Cloreto de magnésio: para que serve, como tomar e onde comprar

Equipe Eurekka

Você pode já ter ouvido o nome “cloreto de magnésio”. Afinal, hoje em dia, esse é um suplemento bastante consumido e recomendado por especialistas. 

Mas você sabe como ele atua no seu organismo? Esse suplemento tem um papel vital no nosso organismo, e sua falta pode acarretar graves consequências à saúde. 

Inclusive, pesquisas apontam que o cérebro de uma pessoa com deficiência de magnésio pode apresentar falhas e maior dificuldade em criar novas conexões neurais. Assim, nesse post vamos esclarecer as funções deste suplemento e te ajudar a descobrir se ele é uma boa opção para a sua saúde física e mental. 

O que é cloreto de magnésio

cara tomando suplemento

Como o próprio nome indica, o cloreto de magnésio é um suplemento composto do mineral magnésio e do cloro. Nesta junção, o papel do cloro é de facilitar a chegada do magnésio ao intestino para que este se torne mais biodisponível na hora de ser aproveitado pelo corpo.

Portanto, o magnésio é um mineral com funções vitais para a transmissão nervosa, o controle da pressão arterial, a melhora da densidade óssea, entre muito outros benefícios. Ademais, o magnésio é um nutriente capaz de aumentar sua plasticidade cerebral e sua produção de energia e ajuda seu cérebro a trabalhar a todo vapor.

Por fim, o magnésio também atua na saúde dos seus músculos. Por ser o agente principal na transmissão neuromuscular, ele melhora a comunicação entre as células musculares e, assim, otimiza reações como a síntese proteica (precisa para o ganho de massa magra), e o relaxamento e a contração muscular.

Para que serve o cloreto de magnésio

O magnésio auxilia nosso corpo em muitas funções vitais para uma vida saudável. Portanto, ele atua nos nossos músculos, crescimento e regeneração de tecidos, digestão e sistema nervoso, além de reações enzimáticas.

Portanto, ele tem um papel crucial na plasticidade cerebral, que é a capacidade do nosso cérebro de transformar-se ao longo dos anos. Além disso, de acompanhar os estímulos que recebe no nosso dia a dia.

Nesse processo, conforme você tem novas experiência e armazena informações, sinais eletroquímicos são enviados através das sinapses. Assim, o cérebro vai se reestruturando.

Pessoas que praticam atividades físicas e gestantes costumam usar esse suplemento. Mesmo os seus benefícios sendo bons para todo mundo. 

Por fim, na terceira idade, por exemplo, além de prevenir doenças como diabetes e hipertensão, o cloreto de magnésio também otimiza a fixação de cálcio nos ossos, melhora a densidade óssea e reduz as chances da osteoporose. Assim, esse benefício também é útil para crianças em período de crescimento e auxilia na formação de ossos mais fortes.

Benefícios do cloreto de magnésio

cloreto de magnésio

Se você se interessou pelos recursos que o cloreto de magnésio fornece ao organismo, aqui vai uma lista dos benefícios que você pode obter:

– Reduz espasmos e cãibras
– Aumento dos níveis energéticos durante o treino
– Fortalece o sistema imunológico
– Melhora a produção de hormônios ligados à felicidade e ao bem estar. Esse papel auxilia na prevenção e no tratamento da depressão
– Aumento da vitamina D
– Contém atributos anti inflamatórias
– Regulação dos níveis de glicose e insulina, o que ajuda na prevenção e/ou tratamento da diabetes
– Auxilia sua saúde cardíaca, atenua quadros de arritmia e hipertensão, e previne derrames
– Melhora a capacidade do seu organismo de absorver outros minerais e vitaminas
– Melhora o sono, sendo eficaz contra insônia
– Inibe a formação de cálculos renais
– Combate a fadiga crônica, estresse, ansiedade e depressão
– Dá mais energia, disposição e concentração
– Favorece a digestão
– Previne e trata a perda de audição
– Melhora funções hepáticas

banner nutri

Principais benefícios do uso do cloreto de magnésio

Abaixo, explicamos um pouco mais afundo os principais benefícios do uso do cloreto de magnésio. Confira:

Diabetes

Pessoas com diabetes têm menos magnésio no organismo, pois ele é excretado com a glicose extra presente no sangue. Por isso, sua suplementação de cloreto de magnésio, em diabéticos, ajuda no controle do quadro.

TPM e cólicas menstruais

Estudos apontam que a suplementação desse mineral ajuda a reduzir a TPM e também as cólicas menstruais, quando tomado antes da menstruação

Crises de asma

O cloreto de magnésio ajuda na dilatação de estruturas que levam o ar que você respira para seus pulmões, evitando crises respiratórias.

Enxaqueca

O magnésio também tem o poder de relaxar os vasos sanguíneos, ajudando na enxaqueca.

Contração muscular

Quando você pratica muita atividade física, pode acabar perdendo magnésio no suor. Isso se torna um problema pois o mineral é muito vital para a contração muscular, incentivando também o relaxamento, depois. Por isso, quem suplementa cloreto de magnésio consegue um rendimento melhor nos exercícios

Depressão

Há muito tempo já se fala do auxílio que o magnésio traz para a prevenção e tratamento de quadros de depressão. Em 2013, a Biological Trace Element Research publicou um estudo que comprova a eficiência da suplementação de magnésio contra os sintomas da depressão.

Assim, neste estudo se apontou que em apenas 2 semanas de suplementação com cloreto de magnésio o paciente já sente alguma melhora no quadro.

Como tomar cloreto de magnésio

suplemento cloreto de magnésio

O magnésio está presente, em especial, em alimentos como a banana, as algas, as amêndoas, o feijão e alguns vegetais de folhas verdes. Inserindo esses alimentos na sua dieta você estará ajudando seu corpo a repor magnésio.

Em casos que se precisa de suplementos, não se preocupe pois ela não traz riscos à saúde. É vital que ela seja prescrita por um médico com base em um diagnóstico profundo, levando em conta outros fatores que poderiam desencadear os mesmos sintomas.

Por fim, a melhor forma de ingerir o suplemento é junto com alimentos ricos em carboidratos. Assim, você garante uma mais mineral no organismo.

Quantidade recomendada para o cloreto de magnésio

A suplementação indicada para adultos de de 400 a 1000mg/dia. Ela pode ajudar a evitar a insuficiência do mineral, visto que alimentos ricos em magnésio precisam ser consumidos em grandes quantidades para a ingestão de uma quantidade adequada de magnésio.

Ademais, é vital evitar tomar o suplemento acompanhado de refeições que contenham muitas fibras alimentares, fitatos, oxalatos e fosfatos. Pois, ao se ligarem ao magnésio, eles formam uma estrutura celular difícil de ser sintetizada pelo organismo, resultando em uma menor biodisponibilidade para o corpo.

Além disso, as contraindicações do cloreto de magnésio são raras. Porém, o composto pode apresentar efeitos colaterais como diarreia, náuseas e dores de cabeça.

Por fim, um suplemento de qualidade confiável é identificado pela inscrição “cloreto de magnésio PA” no seu rótulo. Essa sigla “PA” significa “Puro para Análise”, categorizando um produto mais concentrado e de absorção facilitada. 

Efeitos colaterais do cloreto de magnésio

Consumir cloreto de magnésio PA não costuma causar efeitos negativos para a população. Contudo, pode causar enjoo, vômito e diarreia em alguns casos.

Por fim, se considerarmos casos mais extremos, nos quais o consumo exagerado do suplemento seja categorizado como overdose de magnésio, a pessoa pode vir a desenvolver insuficiência renal e depressão do sistema nervoso central. Além disso, sede crônica, arritmia, falta de calcificação óssea, hipotensão e deficiências respiratórias.

Contraindicações para o cloreto de magnésio

tomando  cloreto de magnésio

Embora seja considerada uma substância segura, não se indica o cloreto de magnésio para pessoas com quadros de insuficiência renal. Essa contra indicação se deve ao fato de seus organismos terem alta dificuldade de excretar o mineral.

Além disso, o consumo de cloreto de magnésio por uma pessoa que não possui falta desse mineral não causará efeito algum. 

Causas e sintomas de baixos níveis de cloreto de magnésio

Embora muito se fale dos benefícios do magnésio no corpo humano, várias pessoas sofrem de falta desse mineral sem nem mesmo perceber. Mesmo que pouco comentada, a insuficiência de magnésio no organismo é mais comum do que se imagina.

A necessidade diária de magnésio no corpo de uma pessoa adulta é de 310mg a 420mg. Mas, devido a uma dieta pobre em nutrientes, muitas pessoas falham em atingir esse meta de ingestão do magnésio.

A falta de magnésio pode ser causada pelo baixo consumo de alimentos ricos no mineral. Porém, ela também pode ser causada pela fato do solo brasileiro ser pobre em minerais como este. 

Ademais, um outro fator com papel contribuinte para a insuficiência de magnésio é o consumo em excesso de alimentos processados. Além disso, isso é muito presente na rotina alimentar da população atual.

Assim, a maioria dos sintomas da insuficiência de magnésio no organismo são silenciosos e quase imperceptíveis, e podem até ser confundidos com sintomas de outras doenças. Sintomas como apatia, fadiga, insônia, fraqueza muscular, cãibras, constipação e taquicardia podem representar pouca quantidade deste mineral no seu organismo.

Por fim, a necessidade diária de magnésio no corpo de uma pessoa adulta é de 310mg a 420mg.

Principais sintomas da falta de magnésio

  • Osteoporose
  • Alterações no sistema nervoso, como: tremores, insônia e depressão
  • Insuficiência cardíaca
  • TPM
  • Falta de apetite
  • Diabetes mellitus
  • Cãibras
  • Problemas de memória
  • Sonolência

Alimentos fortes em magnésio

alimentos mg

A maioria das pessoas não consome a quantidade devida de ingredientes ricos em magnésio. Mesmo que eles venham em grande variedade.

Mas, alguns ajudes nos seus costumes alimentares podem abrir portas para uma vida mais saudável. Pelo menos quando se fala de consumo de magnésio.

Além disso, alguns dos alimentos que você pode inserir na sua dieta para melhorar os níveis desse mineral são:

Sementes de abóbora

As sementes de abóbora costumam conter cerca de 74 mg de magnésio em cada meia xícara do alimento. Elas são bastante equilibradas quanto à proporção de carboidratos, proteínas e gorduras saudáveis.

Sementes de abóbora são um ótimo acompanhamento para pratos com cereais, como a aveia, e também combinam muito bem com saladas, adicionando crocância ao prato. 

Folha de beterraba

Embora não seja comum vermos pratos que contenham folhas de beterraba na sua composição, esse alimento costuma conter cerca de 49 mg de magnésio para cada meia xícara de folhas cozidas. As folhas contém 11% do valor diário recomendado de magnésio e cerca de 14% de potássio (mais do que uma banana!). 

Uma boa opção para começar a consumir as folhas da beterraba são usadas como substituição em pratos que levariam espinafre ou couve refogados

Abacates

A cada abacate que você come, você está ingerindo cerca de 39 mg de magnésio. Além da concentração do mineral, esse alimento também ajuda na redução de inflamações, na melhora dos níveis de colesterol e no aumento da sensação de saciedade após as refeições

Amêndoas

Ricas em vitamina E, as amêndoas atuam como um antioxidante que mantém o sistema imunológico forte e uma visão saudável.

Amêndoas costumam conter cerca de 77 mg de magnésio em cada porção de 28 gramas.

Nozes

Muitas nozes também costumam ser uma ótima fonte de fibra e gordura boa. Além disso, elas também auxiliam no controle dos níveis de  açúcar e colesterol no sangue de diabéticos. 

Manteiga de castanha de caju

Essa manteiga pode ser usada para substituir a feita de amendoim. Ela é bastante rica em magnésio, chegando a atingir uma proporção de 66 mg de magnésio para cada 2 colheres de sopa do alimento.

Peixes Gordurosos

O consumo de peixe ajuda a reduzir o risco de várias doenças cardíacas e outras doenças crônicas. Além de ser rico em selênio, potássio e vitaminas do complexo B, o peixe também é um alimento rico em magnésio.

Ameixas secas 

Ameixas secas ajudam a regular o intestino, por serem ricas em fibras e magnésio, que auxilia o sistema digestório. Você pode encontrar 71 mg de magnésio em cada xícara deste alimento.

Feijão Branco 

Estes grãos são cheios de magnésio, fibras e proteínas vegetais. 

Vá além do feijão por cima ou por baixo do arroz e tente fazer saladas, hambúrgueres e purês deste alimento. A cada meia xícara que você consumir, estará ingerindo 61 mg de magnésio.

Grão-de-bico (35 mg em cada ½ xícara cozida)

Além de ser rico em magnésio, o grão-de-bico, e outras muitas leguminosas. Contém, também, potássio e ferro.

Este alimento é muito usado na cozinha árabe. Sendo base para pratos deliciosos como o homus é o falafel. Em cada meia xícara deste alimento, você encontra 35 mg de magnésio.

Chocolate Amargo (70% cacau, 65 mg em cada 28 gramas)

Se você ama chocolate, vai amar ainda mais essa dica: comer 28 gramas de chocolate amargo (70% cacau) traz mais 68 mg de magnésio para a sua dieta (isso significa 15% da sua necessidade diária!).

Por fim, você não precisa suplementar para garantir um corpo que funciona com a quantidade correta de magnésio. Inclua esses alimentos na sua dieta e tenha uma vida mais saudável!

Materiais gratuitos da Eurekka sobre saúde

sede presencial eurekka

Para descobrir mais dicas sobre saúde e explicações sobre inúmeras doenças, não deixe de conferir o material que a Eurekka tem prontinho pra você aqui no blog. Para saber mais sobre nossos atendimentos médicos é só clicar nesse link.

Além disso, a Eurekka também conta com atendimento psicológico, tanto online quanto presencial. Para saber sobre nossa terapia é só clicar aqui.

Por fim, nós temos diversos materiais gratuitos, como esse que você acabou de ler, aqui em nosso Blog. Aproveite também e confira todos conteúdos em nossas redes sociais: InstagramFacebook e Youtubee aproveite para baixar o nosso aplicativo!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 4.83

Equipe Eurekka

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *