Ansiolíticos: para que servem, efeitos e curiosidades

Equipe Eurekka

Equipe Eurekka

JUNTE-SE A MAIS DE 150.000 PESSOAS
Receba o Momento Eurekka com dicas semanais de Saúde Emocional exclusivas:

Este é um dos muitos remédios que pode ser prescrito para mais de um transtorno. Por isso, você não precisa sofrer transtornos de ansiedade para tomar ansiolíticos.

Este artigo vai esclarecer para que casos o ansiolítico é descrito, para que eles servem, como agem no nosso corpo e, ainda, quais os perigos desse medicamento.

O que são ansiolíticos

Os ansiolíticos são remédios com efeito calmante, que ajudam a tratar, principalmente, a ansiedade. Esses remédios podem ser sintéticos — ou seja, fabricados de maneira não natural — ou naturais.

Como foi dito antes, se pode recomendar os ansiolíticos e prescritos mesmo quando não há um caso relevante de ansiedade no paciente. Isso porque ele também auxilia no alívio de tensão e no tratamento da insônia, por ser um tranquilizante.

Para que servem

Os ansiolíticos servem para tratar transtornos de ansiedade e estresse, tensão constante e até mesmo insônia. Esses medicamentos causam relaxamento muscular, redução da ansiedade e do estado de alerta e induzem ao sono. Por isso, também se chama de calmantes.

Como esses remédios podem causar efeitos colaterais, é preciso que a medicação seja prescrita por um médico, além de haver acompanhamento médico para paciente.

Como eles agem no organismo

ansiolítico

Existem tipos diferentes de ansiolíticos, e cada tipo tem uma tática diferente de ação no nosso organismo.

Assim, fica mais fácil cobrir todas as causas possíveis de ansiedade ou estresse em um paciente — como somos diferentes, é bom que existam remédios com ações diferentes, também!

Os ansiolíticos mais comuns, entretanto, agem nos neurotransmissores do Sistema Nervoso Central (SNC). Os neurotransmissores do SNC são como mensagens, e essas mensagens estão indicando mais alerta e ansiedade do que o corpo precisa na realidade.

Com os medicamentos agindo nessas mensagens, elas passam a fornecer a informação correta e reduzir a ansiedade e a agitação. Já falamos um pouco sobre essas ações no organismo nesse post aqui.

Efeitos colaterais

A maioria dos efeitos colaterais recorrem da adaptação do corpo ao remédio. Como o ansiolítico tem efeito calmante, o paciente costuma apresentar sonolência, fala lenta ou arrastada, fraqueza muscular e dificuldade de concentração.

Isso acontece porque o organismo ainda está se acostumando com a nova dose e com a pressão para que o corpo relaxe. No começo, o corpo pode acabar relaxando “demais” e o paciente sente que está com sono mesmo quando não é hora de dormir — e, ao mesmo tempo, não consegue dormir durante o dia, porque a sonolência diária não é suficiente para induzir o sono.

Além disso, esses efeitos tendem a sumir com o tempo, assim que o organismo se acostuma com a dose e regula as instruções que recebeu. Neste estágio, o paciente consegue dormir e/ou relaxar quando toma o remédio e, passado um tempo, o efeito do medicamento não prejudica o dia a dia.

banner eurekka med

Riscos dos ansiolíticos

A dosagem prescrita pelo seu médico dificilmente te causará algum mal. O problema geralmente aparece na automedicação, como tomar mais remédio do que deveria, tomar o remédio na hora errada ou misturar o remédio com outras drogas e bebidas. Essas misturas podem levar o paciente à morte.

O uso de ansiolíticos por períodos acima do recomendado pelo médico pode causar a dependência. Mulheres grávidas devem evitar o uso de ansiolíticos, pois podem causar má formação no feto. De qualquer forma, é possível consultar um médico psiquiatra caso seja necessária a manutenção dos ansiolíticos durante a gravidez.

Além disso, é indicado que motoristas redobrem sua atenção ao volante, porque o ansiolítico afeta nossas capacidades psicomotoras, essenciais para a atividade de dirigir. O melhor a se fazer é esperar o efeito do remédio passar para, então, dirigir.

Tipos de ansiolíticos

ansiolíticos

Benzodiazepínicos

Este é o tipo mais comum de ansiolítico. Os benzodiazepínicos possuem a ação descrita em “como eles agem no organismo”: algumas áreas do sistema podem estar trabalhando mais do que precisam e, por isso, o paciente surge com mais sintomas de alerta e tensão do que o necessário. Os benzodiazepínicos auxiliam na regularização desses sintomas.

Barbitúricos

Este tipo de ansiolítico se tornou menos utilizado depois do surgimento dos benzodiazepínicos e do registro de mortes por consumo indevido deste medicamento. Se utiliza os barbitúricos de longa duração para o tratamento de epilepsia, úlceras e hipertensão arterial; se utiliza os de curta duração como sedativos.

Ansioliticos naturais

Algumas plantas são reconhecidamente calmantes, por elementos que ainda não foram amplamente estudados e elucidados pela ciência. Dentre as plantas mais conhecidas, estão a valeriana, a camomila e as passifloras. A planta indiana Rauwolfia serpentina também ficou famosa por apresentar um dos primeiros tranquilizantes utilizados em tratamento de psicoses. 

Nomes comerciais

Costumamos encontrar os ansiolíticos pelos nomes comerciais: Valium (Diazepam), Frontal (Alprazolam), Lorax (Lorazepam) e Rivotril (Clonazepam) são os nomes mais comuns.

O que é o Transtorno de Ansiedade?

A ansiedade em si não precisa ser curada, no sentido de extinguir essa emoção. Isso porque, como o próprio nome diz, é apenas uma emoção, e não uma doença.

O que se precisa tratar é o transtorno de ansiedade, como o transtorno de ansiedade generalizada, pânico e todas as fobias. O Transtorno de Ansiedade, então, é a doença causada pela ansiedade, quando ela se encontra acima do limite saudável.

Para quais transtornos o ansiolítico é recomendado?

remédios ansiolítico

Estes medicamentos são muito versáteis e podem auxiliar nos tratamentos de muitas enfermidades. A ansiedade e as fobias são os principais transtornos que os ansiolíticos tratam.

Mas também podem ser utilizados para síndrome de abstinência alcoólica, síndrome de abstinência benzodiazepínica, espasmos musculares, convulsões, insônias e até mesmo para a síndrome das pernas inquietas.

Ansiolíticos mais usados

Alprazolam

Este benzodiazepínico age principalmente estimulando o GABA, um aminoácido do nosso organismo capaz de reduzir a insônia e a ansiedade. Também é sedativo, anticonvulsivante e hipnótico.

Lorazepam

Além de possuir efeitos tranquilizantes, tem também propriedades antieméticas. Ou seja, reduz a possibilidade de vômitos. Por isso, é muito utilizado em quimioterapia e radioterapia.

Diazepam

Por fim, é o benzodiazepínico com mais utilidades, tratando desde ansiedade e insônia até síndromes e espasmos. Pode também ser utilizado em animais.

Exame toxicológico detecta ansiolítico?

Sim, o exame toxicológico detecta tanto o uso de ansiolíticos benzodiazepínicos quanto os barbitúricos. Além disso, o exame também é capaz de indicar a ingestão de anticonvulsivantes e antidepressivos.

Comece o tratamento de Ansiedade com a terapia da Eurekka

sede porto alegre

Para te ajudar a lidar com a sua ansiedade ou insônia, a Eurekka possui uma equipe dedicada e humanizada de psiquiatras no EurekkaMed, que estão sempre dispostos a tirar suas dúvidas sobre os remédios e prescrever o medicamento que melhor servirá você. Para marcar uma consulta, clique aqui.

Além disso, é importante ressaltar que, nesses casos, o medicamento nunca fará milagres: é preciso acompanhamento psicológico para a manutenção da saúde mental, juntamente com os ansiolíticos. Para marcar uma sessão de terapia com a Eurekka, clique aqui.

Por fim, somos uma clínica de psicologia e estamos sempre postando novos conteúdos em nossas redes sociais. Clique nos links para saber mais: InstagramFacebook e Youtube. Se você preferir também temos um Aplicativo.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 0

Compartilhe com seus amigos

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Artigos Relacionados