Realidade e desconexão: a despersonalização para a psicologia

Equipe Eurekka

Você já teve a sensação de que estava desconectado da realidade, distante de si mesmo? Já sentiu que era apenas um observador, e que não podia interferir no que estava acontecendo? Se a resposta for “sim”, talvez você tenha passado por um episódio de despersonalização

Essa condição faz com que a pessoa se sinta como uma observadora externa do que acontece com o seu corpo. Causando, assim, a sensação de não poder agir de forma ativa: ela tem a impressão de que não está no controle.

Então, se você se identificou com alguma dessas características, veja esse guia para entender o que é a despersonalização e como tratá-la!

O que é despersonalização?

Essa é uma experiência em que a pessoa tem a sensação de irrealidade. O indivíduo não se sente capaz de interferir no momento. Ele se sente um mero observador de seus sentimentos, pensamentos, sensações, corpo, e até mesmo de suas ações.

Muitas pessoas que tiveram episódios de despersonalização disseram que se sentiram como zumbis. Além disso, é bastante comum que a pessoa sinta que está em ambientes irreais ou artificiais — o que é chamado de desrealização

É uma sensação de que a pessoa é uma observadora externa da própria vida. Uma impressão de estar distante do próprio corpo e do momento presente.

Então, agora que você já sabe o que é a despersonalização, vamos falar um pouco sobre o que pode causá-la.

menina com despersonalização

O que causa despersonalização?

A despersonalização pode ter muitas causas, dentre elas se destacam: estresse grave, cansaço extremo, uso de entorpecentes ou de drogas recreativas, como maconha e alucinógenos, privação de sono ou de estímulos sensoriais, depressão e ansiedade.

Ainda, a essa sensação pode surgir como consequência de experiências traumáticas, como: abusos emocionais e físicos, ter testemunhado episódios de violência extrema, ou um processo de luto. Dessa forma, na maioria das vezes esse fenômeno ocorre em função de episódios de ansiedade, depressão ou pânico.

Sintomas

Agora você já sabe o que é a despersonalização e quais são algumas de suas causas, mas quais são, então, os sintomas? Como saber se você tem ou já teve um episódio como esse? Vamos te falar alguns sintomas presentes na despersonalização.

Como dito antes, muitas pessoas relatam se sentir como zumbis durante a despersonalização. Além disso, é comum a sensação de que se está vivendo em terceira pessoa. Como se estivesse em um jogo de videogame, a pessoa olha para as mãos e para o corpo como se ele não fosse seu. Alguns dos sintomas presentes na despersonalização são:

  • Sentimento de estar separado do próprio corpo, como se estivesse o observando de fora;
  • Sentir que o ambiente na sua volta não é real — sensação de viver em um sonho;
  • O mundo e as pessoas podem parecer estranhos;
  • Sensibilidade à luz;
  • Achar que está enlouquecendo ou perdendo o controle.

Assim, durante um episódio, é comum a sensação de não ter o controle sobre o próprio corpo, como o sentimento de estranheza sobre as coisas ao seu redor. 

Além da despersonalização, outro processo comum é a desrealização. Elas são, frequentemente, confundidas — e muitos podem pensar que são a mesma coisa. Mas será que são mesmo? Vamos explicar sobre isso a seguir.

Despersonalização é a mesma coisa que desrealização?

Ambas são formas de dissociação. Assim, antes de explicar sobre elas, vamos falar um pouco sobre esse processo de dissociação. 

A dissociação consiste em uma sensação de estar distante de nós mesmos ou do nosso ambiente. Ela faz com que a pessoa perca a noção de tempo e se sinta estranha no próprio corpo. A dissociação separa a pessoa do momento que está vivendo. Assim, a desrealização e a despersonalização são duas maneiras de dissociação. 

Elas são, então, bem semelhantes. mas são coisas diferentes! A diferença principal entre elas é que a despersonalização faz com que a pessoa sinta que está fora do próprio corpo; enquanto a desrealização, causa a sensação de que a pessoa está distante do seu ambiente. 

Assim, a primeira faz com que a pessoa se sinta um observador externo da própria vida. Já a segunda, causa o sentimento de que a pessoa está desconectada de um ambiente. Essas duas coisas podem ocorrer em pessoas sem qualquer transtorno psicológico.

Contudo, elas também podem fazer parte de um transtorno, como o próprio Transtorno de Despersonalização/Desrealização.

jovem desrealizada se olha no espelho

Transtorno de despersonalização

No Transtorno de Despersonalização, a pessoa vivencia os sintomas já citados, mas de uma forma persistente. Assim, é bom ressaltar que nem todas as pessoas que passaram por episódios de despersonalização têm esse transtorno. 

Os episódios são bastante comuns, cerca de 50% da população geral já teve essa experiência. Entretanto, só 2% da população tem o Transtorno de Despersonalização. Mas quais são as diferenças entre o Transtorno e os Episódios de Despersonalização?

No Transtorno, a despersonalização acontece com frequência, de maneira recorrente, diferente dos episódios, que acontecem raramente. Além disso, o transtorno causa um prejuízo significativo na vida da pessoa que os tem: como problemas na vida profissional e em relacionamentos, por exemplo.

Contudo, a pessoa acometida não perde o contato com a realidade: ela sabe que as experiências não são reais. Ou seja, a pessoa tem a consciência de que o mundo não mudou, o mundo não está “estranho”.  Isso porque ela já está acostumada com os sintomas e já sabe identificar os sinais.

Assim, uma pessoa com o Transtorno de Despersonalização tem consciência sobre a realidade, tem episódios de despersonalização frequentes, e esses episódios prejudicam bastante o seu dia a dia.Mas qual é, então, o tratamento adequado?

Tratamento

Você se identificou com as características da Despersonalização? Calma! No geral, os pacientes costumam ter uma recuperação completa! Assim, vamos te dar algumas dicas de como lidar com ela!

Uma das técnicas para o manejo da despersonalização é o mindfulness. Isso ajuda no relaxamento muscular progressivo e na respiração — o que reduz o estresse e a ansiedade excessiva. Estes últimos são, geralmente, os gatilhos para os episódios de despersonalização.

Você pode testar essa técnica com o vídeo abaixo:

Além disso, outra estratégia que pode ajudar a lidar com esses episódios é a distração. Essa, sugere que a pessoa engaje em alguma tarefa com o objetivo de tirar o foco do episódio dissociativo. 

Ainda, as técnicas de grounding também podem ser bastante eficientes para o manejo dos episódios de despersonalização. Nelas, usam-se os 5 sentidos para ajudar a pessoa a se sentir mais real e presente no momento. Um exemplo de técnica de grounding é segurar uma pedra de gelo.

Entretanto, ainda que essas técnicas ajudem, quando os sintomas da despersonalização forem persistentes, é essencial que você receba uma atenção especializada. Para isso, vai aí uma dica de ouro: busque a terapia!

Terapia com a Eurekka

Através da psicoterapia, podem ser tratados não somente os sintomas da despersonalização, mas também as suas causas. Assim, um profissional da saúde mental pode auxiliar no tratamento de transtornos como a depressão e a ansiedade, que são gatilhos comuns.

E, por meio da Terapia Eurekka, você pode marcar uma consulta online com profissionais de todo o Brasil! Assim, um de nossos terapeutas poderá lhe guiar no tratamento desses transtornos e também ensinar algumas das técnicas que já citamos!

Então, se você quer conhecer o trabalho da maior rede de psicologia e terapia do Brasil, clique no botão abaixo e marque sua conversa inicial!

Este artigo te ajudou?

0 / 3 0

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *