Apendicite: o que é, sintomas, qual lado dói e mais!

Sara Alves


A apendicite é um condição comum nas emergências dos hospitais, causando muita dor e podendo evoluir para complicações importantes. Por isso, saiba mais sobre ela através do nosso blog!

O que é apendicite?

apendicite

Em primeiro lugar, a apendicite é a condição inflamatória do apêndice, um pequeno órgão linfático localizado na base do ceco, a primeira parte do intestino grosso.

Além disso, esse quadro inflamatório pode ocorrer em qualquer pessoa, desde crianças até idosos. Entretanto, acontece com mais frequência em pessoas entre os 20 e 30 anos de idade.

Apendicite aguda

A apendicite aguda é a causa mais comum de cirurgia abdominal de emergência em todo o mundo. Se não tratada, pode levar ao abscesso, à infecção generalizada e até a morte.

Sintomas de apendicite

Alguns sintomas da apendicite, são:

  • Náusea e vômito
  • Perda de apetite
  • Febre baixa
  • Constipação ou diarreia
  • Inchaço abdominal
  • Flatulência

Em que lado dói?

O apêndice está localizado na parte inferior direita do abdômen, ou seja, fortes dores no lado direito, próximo ao umbigo e abaixo deste, são um dos principais sintomas da apendicite.

Causas

A princípio a causa da apendicite não é de todo compreendida e o mais provável é que ocorra em decorrência de um bloqueio da luz do apêndice (a parte de dentro do órgão por onde passam as fezes).

Em outras palavras, o acúmulo de fezes endurecidas ou hiperplasia linfoide (que é o aumento do número de linfócitos na parede do apêndice) geram o bloqueio da passagem das fezes .

Com o apêndice bloqueado, ocorre a rápida multiplicação de bactérias no local, estabelecendo um quadro infeccioso e, dessa forma, fazendo com que o órgão fique inflamado, inchado e com presença de pus.

Diagnóstico da apendicite

O diagnóstico da apendicite é clínico e baseado no exame físico e nos sintomas do paciente. Porém, como existem outras condições que causam sintomas semelhantes, os exames de imagem auxiliam na confirmação.

Exames para confirmar o diagnóstico:

  • Ultrassonografia
  • Tomografia computadorizada

Os exames confirmatórios são necessários, em especial em pacientes mulheres, para diferenciar a apendicite de doenças do sistema genital feminino como inflamação de útero e ovário.

Tratamento

apendicite cirurgia

O tratamento da apendicite se dá através da remoção cirúrgica do apêndice. Hoje em dia, a cirurgia pode ser feita tanto por incisão quanto por laparoscopia. Esta é uma técnica menos invasiva, em que a cirurgia é feita por meio de três pequenos furos na região abdominal.

O que fazer em caso de suspeita de apendicite?

Em caso de suspeita, deve-se procurar um médico com urgência para esclarecer o diagnóstico. Isso porque cuidado adequado diminui as chances de complicações.

Possíveis complicações

Peritonite        

A abertura do apêndice espalha a infecção pelo peritônio – camada que recobre toda a parede e órgãos do abdome. Assim como essa condição exige uma intervenção cirúrgica rápida, também precisa de um longo tratamento com antibióticos para combater a infecção.

Abscesso Abdominal

Se o apêndice estourar, pode se desenvolver uma bolsa de infecção (abscesso). Em seguida, com frequência o médico drena o abscesso colocando um tubo através da parede abdominal, onde ele permanece por cerca de duas semanas. Além disso, é realizado tratamento com antibióticos. Logo depois da eliminação da infecção, é feita a cirurgia para remoção do apêndice.

5 perguntas e respostas sobre apendicite

Agora, vamos conferir algumas das questões mais frequentes sobre a apendicite.

1. Ter apendicite na gravidez é grave?

Ter apendicite na gravidez é grave?

A apendicite na gravidez traz um desafio a mais no diagnóstico, pois o estado de gravidez pode mascarar o quadro clínico, porque os sintomas podem se confundir.

Ademais, o médico examina as mulheres com gravidez com mais dificuldade devido ao tamanho do útero. As expectativas de franca recuperação são boas quando o médico diagnostica e trata de forma adequada a apendicite.

Porém, em caso de complicações, como a peritonite, pode ocorrer o risco aumentado de trabalho de parto prematuro e aborto.

2. A apendicite sempre precisa de cirurgia?

O tratamento padrão é a cirurgia, estratégia utilizada com êxito na maioria dos casos e eficaz em prevenir a recorrência do quadro infeccioso. Contudo, embora incomum, alguns casos brandos de apendicite podem ser tratados apenas com antibióticos.

3. Como é a recuperação da cirurgia de apendicite?

O tempo de recuperação tende a ser pequeno e a maioria das pessoas deixa o hospital entre 24h e 48h após a cirurgia. Em casos mais complicados, que envolvem peritonite, por exemplo, este tempo pode se estender por uma semana ou mais.

Nos primeiros dias após a operação, é provável sentir dor, que diminui com o tempo; o uso de analgésicos pode ajudar, se necessário.

O paciente às vezes apresenta constipação por um período depois da cirurgia, portanto, a alimentação deve ser adequada para ajudar a evacuar e não gerar gases. Pergunte ao seu médico e ele orientará.

Além disso, é necessário tomar os cuidados necessários com o corte e evitar atividades que envolvam esforço físico por pelo menos duas semanas. O médico deve discutir com o paciente medidas específicas para cada caso.

4. Existem alimentos que causam apendicite?

A causa é complexa e envolve vários fatores, ou seja, não existe um único fator que provoque essa condição.

Sementes de frutas e de vegetais não digeridas pelo ser humano, por exemplo, sementes de uva, figo e laranja, podem se acumular. Isso, por sua vez, contribui para o bloqueio do apêndice como algumas pesquisas sugerem. Apesar disso, ainda não existe consenso sobre essa questão. Segundo estudos, encontram-se caroços ou sementes em apenas 0,1% do total de casos de apendicite.

Portanto, não existe nenhuma relação comprovada entre consumo de frutas com sementes ou qualquer outro alimento e o aumento do risco de apendicite.

5. A dor da apendicite dura quantos dias?

Antes de mais nada, a apendicite aguda clássica, em geral, tem sintomas severos que aparecem e se agravam entre 24h e 48h, exigindo tratamento imediato.

Algumas apendicites crônicas possuem sintomas menos graves Como resultado disso, elas duram por um longo tempo (mais de um mês) e a piora da doença para a apendicite aguda que faz ela ter um diagnóstico por um médico.

endometriose

Buscando ajuda médica

Nesse sentido, ao ter sintomas da apendicite, é de suma importância consultar um médico imediatamente para diagnosticar o caso. Afinal de contas, quanto mais precoce o problema for descoberto, menores as chances de complicações para o paciente.

Por fim, para ter acesso a todos os posts da Eurekka é só acessar nosso blog, clicando nesse link. Além disso, aproveite e veja também todos os nossos conteúdos no nosso aplicativo e em nossas redes sociais: Instagram,  Facebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 0

Sara Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *