o pior acontecesse.

clube do livro eurekka

Para os amantes de psicologia e livros

Sabia que é possível ter a leitura como hobby e ainda aproveitar essa oportunidade para aprender sobre psicologia de forma leve e descontraída?

A psicologia é uma área bastante técnica e complicada, mas a Eurekka conseguiu descomplicar isso para que qualquer pessoa pudesse aprender e colocar em prática!

Através dos livros e guias que temos sobre vários assuntos, você pode adquirir muito conhecimento e mudar a sua vida, além de ajudar quem você ama!

Então, que tal garantir os seus livros favoritos agora mesmo? Clique no botão abaixo e escolha os que mais te interessarem! Aproveite que o frete está grátis para todo o Brasil!

E para mais conteúdos gratuitos, nos siga nas nossas redes sociais:

Este artigo te ajudou?

0 / 3 3

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *