Escala de Bristol: o que é, quais os tipos e como melhorar

Guilherme Cardoso da Silva

Apesar de ser poucas pessoas comentarem sobre o tema, já que as pessoas se sentirem constrangidas, é comum que elas se preocupem com a consistência das fezes. Por isso, temos a Escala de Bristol, que ajuda você a identificar a aparência e consistência das suas fezes.

Outra preocupação é a frequência da evacuação, ou seja, preciso fazer cocô todos os dias? É sobre a aparência das fezes e a regularidade da evacuação que conversaremos no texto que segue. Confira!

O que é a escala de Bristol?

banheiro

A escala de Bristol é uma escala em que são apresentadas diferentes consistências para as fezes.

Essa escala vai do número 1 ao 7. Além disso, cada um desses tipos de consistência vão dar alguns sinais de como anda a sua microbiota intestinal e as consequências disso.

O formato e a consistência das fezes dizem muito

A verdade é que muito mais importante do que a frequência com que você faz o número 2, é a consistência das fezes.

Como já comentei, a escala de Bristol tem sete tipos de consistência, e você não deve estar nos extremos dessa escala. Isso porque os dois, apesar de opostos, mostram problemas.

Dessa forma, você deve estar mais próximo do meio da escala, para ser mais específico, entre 3 e 4.

Preciso ir ao banheiro todos os dias?

Você não precisa defecar todos os dias, sem falta. Embora não seja interessante ficar dias sem evacuar, passar um dia “em branco” é cem por cento aceitável.

As pessoas têm a ideia de que, se elas almoçaram ao meio-dia e evacuaram às 14h, essas fezes são referentes ao que comeram no almoço. Mas isso é um grande erro!

Afinal, o nosso trânsito intestinal leva muitas e muitas horas. Então, se você come e logo depois sente vontade de fazer cocô, é pelo estímulo gerado por esse trânsito intestinal.

O corpo entende que há um bolo alimentar percorrendo o trato gastrointestinal, e isso faz com que o que já está “no caminho” tome o seu rumo. Mas o que irá sair não é o que você acabou de comer, e sim, o mais provável, algo que você comeu no dia anterior.

banner personal

Sinais de constipação

Ficar dias sem fazer o “número 2” não é normal. Tirando casos excepcionais, não é normal ficar mais que 48h sem evacuar.

Os principais sintomas de constipação são:

  • Fezes muito ressecadas.
  • Força excessiva para evacuar.
  • Inchaço e dor abdominal.

Mas  para receber o diagnóstico de constipação, a pessoa deve possuir ao menos dois dos seguintes sintomas:

  • Fezes muito duras e muito ressecadas em mais de 25% das defecações.
  • Fezes que causam dor ao evacuar em 25% ou mais das evacuações.
  • Sensação de evacuação incompleta.

Você verá melhor as características ao longo do texto, mas são clássicos os tipos 1 e 2 em casos de constipação.

Sinais de diarreia

Não é normal que a pessoa tenha fezes com consistência muito fluida. Apesar de não poder ser firme a ponto de lhe causar desconforto, como no caso da constipação, o seu cocô tem que ter certa rigidez na consistência.

Ficará mais claro quando você conhecer cada tipo da escala de Bristol, no entanto, uma pessoa com diarreia estará, em geral, nos tipos 6 e 7.

escala de bristol

Como interpretar a escala de Bristol

Como já dito antes, a escala de Bristol vai lhe apresentar sete tipos de cocôs de acordo com a sua consistência.

Você só precisa identificar onde você se encaixa na maior parte das vezes que faz o “número 2”, e saber que é interessante estar, na maioria das vezes, ou no tipo 3 ou no tipo 4 (que são dois tipos bem parecidos).

Tipo 1

No tipo 1, o seu cocô não terá uma única grande unidade. Ele estará apresentado em pequenos bloquinhos, talvez bolinhas, em geral duras. Isso acontece até mesmo porque, de maneira geral, é um tipo clássico de pessoas que sofrem de constipação (intestino preso).

Tipo 2

No tipo 2,  o seu cocô até tem uma forma mais alongada, mas ele ainda é muito rígido. É como se os bloquinhos do tipo 1 estivessem unidos.

Tipo 3

O tipo 3 é semelhante ao tipo 2, mas com uma superfície mais homogênea. Ou seja, ele perde um pouco aquela aparência ressecada que a gente vê nos tipos 1 e 2.

Tipo 4

O tipo 4 também se apresenta como um grande bloco (ou talvez até dois), mas, enfim, contém uma unidade. Porém, ele é ainda menos rígido que o tipo 3.

escala de bristol e fezes

Tipo 5

Aqui o seu cocô já começa a “passar do ponto”. Você já sabe que o ideal é que a consistência esteja entre 3 e 4.

O tipo 5 se apresenta de maneira separada outra vez, mas ao contrário do tipo 1, ele é mais mole, como blocos com bordas pouco definidas.

Tipo 6

O tipo 6 é ainda mais mole do que o tipo 5, tanto que você já nem identifica tão bem a separação entre os blocos, ele já tem uma unidade maior. Mas ao contrário dos tipos 2, 3 e 4, ele é bastante amolecido.

Tipo 7

Aqui nós temos o tipo clássico de diarreia. É um cocô “aguado”, sem componentes sólidos, só líquido.

Como melhorar o formato e a consistência das fezes?

Se você identificou o seu cocô de acordo com os tipos apresentados na escala de Bristol e não gostou do que viu, calma… Tem como contornar esse problema.

É bem verdade que alguns casos são mais graves e outros podem mesmo precisar da ajuda de profissionais como médico e nutricionista para ter um diagnóstico certeiro e uma conduta de dieta correta.

Contudo, de maneira geral, se você só está um pouco afastado dos tipos 3 e 4, como no caso das pessoas que na maioria dos dias estão no tipo 2 ou 5, pequenos ajustes no seu dia a dia já trarão uma boa melhora.

alimentação e escala de bristol

Alimentação

Você precisa comer fibra e vegetais de maneira geral (brócolis, couve-flor, cenoura, beterraba…), frutas, feijão, aveia…

Quanto? Garanta 30 a 35 gramas de fibra por dia, que deverá ficar tudo certo.  Mas cuidado! Se você é daquelas pessoas com alimentação muito “ocidentalizada”, típica dos norte-americanos, esse aumento da ingestão de fibras deve ser feito, de preferência, aos poucos.

O aumento rápido da ingestão de fibras pode causar desconfortos intestinais, e alguns problemas como diarreia. Para evitar isso, vá aos poucos se você é daquelas pessoas que quase não come vegetais.

Hidratação

Aí você aumentou a sua ingestão de fibra de 10 para 30g. Ótimo!

Agora, se você ingeria 10g de fibra e tomava pouca água, passou para 30g e seguiu ingerindo pouca água, vai dar ruim! Por que isso acontece?

Muita fibra em um ambiente com pouca hidratação pode piorar um caso de constipação. Por isso, se você quer um bom funcionamento do trânsito intestinal, ingira ao menos 30 ml de água para cada kg de peso corporal. Ex.: uma pessoa de 70kg iria ingerir 2,1 litros de água por dia.

hidratação

Saúde mental

Existem muitos estudos relacionando um bom ambiente intestinal e saúde mental. Até rima!

Brincadeiras à parte, nós temos um nervo que liga o cérebro com o intestino, chamado nervovago. E estudos muito interessantes percebem uma relação entre muitos transtornos mentais, como depressão e ansiedade, com a nossa microbiota intestinal.

De qualquer maneira, não é à toa que “sentimos um cagaço” ou nos “borramos nas calças” quando estamos com medo. “Pedimos penico” quando estamos no limite de nossas forças. “Engolimos” uma decepção. Temos que “digerir” as derrotas. E uma crítica negativa nos deixa “azedos”.

Será que criamos essas denominações “do nada”?

Perguntas frequentes

Vamos ver agora as questões mais comuns que a gente escuta por aí, em conversas e em consultas.

É normal ir ao banheiro mais de uma vez por dia?

Sim. A depender, em especial, do volume e da quantidade de calorias da dieta, é possível que você vá duas, três, talvez quatro vezes ao banheiro, sem que isso represente alguma patologia. Como já falado no texto, o mais importante é ficar atento à consistência.

As fezes devem afundar ou boiar no vaso sanitário?

O mais comum é que afundem. Porém, dependendo da refeição, pode acontecer de boiar. Isso ocorre, de maneira geral, quando ingerimos alimentos muito gordurosos.

laxante e escala de bristol

Tomar laxantes ajuda a melhorar o trânsito intestinal?

O uso de laxantes deve ser feito só em casos em que haja a real necessidade e, de preferência, com acompanhamento de um profissional. Se você sofre de uma constipação crônica, o ideal é que investigue para descobrir a causa, e alinhe a sua dieta para que esse problema seja resolvido.

É perigoso ficar constipada por mais de uma semana?

Se você está há mais de uma semana sem fazer cocô, sim, você tem um problema. Caso seja um caso isolado, você deve apenas resolvê-lo e ficar atenta para que não ocorra de novo.

Contudo, se isso for frequente, ou seja, se para você é normal ficar uma semana sem evacuar, sim, você pode ter problemas futuros. Além disso, algumas doenças intestinais podem surgir a partir desses resíduos de bolo fecal que não estão sendo excretados.

sede da Eurekka

Equilibre a sua microbiota com a EurekkaNutri

A verdade é que nem sempre conseguimos cuidar da alimentação sozinhos e, por isso, sequer sabemos que uma boa alimentação pode interferir na saúde mental.

Para isso, a EurekkaNutri está pronta para oferecer a você alternativas de alimentação e orientações preciosas para que você tenha a saúde equilibrada e possa desempenhas suas atividades diárias de maneira plena.

Por fim, a EurekkaMed e a EurekkaNutri darão a você todas as orientações necessárias para que você trate as suas dificuldades intestinais. Inclusive, vamos orientar a sua dieta para que os incômodos de fezes inconsistentes desapareçam.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 4.91

Guilherme Cardoso da Silva

Leave a Reply

Your email address will not be published.