Depressão e suicídio: como evitar que a doença seja fatal

Henrique Souza

Você sabia que há uma relação direta entre depressão e suicídio? Infelizmente, a depressão não é uma doença que só debilita vidas, mas que também encerra vidas.

Neste texto, você vai entender a relação entre depressão e suicídio e como falar sobre suicídio com alguém. Além disso, vai aprender a perceber sinais de que a pessoa está pensando em cometer suicídio.

Depressão e suicídio estão diretamente ligados?

Sim, pensamentos de morte e suicídio são um dos sintomas de depressão. Existem casos de depressão em que a pessoa não pensa sobre suicídio. Entretanto, pensar sobre suicídio é um forte indício de que a depressão está num nível grave.

Infelizmente, a depressão é um dos transtornos mentais que mais fazem as pessoas tirarem a própria vida.

Estima-se que mais de 50% das pessoas que cometem suicídio estavam com depressão antes de cometerem suicídio. Então sim, é possível dizer que eles estão diretamente ligados.

Nem toda pessoa com depressão tem propensão a cometer suicídio

Dos nove principais sintomas de depressão, você só precisa ter cinco para ser considerado um paciente com a doença. Isso significa que muitas pessoas que são diagnosticadas com depressão não estão hoje pensando em morte ou em cometer suicídio.

banner suicídio

Entenda em que casos a depressão pode levar ao suicídio

A depressão pode levar ao suicídio quando a pessoa permanece muito tempo sem tratamento e sem reconstruir nenhuma rede de apoio. A pessoa que pensa em suicídio entende que o suicídio é uma forma de escapar de um sofrimento que está sendo muito grande. Como se ela visse o suicídio como um último recurso, depois que nada funcionou para eliminar uma dor muito forte.

Essa sensação de que nada funciona é muito normal em pessoas que tentaram vários tratamentos para depressão, mas que não sentem que tiveram resultado. É por isso que, quanto mais cedo a depressão for tratada, menor a chance do suicídio.

Como perceber que uma pessoa com depressão pode estar próxima do suicídio?

depressão e suicídio

Segundo a Organização Mundial da Saúde, suicídio é a segunda causa de morte entre jovens de faixa etária de 15 a 29 anos de idade. Por isso, a importância de prestar atenção aos sinais e evitar mais mortes.

Existem alguns sinais que podem indicar que a pessoa está fazendo uma despedida desse mundo e está prestes a cometer suicídio. Primeiro, a pessoa que está pensando em cometer suicídio normalmente fala sobre isso.

Existe um mito de que a pessoa que vai cometer suicídio não fala sobre, só faz. Porém, uma pessoa que fala sobre cometer suicídio estatisticamente tem 35 vezes mais chance de se matar do que uma pessoa que não fala.

Por isso, é importante você ouvir as pessoas em volta de você. Procure por frases como por exemplo: “Todo mundo estaria melhor se eu não tivesse aqui”, “Eu não faço falta mesmo”, “Eu deveria morrer” etc.

A pessoa que está decidida a cometer suicídio também pode fazer atitudes de despedida. Ela pode escrever cartas e entregar essas cartas para alguém. Ela pode marcar reencontros com pessoas de antigamente, com a intenção de reviver boas memórias e dizer tchau. Além disso, nos dias logo antes do suicídio, a tristeza, que antes era constante, agora parece ter se transformado numa anestesia quase pacífica.

Nessas horas, você, como um familiar ou amigo, precisa perguntar. Ou seja, você senta com a pessoa e diz: “Eu tenho percebido sinais que têm me deixado preocupado. Pode ser que seja só bobagem na minha cabeça, mas eu preciso falar para você. Para mim, parece que você pode estar pensando em suicídio. Faz sentido isso?”.

Assim, se você se mostrar aberto e uma pessoa de confiança, é muito provável que a pessoa também se abra com você.

Como evitar que o quadro de depressão se agrave?

Se a depressão chegou ao ponto de a pessoa pensar em suicídio, então o melhor para evitar que o quadro se agrave é buscar tratamento.

Nessas horas, vale a pena fazer uma vaquinha com a família e juntar dinheiro para patrocinar o tratamento dessa pessoa. Porque, mesmo que você esteja em dificuldades financeiras, o que está em jogo é a vida dessa pessoa.

A depressão pode ter um impacto tão profundo que a pessoa pode desejar não estar mais entre nós. Então, para evitar esse risco, vale a pena passar por um pouco de aperto financeiro.

Por fim, nessas horas difíceis também é importante manter a supervisão da pessoa.  Assim, se você acredita que ela está prestes a cometer suicídio, ela não pode ficar sozinha.

Tratamentos necessários para pessoa com comportamento suicida

depressão e suicídio

Enfim, quando transtornos mental atinge um nível tão grave que a pessoa cogita cometer suicídio, a gente sempre recomenda o tratamento completo. Ou seja, psicoterapia com um psicólogo, farmacoterapia com um psiquiatra e mudança de hábitos.

Dentro das abordagens de terapia, um método que mais mostrou evidência científica para casos de suicídio é o método da Terapia Comportamental Dialética.

Originalmente, esse método foi inventado para tratar de transtorno de personalidade borderline. Trata-se de um distúrbio caracterizado por comportamentos suicidas e parassuicidas, como autolesão.

No entanto, se descobriu que as técnicas da Terapia Comportamental Dialética ajudam qualquer pessoa que esteja sofrendo de crises de depressão e tentativas de suicídio.

Outros problemas psiquiátricos ligados ao suicídio

Um transtorno que está muito ligado ao suicídio, fora da depressão, é o transtorno de humor bipolar. Entre as pessoas que cometem suicídio, existe uma taxa maior de pessoas com bipolaridade do que pessoas com depressão.

É por isso que é muito comum, no tratamento do transtorno de humor bipolar, se receitar remédios à base de lítio. Isso porque se descobriu que esses remédios reduzem a vontade de cometer suicídio, na maioria dos casos.

Precisa de ajuda? Inicie o seu tratamento com a Eurekka

sede presencial da Eurekka

Por fim, se você quer saber como lidar melhor com uma pessoa que está pensando em suicídio, terapia pode ser um ótimo investimento.

Para saber mais sobre o tratamento da terapia na Eurekka, clica aqui nesse link e confere nossa página!

Gostou do texto? Então, para acessar mais conteúdos gratuitos como esse sobre psicologia e saúde mental, clique na rede social que preferir:  Instagram,  Facebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Henrique Souza

Henrique é psicólogo pela UFRGS, atuando na clínica com a Abordagem Analítico-Comportamental, apaixonado por criatividade e comunicação e co-fundador da Eurekka, a startup de Psicologia que se tornou a maior rede de psicoterapia do Brasil. Além de fazer mais de 3000 sessões por mês, a Eurekka também oferece telemedicina, um clube de assinatura, franquia para Psicólogos e outros produtos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *