Devaneio excessivo: o que é e 5 dicas para lidar com o problema

Equipe Eurekka

Sabe aquela sensação de sonhar acordado? De se perder em pensamentos e até mesmo esquecer o que estava fazendo? Pois é, esse devaneio excessivo afeta muitas pessoas e deixa aquela dúvida se é algo normal ou não. 

Por isso, neste texto, vamos explicar o que a Psicologia diz sobre isso e mostrar técnicas essenciais para você conseguir focar mais no presente e evitar as distrações criadas pela mente.

Boa leitura!

O que é devaneio excessivo?

O termo devaneio excessivo, ou devaneio desadaptativo, é uma tradução do inglês Maladaptive Daydreaming.

Ele tem sido usado para descrever a condição de pessoas que apresentam graves quadros de pensamentos fantasiosos, sendo tais pensamentos muito vívidos, frequentes e intensos. Contendo até mesmo um enredo bem desenvolvido.

Esses casos se diferem de uma simples distração, uma vez que a pessoa se encontra muito imersa na fantasia criada, é como se fosse um universo imaginário próprio que tem muitos detalhes e uma história complexa.

Também se sabe que o devaneio excessivo é algo voluntário, ou seja, a pessoa entende que aquilo não é realidade, porém, na maioria dos casos, ela sente prazer em estar imersa nesse mundo de fantasia. Ela escolhe estar ali, trocando a vida real pelo “daydreaming” (sonhar acordado).

Mas entenda, o fato de ser voluntário não significa que não traz sofrimento para a pessoa. Isso porque as consequências disso podem ser muito ruins, como a desconexão com a realidade e desequilíbrio emocional.

Em estudo denominado “Maladaptive daydreaming: Evidence for an under-researched mental health disorder”  (2016), há um relato de uma pessoa que tem 35 personagens em seus devaneios. 

Já outra diz ter devaneios excessivos com uma série de TV que via quando tinha 10 anos. Sendo que, às vezes, se priva do sono para poder imaginar.

Ainda não se sabe ao certo o que causa tal condição, porém pode ser que esteja relacionada com gatilhos ambientais e até mesmo situações traumáticas.

Quais são os sintomas do devaneio excessivo?

Por ainda não estar oficialmente no DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), não há uma categorização única dos sintomas, porém estudos indicam que o devaneio excessivo se manifesta por:

  • Dificuldade em controlar o desejo de estar no mundo da fantasia
  • Prejuízo na vida social, tarefas do dia a dia e objetivos de vida
  • Esforços exaustivos para manter o comportamento oculto dos outros
  • Devaneios com histórias e personagens bem construídos
  • Prazer em estar no mundo fantasioso
  • Problemas no sono.

É normal criar cenários na cabeça o tempo todo?

Na nossa vida, principalmente nas fases que temos mais preocupações, é normal que às vezes nos percamos em pensamentos. Como, por exemplo, pensar nas tarefas do dia seguinte, naquela conta para pagar, nos compromissos e naquela situação chata que aconteceu.

Porém, criar cenários fantasiosos na cabeça de forma frequente e intensa, é algo que exige tratamento. Principalmente quando há identificação com os sintomas citados acima.

O que deve ser levado em conta é a frequência com que a situação ocorre, a intensidade e se ela traz algum tipo de prejuízo na sua vida, como deixar de socializar e atrasar tarefas.

Estratégias comportamentais para parar de ter devaneios excessivos

Por ainda não ter sido categorizado oficialmente, não há cura e nem um tratamento específico para o devaneio excessivo. Contudo há algumas estratégias da Psicologia que podem ajudar a pessoa a se manter focada no presente e evitar gatilhos que levam ao desejo de fantasiar.

Confira abaixo quais são:

1 –  Perceber os gatilhos

O primeiro passo é começar a perceber os padrões de comportamento. Quando acontecem os devaneios excessivos? Há algo que induz você a querer entrar no mundo fantasioso? Em quais momentos do dia isso acontece?

O autoconhecimento é muito importante para entender mais sobre como você age e o porquê age. Então, comece a perceber e anotar isso, assim você saberá quais gatilhos evitar e quais medidas tomar.

2 –  Praticar o Mindfulness

O Mindfulness é um estado de atenção plena no qual que você consegue focar 100% no “aqui e agora”. 

Assim, todas as técnicas que ajudam a pessoa a atingir esse estado de concentração são chamadas de técnicas de Mindfulness.

E como o devaneio excessivo envolve justamente a fuga da realidade, essa ferramenta pode ajudar a pessoa a ter uma âncora no momento presente, não perdendo o foco das tarefas e não cedendo aos gatilhos para entrar no mundo da fantasia.

Abaixo você vai encontrar um vídeo de uma dessas técnicas de Mindfulness para você começar a praticar!

3 – Não realizar mais de uma tarefa ao mesmo tempo

Realizar mais de uma tarefa ao mesmo tempo tira a sua atenção do momento presente, pois seu foco é dividido entre diversas ações, tornando você mais suscetível à distração.

Além disso, fazer mais de uma atividade pode aumentar os níveis de estresse, fazendo com que você recorra à prática do devaneio excessivo para se sentir calmo e feliz, se desconectando dos fatores estressores.

4 – Ter um tempo de ócio

O cansaço extremo é muito prejudicial e sobrecarrega a mente. Por isso, tire um tempo do seu dia para relaxar e fazer atividades que aliviam sua mente, como se encontrar com amigos, passar um tempo com a família ou sair para tomar um sorvete.

Essas atitudes não só descansam, como também ajudam você a se conectar com o mundo real.

5 – Criar uma rotina

Ter uma hora certa para dormir e para acordar, ter o horário fixo das refeições e planejar todas as tarefas do dia ajudam você a sentir que está no controle, diminuindo o estresse e a ansiedade. Além de também ajudar na produtividade e foco no presente.

Então, uma dica é anotar toda a sua rotina em um caderno e ir dando um check em todas as atividades que concluir. Assim você vai se sentir mais realizado e feliz com sua vida.

Receba ajuda de um psiquiatra para lidar com o devaneio excessivo

No estudo citado alguns tópicos acima, e em outras pesquisas na área da psicologia, foi constatado que pessoas com devaneio excessivo apresentam taxas mais altas de déficit de atenção, sintomas obsessivos-compulsivos e dissociação.

Dessa forma, é muito provável que pessoas com devaneio excessivo precisem fazer um acompanhamento psicológico e farmacológico, de forma a evitar prejuízos mentais e melhorar a qualidade de vida.

Então, é muito recomendado que você, que se identifica com os sintomas aqui apresentados, comece a ter um acompanhamento apropriado para receber um diagnóstico e tratamento específicos para o seu caso.

E, para isso, é muito simples. Aqui na Eurekka nós temos psiquiatras experientes e escolhidos a dedo para garantir o melhor atendimento a você. E o melhor: todo o tratamento pode ser feito de forma online em uma plataforma especializada.

Para marcar sua Conversa Inicial e começar a ter agora a atenção de um profissional qualificado, basta clicar aqui.

Este artigo te ajudou?

0 / 3 3

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *