A saúde mental dos estudantes universitários: sobrevivendo à faculdade 

Equipe Eurekka

Sabemos que entrar na universidade é uma pressão e tanto! Porém, o estado da saúde mental dos estudantes universitários mostra que terminar a faculdade sem transtornos é ainda mais difícil.

Ingressar na faculdade é mergulhar em um mundo desconhecido. Junto com a empolgação do ensino superior, o estudante se depara com novas exigências, matérias e regras, além da nova adaptação ao ambiente e às pessoas. 

E existe também a alta demanda de tarefas, necessidade de autonomia para organizar os estudos e de ser inserido em um grupo. Ou seja, cuidar da saúde mental para aprender a lidar com essa fase é indispensável. 

Por isso, a Eurekka criou esse guia sobre como sobreviver na faculdade e mostrar que não é um bicho de sete cabeças. Boa leitura!

Saúde mental dos estudantes universitários 

Muitas vezes, os alunos que estão na universidade ainda não se adaptaram com as responsabilidades desta nova fase. Assim — devido à alta demanda de atividades — deixam de lado outras áreas da vida, como família, amigos, namoro etc.

Manter a saúde mental durante a graduação seria fazer as atividades, como trabalhos, estágios e provas, porém sem se privar de fazer o que é prazeroso e estar com pessoas importantes. Ou seja, se você não mantiver o equilíbrio, sua qualidade de vida será comprometida.

Este período já carrega consigo um grande peso. Assim, além de tentar equilibrar as áreas da vida, também é necessário aceitar as exigências e ter consciência de que você não vai dar conta de tudo. Não se esqueça de que isso não é um problema, pois cada um tem seus limites

Caso contrário, é possível começar a duvidar da própria capacidade devido à cobrança em excesso. Mas sabemos que saber lidar com as emoções e conciliar estudos com lazer não são tarefas fáceis. Por isso, hoje vamos mostrar para você formas de sobreviver na faculdade!  

saúde mental dos estudantes universitários de máscara sentados na escada

Saúde mental dos estudantes universitários pós-pandemia 

Com a pandemia do Covid-19, as universidades tiveram que se adequar e tomar novas medidas, como, por exemplo, as aulas remotas. Muitas ações causaram um grande impacto negativo na saúde mental dos alunos, que tiveram que se adaptar a formas diferentes de ensino. 

Tanto durante, quanto após a pandemia, estudantes universitários apresentaram sintomas de depressão e ansiedade. Além de estarem distantes do campus e dos amigos, houve uma mudança drástica na rotina, que se tornou instável e difícil.

Ao voltar às aulas presenciais, os estudantes deram de cara com um novo desafio: se acostumar ao “novo normal” e lidar com a pressão. Assim, lidando com mais um obstáculo no bem-estar caso tenha dificuldade de adaptação.

Causas de transtornos psicológicos na universidade 

Muitos estudantes ficam vulneráveis durante o período acadêmico. Os momentos na graduação, as relações que são criadas nesse contexto e as dúvidas sobre o futuro podem ter um impacto negativo no psicológico, na vida social e no desempenho do aluno. 

Continue a leitura para entender alguns dos motivos que podem causar transtornos psicológicos nos universitários! 

A incerteza sobre o futuro 

Estar na graduação pode causar certa ansiedade em relação ao futuro profissional do estudante. O foco no futuro faz com que o presente não seja bem usufruído, de modo que o estudante se sinta cada vez mais inseguro e com medo do que está por vir.

Mercado de trabalho 

A preocupação com o mercado de trabalho é presente em muitos estudantes, que têm a sensação de despreparo e insegurança, em especial aqueles que estão nos últimos semestres. 

Estar com o diploma não é garantia de conseguir um emprego, o que leva muitas pessoas para o trabalho informal ou para alguma área não relacionada com o curso realizado.

Afinal, ter um espaço no mercado de trabalho não depende só da formação profissional, mas das conexões que você faz (o famoso networking) e das competências pessoais.

Acúmulo de provas e trabalhos 

Na faculdade, acumular provas e trabalhos é mais comum do que você imagina! Isso acontece diante da exigência de conteúdos e atividades que, muitas vezes, os estudantes não conseguem planejar. Sendo que isto só reforça a ideia de incapacidade e o desgaste emocional do aluno. 

mulher de costas lendo um livro

Os riscos de não cuidar da saúde mental quando se é estudante universitário 

Estudantes universitários estão mais propensos a desenvolver transtornos mentais. Isto acontece porque existem alguns fatores na vida acadêmica que podem ter um impacto negativo na saúde mental, caso o estudante não saiba lidar com as demandas de forma saudável. 

Entre esses fatores, encontram-se: 

  • Alta carga horária de estudo; 
  • Aprender a otimizar o tempo; 
  • Descobrir novas formas de estudar; 
  • Adaptação ao novo ambiente e rotina; 
  • Saber se organizar de acordo com as demandas. 

E essa junção de fatores podem gerar situações como:

Ansiedade 

Você já se sentiu preocupado com o estágio do semestre que nem chegou ainda? Ficou com medo de não se sair bem em um trabalho? Questionou seu futuro na profissão com base em uma única matéria que você não entende hoje?

Esse desconforto que você sente é ansiedade, cuja função é antecipar o que é desconhecido para que você se proteja. Assim, você se sente inquieto pelo medo do futuro. Até então, isso pode ser a ansiedade comum, em que seu corpo se prepara para situações de perigo. 

Porém, caso esta ansiedade permaneça por um longo período e não tenha um limite, é preciso avaliar para entender se não houve uma evolução para um transtorno, que seria a ansiedade patológica

Depressão 

Episódios depressivos podem acontecer na vida dos universitários por motivos como pressão social diante do curso escolhido, transição da adolescência para a vida adulta, falta de momentos de lazer e, muitas vezes, necessidade de trabalhar para permanecer na universidade. 

Burnout 

Ao falar de Burnout, sabemos que as principais características são: exaustão emocional, despersonalização (se sentir fora de si) e baixa realização pessoal. Essa síndrome atinge não só os trabalhadores, mas também os estudantes. 

Estudantes com Burnout possuem o psicológico abalado devido às demandas da faculdade. Dessa forma, o foco diminui e é comum que se sintam incompetentes. Entre os outros problemas que esta síndrome causa, estão: 

  • Problemas com o sono; 
  • Ansiedade e depressão
  • Falta de compromisso; 
  • Sensação de cansaço e desmotivação; 
  • Baixo desempenho nas tarefas acadêmicas. 

Além disso, essa síndrome é muito comum em pessoas que trabalham e estudam. Pois têm uma jornada dupla de afazeres, podendo levá-las, assim, ao cansaço mental extremo.

Estresse 

O estresse é uma reação natural que acontece quando seu corpo se sente ameaçado. Assim, libera substâncias para que você esteja preparado para lutar ou fugir, causando mudanças como aceleração da respiração e dos batimentos cardíacos. 

Estudantes universitários passam por altos picos de estresse, uma vez que estão sempre em contato com situações desafiadoras, mudanças e angústias. Essas situações podem causar impaciência, falta de motivação ou muita irritação, desenvolvendo um estresse tóxico

Soluções para melhorar a saúde mental dos estudantes universitários

Durante a trajetória na universidade, os estudantes estão expostos a riscos para a própria saúde mental e qualidade de vida. Porém, vamos mostrar para você algumas formas de melhorar essa condição, então continue a leitura para descobrir! 

Terapia 

Caso você perceba que está com dificuldade de passar pelas exigências da universidade, busque ajuda profissional. O psicólogo irá ensinar habilidades para que você desenvolva competências necessárias, como disciplina, planejamento e autonomia. 

Além disso, na terapia, você aprende a lidar com fortes emoções, o que é bem comum na universidade, né? Mas não é só iss! Você também aprende como prevenir o estresse e, caso já esteja sentindo sua saúde mental abalada, você conseguirá se reerguer aos poucos. 

E se você quer receber essa ajuda de um psicólogo da Eurekka, clique no banner abaixo e saiba como marcar sua Conversa Inicial!

banner terapia

Prática de exercícios físicos

O hábito de movimentar o corpo ajuda você a estar disposto, de forma que seu corpo funcione melhor durante o dia. O exercício físico auxilia na disposição, melhora da memória e concentração e, assim, aumenta a produtividade. 

Além do rendimento nos estudos, o bem-estar físico e psicológico também são resultados positivos na prática dos exercícios, pois ocorre a liberação de endorfina – hormônio relacionado à sensação de prazer. 

Tempo de descanso 

Você sabia que, após um certo período, seu cérebro não absorve mais conteúdos? É provável que você imagine estar ganhando tempo se permanecer na mesma atividade por um longo período. 

Porém, estudar sem pausas não é uma boa estratégia para render nas atividades, pois o cérebro tem um limite de concentração e precisa de um descanso, assim como você.

Ou seja, você também precisa de um tempo para não pensar na universidade. Estudar de forma frenética não é saudável! Então, organize momentos de estudos e descanse no tempo livre para se divertir, cuidar de si mesmo e recuperar as energias. 

Focar apenas no momento presente 

Sim, ter uma lista de tarefas para fazer é desesperador! Mas é preciso focar no que é prioridade. Caso contrário, estar concentrado se torna um desafio, uma vez que sua mente está preocupada com o que ainda não aconteceu ou com alguma data de atividade ainda distante. 

E como fazer isso? É provável que você já tenha ouvido falar no mindfulness. A técnica de atenção plena se baseia em estar consciente do que está fazendo e dos estímulos ao redor, de modo que as tarefas – sejam estudos ou não – não sejam feitas no automático. 

Tudo que é feito com mais atenção, tende a ter resultados melhores! Para saber como colocar em prática, clique aqui para aprender sobre mindfulness com a Eurekka. 

Não fazer mais tarefas do que você aguenta 

Fazer uma tarefa e, logo em seguida, pular para outra pode causar desgaste emocional. A sobrecarga de atividades contribui para que seu desempenho e motivação diminuam, causando a sensação de frustração

Por isso, é importante fazer uma lista do que é prioridade, como, por exemplo, atividades com datas próximas. Assim, as que restarem podem ser divididas em dias posteriores e você não fica com um grande peso de ter que fazer todas as tarefas de uma vez só. 

Rotina equilibrada 

Se você é universitário, deve saber que a cada dia que passa, os conteúdos ficam mais difíceis e as atividades atingem você de forma inesperada. O que queremos dizer é que, ao manter uma rotina equilibrada, você estará mais preparado para imprevistos

Isto acontece por existir uma organização e, por consequência, uma sensação de controle nos afazeres do dia a dia. Assim, é mais fácil encaixar na rotina o que for novidade, diminuindo a chance de sentir ansiedade. 

Além disso, se você tem em mente como será o seu dia, é possível definir as atividades mais importantes a serem realizadas. Caso contrário, a falta de organização leva à perda de tempo com o que poderia ser rotineiro, além de causar estresse

E, você não pode esquecer também que uma rotina equilibrida é uma rotina variada. Ou seja, você não vai pensar só em estudar, mas em praticar um exercícío físico, ter um horário certo para dormir e para acordar e descanso!

sede da Eurekka

A eurekka é a melhor escolha para cuidar da saúde mental dos estudantes universitários

Você, estudante universitário, tem dificuldade em lidar com as demandas da faculdade? Não consegue dividir seu tempo com outras áreas da vida? Precisa organizar sua rotina? Então você está no lugar certo! A Eurekka pode ajudar você a manter sua saúde mental em dia. 

Os anos de estudo em uma universidade não são fáceis, sendo necessário ter disciplina e equilíbrio. Mas a boa notícia é que a terapia pode ajudar você a se organizar e descobrir o melhor método de estudo para você. Além de ensinar como lidar com os problemas de forma saudável. 

Agora que você já sabe os riscos de não cuidar da sua saúde mental sendo um estudante universitário, que tal marcar uma conversa inicial com um de nossos terapeutas? Com um clique, você já pode começar a cuidar mais de si!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Equipe Eurekka

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.