Guia completo sobre cleptomania: o que é, sintomas e como tratar

Equipe Eurekka

Você já viu algum filme com cenas engraçadas de alguém roubando algo por impulso? Muitas vezes, a cleptomania é retratada de forma cômica, mas a verdade é que esse é um distúrbio real e que causa muito sofrimento. 

Por isso, é muito importante que você entenda sobre o assunto, tanto para saber identificar os sintomas, quanto para ser uma pessoa mais consciente em relação aos distúrbios que afetam muitas pessoas.

Então, confira agora esse guia completo com tudo o que você precisa saber. Boa leitura!

O que é cleptomania?

A Cleptomania é um tipo de transtorno de controle de impulsos. Ou seja, é uma falha em resistir aos impulsos de roubar objetos que não são necessários ou objetos com valor monetário alto. 

Diferente do que muitas pessoas pensam, o cleptomaníaco não tem más intenções, mas sim um impulso que ele não consegue controlar.

Sintomas da cleptomania

  • Forte tensão antes de cometer o furto;
  • Grande alívio na hora em que o furto é cometido;
  • Os furtos não acontecem de forma planejada;
  • O roubo é cometido sem a ajuda de outras pessoas;
  • Culpa e humor deprimido após o furto.

Qual o perfil do cleptomaníaco? 

O cleptomaníaco não planeja roubar algo, pois o impulso acontece de forma repentina. Assim, ao estar diante de alguma situação, como ir ao supermercado, ele sente forte compulsão por roubar certo objeto, mesmo que ele tenha dinheiro para pagar ou nem mesmo tenha necessidade de tal coisa. 

Dessa forma, o cleptomaníaco tenta, mas não consegue resistir ao impulso e sente muita tensão. Assim, ele pega o objeto e, após o roubo, sente forte prazer momentâneo.

Porém, por ter consciência de que está fazendo algo errado e sem sentido, depois do ocorrido se sente muito mal por ter roubado, entrando em um estado depressivo e de muita culpa.

Além disso, o cleptomaníaco pode colecionar os objetos roubados, tentar devolver ou até mesmo doar.

cleptomania rouba dinheiro

Quais são as causas da cleptomania?

Segundo o DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), ainda não se sabe ao certo quais são as causas da cleptomania. Mas estudos têm apontado que pode ser algo relacionado aos neurotransmissores. Por exemplo, níveis baixos de serotonina que causam maior impulsividade.

Além da rota de outros neurotransmissores, como a dopamina

Quanto aos fatores genéticos, não há estudos controlados sobre o assunto. Mas, o que se sabe é que parentes de primeiro grau de alguém cleptomaníaco são mais propensos a ter TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) e transtornos por abuso de álcool. 

Possíveis riscos para os cleptomaníacos

Aqueles que sofrem com a cleptomania correm riscos tanto por fatores internos, como a ansiedade, estresse, depressão e culpa por não resistirem ao ato de roubar. Quanto por fatores externos, como problemas legais ao serem vistos roubando, problemas familiares e profissionais

Há cura para a cleptomania? 

A cleptomania é um transtorno que não tem cura. Mas existem meios de lidar com esse problema. Através da terapia, e se necessário do uso de remédios, a pessoa aprende técnicas para não ceder aos impulsos e controlar a ansiedade e o estresse.

Assim, apesar de sentir o impulso para roubar, a pessoa não realiza o furto, porque usa ferramentas de autocontrole. O auxílio de um psicólogo para lidar com a cleptomania faz toda a diferença no tratamento, pois você será acompanhado por alguém certificado em saúde mental. Os psicólogos da Eurekka são humanizados e irão te ajudar a ter mais controle dos impulsos. Clique no banner para saber mais.

banner terapia saúde mental com a eurekka

Como ajudar um cleptomaníaco?

O primeiro passo para ajudar um cleptomaníaco é não julgar. É necessário entender a dor de quem passa por um transtorno como esse e ter a certeza de que a pessoa não quer fazer aquilo. 

Mostrar que compreende a situação e que você não a vê como um criminoso já é de grande ajuda. 

O segundo passo é incentivar o cleptomaníaco a procurar ajuda de um psicólogo, pois só esse profissional poderá dar um diagnóstico sério e ensinar à pessoa as melhores ferramentas para lidar com esse transtorno. 

Por fim, dar todo o  apoio possível é essencial. Tanto para que o cleptomaníaco siga firme no tratamento, quanto contribuir para o bem-estar dessa pessoa. 

Como lidar com a cleptomania?

Se você é quem sofre com a cleptomania, ou alguém próximo a você, é essencial conhecer essas 3 dicas para lidar melhor com esse transtorno.

Separamos para você dicas práticas, mas muito importantes. Confira!

Perceba quais são os gatilhos

O primeiro passo é saber reconhecer o que estimula mais o impulso de roubar. Se é determinado lugar, se é o estresse, a ansiedade, a hora do dia e outros. Ou seja, é sobre saber analisar em quais momentos/lugares o impulso do furto acontece de modo mais forte.

Assim, será possível evitar esses gatilhos, tornando mais fácil evitar a situação. 

Aprenda a controlar o estresse e a ansiedade

O estresse e a ansiedade podem ser gatilhos muito fortes para atitudes tóxicas, por isso saber reconhecer os sintomas do estresse e da ansiedade é vital para evitar tomar atitudes impulsivas.

E para ajudar você nessa jornada, clicando aqui você vai encontrar o Constellation, nossa página com exercícios de controle de estresse, ansiedade e outros. 

Assim você terá uma carta na mão para ajudar você a ficar mais calmo e menos ansioso, tendo mais chance de conseguir evitar os impulsos. 

Faça tratamento psicológico

O terapeuta é o profissional que sabe como diagnosticar alguém e como ensinar essa pessoa a lidar com o transtorno. Sendo assim, ele é a pessoa ideal para cuidar de alguém que sofre com a cleptomania.

Por mais que as intenções dos familiares e amigos sejam boas, apenas o psicólogo tem o que é necessário para ajudar essa pessoa de modo efetivo e humanizado. Por isso, procurar essa ajuda é fundamental. 

Como é o tratamento para cleptomania?

Como falamos acima, o tratamento da cleptomania é feito com terapia para que, assim, o paciente consiga entender suas emoções, lidar com os impulsos e outras questões mentais relacionadas à cleptomania.

Dessa forma, ele irá aprender a substituir comportamentos negativos por comportamentos saudáveis que o ajudem a viver bem mesmo com o transtorno. 

Além disso, em conjunto com a terapia, pode ser necessário o uso de medicamentos, como antidepressivos e ansiolíticos. Uma vez que esses remédios ajudam a controlar questões orgânicas do corpo, aliviando os sintomas. 

sede da Eurekka

Tratamento para cleptomania na Eurekka

Se você se identificou com os sintomas desse texto, ou conhece alguém que age assim, pode ser que seja um caso de cleptomania.

Então, se você quer receber um diagnóstico completo, com psicólogos experientes e sem nem precisar sair de casa, a Eurekka é o caminho.

Somos a maior clínica de psicoterapia do Brasil e garantimos que nosso serviço irá ajudar você. Clique aqui e marque já sua consulta!

Este artigo te ajudou?

0 / 3 3

Equipe Eurekka

One reply on “Guia completo sobre cleptomania: o que é, sintomas e como tratar”

Fui vítima de uma cleptomaniaca,mas jamais teria coragem de abordar o assunto c ela… o que fazer nesse caso?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *