Dia Mundial do Livro: origem, autores homenageados e 4 livros incríveis

Equipe Eurekka

Em 1995, na Conferência Global da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), foi escolhido o dia 23 de Abril para ser o Dia Mundial do Livro.

Durante o evento, representantes da UNESCO disseram que a leitura vem sendo, ao longo da história, o elemento mais poderoso de difusão do conhecimento e o meio mais eficaz para sua conservação. 

Assim, o objetivo dessa data é comemorar a importância da leitura, incentivar a população a adquirir esse hábito, celebrar grandes obras, divulgar autores e promover a publicação de novos livros.

A lembrança, portanto, é também para editores, tradutores, leitores, autores e todos aqueles que, de alguma forma, fazem parte de todo esse processo incrível.

Então, se você gostou do assunto, vem com a gente aprender mais sobre essa data, os autores homenageados e livros clássicos que se relacionam diretamente com a Psicologia. Boa leitura!

Por que dia 23 de abril é o dia mundial do livro?

Como falamos acima, a escolha de uma data para comemorar o Dia Mundial do Livro se deu na Conferência Global da UNESCO, na década de 90.

Nesse evento, com a ideia de ressaltar a importância da leitura e, ao mesmo tempo, homenagear grandes autores da história da literatura, o dia 23 de abril foi escolhido! 

Mas, você sabe por quê? O motivo foi que, em 23 de abril de 1616, três grandes escritores faleceram: William Shakespeare, Miguel de Cervantes e Inca Garcilaso de la Vega. Estranho, não é?

Dia do direito do autor 

Você já viu que o dia 23 de abril é uma forma de celebrar os livros e a importância deles para a sociedade. Mas, além disso, não se pode deixar de lado o escritor e os direitos legais de suas obras

Por essa razão, a UNESCO determinou que fossem comemorados juntos o dia mundial do livro e o dia do direito do autor, afinal, ele é o principal agente na criação de um livro e deve ser valorizado. 

Defender a leitura e garantir os direitos de quem a escreve, é o mesmo que defender a criatividade, a divulgação de conhecimento e os avanços sociais.

Quem são os autores homenageados no dia mundial do livro?

Confira agora um pouco da história e das obras desses três autores homenageados:

Inca Garcilaso de la Vega: nasceu em Cusco, no Peru, dia 12 de abril de 1539. O autor ficou conhecido como um símbolo do país, pois era filho mestiço de um conquistador espanhol e uma princesa indígena. Sua principal e mais conhecida obra é Historia General del Perú.

Miguel de Cervantes Saavedra: Cervantes nasceu, provavelmente, em 29 de setembro de 1547, na cidade de Alcalá de Henares. Sua principal obra é Dom Quixote de La Mancha, mas ela só ficou conhecida após a morte do autor. Esse livro é considerado um dos primeiros romances modernos e é uma das obras mais traduzidas no mundo.  

William Shakespeare: Supõe-se que Shakespeare nasceu no dia 23 de abril de 1564 em Stratford, na Inglaterra (mesmo dia em que morreu, 52 anos depois). Ele escreveu 38 peças, 2 poemas e 154 sonetos. Suas obras são conhecidas e admiradas no mundo todo, sendo as principais: Hamlet, Romeu e Julieta, Rei Lear e Otelo. 

Livros famosos e a psicologia 

E, já que estamos falando sobre o Dia Mundial do Livro, não poderíamos deixar de trazer uma seleção incrível para quem quiser se aventurar nesse mundo de histórias que marcaram a humanidade.

Abaixo, você vai encontrar 4 livros clássicos que, de formas diferentes, se relacionam com a Psicologia e com a mente humana.

Confira!

Ulysses – James Joyce

Ulysses, do escritor irlandês James Joyce, é uma obra única e incrível. O personagem principal se chama Leopold Bloom, e a história é inspirada na obra Odisseia, de Homero.

O livro de James Joyce se passa em Dublin, na Irlanda, e conta a história que se passa em apenas um dia que seria comum na vida de Leopold: sair de casa pela manhã, fazer suas tarefas ao longo do dia e voltar à noite. Parece simples, não?

Mas a obra mostra, com muitas referências culturais e críticas, todos os imprevistos e aventuras que se passam em um dia “típico” na vida do personagem e do seu amigo Stephen. 

E essa narrativa acontece como se fosse um fluxo de pensamentos, ou seja, a pontuação e as construção das frases são bem diferentes e pouco lineares.

A obra de Joyce é tão complexa que foi objeto de estudo do psicanalista Jacques Lacan. Sendo que esse estudo foi publicado no seminário — O Sintoma, publicado em 1999.

dia mundial do livro e dos direitos do autor

O Lobo da Estepe – Herman Hesse

Publicado em 1927, O lobo da estepe foi um dos livros mais importantes para a juventude no século XX e nunca perdeu sua relevância ao longo dos anos.

O livro conta a história de um homem nascido no século XIX, com cerca de 50 anos, que escreve artigos para jornais e critica fortemente o século XX. Ele tinha valores antiquados, não se identificava com os gostos e vontades dessa nova geração.

Mas o mais interessante é que o personagem sentia como se fosse duas pessoas ao mesmo tempo. Uma versão sua era humana, civilizada e sabia conviver em sociedade, com bons costumes. Mas, sua outra versão, era animal, selvagem e raivosa: semelhante ao lobo da estepe. 

Assim, ao longo da história, percebemos os conflitos do personagem e como ele percebe que, no fim, podemos ser diferentes personagens em uma só vida.

Memórias do Subsolo – Fiódor Dostoiévski

Memórias do Subsolo foi publicado no ano de 1864, por Dostoiévski, em um período difícil para o autor. Enquanto escrevia, passando por uma crise financeira, o escritor também presenciava o avanço da doença de sua esposa, que estava com tuberculose. 

De maneira geral, o livro é considerado por muitos como o ponto de virada na escrita do autor. A obra traz muitas questões existencialistas relacionadas à angústia da existência, retratando um personagem, funcionário público e aposentado que se descreve como alguém “isolado” e descontente com os rumos de sua vida.

O livro tem duas partes: a primeira “O subsolo” é densamente filosófica, com muitas reflexões. Já a segunda, “A propósito da neve molhada” é como se fosse a representação prática do que foi visto anteriormente. 

Édipo Rei – Sófocles 

Édipo Rei é uma peça teatral, escrita por Sófocles e encenada pela primeira vez na Grécia Antiga, cerca de 430 a.C. O enredo dessa história é um clássico e conhecido por muitas pessoas.

Nessa obra, Laio, rei de Tebas, foi avisado por um Oráculo (como um profeta) que seu próprio filho o mataria e depois se casaria com a própria mãe. Então, com medo e querendo evitar que isso acontecesse, Laio abandona a criança em um lugar qualquer. 

Após isso, um pastor encontra o bebê e o leva para a cidade de Corinto, onde acaba sendo adotado por Pólibo e Mérope, rei e rainha dessa cidade.

A partir daí, Édipo vive como filho da realeza e tudo vai bem. Porém, certo dia, ele recebe do Oráculo a mesma previsão que seu pai, Laio, havia recebido anos antes. E, na tentativa de fugir de seu terrível destino, ele acaba justamente indo de encontro a ele.

O principal ponto da história é a pequenez do homem perante a força do destino e suas fatalidades.

Mas o que isso tem a ver com Psicologia? Bom, essa tragédia grega foi o que inspirou o termo usado por Freud — Complexo de Edípo — nos seus estudos, sendo uma grande teoria da psicanálise.

Saiba mais: abordagens da psicologia

sede da Eurekka

Extra: livros transformadores

Se você ama ler e acredita que esse hábito pode fazer toda a diferença na sua vida, nós temos uma chamada especial para você!

Os psicólogos da Eurekka criaram livros que funcionam como guias práticos para as diversas áreas da sua vida.

Com técnicas exclusivas da Psicologia, cada edição traz soluções práticas para que você consiga gerir melhor sua rotina, suas relações, seus hábitos e muito mais!

Então, se quiser ver todas as edições disponíveis e garantir a que você mais precisa no momento, basta clicar aqui e escolher!

Este artigo te ajudou?

0 / 3 0

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *