Depressão atípica: o que é, quais os sintomas e tratamento

Equipe Eurekka

Você já deve ter ouvido falar sobre a depressão, que alguns estudiosos chamam do “mal do século”. Talvez, já saiba que existem variações desse transtorno. Mas você sabe o que é a depressão atípica?

Essa expressão ainda não é muito conhecida, mas não se preocupe! No texto de hoje, você vai entender que tipo de depressão é essa, seus sinais mais comuns e como se tratar. 

É vital conhecer as variações da depressão para identificar os sintomas logo no início e, assim, ficar mais fácil melhorar. Boa leitura!

O que é depressão atípica?

A depressão atípica é como se fosse um nome especial que damos para a depressão, quando ela tem um sinal específico: a pessoa mascara a depressão

Os psicólogos chamam isso de falsas demonstrações de felicidade. Ou seja, na depressão atípica, a pessoa nem sempre perde o interesse em atividades que gosta de fazer, mas as faz enquanto passa por um estado de profundo sofrimento, sem que os amigos ao redor notem.

Isso não quer dizer que ela esconde a sua dor por querer: muitas vezes, pessoas com depressão atípica são capazes de sorrir, ter momentos bons e ficam felizes por algum tempo, mas não deixam de sentir uma tristeza profunda.

O perigo está no fato de que não é porque a pessoa segue tendo suas atividades do dia a dia que ela não precisa de ajuda ou de tratamento. Pode, ao mesmo tempo, sair com os amigos e ter pensamentos suicidas. Quanto mais demora para buscar ajuda, mais fortes os sintomas tendem a ficar.

O que pode causar depressão atípica?

Assim como outros tipos de depressão, não há causa única. Pode ser uma combinação de fatores, e estes mudam de pessoa para pessoa. O mais comum é que haja uma combinação de fatores ambientais e genéticos.

Veja a seguir algumas situações que podem desencadear a depressão atípica.

Traumas

Como já é de se imaginar, os traumas têm grande impacto na nossa saúde mental. Eventos estressantes da vida podem causar traumas e, dependendo de como a pessoa lida com esses traumas, pode chegar a uma depressão atípica. 

Por isso, é muito importante levar a sério situações como a morte de um familiar ou um abuso sofrido, para que a pessoa passe pelo melhor tratamento psiquiátrico possível.

Fatores genéticos

O histórico familiar pode significar uma maior propensão à depressão. Por isso, é importante relatar ao médico qualquer histórico familiar de depressão, doenças mentais ou crônicas e de abuso de substâncias.

Se o histórico for pessoal – ou seja, se você mesmo já teve depressão, doença mental ou crônica ou abuso de substâncias – é vital avisar o seu médico. Isso pode ajudar (e muito!) no diagnóstico precoce.

Abuso físico, emocional ou sexual

Qualquer tipo de abuso se torna um evento traumático para quem passou por isso. Por isso, o abuso físico, emocional ou sexual pode desencadear reações de estresse, ansiedade e depressão.

A depressão atípica pode surgir quando a pessoa sente que não terá apoio ao seu redor, se sentindo obrigada a “passar por cima” disso e estampar um sorriso no rosto. O problema é que toda situação precisa ser digerida no tempo certo, sem apressar as fases de cada um.

Grandes mudanças

Qualquer evento que tenha um valor significativo para aquela pessoa pode causar a depressão atípica. Como, por exemplo, mudar para uma nova escola ou para uma nova cidade; ser mandado embora do trabalho; se graduar; se aposentar; passar por um divórcio ou, ainda, um rompimento com uma pessoa de grande estima.

Perda de alguém próximo

Falando sobre romper com alguém de quem você gosta muito, qualquer tipo de luto é motivo para causar uma depressão, seja ela atípica ou não. A morte de uma pessoa querida pode causar um sofrimento profundo, e esta tristeza pode ou não evoluir para a depressão.

Além disso, existem outros tipos de luto que são significativos, como terminar uma relação amorosa, se afastar dos amigos ou sair do emprego antigo. Todos esses momentos indicam uma “quebra” na situação comum da vida, e a pessoa pode não lidar muito bem com esses rompimentos.

depressão atípica

Principais sintomas da depressão atípica

Como falamos antes, alguns sintomas são os mesmos da depressão clássica, como a tristeza. Contudo, a pessoa consegue mascarar os sintomas na depressão atípica, o que faz com que ela receba o apelido de “depressão sorridente”.

Veja alguns sintomas que são comuns, em especial, na depressão atípica:

Sono em excesso

Ter muito sono é um sinal de alerta. Esse sintoma, que também chamamos de hipersonia, é muito comum em casos de depressão.

Nessa situação, a pessoa tem sono o dia todo ou, ainda, dorme por muitas horas durante a noite. Além disso, dormir durante o dia não reduz essa sensação de sono constante, e é por isso que não é a mesma coisa do sono que sentimos ao ter uma noite mal dormida. 

Saiba mais sobre sono e cansaço excessivo aqui!

Aumento do apetite e do peso

A depressão pode trazer ausência de fome ou fome em excesso. No caso da depressão atípica, o mais comum é comer demais, o que causa, também, o aumento de peso.

Baixa autoestima

A pessoa com depressão atípica se sente insuficiente, triste e incapaz de ser feliz, mesmo que continue realizando suas atividades habituais.

Além disso, por também estar com mais apetite, pode se sentir mal em relação à própria imagem e ao aumento de peso. Aliás, críticas ou comentários que os outros possam fazer têm um peso ainda maior quando a pessoa passa por um quadro de depressão atípica.

Sensação de corpo pesado

Esta é uma sensação que ocorre, em especial, nos braços e pernas. A pessoa começa a andar com passos mais arrastados e tem maior dificuldade para se levantar da cama ou da cadeira. Sente como se estivesse usando aquelas tornozeleiras de academia!

Problemas nas relações sociais

Como já falamos antes, qualquer comentário pode chegar como um soco para alguém que está em depressão. Isso porque a pessoa já se sente mais vulnerável, e qualquer dica, mesmo que amistosa, acaba chegando para ela como um ataque, por conta da autoestima baixa.

Mesmo que a pessoa continue com suas atividades habituais, como trabalhar ou estudar, ela pode deixar de se comunicar com os colegas como fazia antes, faltar com mais frequência ou, ainda, se distanciar dando desculpas.

banner terapia saúde mental com a eurekka

Como tratar a depressão atípica?

Para tratar a depressão atípica, não basta mirar em um só método. A melhor opção sempre é “atirar para todos os lados”. Ou seja, usar mais de uma forma de tratamento, para que a recuperação se dê de forma mais rápida e eficiente. 

Veja agora algumas dessas “armas” do bem que você pode usar.

Psicoterapia

O psicólogo é vital para que a pessoa consiga entender melhor o que está ocorrendo com ela mesma. A terapia é ótima aliada para desenvolver o autoconhecimento e a aceitação do que se passou.

Além disso, na Terapia Cognitivo-Comportamental, por exemplo, você aprende técnicas para agir por conta própria quando está passando por um momento de muita tristeza e angústia. 

Afinal, a ideia da terapia é te ajudar a lidar sozinho com seus problemas, te dando independência e autonomia.

Rotina saudável

Manter uma rotina saudável é um dos passos mais importantes para que a mente também se mantenha com saúde. Ter as três refeições principais do dia, além de dormir bem, manter-se limpo e ter um momento para se exercitar é tudo que você precisa para manter a vida nos eixos.

Exercícios físicos

A rotina saudável demanda também exercícios físicos. Já é certo que movimentar o corpo ajuda a lidar com muitos transtornos, entre eles, a depressão. Afinal, quando você se exercita, seu corpo libera hormônios bons, te deixando mais disposto, feliz e realizado.

Medicação adequada

Claro, não podemos deixar de falar dos remédios. Nem toda pessoa com depressão precisa tomar remédios, mas quem vai dizer se este é ou não o seu caso é o psiquiatra. 

É vital ter uma consulta com um profissional antes de decidir seguir este caminho, pois só ele sabe dizer qual a melhor dose para o seu caso e que outras instruções você precisa seguir.

Além disso, tenha em mente que tomar remédios não é sinal de fracasso ou de loucura. É só mais uma parte do tratamento, como todas as outras, e costuma ser passageira. Seu corpo e sua mente vão agradecer por isso depois.

sede da Eurekka

Trate a depressão atípica com a Eurekka

Você acha que pode estar com depressão atípica? Ou, então, os sinais que mostramos para você te fizeram lembrar de um amigo ou parente? Nós queremos ajudar você a resolver essa situação.

A gente sabe o quanto essa situação é desgastante. Além disso, quanto mais rápido tiver um diagnóstico, mais rápido costuma ser o tratamento, pois você ainda não chegou no fundo do poço, por assim dizer.

Na Eurekka, temos profissionais formados que te ajudam a fazer este diagnóstico, começar a tomar atitudes para sair dessa e ensinar a viver de forma mais saudável, superando traumas ou crises. Por isso, agende agora a sua Conversa Inicial com um dos nossos psicólogos, e defina os próximos passos para a sua melhor versão!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Equipe Eurekka

Leave a Reply

Your email address will not be published.