Antidepressivos: o que são, tipos, efeitos colaterais e como tomar

Júlio César Castro Silva

A depressão é uma doença que afeta várias pessoas nos dias atuais. E muitas vezes, usar antidepressivos é preciso. Apesar de muito utilizados e conhecidos, eles ainda podem causar confusão para quem sofre com depressão.

Então, se você quer saber o que são esses remédios, para que servem, como tomar, quais são os efeitos colaterais, continue a leitura!

O que são antidepressivos?

São remédios que agem no cérebro humano. Eles têm a função de pôr em ordem as moléculas que nos fazem sentir prazer, felicidade, euforia, amor e outras sensações.

Os antidepressivos são todos iguais?

Eles não são todos iguais, pois há várias classes de antidepressivos que agem de formas diferentes. Por isso, não adianta você pedir o nome do remédio que seu vizinho ou amigo usa. Ele pode não funcionar da mesma maneira para você.

Tipos de antidepressivos

Com o passar do tempo, novos remédios foram criados para se ter respostas mais rápidas e eficazes, bem como reduzir efeitos ruins.

Antes de você seguir, é importante entender que o seu cérebro está sempre soltando substâncias e, após o seu uso, ele “recolhe” elas. A recaptação é esse processo de “rescolher” os chamados neurotransmissores.

Mais abaixo você vai ver que vários remédios agem, de uma forma ou de outra, nessa dinâmica. Também é bom saber que, quando um remédio impede a recaptação de algum neurotransmissor, quer dizer que ele permanece ativo por mais tempo, o que ajuda no combate à doença.

Inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS)

Escitalopram, fluoxetina e sertralina são exemplos dessa classe. Muio populares, você talvez conhece alguém que já utilizou algum deles.

Mas como eles atuam em nosso corpo? Em geral, a serotonina ajuda a manter o nosso humor, apetite, sono e memória. Ao fazer uso desses remédios, eles impedem a recaptação dessas moléculas. Assim, elas ficam mais disponíveis para agir.

Inibidores seletivos da recaptação de noradrenalina (ISRN)

De uma forma simples, a noradrenalina atua na regulação do humor, aprendizado e memória, e promove disposição. Ao usar esta classe, você sentirá mais os efeitos dessa molécula no seu corpo, o que leva a uma maior sensação de bem-estar.

Inibidores seletivos da recaptação de serotonina e noradrenalina (ISRSN)

Como o próprio nome diz, esse tipo de remédio é como uma junção dos dois anteriores. Nesse sentido, ele trava a recaptação desses dois neurotransmissores, o que faz com que a pessoa se sinta melhor.

Inibidores seletivos da recaptação de dopamina (ISRD)

A dopamina influencia as nossas emoções, aprendizado, humor e atenção. Ao usar essa classe, você terá mais dopamina disponível. 

Inibidores da monoaminoxidase (IMAO)

A MAO é uma enzima que tem a função de degradar a noradrenalina, serotonina e dopamina. Ao usar remédio dessa classe, ocorre a inibição da enzima o que, por sua vez, aumenta o nível de dopamina no seu cérebro.

Com isso, você se sente melhor, mais feliz e disposto.

Antidepressivos tricíclicos (ADT)

antidepressivos

Eles foram os primeiros a serem usados em tratamentos. Mas, nos dias atuais, foram trocados por outros mais seguros, sendo usados no TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), déficit de atenção, pânico, fobia e casos de ansiedade.

Antidepressivos tetracíclicos (ADTC)

São bem parecidos com os ADTs. Também ajudam no combate à depressão mas, em vários pontos, são mais seguros.

Antidepressivos atípicos

Essa classe é a mais recente. Já se sabe que alguns remédios contra a depressão podem ter efeitos colaterais que incomodam bastante quem os consome.

Uma das grandes vantagens dos atípicos é a redução nesses efeitos, o que permite que o paciente se recupere de forma mais tranquila.

Antidepressivos melatoninérgicos

Finalizando, essa é a classe mais nova do mercado. Eles causam um sono tranquilo e evitam a perda da libido.

Antidepressivos curam a depressão?

Eles não curam a depressão. No entanto, diminuem os sintomas da doença para que você tenha uma melhor qualidade de vida. Entretanto isso não quer dizer que você irá tomar esses remédios pelo resto da sua vida.

A depressão é uma doença que afeta a rotina e a vontade da pessoa. Nesse sentido, para chegar na cura da depressão o melhor caminho envolve mudança de hábitos e uma reestruturação da rotina.

Além disso, em certos casos, dependendo de como estiver o paciente, pode haver a recomendação de antidepressivos. Sendo assim, esse medicamento pode ser de grande ajuda no tratamento e não deve ser visto como sinal de fraqueza ou motivo de vergonha.

Se você vem se sentindo triste, sem disposição, sem vontade de fazer coisas que te davam prazer, pode ser importante ficar atento aos sintomas da depressão. Nesse caso, se você crê que pode estar se encaixando na doença, a Eurekka pode te ajudar.

Nós temos serviços de terapia e psiquiatria que podem dar o impulso que você precisa para começar a melhorar. Nossos médicos são atenciosos e humanizados e, para marcar a sua consulta, basta clicar no banner abaixo.

banner eurekka med

Como e quando tomar antidepressivos?

O uso de antidepressivos varia de caso para caso e, por conta disso, antes de mais nada apenas um médico psiquiatra pode avaliar se você precisa ou não do medicamento.

Um dos pontos levados em consideração é se apenas a terapia pode ser suficiente. Caso o médico entenda que é necessário o uso do medicamento para auxiliar na recuperação, ele passará a receita junto com as instruções sobre quando e como tomar o remédio.

Por quanto tempo tomar?

Seu médico irá definir quanto tempo você precisa tomar, pois isso varia de pessoa para pessoa. 

Em alguns casos, será um curto período como 6 meses, mas também pode ser preciso tomar por mais tempo dependendo  da resposta do corpo aos remédios. 

Além disso, os antidepressivos não são como remédios para a dor, gripe ou febre que você sente efeitos em poucos minutos.

Eles só passam a fazer algum efeito depois de 2 a 6 semanas por atuarem de uma forma diferente, causando algumas mudanças no seu corpo e sistema nervoso. Por isso, nos primeiros dias, você poderá não sentir nenhuma melhora. 

Mas isso não significa que o remédio não está fazendo efeito. Então, nunca abandone o tratamento por conta própria!

Como iniciar o tratamento com antidepressivos?

Antes de tudo, é preciso que você marque uma consulta com um psiquiatra. Ele é a pessoa que sabe qual o melhor remédio de que você precisa, de acordo com o que você estiver sentindo. 

Como escolher o antidepressivo ideal

O médico saberá escolher o melhor remédio para o paciente de acordo com as necessidades individuais, levando em conta o preço, efeitos colaterais, segurança, sintomas, tolerância do paciente, histórico familiar.

Além disso, o médico colherá outras informações para que ele tenha certeza do melhor tratamento.

Preciso de receita médica?

A receita médica é obrigatória, então não adianta ir à  farmácia querendo um remédio controlado sem uma receita médica. Apenas depois de uma consulta médica e com uma receita em mãos você irá conseguir o remédio.

Nomes de antidepressivos (tabela – princípio, nome comercial e tipo)

Aqui a gente trouxe alguns dos antidepressivos mais usados nos dias de hoje:

Tabela antidepressivos

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns são: boca seca, dor de cabeça, ganho de peso, tremores, diminuição do apetite e da vontade de fazer sexo, muito suor, perda do sono, nervosismo, entres outros.

Cada pessoa pode sentir efeitos diferentes no corpo. Mas nunca deixe de tomar o remédio por conta disso. Procure um médico para que ele possa te avaliar. Caso seja preciso, ele poderá mudar a sua medicação para que você se sinta melhor.

Contraindicações

Em geral, não há contraindicações no uso desses remédios. No entanto, alguns deles não são indicados para idosos, por conta do maior risco de quedas. 

Por isso, a avaliação do médico é essencial antes de iniciar o tratamento. E em caso de dúvida sobre os remédios que você está tomando, sempre procure um profissional da saúde.

Existe algum antidepressivo natural?

Mudar hábitos pode melhorar quadros de depressão. Por exemplo, praticar atividades físicas, comer bem e ter uma boa noite de sono ajudam bastante.

Exercício físico

Realizar exercícios físicos de forma regular melhora o humor e diminui sentimentos de estresse e tristeza. Mas por que isso ocorre? O nosso corpo, ao fazer alguma atividade física, libera a endorfina, o famoso hormônio da felicidade, o que alivia as tensões e regula as emoções.

Ademais, o exercício auxilia o sono. Em geral, pessoas depressivas trocam o dia pela noite ou têm problemas para dormir, por conta de muita ansiedade e estresse. Com a prática de exercícios físicos, o sono fica mais equilibrado.

Dieta equilibrada e alimentos antidepressivos

antidepressivos alimentação

Os alimentos que combatem a depressão são ricos em nutrientes que ajudam a aumentar os níveis de serotonina para promover a sensação de bem estar e melhorar o humor. 

Assim, alguns deles devem ser incluídos na alimentação do dia a dia:

  • Triptofano e ômega-3, encontrado em carne, peixe, frutos do mar, ovo, castanha, amendoim, ervilha, couve-flor, banana, grão-de-bico, abacate, aveia, chocolate amargo;
  • Cálcio, presente no leite e derivados;
  • Magnésio, encontrado no chocolate, castanhas, amêndoas, sementes de abóbora, arroz integral, gérmen de trigo, aveia, abacate e banana;
  • Vitaminas do complexo B, presentes em espinafre, couve manteiga, leite e derivados, fígado, frango, ameixa e melancia;
  • Vitamina C, presente na acerola, goiaba, abacaxi, laranja, limão, tangerina, amora, framboesa.
  • Fibras, encontradas nas frutas, vegetais e sementes como chia, linhaça e gergelim.

Bons hábitos

Como já falamos antes, realizar exercícios físicos, melhorar a alimentação e ter um sono regular são alguns bons hábitos que ajudam a melhorar o quadro de pessoas com depressão.

Além disso, é importante colocar no seu dia-a-dia algumas tarefas que façam sentir que o dia foi bem aproveitado. Trabalhar em algo importante para você, conversar com amigos, ler ou aprender.

Isso está conectado com a ideia de maestria, que é aquela sensação de “missão cumprida”, de estar andando em direção ao que é importante para você.

Homeopatia funciona para depressão?

A homeopatia, assim como outras terapias alternativas, se usadas de forma isolada, não são tratamentos eficazes para depressão. Procure sempre psicólogos e ajuda médica para que você tenha a melhor resposta a essa doença.

Existe chá antidepressivo?

A flor do maracujá é uma opção de calmante natural para melhorar a ansiedade, deixando a pessoa mais calma e, assim, favorecendo o sono. Além disso, a valeriana, a camomila, a cidreira e a alfazema também possuem propriedades calmantes.

Pode ser algo que ajude mas, de forma isolada, não será o suficiente para curar a depressão.

Antidepressivos engordam ou emagrecem?

Alguns antidepressivos podem fazer com que a pessoa engorde ou emagreça. Os tricíclicos e tetracíclicos, no geral, causam aumento de peso. Mas tudo isso depende de alguns fatores que variam de pessoa para pessoa.

Por isso, ao fazer uso desses remédios, marque também uma consulta com um nutricionista. Ele irá orientar melhor sobre mudanças na dieta para que você não sofra com um grande aumento ou redução do peso.

Remédio antidepressivo vicia?

Existe uma forte crença de senso comum de que esses remédios podem viciar, mas isso não é verdade. Antidepressivos causam vício.

Porém o que pode vir a acontecer é que o médico, ao começar a retirar o remédio do paciente, diminua o uso aos poucos. Isso é feito porque o seu corpo se acostuma com o efeito do remédio, e tirar ele do nada pode ser difícil.

Mas isso não é um sintoma de vício pois não causa reações de abstinência.

Além disso, existem muitas outras ideias sobre antidepressivos que já muitas pessoas acreditam, mas que são mitos. Para ter uma ideia melhor dessas inverdades, você pode conferir nosso miniguia sobre “4 mitos comuns sobre antidepressivos que confundem as pessoas.”

Crianças, idosos e mulheres grávidas podem tomar antidepressivo?

Crianças, idosos e mulheres podem tomar esses remédios sem grandes problemas. No entanto, sempre procure um profissional capacitado para que ele possa avaliar quais são os melhores remédios para essas pessoas, evitando efeitos indesejados.

Inicie o tratamento para depressão com a Eurekka

sede presencial eurekka

Então, como você viu nesse artigo, para usar antidepressivos, você precisa da indicação de profissional capacitado. Além disso, é recomendado acompanhamento médico ao longo do processo.

Portanto, se você está sentindo algum desses sintomas de depressão, talvez esteja na hora de agendar uma avaliação com um psiquiatra da Eurekka!

A Eurekka é a maior clínica de psicoterapia online do Brasil. Ela ajuda centenas de pessoas, todos os meses, a viverem uma vida melhor. Agora, também conta com atendimento médico.

Sendo assim, você pode clicar aqui para conhecer a Eurekka Med e tirar todas as suas dúvidas em relação às consultas da Eurekka. O melhor de tudo é que os nossos profissionais podem atender você de qualquer lugar do mundo, na modalidade online ou em breve, de forma presencial!

Seja como for, a gente vai ajudar você a levar a vida que você merece. Parabéns por ter chegado até aqui. Agora, a gente quer interagir com você, então pode comentar aqui embaixo que a gente promete responder, tá?

Para acessar mais conteúdos gratuitos como esse sobre psicologia e saúde emocional, clique na rede social que preferir: InstagramFacebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 3.5

Júlio César Castro Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *