Descubra agora se você deve ou não ter amizade com ex

Equipe Eurekka

A maioria dos términos de relacionamento é difícil. Seja pela decisão de terminar, pelo sentimento de rejeição, ou pelo fim de um ciclo. E por vários motivos, alguns sensatos outros não, às vezes há uma tentativa de ter uma amizade com o ex. Mas será que essa é a melhor decisão?

Muitos veem ter uma amizade assim como sinal de maturidade. Outros acham que é um absurdo ter qualquer vínculo que não seja estritamente necessário. Mas e então? É possível e saudável ter amizade com ex? Há uma resposta certa?

Neste texto, você vai ver alguns fatores que podem ajudar você a decidir se encerra o contato de vez ou se busca manter a amizade. Também vai ver alguns motivos pelos quais uma amizade com o ex pode ser saudável ou prejudicial, e alguns conselhos sobre o que é preciso para ter essa relação. Vem com a gente!

É saudável ter amizade com o ex?

Essa pergunta pode ser bem difícil de responder. Muita gente fala que é sinal de discernimento; outros falam que não dá certo, que tem um motivo para ser ex, etc. Em resumo: depende de como foi a relação, como ocorreu o término e como cada uma das partes está se sentindo. 

Além disso, para ter amizade com ex, os dois têm que ter bastante maturidade. Afinal, amigo é uma pessoa com quem a gente tem abertura e em quem confia, certo? Então você precisa estar preparado e disposto a mudar o tipo de relação que tinha. As duas partes têm que ter flexibilidade e muita responsabilidade afetiva. 

Cada caso é um caso, e você tem que pôr na balança e pensar em como você se sente. Também é preciso que haja um diálogo honesto, para ver se é possível para os dois.

Se o término não foi conflituoso, se há um carinho e respeito mútuo, e abertura para conversa, pode ser saudável. Mas nem sempre é. Então, é importante que você reflita bastante antes de tentar uma amizade.

6 motivos comuns para querer ter amizade com ex

Pensou, pensou, pensou e segue em dúvida? Ou não consegue entender de jeito nenhum por que alguém iria querer contato com ex? Vem que a gente pensa junto e te mostra 6 razões pelas quais as pessoas têm esse tipo de amizade. 

mãos dadas

Sentimentalismo

Não é a mesma coisa que ainda estar apaixonado! Sentimentalismo, nesse caso, pode ser duas coisas: ser guiado só pelas emoções; ou um tipo de apego.

É difícil deixar pra trás um relacionamento, uma história. Então, mesmo quando você não quer mais, ou sabe que não dá pra ter mais nada, ainda pode haver um carinho. Nesses casos, há uma vontade de se manter por perto. Isso não é ruim por si só, mas não pode cair na primeira definição: não usar a razão.

Afinal, você deve pensar bem ao decidir se quer ter o contato. Cuidado ao avaliar se é um sentimento que não morreu, uma tentativa de resgatar o namoro, ou só um carinho que está mudando de forma, o que pode ser bom.

E se você sente que esse sentimentalismo é prejudical e você não consegue seguir em frente, clique aqui e leia sobre o desapego.

Relações sociais em comum

Às vezes duas pessoas namoraram por muito tempo, então o ciclo de amigos acabou se tornando parecido. Ou até já eram amigos antes de namorar. Talvez fossem colegas de trabalho, ou qualquer situação que não dê pra fugir do ex.

Afinal, em um relacionamento, as duas pessoas participam da esfera social uma da outra. E quando acaba, podem tentar ter uma amizade, ou pelo menos uma boa convivência. Seja para que nenhum dos dois perca os amigos, por convenção social, ou apenas para tentar evitar aquele clima super chato. 

Atração romântica

Esse caso pode ser um pouco mais complicado. A atração romântica é um magnetismo que vai além da aparência: é a vontade de ainda estar com a pessoa. De ter um relacionamento, de estar perto, e tudo mais. E não é porque acabou o namoro que essa atração vai embora de imediato.

Então, a pessoa pode tentar manter amizade com o ex, mas com outras intenções. Isso pode até mesmo ser inconsciente, como um tipo de negação. Assim, é preciso cuidado e avaliar se só não está esticando o sofrimento e se enganando.

Fim da atração romântica

Esse acaba sendo o motivo de vários términos. Quando o casal percebe que não tem mais um amor romântico ou vontade de estar junto como casal, mas ainda há um afeto. Esse carinho já está mais próximo de algo fraternal, um companheirismo, uma simpatia. 

Nesses casos, a amizade pode ser saudável e até um desfecho natural do relacionamento. Levando em conta que não há mais a atração romântica, só afeto. Então, a amizade pode ser ótima. Porém, é essencial que haja diálogo, para se adaptar a esse novo papel, e até para ver se a outra pessoa pensa o mesmo. 

Além disso, é importante lembrar que um relacionamento não vive só de paixão, viu? E se quer saber mais sobre isso, clique aqui e veja o que um psicólogo diz sobre o assunto!

Acesso sexual

No dia a dia, pode ser difícil encontrar um parceiro sexual, ainda mais alguém com quem se tenha uma boa química. E querendo ou não, sexo acaba sendo uma parte importante da vida. Por isso, muitas pessoas, quando terminam um relacionamento, acabam tendo o que se chama de “amizade colorida” com o ex.

Isso pode ser inofensivo por si só, afinal, são duas pessoas que combinam na cama, mas não têm sentimentos uma pela outra. Porém, o problema é justamente nessa última parte. Afinal, o sexo pode incitar ou reavivar sentimentos que não têm mais espaço, já que não há relacionamento.

Por isso, essa amizade é possível, mas também tem vários riscos para ambas as partes, e às vezes vale a pena abrir mão. Lembre-se que é importante refletir se vocês não estão apenas usando e confundindo um ao outro.

Filhos ou outra situações compartilhadas

Este é um dos casos com mais detalhes para lidar. Casais que tenham filhos ou pets juntos ou ainda que sejam sócios num negócio terão que compartilhar algum tipo de contato.

Nessas condições, uma amizade pode ser um facilitador importante. E é mais saudável que haja um mínimo de respeito e compreensão de ambos os lados. Porém, nem sempre isso é possível, até por questões da própria relação (como um namoro abusivo). Em casos menos difíceis, vale a pena tentar o básico.

O que fazer quando um ex quer manter a amizade?

Claro, nem sempre o movimento de manter a amizade vai partir de você. É bem possível que a pessoa com quem você se relacionou venha falar com você, e pergunte se vocês podem pelo menos ser amigos. Como lidar com esses casos?

Em primeiro lugar, é essencial que você pense bem antes de tomar alguma decisão. Às vezes, é difícil abrir mão de uma pessoa de que você gostava, e pela qual você tem muito carinho. Porém, as amizades devem nos fazer bem e não devem ter sentimentos românticos que nos incomodem.

Então, é importante pensar se você sente algo romântico pela pessoa e também se você quer tê-la por perto como amiga. 

Nos limites da responsabilidade afetiva, a prioridade deve ser você, e o que é bom pra você.

Amizade com ex é complicado, portanto, só entre se estiver muito disposto a tentar. E se não tiver, peça para que a pessoa respeite seu espaço e sua decisão.

Além disso, é importante que haja uma conversa franca entre as duas partes. Uma amizade dessas deve ter alguns limites e algumas peculiaridades que o ex-casal deve decidir e conversar sobre. Por exemplo, assuntos como novos amores podem ser tópicos sensíveis, então o diálogo é essencial, antes e durante a amizade. 

E se você sente que está tendo dificuldade para superar o passado e quer conhecer mais sobre si mesmo e seus sentimentos, clique no banner abaixo e marque uma conversa inicial com um de nossos psicólogos!

banner terapia saúde mental com a eurekka

É possível manter amizade com ex?

Essa é a grande questão! E a resposta mais segura para uma situação qualquer é: depende. Cada caso é um caso, e todos precisam de diálogo e reflexão. Aqui vão alguns fatores a se pensar para responder essa pergunta para você.

Pense em como foi o final do relacionamento

Você seria amigo de alguém que te desrespeitou? Te machucou? Te desconsiderou? É provável que não. Mas muitas vezes, o seu ex foi alguém que fez isso com você e talvez nem sequer assuma seus erros e suas responsabilidades. Pode ser difícil abrir mão, mas você deve estar com pessoas que façam bem para você.

Não se sinta pressionada a entrar em amizade. Avalie, olhando toda a relação, em especial o fim, se você quer manter essa pessoa na sua vida. Se os momentos finais foram recheados de brigas e falhas de comunicação, ou muitos sentimentos complicados, talvez seja melhor cada um seguir seu caminho. 

Muitas vezes, quando o relacionamento acaba, nós tendemos a romantizar a relação. Por exemplo, esquecemos das brigas e tudo que era ruim, lembrando apenas das partes boas. Por isso, é importante pensar com calma e de forma racional, para não acabar criando uma ideia do passado que não era verdade.

sentimento de posse na amizade com o ex

Existe sentimento de posse em um dos dois?

Às vezes, é difícil aceitar que a pessoa não é mais “sua”. Entre aspas, porque ninguém é dono de ninguém, né? Mas a pessoa ocupa um papel especial, exclusivo na sua vida. E pode ser muito desafiador quando ela passa a assumir esse papel em outros vínculos. Ou o contrário, você se sentir podado, porque a outra pessoa parece que está prendendo e julgando você.

Assim, uma amizade pode ser uma artimanha, consciente ou não, para vigiar o outro. Só que ninguém merece ficar sendo regulado, ainda mais pelo ex. Então, é essencial para uma amizade com ex que nenhum dos dois tenha sentimento de posse, e consiga aceitar os voos e as escolhas do outro de forma madura.


Perceba se existe ciúmes

Pode ser que, de ambos os lados, não haja um sentimento de posse, nem uma vontade de podar e regular a vida do ex. Mas ainda há um fator que dificulta a amizade: o ciúme. E sim, esse pode ser diferente do sentimento de posse. O ciúme é aquele desconforto silencioso diante de atitudes do outro.

E claro, é natural sentir ciúme. Pode ser difícil ver a pessoa que você amou seguindo em frente. Ao mesmo tempo, é ruim para ambos que haja muito ciúme na relação.

Afinal, se o ciúme excessivo prejudica o namoro, imagina a amizade? Os dois podem se conter demais ou sofrer por conta do outro. Então, ao entrar nessa, é importante estar bem resolvido.

O passado ficou mesmo para trás?

Podemos resumir vários desses fatores nesta frase: os dois seguiram em frente? E isso não quer dizer estar com outras pessoas, mas ter superado a relação em suas coisas boas e ruins.

A amizade com o ex não deve ser uma extensão do namoro extraoficial, por isso, as pessoas precisam de autoconhecimento.

Vocês não são mais um casal; o máximo que serão é amigos. Então é importante avaliar se não há mágoas, não há sentimentos, não há uma tentativa de reatar o relacionamento. E para descobrir isso, é necessário muita reflexão e conversa. 

sede da Eurekka

Aprenda mais sobre relacionamentos com a Eurekka. 

Deu pra perceber que uma das partes mais importantes dessa história é autoconhecimento, não é? Isso significa entender os seus sentimentos, seus limites, suas vontades. Além disso, também é essencial conseguir dialogar e mostrar sua opinião, mesmo que sejam conversas difíceis. 

Na Eurekka, temos um time de psicólogos prontos para orientar você e ajudar na busca do autoconhecimento. Então, se estiver precisando de apoio para lidar com esses temas, clique aqui e marque uma sessão com a gente!

E para mais conteúdos gratuitos nos siga nas nossas redes sociais: Instagram, Youtube e Facebook!

Tudo isso nos deixa muito orgulhosos! Continue nos acompanhando!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 3.75

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.