Como lidar com a culpa: orientações psicológicas pra superar

Eurekka Psicólogos

Você passa constantemente por situações em que se sente culpado, mas não entende direito o que está acontecendo? Ou, pior, usa esse sentimento como motivador para suas tarefas? Então você precisa aprender como lidar com a culpa.

Este texto explica o que é o sentimento de culpa, de onde ele vem e como fazer isso ser parte da sua vida de um jeito saudável, pois existem situações em que é bom se sentir assim.

O que é o sentimento de culpa?

O sentimento de culpa é um sentimento social. Então, via de regra, só sentimos culpa em relação a outras pessoas ou a nós mesmos. Nesse sentido, não sentimos culpa em relação a coisas ou algo assim.

Uma pessoa pode se sentir culpada porque esqueceu o aniversário de um amigo, porque passou alguém para trás, cometeu um erro ou porque não deu conta das suas atividades e dos seus compromissos sociais.

Ele é um sentimento que, de certa forma, serve para manter a gente funcionando bem em sociedade. Ou seja, ele é aquela dorzinha que sentimos quando vemos que, por nossa responsabilidade, os outros foram desapontados — ou nós nos desapontamos.

Então, ele ajuda você — ao evitar sentir culpa — a se manter na linha, a cumprir com os prazos que você se colocou no trabalho, a ir naquele jantar chato com os amigos do seu namorado ou da sua namorada, e por aí vai.

Em resumo, ele ajuda a pessoa a caminhar na direção certa. Ainda que esse processo seja motivado pela evitação de coisas desagradáveis e não pela aproximação do que realmente é importante para você.

como lidar com a culpa

Qual a origem do sentimento de culpa?

Se formos para o macro em relação à culpa, fazendo uma análise perceberemos que ela é evolutiva. É natural que, como animais sociais, nós desenvolvemos a sensação de culpa para ter um sentimento capaz de nos fazer evitar “pisar na bola”.

No entanto, a origem da culpa no dia a dia vai depender, por exemplo, do que você se sentiu responsável por fazer ou não; se você cumpriu ou não as tarefas e compromissos que tinha se colocado; se algumas pessoas no seu entorno usam a culpa como uma forma tanto de se motivar, quanto como meio de motivar você.

A verdade é que a maioria das famílias usam a culpa, como por exemplo “Meu filho, você tinha combinado com a mamãe que não devia fazer assim”; ou “Pai, você tinha prometido que iria, lembra? Que tipo de pai você vai ser se não for?”.

E as famílias que apelam para esse tipo de coisa — o que é super comum — aprenderam a fazer isso com as gerações anteriores. E acima de tudo, aprenderam a fazer isso porque funciona!

Aliás, quando a gente fala que você vai se sentir culpado, você tende a fazer mais as coisas com as quais você se comprometeu, é uma emoção efetiva. Por outro lado, a culpa é responsável por gerar no outro uma sensação de “me colocaram contra a parede, eu preciso fazer isso, mesmo não querendo”.

Dessa forma, mesmo quando você atinge o que você precisava atingir, muitas vezes, se você está fazendo isso só para fugir de se sentir culpado no futuro ou agora, você simplesmente termina a tarefa e tem uma sensação só de alívio.

Entenda por que a culpa pode ser perigosa

Então, a culpa, sozinha, pode ser muito perigosa como forma de motivar você ou as outras pessoas. Vale ficar atento para quando você está usando a culpa dessa maneira com outras pessoas no seu entorno que são importantes para você.

Quando acontecer isso, tente apelar para as coisas que fazem mais sentido para os objetivos de longo prazo. Então, fazer um bom trabalho é importante para que você possa ser um bom colaborador e atingir suas metas; ir no jantar com os amigos do seu namorado pode ser importante porque você quer que ele fique feliz, etc.

Ou seja, não é tanto pelo lado de evitar o negativo, mas sim pelo lado de se aproximar do que é positivo naquela atividade.

homem tapando o rosto com as mãos

O sentimento de culpa excessiva pode causar problemas emocionais?

Sim! Infelizmente, ainda mais para quem já cresceu num ambiente em que a culpa era muito utilizada e que a utilizou muitas vezes contra si mesmo, esse sentimento pode causar problemas emocionais.

Usamos muito a culpa contra nós mesmos, como quando pensamos: “Se eu não completar todas as tarefas da semana eu vou me sentir muito culpado.”; “Se eu não cumprir o regime ou não for na academia todas os dias da semana eu vou me sentir muito culpado.”

As pessoas que criam um hábito assim, e se tornam capazes de fazer muitas coisas para evitar a culpa, quando não conseguem atingir seus objetivos, ainda podem experienciar efeitos emocionais muito ruins.

Aprenda a dizer não

Além disso, a culpa também pode estar por trás de não querer assumir atividades novas em algum momento. Ou seja, se você é o tipo de pessoa que se sente muito culpado quando não cumpre com algum combinado ou tem muita dificuldade de dizer “eu não vou poder hoje”, esse sentimento acaba por limitar muito o que você pode fazer.

Porque se você se comprometer com coisas demais, sem saber dizer não, você tende a se sentir culpado quando não atinge. Nesse sentido, a culpa pode fazer com que você evite se envolver na vida, evite buscar novos desafios e evite entrar em situações que poderiam ser muito interessantes.

E se você gostaria de receber, todos os meses, dicas práticas sobre temas diversos de saúde mental, então você precisa conhecer o nosso Clube do Livro! Com a assinatura, você vai ter ajuda prática e didática pertinho de você, além de receber muitos bônus também! Para saber mais, clique no banner.

Banner clube do livro

Quando o sentimento de culpa se torna preocupante?

Quando o sentimento de culpa estiver tirando o gosto da vida é sinal de que algo preocupante está acontecendo. De repente, você sente que está fazendo tarefa atrás de tarefa e não tem mais a sensação de que aquilo é prazeroso.

Por si só, você não se sente no controle e não sente que está se aproximando do que é importante para você. Você só sente que está, felizmente, escapando de uma bala a cada 30 segundos da sua vida e está cada vez mais desanimado — nesses casos, a culpa vai ser preocupante. Ou então, quando você sente culpa o tempo inteiro na sua vida e aquilo não passa nunca, não importando o que você faça.

como lidar com a culpa

Como lidar com a culpa?

Aprender a lidar com a culpa, na teoria, é fácil. Mas, na prática, envolve muito autoconhecimento e atenção às emoções. Por, isso, a primeira coisa que você vai precisar fazer para lidar com o sentimento na próxima vez é parar e observar alguns pontos: a culpa nesse momento é um sentimento útil? Ela está me ajudando a ir na direção do que é realmente importante para mim? Eu me sentir culpado porque deixei de fazer algo vai me ajudar em alguma coisa?

Depois que você responde essas e outras perguntas, você se torna capaz de lidar com a culpa de um jeito cada vez mais fácil. É como se você começasse a dialogar com si mesmo para obter uma resposta.

Maneira saudável de como lidar com a culpa

Tudo tem um lado positivo. Se você sentir que a culpa está sinalizando para você que é importante sim você ir no próximo jantar e se envolver mais na vida da sua namorada, faça planos específicos de como dar passos nessa direção. Ou seja, peça desculpas e se comprometa com ela “Olha, eu vou no próximo, tá? Pode me cobrar, eu estou me comprometendo aqui”.

Em resumo, note que a culpa veio, tome uma atitude — peça desculpas se você acha que precisa — e marque atividades que possam compensar o que você não fez.

Essa é a maneira saudável de lidar com a culpa — quando ela é útil:

  1. Você notou o que ela tinha de útil;
  2. Pediu desculpas sinceras, caso necessário, para amenizar a situação;
  3. Bolou atitudes práticas pra resolver o problema.

Como lidar com a culpa inútil

Agora, quando a culpa não é útil, você nota que está sentindo culpa por coisas que já passaram há mil anos e que aquilo segue atrapalhando você.

Nesses casos, você pode observar que a culpa está ali e fazer um exercício de mindfulness — como o folhas no riacho — e vai permitir que ela permaneça, sem se martirizar por isso. Além disso, você também pode fazer um relaxamento progressivo, para lidar tanto com o efeito corporal — como a emoção aparece em seu corpo — quanto com o efeito dos pensamentos e imagens que aparecem na sua cabeça.

Conversando com a culpa

Pode parecer estranho, mas você vai, antes de mais nada, olhar para a culpa e dizer: “Olha, você já não é útil mais para mim. Você está se repetindo e essa situação já passou. Não adianta eu sentir culpa! Então, eu vou deixar que você esteja aí até que você passe.”

Mas por que fazer isso? Porque se você tentar suprimir o sentimento, ele simplesmente volta mais forte. Se você tentar evitar pensar o que você está pensando ou não deixar que as imagens apareçam na sua mente, ela simplesmente vem com mais força. É sobre deixar a culpa surgir e ir embora de modo natural, deixando o sentimento passar pelo seu corpo.

Além disso, quando tentamos suprimir essa emoção, nos sentimos frustrados, pois não podemos controlar os pensamentos. Lidar com a culpa é muito mais fácil quando você não tenta fugir dela.

Como superar o sentimento de culpa?

Você vai superar o sentimento de culpa usando essas táticas que falamos anteriormente. Ao longo dos seus dias, você vai aprendendo a dizer “não”, evitando se envolver em situações que você não tinha como dar conta desde o começo e construindo uma vida de compromissos saudáveis com as outras pessoas.

A verdade é que, se você praticar isso que eu sugeri e usar os conteúdos da Eurekka na sua vida, você vai sim conseguir construir, dia após dia, uma relação mais saudável com esse sentimento.

Porque apesar de ser muito desagradável, quando a gente está se sentindo mal, a culpa ainda é muito útil para você conviver em sociedade.

sede eurekka

Aprenda a lidar com a culpa com a Eurekka

E se você quiser ter ajuda da Eurekka para saber lidar com a culpa você pode buscar a nossa terapia! Os nossos terapeutas vão ajudar você em qualquer lugar do mundo, através da terapia online e presencial.

Com a ajuda dos nossos psicólogos, você vai aprender como lidar com a culpa e outros sentimentos da maneira correta, para que você nunca mais seja atormentado por isso. O ambiente da terapia Eurekka é sigiloso e de muito respeito, e por isso, seus pensamentos nunca serão julgados.

Sendo assim, fique a vontade para marcar uma conversa inicial com um de nossos terapeutas, clicando aqui! Parabéns por ter procurado informação e ter chegado até aqui, nós estamos muito orgulhosos de você!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 4.3

Eurekka Psicólogos

A Eurekka é uma Clínica de Psicologia especializada em terapia online que atende pacientes de todo o mundo. Os Psicólogos da equipe são treinados para aplicar a Terapia Cognitivo Comportamental de última geração nos mais diversos problemas: ansiedade, depressão, traumas, fobias, autoestima, disciplina, relacionamentos e muito mais.

3 replies on “Como lidar com a culpa: orientações psicológicas pra superar”

Eu conheci um cara ano passado, começamos a ficar, me apaixonei e depois de 4 meses descobri que ele era casado, paramos e depois de 2 meses eu cega de raiva falei tudo pra mulher dele, mandei prints, fotos, áudios…
Pensei que não iria da em nada, que ela não ia terminar com ele, mas no fim ela terminou e foi embora pra outro estado, levando o filho deles de 7 anos 😫 isso me dói tanto, não justifica nada, ele era muito apegado ao filho sabe, a vida dele mudou completamente, ele teve culpa mas eu tive mais, eu não precisava fazer isso. Separei um pai de um filho, eu ainda sigo apaixonada por ele, e ele gosta de mim, depois de um tempo resolvemos tentar novamente, mas pra ele não deu, ele disse que era difícil ficar com quem ajudou o filho dele está quilômetros de distância, a situação financeira mudou, tudo mudou 😔 e eu me sinto horrível e muito culpada, quero muito ele de volta, mas vai ser difícil. Queria concertar isso

Olá, Maysa! Espero que nosso texto te ajude a lidar com a culpa que sente.
Em uma opinião pessoal, eu gostaria de te dizer que a vida de um casal diz respeito apenas a eles. Se a mulher dele levou o filho para longe, isso pode ser: 1) culpa do marido que traiu; 2) culpa da mulher que não pensou no bem estar do filho. Você, que estava de fora, não precisa se culpar pelas decisões do casal.
A terapia pode te ajudar bastante a encontrar aceitação e seguir em frente com mais liberdade e felicidade. Se te interessar, veja nossa área “serviços”.
Abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.