Climatério é igual menopausa? Sintomas, fases e como tratar

Laura Almeida

Com o aumento da expectativa de vida, as mulheres passam por uma fase da vida feminina que poucos conheciam antes: a menopausa. Este é um marco normal de ficar mais velha. Contudo, só estudaram o climatério há algumas décadas, pois só agora as mulheres estão “alcançando” essa fase.

O climatério é o fim natural da fertilidade feminina. Ele ocorre quando ficamos mais velhas, com a menor produção de hormônios nos ovários, levando a vários sintomas.

Algumas mulheres não sentem tantas mudanças neste período. Contudo, outras podem sofrer muito com as mudanças. Ao tratar de forma adequada, elas podem passar por essa fase com menos sintomas e mais saúde.

climatério e menopausa, períodos da vida da mulher

O que é climatério?

O climatério é o período de redução de fertilidade, que ocorre aos poucos. Além disso, essa redução ocorre por uma menor produção de estrogênio pelo ovário. Ou seja, ocorre antes e depois da menopausa

A menopausa é o período de 1 ano após a última vez que a mulher menstrua. Além disso, só se pode saber que a mulher passou pela menopausa após o período, pois é preciso contar de forma retroativa. Além disso, é vital excluir causas naturais (como gravidez) e doenças que possam parar a menstruação

Assim, o climatério é uma transição entre a fase reprodutiva da mulher e a fase pós-menopausa. Lembre que não é uma doença; é uma parte normal do ciclo de vida da mulher conforme ela envelhece.

Quando inicia o climatério?

O climatério tem início em média aos 50 anos de idade e ocorre com o envelhecer natural da mulher. 

Alguns tratamentos específicos como o do câncer, por exemplo, podem adiantar a menopausa. Mas, se não houver nada para interferir, o climatério natural ocorre por volta de 50 anos.

Principais sintomas do climatério

Os sintomas do climatério são causados pelas mudanças hormonais. Isso porque, nesse período, há redução de estradiol e progesterona.

endometriose

Efeitos internos das mudanças hormonais

Essas mudanças hormonais podem causar:

  • Coração: o estrogênio é um hormônio que “protege” o sistema cardiovascular. Quando ele está baixo, temos redução do colesterol total, redução do colesterol “bom” e aumento do  “ruim” e piora da dilatação dos vasos, dentre outros. Assim, a mulher no climatério tem maior risco de doenças que afetam o coração, como hipertensão.
  • Sistema nervoso: pode sentir dores de cabeça fortes. Também pode haver tonturas, insônia, perda de memória, fadiga e parestesia. 
  • Sistema reprodutor: a redução de hormônios pode reduzir a lubrificação natural, e a mucosa vaginal fica menos irrigada. Chamamos esse quadro de atrofia vaginal e pode fazer com que sangre e/ou sinta dor na relação sexual.
  • Osteoporose: a osteoporose é quando os ossos ficam mais frágeis. A mudança dos hormônios leva a um desbalanço na produção e reabsorção de ossos. Em condições normais, o corpo produz e reabsorve partes dos ossos sem problemas. No entanto, na menopausa, as mudanças hormonais aumentam a reabsorção óssea, levando a ossos menos densos

Além disso, ossos pouco densos são mais frágeis e podem se quebrar com impactos menores, que antes não levariam a isso. O sintoma mais comum é a dor nas costas, em especial na região lombar. 

Efeitos externos das mudanças hormonais

Essas mudanças nos hormônios causam efeitos mais perceptíveis no dia a dia. Veja a seguir.

fogachos e ondas de calor climatério e menopausa
  • Fogachos ou ondas de calor: ocorrem por redução de estrogênio. É um calor na pele muito forte, junto com suor intenso no local.
  • Mudanças na pele: com a redução de estrogênio, podem ocorrer grandes mudanças na pele. Há menos hidratação e elasticidade, além de as unhas e cabelos crescerem menos.
  • Emocionais: depressão, irritabilidade, ansiedade, nervosismo, distúrbio do sono, menos concentração, labilidade afetiva, sintomas depressivos e redução de autoestima
  • Sistema urinário: a uretra fica mais curta e seu revestimento fica mais fino. Essas mudanças podem levar a mais infecções urinárias do que antes. Além disso, a mulher pode ter uma sensação de urgência para urinar, chamada de incontinência urinária de urgência.

Além disso, há aumento de risco de doenças como diabetes e hipotireoidismo.

Qual a diferença entre climatério e menopausa?

O climatério é o período antes, durante e depois da menopausa. A  menopausa é o período de um ano após a última vez que a mulher menstruou. Apesar de muitas vezes serem usados como se fossem a mesma coisa, não são. Afinal, a menopausa está dentro do período do climatério.

Fases do climatério

Perimenopausa: é a fase antes da menopausa. Há queda gradual do estrogênio feito pelos ovários. Assim, essa queda leva a um dos principais sintomas do período: a menstruação irregular e os ciclos menstruais podem demorar mais para ocorrer. 

Menopausa: a menopausa é quando não há menstruação por 12 meses seguidos. Essa falta de menstruação não pode ser por gravidez ou por alguma doença. Nessa fase, então, os ovários quase não produzem mais estrogênio.

Pós-menopausa: essa fase vem após o período de menopausa, quando os sintomas do climatério podem se intensificar.

reposição hormonal para climatério

Qual o melhor tratamento?

É vital ter uma boa avaliação de como tratar o climatério. Além disso, ter um médico ginecologista para indicar é melhor. É individualizado e pode ser feito pela terapia de reposição hormonal. Por fim, além dessa forma de tratar, é bom manter hábitos saudáveis.

Terapia de reposição hormonal

A reposição hormonal pode ajudar tanto nos sintomas físicos quanto nos emocionais. Por isso, indica-se em casos de atrofia urogenital, calorões e prevenção da osteoporose.

É contraindicado para mulheres que tiveram trombose aguda, doenças no fígado, câncer de mama ou de endométrio, sangramento vaginal sem diagnóstico e porfirias. Além disso, o médico deve avaliar casos de trombose venosa profunda, hipertensão, diabetes, miomas, lúpus ou melanoma

Hábitos saudáveis

Praticar exercícios, comer bem e ter um suporte psicológico são bons em qualquer tratamento. Então, no caso do climatério, não é diferente: junte a reposição hormonal com bons hábitos para ser mais efetiva.

médicos para climatério e menopausa na Eurekka

Tratamento de climatério com a Eurekka Med

Por fim, você sabia que a Eurekka tem uma equipe de médicos muito preparada para ajudá-lo a passar pelo climatério?

Na EurekkaMed, a gente entende que as mulheres podem e devem passar pelo período do climatério com muita qualidade de vida. Ou seja, trabalhando, namorando e fazendo muitos projetos.

Gostou? Para ver todos os posts gratuitos da Eurekka é só acessar nosso blog, clicando nesse link. Além disso aproveite e veja também todos os nossos conteúdos no nosso aplicativo e em nossas redes sociais: Instagram,  Facebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Laura Almeida

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.