Colonoscopia: o que é, para que serve e como é feito o exame

Isabela Furlan Franchello

Colonoscopia é um exame de imagem feito por muitas pessoas em alguma fase da vida e, inclusive, mais de uma vez para algumas pessoas. Este é um exame que norteia a confirmação ou exclusão do diagnóstico de algumas doenças que atacam o intestino grosso.

Além disso, os médicos também o usam para ajudar em outras intervenções que precisam da ver a parte interna do nosso intestino, como cirurgias e biópsias. Só a indicação médica vai permitir esse processo. Além disso, é um médico gastroenterologista especializado que fará o exame. 

Entenda o que é a colonoscopia, para quais situações ela é indicada, como se preparar para este exame e muito mais a seguir!

O que é a colonoscopia?

Intestino grosso - Escola Kids

A colonoscopia é um exame de imagem endoscópico feito através de uma câmera, que entra pelo ânus do paciente. Isso, portanto, torna possível a visualização e a captura de imagens da parte interna do cólon (nosso intestino grosso) e as demais estruturas anatômicas que se seguem ao intestino grosso, que são o cólon sigmoide, o reto e o ânus.

A parte interna do nosso intestino grosso é onde a massa alimentar que digerimos passa. Além disso, é onde as fezes se formam e ficam até que haja a evacuação. Essa parte do tubo digestivo é a que o médico vê durante o exame. Ela se forma por uma camada mucosa que, estando saudável, apresenta aspecto rosado e úmido, semelhante ao interior da nossa boca, que também se constitui de mucosa.

Este exame permite a captura de imagens em tempo real da mucosa do cólon. Por sua vez, isso permite ao endoscopista documentar, por meio de fotos, as mudanças que encontra na mucosa durante o exame.

Para que serve o exame de colonoscopia?

O médico indica o exame de colonoscopia, em geral, para nortear a suspeita diagnóstica de algumas doenças que atacam o intestino grosso. Pode indicar, sobretudo, para excluir a chance de doenças mais graves também.

Algumas dessas doenças são o câncer e mudanças estruturais do intestino que causam sintomas que incomodam o paciente. Além disso, os médicos o consideram um procedimento terapêutico. Isso porque os médicos o usam também para tratar lesões, remover corpos estranhos do cólon e inserir próteses no intestino.

Diagnóstico

As principais doenças que diagnosticam pela colonoscopia chamamos de doenças inflamatórias intestinais. Como, por exemplo, a retocolite ulcerativa e a Doença de Crohn, nas quais, junto com o exame, também coletam uma parte da mucosa para fazer a biópsia e confirmar que a mucosa está inflamada e apresenta mudanças a nível celular.

Dentre as doenças mais simples em que a colonoscopia é vital para se excluir possíveis complicações, podemos citar a constipação intestinal, que é uma doença com obstrução intestinal e dor abdominal. Contudo, se ligada à perda de peso, sangramento retal e anemia (menor número de glóbulos vermelhos no sangue), investigar por meio de colonoscopia se torna útil.

Outro exemplo é a diarreia crônica, que dura por mais de três semanas. Nestes casos, o médico usa a colonoscopia para excluir a chance de uma neoplasia intestinal ou de uma doença inflamatória da mucosa que esteja causando o quadro diarreico prolongado.

colonoscopia

Retirada de pólipos

Além dessas, a doença polipoide intestinal, que é quando células benignas se espalham, vão para a parte interna e diminuem o diâmetro do tubo digestivo, também pode se identificar fácil pela colonoscopia. Ademais, durante o exame, já se pode retirar esses pólipos como tratamento.

Apesar de ser benigna, a doença polipoide pode ser um fator de risco para o desenvolvimento de câncer. Por isso, esse meio de identificar e tratar durante a colonoscopia é tão importante.

Tratamento de lesões

Outra questão que requer a colonoscopia é o sangramento nas fezes, um sintoma que pode mostrar a presença de várias entidades patológicas, entre elas uma perfuração ou ulceração da mucosa intestinal, a existência de pólipos, a presença de doença diverticular intestinal ou, ainda, um câncer intestinal.

Por isso, se o sangramento se confirmar antes pelo teste de sangramento oculto nas fezes, a investigação pela colonoscopia se mostra vital. Além disso, durante o exame farão o tratamento de lesões.

Próteses no intestino

A colonoscopia também é um exame usado para colocar próteses no intestino. Quando o paciente tem um tumor avançado no trato gastrointestinal, que não é operável e que obstrui, colocar próteses metálicas expansíveis garante a abertura do tubo digestivo. Os médicos colocam esta prótese pela colonoscopia.

Remoção de corpos estranhos

Há também o uso da colonoscopia para retirar corpos estranhos impactados no intestino grosso e reto. Seja pela ingestão de objeto estranho ou pela introdução de um objeto pelo ânus, o exame é uma forma de muito sucesso para tirar o objeto, ao invés de ter uma cirurgia.

Em geral, o corpo estranho que o paciente tem pode passar pelo tubo digestivo e sair sozinho. Entretanto, pode impactar no cólon ou reto, com o risco de perfuração da alça intestinal.

Por fim, também usam a colonoscopia como exame de triagem para câncer colorretal e para acompanhar após tirar tumores ou pólipos na parede do intestino, sendo preciso realizar o exame de forma periódica em ambos os casos.

Contraindicações para a colonoscopia

As contraindicações absolutas para a colonoscopia são o megacólon tóxico, a colite fulminante, perfuração livre do cólon e diverticulite aguda. Nessas situações, o exame é contraindicado porque o enchimento do intestino com ar para a realizar o exame pode prejudicar a doença que já existe.

Já as contraindicações relativas, são as situações em que o exame precisa ter benefícios ao quadro do paciente e, após o médico avaliar, ter autorização. Entre elas, se destacam a gestação no terceiro trimestre, pessoas com cirurgia recente no cólon, pessoas que tiveram um infarto há pouco, ou ainda, aqueles que fazem uso de anticoagulantes para quadro grave.

É perigoso fazer o exame?

O exame, quando bem orientado por um médico, não é perigoso. Claro, existem algumas condições do intestino em que não é bom realizar o exame, que chamamos de contraindicações relativas. São os casos que você leu antes. Por isso, fique de olho e sempre diga ao seu médico quaisquer problemas que teve.

O que pode ser detectado no exame?

Na colonoscopia, o médico pode detectar anormalidades da parede do intestino grosso, sejam elas mudanças estruturais e anatômicas, como a presença de pólipos, tumores ou diverticulose, sejam mudanças da mucosa intestinal, como inflamação, ulcerações, entre outros. Além disso, o exame também detecta corpos estranhos dentro do intestino.

Preparação para a colonoscopia

Este é um exame que pede muito preparo e atenção do paciente. Isso porque, para o exame, o médico vai pedir que o intestino esteja limpo e pronto.

Por isso, o paciente deve seguir uma dieta leve, fazer jejum antes do exame e, depois, voltar para uma dieta leve. Além disso, se algo parecer errado ou diferente, você pode avisar o seu médico. Veja a seguir tudo que você deve fazer antes deste exame.

Como saber se o intestino está limpo para o exame?

O processo tem uma preparação que se inicia 3 dias antes do exame. Isto garante a limpeza intestinal. A pessoa inicia com uma dieta leve, sem comer cereais, grãos e carne vermelha. Além disso, beber muitos líquidos é bom. No dia anterior ao exame, o paciente passa a ter uma dieta pastosa e tomar laxante. No dia do exame, deve fazer jejum absoluto nas 4 horas anteriores ao exame.

O que comer após o exame?

Após o exame, nas primeiras 24 horas, o paciente precisa manter uma dieta leve, com alimentos fáceis de digerir. Exemplos são: sopas, bolachas de água e sal, torradas, frango, peixe e vegetais cozidos.

Além disso, deve evitar alimentos que possam causar flatulência e gases. Como, por exemplo, feijão, cebola, alho, couve, brócolis, couve-flor, chocolate e alimentos condimentados.

No dia seguinte, já pode voltar a comer o de sempre. No entanto, se o paciente ainda sentir desconforto para comer, pode manter por mais um dia a dieta leve.

colonoscopia

Como é feita a colonoscopia?

A colonoscopia é feita com o paciente sedado e sob anestesia. Por este motivo, é cem por cento sem dor. Na hora do exame, o paciente fica sedado e os médicos o deitam de lado. Depois, introduzem o colonoscópio pelo ânus. Se preciso, para ter melhor visão do tubo intestinal, também injetam ar.

O exame em si leva entre 20 a 30 minutos. No entanto, para preparar o paciente e ter uma recuperação calma, tudo leva, em média, duas horas. Também é vital ter um acompanhante maior de idade durante e após o exame. Além disso, o paciente não deve dirigir ou fazer tarefas que precisem de atenção, como operar máquinas ou mexer com objetos que cortam ou furam.

Riscos

Os riscos da colonoscopia são poucos. O ar colocado no intestino pode dar um desconforto abdominal normal. Além disso, dores leves vão reduzir com os gases – caminhar, beber líquidos quentes e tomar um banho quente pode ajudar. Também é comum o paciente notar sangue vivo ao evacuar nas 24 horas após o exame. Caso o médico tenha feito uma biópsia junto, o sengue pode aparecer por 1 a 2 semanas após o exame.

O paciente deve procurar atendimento médico de urgência caso, após 24 horas:

  • as fezes continuem a ter cor preta;
  • tenha sangue de cor vermelho vivo;
  • tenha sempre dores abdominais;
  • sentir mal estar com náuseas, vômitos e febre.

Resultados do exame

É o gastroenterologista que irá interpretar os resultados do exame. Ele é um médico especializado e, portanto, saberá dizer mais sobre os resultados. Com as imagens, há três desfechos possíveis.

Normais

Resultado negativo: quando não encontram mudanças na parede intestinal no exame, ou seja, é um resultado normal. Este é um bom sinal!

Contudo, o médico pediu o exame porque você apresentou algumas queixas e sintomas. Logo, é preciso continuar procurando as causas do mal estar.

colonoscopia

Anormais

Resultado positivo: quando encontraram mudanças no exame, ou seja, algo está anormal. O positivo da colonoscopia não indica sempre câncer, como muitas pessoas pensam e se preocupam.

As mudanças podem indicar a presença de pólipos, diverticulose, lesões que causam sangramentos (úlceras), colite, ou ainda, tumores cancerígenos.

Existe, ainda, o resultado inconclusivo. Neste caso, a avaliação da parede intestinal se compromete, e o médico não consegue ter segurança sobre o resultado do exame. Mas fique calmo: só cerca de 4% dos pacientes podem apresentar este resultado. Contudo, o exame talvez precise se repetir dentro de alguns dias.

Preço do exame de colonoscopia

O preço do exame pode mudar de acordo com a cidade, a clínica e, sobretudo, do médico que irá realizar o exame. Além disso, depende também do processo ligado à colonoscopia que os médicos realizarão em conjunto. Embora existam muitas variantes, em média, o exame de colonoscopia simples custa na faixa de 450 a 750 reais.

Por fim, para ver todos os posts gratuitos da Eurekka é só acessar nosso blog, clicando nesse link. Além disso, aproveite e veja também todos os nossos conteúdos no aplicativo e em nossas redes sociais: Instagram,  Facebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Isabela Furlan Franchello

One reply on “Colonoscopia: o que é, para que serve e como é feito o exame”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *