Como superar o abandono de uma pessoa próxima?

Cindy Lauper S. de Freitas

O abandono de uma pessoa próxima pode despertar em nós sentimentos intensos de angústia, negação, frustração e raiva. Em momentos assim, temos perguntas sem respostas e a principal delas: “como superar o abandono?”. Mas, você sabia que se espera essas reações neste cenário? E mais, que podem ser ressignificadas quando decidimos acolher esses sentimentos e aceitar a realidade?

Neste texto, vamos falar sobre como superar o abandono de uma pessoa próxima e te mostrar as possibilidades de recomeços e novos vínculos. Além disso, vamos conversar sobre a importância do suporte profissional, familiar e de amigos para que você possa seguir em frente.

Continue lendo e vamos juntos descobrir caminhos possíveis para ressignificar o abandono de uma pessoa próxima e cuidar da saúde mental. Afinal, somos humanos e está tudo bem sentir a falta que uma pessoa faz. Mas, não queremos que essa ausência afete nossa qualidade de vida, não é mesmo?

1. Aceite o abandono

Nesse momento, existem muitas perguntas sem respostas. Porém é parte essencial do processo aceitar o abandono. Assim, você consegue reconstruir a si mesmo a partir dessa situação indesejada, mas que, agora, faz parte da sua história. Se restabelecer não é sinônimo de ignorar a dor que a falta da pessoa traz ou se alienar do ocorrido. E, sim, se acolher e buscar caminhos possíveis para recomeçar e encontrar, mais uma vez, o sentido da vida e prazer.

Como bem disse Brené Brown, professora e escritora americana, “quando fugimos de emoções como medo, mágoa e decepção, também nos fechamos para o amor, a aceitação e a criatividade”. Então, aceitar o abandono é se dispor a não fugir dos fatos que, embora despertem emoções difíceis de processar, auxiliam a ressignificar cenários dramáticos da vida e não se bloquear para a possibilidade de experimentar novos vínculos e bons sentimentos.

Qual o micropasso que você pode dar hoje para aceitar, de forma saudável, sua realidade? Lembre-se: somos seres sociais. Ou seja, precisamos da interação com o outro. Logo, é importante você se cercar de pessoas queridas que possam oferecer suporte neste momento e auxiliar na retomada de atividades que aumentem os sentimentos de bem-estar e prazer.

Dessa forma, reconhecer e acolher sua dor, se rodear de boas pessoas e colocar em prática uma rotina de autocuidado são importantes aliados para lidar com o abandono de uma pessoa de forma mais saudável. Afinal, não somos “super-heróis”, não é mesmo?

 2. Corte totalmente o contato com a pessoa               

Aceitar que a relação acabou e seguir em frente é sinal de maturidade emocional. Logo, cortar por completo o contato com a pessoa é não perpetuar um ciclo de autossabotagem. Ou seja, significa tomar a decisão de enfrentar a “dor do luto” pela perda de uma pessoa querida e não manter viva uma ilusão de que a pessoa volte e a relação seja a mesma.

Então, atitudes como: tentar manter contato, monitorar redes sociais, buscar informações com amigos e/ou se agarrar a qualquer objeto ou lembrança que desperte sentimentos passados com a pessoa, podem dificultar o enfrentamento da dor e atrapalhar a construção futura de novos vínculos e vivências. Afinal, não é possível deixar uma pessoa partir se a gente não se desliga dela por completo.

Assim, cortar o contato com a pessoa é enfrentar o luto pelo abandono e sentir a falta que a pessoa faz, para encontrar caminhos possíveis de reconstruir a vida. Ou seja, se permita construir novos vínculos e possibilidades baseadas na realidade, e não naquilo que você gostaria que fosse.

3. Não se culpe

Entender até onde vai sua responsabilidade em uma relação é fundamental para não se culpar por atitudes da outra pessoa que fogem do seu controle. Isso significa reconhecer seus limites no relacionamento e não permitir que a responsabilidade que pertence ao outro recaia sobre seus ombros.

A culpa pode surgir como uma reação natural ao abandono de uma pessoa próxima, mas é importante aprender a lidar com esse sentimento de forma saudável e não deixar que ele afete sua autoestima. Por mais doloroso que seja, a culpa pode vir a ser uma oportunidade para melhorias.

Se pergunte: “eu fiz algo que justifique essa culpa?”. Se sim, como você pode melhorar a situação, ou reduzir os danos? Alguém foi, de fato, prejudicado ou você que tem se condenado? O que é possível tirar de aprendizado dessa situação? Responder de maneira sincera essas perguntas pode te auxiliar a reconhecer até que ponto você pode solucionar o problema para, então, seguir em frente.

4. Tente virar a página

Superar o abandono de uma pessoa próxima não é tarefa fácil, mas também não é impossível. Isso significa que, muitas vezes, você irá sentir saudades, raiva, dúvidas e, talvez, tentar conversar para se reaproximar da pessoa e reverter sua atitude. Mas, é importante lembrar que sentimentos não devem ser a nossa bússola.

Portanto, para virar a página, é necessário colocar a ação no centro, ainda que os nossos sentimentos estejam dizendo o contrário. Por exemplo, voltar a fazer aquela atividade que te traz bem-estar, estar perto de pessoas que incentivam você a seguir em frente, praticar autocuidado, ler um bom livro, etc. Tudo isso pode te ajudar a virar a página e, assim, seguir em frente.

Você sabia que a ação pode alterar a forma como sentimos e nos comportamos diante dos problemas? Então, estabeleça micropassos para lidar com o abandono que você pode fazer hoje e comece do jeito que é possível.

5. Procure ajuda profissional, se possível

Na tentativa de processar o abandono, muitas pessoas podem apresentar ansiedade, angústia, negação, raiva, frustração e outros sentimentos negativos que podem interferir na qualidade de vida, ou até mesmo imobilizar a pessoa. Afinal, se trata do enfrentamento de um luto pelo afastamento de uma pessoa querida. Então, como encontrar o equilíbrio entre tantos sentimentos?

Quando se torna muito difícil lidar com o abandono de uma pessoa próxima, é necessário procurar a ajuda profissional de um psicólogo que irá auxiliar no acolhimento de todos esses sentimentos que, inevitavelmente, irão surgir. Na prática, as lembranças e a ausência da pessoa irão continuar existindo, mas o abandono não vai mais vai ocupar um papel de destaque ou interferir na sua qualidade de vida.

Para vencer a situação de abandono é fundamental que você não fuja dos sentimentos difíceis que podem surgir. Assim, decida enfrentar a situação com a ajuda de profissionais, família e amigos. Combinado?

banner terapia

Materiais gratuitos da Eurekka sobre saúde mental

Você sabia que no aplicativo da Eurekka você pode acessar conteúdos gratuitos sobre saúde mental todos os dias? E mais: pode acompanhar as lives, acessar minicursos sobre saúde emocional, aprender com as dúvidas de outros seguidores e, ainda, aprender com exercícios guiados como interromper a procrastinação, ansiedade e outros. Interessante, não é mesmo? Então, baixe o app para acompanhar tudo!

E para ver todos os posts gratuitos da Eurekka é só acessar nosso blog, clicando nesse link. Além disso, aproveite e veja também todos os nossos conteúdos em nossas redes sociais: InstagramFacebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 3.67

Cindy Lauper S. de Freitas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *